SEJA BEM VINDA, BRAVART ENTRETENIMENTO

Saiu hoje no jornal O Estado de S. Paulo, na coluna de Ubiratan Brasil, o anúncio do surgimento de mais uma produtora envolvida com Teatro no país – a Bravart Entretenimento
A produtora focará nos espetáculos de médio e pequeno portes, em produções Off e Off-Off-Broadway (que são os espetáculos “menores”, menos dispendiosos, que investem menos em divulgação e também menos conhecidos do que os localizados na famosa área teatral nova iorquina).
A Bravart Entretenimento é uma parceria entre o publicitário e ator de musicais, Álvaro Real, com o empresário da área de comunicação, Rodrigo Rivellino.

 

1451289691735

Os sócios Álvaro Real (E) e Rodrigo Rivellino (D) – crédito foto (O Estado de São Paulo)

A primeira peça a ser produzida, com estreia prevista para o junho do ano que vem, é “Tick, Tick… Boom!”, no palco do Auditório do MASP. A peça é de autoria de Jonathan Larson, o mesmo autor de “Rent”.
A próxima produção será “I Love You, You are Perfect, Now Change”. A Bravart Entretenimento também vai focar em espetáculos nacionais, com a promessa de incentivar novos criadores.
Sejam bem-vindos!
Leia a matéria completa do jornal O Estado de São Paulo no link –http://goo.gl/1iFFwF
‪#‎Teatro‬ ‪#‎TeatroMusical‬ ‪#‎VáAoTeatro‬ ‪#‎OpiniãoDePeso‬‪#‎BravartEntretenimento‬ ‪#‎Produtora‬ ‪#‎TickTickBoom‬
(crédito foto – jornal O Estado de São Paulo)

 

AUDIÇÃO PARA ENSEMBLE DO STUDIO MARCONI ARAÚJO

Devido a demanda dos Musicais em São Paulo e novos projetos do Ensemble, o Maestro Marconi Araujo decidiu realizar uma grande audição antes de iniciarem as atividades em 2016.
As audições acontecerão na segunda-feira, 18 de Janeiro, das 11:00 as 16:00. Ajudem a compartilhar!!!!
As inscrições estão sendo realizadas pelo nosso site:
www.studiomarconiaraujo.com
Após o cadastro, você receberá um email até 06 de janeiro, com a hora e o repertório.
Direção de Produção: Fabio Hecker.
Direção Geral: Maestro Marconi Araujo.
Realização: BelCanto Produções Art. Ltda.
Email: contato@studiomarconiaraujo.com
011-2738-4010 ou 011 99877-7703.

CINDERELLA DE RODGERS E HAMMERSTEIN

O SHOW

Ano que vem você verá uma nova versão da história da Gata Borralheira. A partir de 26 de fevereiro (previsto), a Fábula Entretenimento trará para o palco do Teatro Alfa, “Cinderella, o Musical” de Rodgers (música) e Hammerstein (letras). A história é baseada no conto francês “Cendrillon, ou La Petite Pantoufle de Verre“, escrita por Charles Perrault.
Cinderella de Rodgers & Hammerstein” foi escrito para a rede de televisão norte americana CBS, estrelado por Julie Andrews, em 31 de março de 1957. Nos palcos, teve a sua estreia em 18 de dezembro de 1958 no London Coliseum (Inglaterra).
Depois da primeira versão televisiva, houve outras versões com artistas de renome como Eartha Kitt e Dick Van Patten. Em 1997, a Walt Disney Produções lançou um remake com a atriz e cantora Brandy fazendo o papel de Ella. Esta versão teve uma importância também por mostrar uma diversidade: a família real era composta por uma mãe afro-americana, um pai caucasiano, um príncipe asiático-americano e a Cinderella era vivida por uma atriz afro-americana.
O show foi atualizado em 2013 com um novo libreto escrito por Douglas Carter Beane, o mesmo de “Mudança de Hábito” (Sister Act) e “Xanadu“.

