“Palhaçada Geral”

A “Palhaçada Geral” é um festival que busca traçar um panorama da diversidade da produção na arte da palhaçaria feita no Brasil e sempre contou com participações de convidados internacionais. Este projeto pretende ampliar sua dimensão e realizar uma edição internacional, mais intensa na relação com artistas de outros estados e que seja representativa da produção no estado de São Paulo.
O Festival surgiu de uma iniciativa do grupo teatral Parlapatões, sempre agregando diversos parceiros para sua efetivação. Suas três edições anteriores aconteceram no Espaço Parlapatões, no Circo Roda, incluindo lonas montadas em locais públicos como Memorial da América Latina e na Praça Roosevelt, sempre a preços populares e também com atividades gratuitas.
Para o público, a Palhada Geral é uma oportunidade para assistir espetáculos de qualidade bem como participar de debates e oficinas, com alguns dos melhores palhaços brasileiros e estrangeiros.
Nossa visão curatorial procura reunir a excelência desta expressão artística, tanto daqueles formados na tradição do picadeiro quanto os contemporâneos, oriundos de escolas de Circo e também vindos diretamente da atividade teatral, para oferecer ao público um panorama contemporâneo vivo e intenso da palhaçaria e bufonoria atuais.
Entre espetáculos, cabarés reunindo vários grupos e companhias, debates, oficinas, demonstrações de trabalho, participarão cerca de 150 artistas, sendo que além de diversos palhaços paulistas, teremos convidados de outros estados (Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba) e internacionais (Bélgica, México, Espanha e Argentina).
Todas as Apresentações acontecerão no Espaço Parlapatões, na Praça Franklin Roosevelt, 158. Os ingressos serão vendidos no local pelo valor de R$ 20 para as apresentações realizadas no teatro. Os eventos realizados no Palco do Bar serão gratuitos.
Já os Debates serão realizados na SP Escola de Teatro, no número 210 da mesma rua, com entrada gratuita.
‪#‎PalhaçadaGeral‬ ‪#‎EspaçoParlapatões‬ ‪#‎Palhaço‬ ‪#‎Clown‬ ‪#‎Teatro‬‪#‎TeatroMusical‬ ‪#‎VáAoTeatro‬ ‪#‎OpiniãoDePeso‬

“Palhaçada Geral”
Com vários artistas
Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação, São Paulo)
14 a 23/08
Preço dependendo do evento
A agenda completa do evento em http://www.espacoparlapatoes.com.br

“ORGIA ou de como os corpos podem substituir as ideias”

O grupo de Teatro Kunyn apresenta sua peça “ORGIA ou de como os corpos podem substituir as ideias” no parque Trianon. O texto é baseado nos diários íntimos de Túlio Carella, diretor e dramaturgo argentino, que nos anos 60, mudou-se para Recife para lecionar teatro na Universidade Federal de Pernambuco.
Só que, durante este ano em Recife, longe da repressão argentina, Túlio pôde se entregar à “solaridade” nordestina, permitindo-se a realizar suas fantasias homoeróticas pelo submundo recifense. Túlio Carella não deixa de ser um Jean Genet dos trópicos.
A montagem do de Teatro Kunyn utiliza do espaço do Parque Trianon (localizado em frente ao Museu de Arte de São Paulo) para narrar a história, que às vezes o público percorre sozinho (por meio de uma audiodescrição em fones de ouvidos), ou às vezes através de diálogos dos atores.
A peça é gratuita, mas para conseguir um ingresso, você deve ligar na quarta feira, a partir das 10h, no telefone (11) 94151.3055 Mas ligue o mais rápido, por que são apenas 21 lugares por apresentação e costumam se esgotar em menos de meia hora.
Iremos nesta sexta feira e depois contaremos como foi a experiência. Mas se quer saber um pouco de como outros espectadores estão reagindo, veja o vídeo

#‎Teatro‬ ‪#‎TeatroMusical‬ ‪#‎TeatroKunyn‬ ‪#‎VáAoTeatro‬ ‪#‎ParqueTrianon‬‪#‎ORGIA‬ ‪#‎ExperimentoCênico‬ ‪#‎OpiniãoDePeso‬

“ORGIA ou de como os corpos podem substituir as ideias”
Com Teatro Kunyn
Parque Trianon (Rua Peixoto Gomide, 949 – Jardim Paulista – São Paulo)
10/07 até 30/08
Sexta, Sábado e Domingo – 15h
Grátis (reserva semana a partir quarta feira, 10h – 11.94151.3055

“A Tempestade”