12734082_952926414795344_2059855599784554064_n.jpg

OS PERSONAGENS DA HISTÓRIA

Ella (Cinderella) (Bianca Tadini) – uma jovem com o coração mais gentil do reino, que sonha em poder deixar suas tarefas intermináveis, para poder conhecer o mundo.
Madame (Totia Meirelles) – madrasta de Ella, preocupada somente com sua riqueza e com a felicidade de suas filhas.
Príncipe Topher (Bruno Narchi) – príncipe do reino, mas que precisa de motivação para desenvolver todo o seu potencial.
Lord Sebastian (Carlos Capelleti) – conselheiro do príncipe Topher, que quer protegê-lo a todo custo, inclusive escondendo o que está acontecendo no reino.
Lord Pinkleton (Tiago Barbosa) – ajudante de Sebastian e o arauto para todos os eventos e comunicados importantes.
Marie (Sabrina Korgut) – uma pobre senhora, que num passe de mágica transforma-se na Fada Madrinha de Ella.
Jean-Michel (Bruno Sigrist) – idealista radical que tem muitas ideias de como melhorar o reino. Está apaixonado por Gabrielle.
Gabrielle (Giulia Nadruz) – começa a história como irmã adotiva egoísta de Ella, mas que ao passar do tempo, vira sua amiga, ainda mais quando revela que abandonaria toda sua riqueza para ficar com Jean-Michel.
Charlotte (Raquel Antunes) – outra irmã de Ella, a quem trata mais cruelmente. Mas ela não sabe ser diferente, ainda mais porque só se preocupa consigo mesma.
Ensemble – Diego Luri, Fabio Saltini, Fernando Palazza, Ivanna Domenyco, Laura Visconti, Letícia Mamede, Lia Canineu, Luana Bichiqui, Marcelo Vasquez, Naomy Schölling, Nick Vila Maior, Philipe Azevedo, Talitha Pereira, Thati Abra e Willian Sancar.
A versão e tradução da obra para o Brasil será feita pela atriz e cantora, e agora versionista e tradutora, Kiara Sasso.
A HISTÓRIA
web2
ATO 1
Em um floresta num reino distante, vivia uma jovem chamada Ella, com sua madrasta Madame e suas duas filhas, Gabrielle e Charlotte. Enquanto faz suas tarefas domésticas, Ella deseja que o mundo seja tão bonito quanto parece.
Em outro canto do reino, o príncipe Topher está tendo dificuldades em encontrar o seu propósito de vida, mesmo que em breve seja o novo Rei.
Depois de derrotar um gigante, Topher se depara com Ella a frente de sua casa. Ele a elogia, depois de testemunhar sua bondade para com uma pobre senhora, chamada Marie.
Príncipe Topher e seu conselheiro Sebastian voltam para o palácio, bem no momento em que um idealista radical Jean-Michel chega ao reino, compartilhando seus ideais sobre os problemas entre os ricos e os pobres.
Madame e suas filhas ao retornarem das compras, encontram-se com Jean Michel. Este oferece um livro para Gabrielle, a quem ele ama, mas Madame rejeita-o rapidamente. Então Jean Michel oferece o livro para Ella, que através de suas páginas, sonha com um mundo melhor além das suas tarefas domésticas.
Enquanto isso, é anunciado no palácio que acontecerá um baile em homenagem ao aniversário de 21 anos do Príncipe Topher, e que servirá também para ele encontrar uma esposa.
A alta sociedade do reino se anima com o anúncio. Simultaneamente, Jean-Michel realiza seus comícios para que a população pobre faça algo, afinal a hora da mudança chegou. Enquanto todos se preparam para o baile, Marie fica resmungando algo sem sentido para si mesma.
O conselheiro Sebastian visita a casa de Madame para discutir os planos do casamento entre Gabrielle e o príncipe Topher. Logo após a saída de Sebastian, Jean-Michel traz flores para Gabrielle, mas é expulso por Madame.
Depois que Madame e suas filhas partem para o baile, Marie se revela para Ella como sendo sua fada madrinha. Ela transforma os farrapos que Ella veste em um lindo vestido de gala, com direito a sapatos de vidro e animais transformados em atendentes reais, com uma carruagem feita de uma abóbora.
Ella chega ao baile, e sem ser reconhecida, participa de um jogo real chamado “Ridículo”, onde os participantes tem que trocar insultos e reclamações. Ela joga contra Madame, mas ao invés de insultá-la, Ella só lhe tece elogios, o que deixa a todos os participantes confusos com este conceito de bondade.
Príncipe Topher se apaixona por esta bela estranha. Quando estão para se beijar, o relógio soa as 12 badaladas. Antes de ir embora, Ella diz ao príncipe Topher que as pessoas do reino estão sofrendo com a pobreza e que ele deve fazer algo. Sai correndo, mas deixa um sapato de vidro para trás.
SUBCINDERELLA-articleLarge
ATO 2
Enquanto o príncipe Topher e seus guardas reais buscam pela dona do sapato de vidro, Charlotte lamenta que ninguém a quer.
Quando Madame e suas filhas voltam para casa, ouvem Ella descrever como teria sido o baile. Madame, Gabrielle e Charlotte se juntam a Ella e todas sonham como seria bom encontrar um amor verdadeiro.
Depois que Madame e Charlotte vão se deitar, Gabrielle e Ella conversam e trocam confidências. Ella diz que era ela a garota no baile por quem Topher se apaixonou, e Gabrielle diz que ama Jean-Michel.
No castelo, o príncipe Topher está mal humorado por não ter encontrado sua pretendente e decide que fará um banquete para encontrá-la. A notícia se espalha e todas as mulheres da sociedade do reino se preparam para o novo evento real.
Gabrielle finge que está doente para que possa se encontrar com Jean-Michel e empresta um de seus vestidos para que Ella possa usar no banquete.
Madame e Charlotte partem para o castelo. Nesse meio tempo, Jean-Michel chega para se encontrar com Gabrielle, mas são surpreendidos com o súbito retorno de Madame. Ela expulsa Gabrielle de casa e rasga o vestido que sua filha emprestou para Ella.
Marie visita Ella e a encoraja em acreditar em si mesma. Transforma o vestido rasgado em um novo traje de gala e a manda para o banquete.
Ao encontrar o príncipe Topher, Ella o avisa dizendo que a população pobre do reino está se encaminhando para o castelo para protestar.
Quando os moradores chegam, Topher tocado por suas reclamações, decide que fará uma eleição para eleger o primeiro-ministro do reino.
Topher e Ella se questionam se estão apaixonados apenas pela aparência, até que o relógio soa novamente as 12 badaladas. Ella foge novamente do castelo.
No dia seguinte, Lord Pinketon anuncia para todos a eleição para o novo cargo de Primeiro Ministro e que estão a procura da moça que tocou o coração do príncipe.
Ella aparece no castelo, em seu estado normal, com suas roupas esfarrapadas, e o príncipe Topher permite que ela também calce o sapato de vidro que foi deixado no baile. Ele fica em êxtase quando percebe que encontrou o seu amor e se declara a Ella.
E, claro, todo mundo vive feliz para sempre!
about_rnh
OS AUTORES
Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II, além de autores do “Cinderella de Rodgers & Hammerstein”, criaram também 11 musicais e receberam 35 Tony Awards, 15 Oscars, 2 prêmios Pullitzer, 2 Grammy Awards e 2 Emmy Awards.
Suas produções das décadas de 40 e 50 são descritas como a “era do ouro” do teatro musical.
O primeiro trabalho da dupla foi o musical “Oklahoma!“, em 1943. Depois vieram “Carousel“, “South Pacific“, “O Rei e Eu” e “A Noviça Rebelde“, entre outros. Para o cinema, criaram o filme “Feira de Ilusões” (1943) e para a televisão, “Cinderella“.
Rodgers & Hammerstein tem um tino nato para integrar o dialógo com a música para contar suas histórias. Histórias estas que além de entreter com humor, mas também de desafiar o racismo, o sexismo e a separação das classes sociais.
Pelo seu trabalho, são considerados pela revista norte-americana “Time” como um dos 20 artistas mais influentes do século XX.
Agora é esperar pelo dia 3 de março, quando ao soar das doze badaladas, dará início ao baile real. Não se atrasem!
Em breve, maiores notícias sobre o elenco e o musical, aqui no Opinião de Peso.

OLIVIA NEWTON-JOHN EM “SUMMER NIGHTS”

A eterna Sandy de “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” virá ao Brasil em março do ano que vem.
Olivia Newton-John traz o seu show “Summer Nights“, onde celebra seus 50 anos de carreira, para duas apresentações no país – Rio de Janeiro (1o de março – Theatro Municipal) e São Paulo (3 de março – Espaço das Américas).
As vendas (para São Paulo) começam hoje, a partir das 18 horas, pelos sites http://www.ingressorapido.com.br e http://www.poladian.com.br
No repertório estão músicas de várias fases de sua trajetória, como “I Honestly Love You“, “Summer Nights“, “You’re The One That I Want“, “Physical“, “Xanadu“, além de seu novo trabalho “Grace & Gratitude“.
4def0f544ed92dfbf15a79953d0f3073
 
Summer Nights
Com Olivia Newton-John e banda
Rio de Janeiro
Theatro Muncipal
01/03/16
Terça
(valores e horário ainda não informados)
 
São Paulo
Espaço das Américas
03/03/16
Quinta – 22h
$90 / $600

O MUSICAL MAMONAS

Dê um trato na sua brasília amarela. Faça bem a barba e arranque seu bigode. Dê uma passadinha rápida por Santos, mas evite comer tatu porque dá dor nas costas. Eles estão voltando.