Para dar continuidade a comemoração dos 50 anos do Teatro TUCA, a próxima peça a estrear é “A Tempestade”, de Gabriel Villela. Esta é sua quinta peça baseada nos contos do bardo inglês, William Shakespeare. As outras foram Romeu e Julieta (com o Grupo Galpão), Sonho de Uma Noite de Verão (com a Cia de Dança Palácio das Artes de BH), Macbeth (com Marcello Antony e Claudio Fontana) e Sua Incelença Ricardo III (com o grupo Clowns de Shakespeare).
Para montar o último texto do consagrado autor inglês, Gabriel reuniu 11 atores, dos quais 9 ele já havia trabalhado em outros projetos. O elenco é composto por Celso Frateschi (Próspero), Helio Cicero (Caliban), Chico Carvalho(Ariel), Letícia Medella (Miranda) e Romis Ferreira, Dagoberto Feliz, Marcos Furlan, Rogerio Romera,Leonardo Ventura, Felipe Brum e Rodrigo Audi.
Para muitos estudiosos, A Tempestade foi a peça em que o autor homenageou suas próprias criações anteriores e onde se despede da dramaturgia, já prevendo sua morte, que aconteceu cinco anos depois, em 1616.
A música tocada e cantada ao vivo pelos atores é um elemento fundamental nesta montagem. Para compor o repertório da peça foram selecionadas canções populares brasileiras de domínio público cujo tema fosse universo das águas doces do Brasil e salgadas do Oceano Atlântico, com novos arranjos para ambientar a atmosfera onírica do espetáculo. “Buscamos uma delicadeza nas canções, a ideia do Marco de juntar violino, violão, flauta e acordeon foi pensada para esse fim. Mesmo quando a música vem com força, trata-se de uma força delicada”, comenta Babaya.

1439164081220
A obra se passa numa ilha remota, onde Próspero, duque de Milão por direito, planeja restaurar sua filha Miranda ao poder, utilizando-se de ilusão e manipulação. Próspero tem a seu serviço Caliban, um escravo em terra, homem adulto e disforme, e Ariel, o espírito servil e assexuado que pode se metamorfosear em ar ou fogo. Os poderes eruditos e mágicos de Próspero e Ariel combinam-se para invocar uma grande tempestade, visando assim atrair seu irmão Antônio, que lhe usurpou a posição de duque, e seu cúmplice, o rei Alonso de Nápoles, para a ilha. Lá, suas maquinações acabam por revelar a natureza vil de Antônio, provocando a redenção do rei, e o casamento de Miranda com o filho de Alonso, Ferdinando.

5DIII © Joao Caldas Fº

5DIII © Joao Caldas Fº

A Tempestade é uma história de vingança, amor, conspirações oportunistas, e também de reconciliações e perdão. “Temos A Tempestade nas mãos, e isso não é pouco. Trata-se de um dos textos mais importantes de Shakespeare e o que ele tem de mais atual é o fato de tratar do desejo”, comenta Celso Frateschi. “Tenho atração e encantamento por obras que traduzem o universo mítico, onírico e poético, como A Tempestade”, complementa Gabriel Villela.
‪#OpiniãoDePeso #Teatro #TeatroMusical #ATempestade #GabrielVillela #Shakespeare #TheTempest #Tucarena #VáAoTeatro #PomboCorreioAssessoriaDeImprensa

“A Tempestade”
Com Celso Frateschi. Helio Cicero, Chico Carvalho, Leticia Medella, Dagoberto Feliz, Romis Ferreira, Marco Furlan, Rogerio Romera, Felipe Brum, Rodrigo Audi e Leonardo Ventura.
Teatro Tucarena (Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo)
Duração 90 min
21/08 até 22/11
Sexta – 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 19h
$50 / $70

“Cabaret Brazil”

Frederico Reder, empresário carioca e dono dos Theatro Net Rio e São Paulo, abrirá em outubro seu mais novo projeto – o “Cabaret Brazil”. Antiga casa de shows “Terra da Garoa”, da qual era sócio, a nova casa começou a ser reformada em julho para poder receber musicais maiores, com nova decoração e cenografia mais moderna.
Como Frederico disse para a revista Veja SP, “Melhoramos o que era bom. Será uma Gisele Bündchen com lifting”. (fonte revista Veja SP)‪#‎OpiniãoDePeso‬ ‪#‎Teatro‬ ‪#‎TeatroMusical‬ ‪#‎CabaretBrazil‬ ‪#‎TerraDaGaroa‬‪#‎FredericoReder‬ ‪#‎VáAoTeatro‬ ‪#‎TheatroNET‬‪#‎BrainstormingEntretenimento‬