No ano em que se completa duas décadas sem a sua presença, a banda Mamonas Assassinas está de volta aos palcos. Desta vez, como tema de uma peça de teatro. O enredo – de Walter Daguerre – parte de uma premissa: como seria a história da banda contada pelos seus integrantes?

É esta versão que se verá no Teatro Raul Cortez (São Paulo) a partir do dia 11 de março de 2016. A vida destes cinco rapazes de Guarulhos, que em sete meses, fizeram uma carreira meteórica com apenas um disco, que tem o mesmo nome que o da banda.

DI01974

A direção geral é de José Possi Neto (“Raia 30”), a coreografia Vanessa Guillen (“Constellation – Uma Viagem Musical pelos anos 50”), a direção musical é de Miguel Briamonte (“Ou Tudo ou Nada”) com assistência de Laura Visconti (“Memórias de um Gigolô).

Os atores que representarão os cinco integrantes da banda foram divulgados ontem pelo jornalista Ubiratan Brasil, do jornal O Estado de São Paulo. São eles: Ruy Brissac (Dinho), Arthur Ienzura e Élcio Bonazzi (Sérgio e Samuel), Yudi Tamashiro (Bento) e Adriano Tunes (Julio).

Segundo fonte interna, divulgamos agora o elenco que também estará no musical. São quatro atrizes/bailarinas e seis atores/bailarinos, que darão o total de quinze atores.

Elenco feminino: Gabriela Germano (“Dias de Luta, Dias de Glória”), Maria Clara Manesco (“Disney Channel”), Nina Sato (“Dias de Luta, Dias de Glória”) e Vanessa Melo (Para Sempre, Isadora);

Elenco Masculino: Andre Luiz Odin Figueiredo Padreca (“Natal Mágico”), Bernardo Berro (“Canção dos Direitos da Criança”), Marco Azevedo (“Constellation – Uma Viagem Musical pelos anos 50”), Patrick Amstalden (“Antes Tarde do que Nunca”), Rafael Aragão (“Antes Tarde do que Nunca”) e Reginaldo Sama (“Fale com a Lua”),

12510322_993103690751123_819682956238204351_n.jpg

Os ensaios começam a partir de 5 de janeiro, e segundo seu diretor, ele pretende contar a vida da banda como as antigas chanchadas da Atlântida, com muita  irreverência e nonsense.

Agora é aguardar ano que vem, para termos de volta toda aquela alegria no palco que contagiou um público dos oito aos oitenta anos, de Oiapoque ao Chuí.

Estávamos com saudades, meninos. “Music is very good,… music is very porreta”.

“O Musical Mamonas”
Com Ruy Brissac, Adriano Tunes, Yudi Tamashiro, Elcio Bonazzi, Arthur Ienzura, Patrick Amstalden, Vanessa Mello, Nina Sato, Gabriela Germano, Maria Clara Manesco, Marco Azevedo, Reginaldo Sama, Bernardo Berro, Andre Luiz Odin
Teatro Raul Cortez (R. Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista, São Paulo)
10/03 até 25/06
Quinta e Sábado – 21h; Sexta – 21h30; Domingo – 19h
$120
(50% exclusivo para clientes Banco do Brasil Seguridade, detentores de seguro, previdência ou capitalização do Banco do Brasil )
Texto – Walter Daguerre
Direção Geral – José Possi Neto
Direção Musical – Miguel Briamonte
Coreografia – Vanessa Guillen
Cenário – Nello Marrese
Figurinos – Fabio Namatame
Designer de maquiagem e cabelos – Anderson Bueno
Designer de Luz – Wagner Freire
Designer de som – Gabriel D’Angelo
PRODUTORES ASSOCIADOS – Rose Dalney, Márcio Sam e Túlio Rivadávia

A DIVINA ZAZÁ

A Divina Zazá, comédia inédita de Wilson Coca, estreia dia 16 de janeiro de 2016, no Teatro Ruth Escobar, sala Gil Vicente, com direção de Eduardo Moreno.
Zazá é uma estrela da noite, uma drag, diva do Show Business que tem alguns projetos na vida: abrir uma casa de repouso para a melhor idade, um orfanato, além da compra de uma casa noturna para montagem de grandes shows.
Para tanto, precisa encontrar um bilhete premiado perdido na casa de sua melhor amiga Birete, outra drag do show business que, ao saber disso, tem mal súbito e morre, mas, como sempre, outras pessoas também estão querendo aproveitar dessa fortuna, como Carlão, ex gigolô da Birete.
Zazá encontrará o bilhete e realizará seus sonhos?

A Divina Zazá
Com Márcio Marinelo; Neto Mahnic; Marcos Arthur
Teatro Ruth Escobar (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 90 minutos
16/01 até 27/03
Sexta – 21h30; Domingo – 19h30
$60

Texto e músicas: Wilson Coca.
Supervisão: Wilson Coca
Trabalho corporal: Alan Moraes.
Operador de som e luz: Sally Hope

PROGRAMA DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TEATRO

Pensando no crescente contingente de profissionais formados em artes cênicas e na necessidade de assimilação desses artistas no meio teatral, a Conteúdo Teatral anuncia o lançamento do Programa de Inserção no Mercado de Teatro (PIT), criado com a proposta de unir atores formados ou próximos da formação, interessados em investir em suas carreiras, a produtores experientes e diretores consagrados para a coprodução de projetos de montagem teatral.
A primeira produção feita nos moldes do PIT será “Pra Inglês Ver”, dirigida por Isser Korik. Para isso a Conteúdo Teatral seleciona 30 parceiros coprodutores para a montagem desse espetáculo, que cumprirá temporada a partir de maio de 2016, no Teatro Folha. As inscrições podem ser feitas no site da Conteúdo Teatral até o final de janeiro.
Esta é uma oportunidade para atores em início de carreira aprender as dinâmicas de produção de um espetáculo e também um meio de facilitar a inserção de artistas em formação no mercado teatral –investindo, coproduzindo e atuando.
Cada coprodutor será investidor de uma cota de valor pré-estabelecido para custear parte da montagem. Eventuais lucros com o espetáculo serão pagos ao coprodutor em valores proporcionais à cota por ele investida no projeto.
Entre as montagens programadas para 2016 que integram o PIT também estão “Os Saltimbancos”, com texto de Sergio Bardotti e Luis Enrique Bacalov, tradução e adaptação de Chico Buarque, e direção de Fezu Duarte; “Paralamas em Cena”, com direção de Isser Korik, e “A Sessão da Tarde ou Você Não Soube me Amar”, com texto de Marcos Ferraz e direção de Fezu Duarte. Os diretores André Garolli, Nelson Baskerville e Caco Ciocler planejam propor projetos por meio do programa.
Fezu Duarte acredita que o PIT funciona como uma vitrine aos artistas, que podem receber novos convites a partir da experiência de coprodução. A convivência com pessoas no mercado há muito tempo também é favorável, porque permite ao coprodutor um entendimento maior sobre a montagem e todos os seus processos.
Mais do que realizar oficinas e abordar questões de interpretação e direção no setor geral, o PIT apresenta aos novos coprodutores a humanidade dentro do teatro, ressaltando sua função primordial, que é educar. “Não apenas no sentido de formar um bom ator, mas também no sentido de discipliná-lo para o bem da arte e de seu público, como um artista. Ou seja, formar o artista e prepará-lo para informar a plateia”, explica Fezu.
12311101_198824817120753_2025576720328903283_n
Razões para a criação do PIT
O PIT foi criado para absorver parte de um significativo número de profissionais graduados (mais de mil atores se formam a cada ano nas escolas de teatro da Grande São Paulo) a quem as estruturas formais de produção de teatro disponibilizam poucas vagas, dando preferência a profissionais experientes ou famosos. Patrocinadores também não têm interesse em investir em atores em início de carreira.
“Neste cenário fica muito difícil para um ator dar o impulso inicial para fazer sua carreira decolar”, afirma o diretor artístico da Conteúdo Teatral Isser Korik, que administra os teatros Folha (em São Paulo) e Amil (em Campinas).
Atores e atrizes que participam do PIT também aprendem com profissionais experientes a se autoproduzirem, com treinamento adequado, e têm noções sobre o funcionamento e as dinâmicas da montagem de um espetáculo.
Como o PIT funciona
 
Propostas – Diretores de teatro apresentam propostas de montagens de espetáculos. Essas propostas são avaliadas por produtores da Conteúdo Teatral. Uma vez aprovada, a proposta é dissecada pelos produtores e pelo diretor para fazer um orçamento total do espetáculo e estipular um período de ensaios necessários para a montagem. Produtores e diretor definem quais recursos necessários para a montagem serão custeados pelos próprios proponentes e qual recurso financeiro será disponibilizado para interessados em coparticipação.
Inscrições – Após a aprovação e elaboração das diretrizes da proposta, são abertas inscrições para artistas interessados em coproduzir e atuar no espetáculo. Nesta etapa os interessados obtêm dados técnicos do espetáculo, como: período de ensaios, ficha técnica com profissionais participantes (diretor, assistente, cenógrafo, figurinista, iluminador, criador musical, entre outros), data de estreia do espetáculo, temporada, local de apresentação, quantidade de vagas para participantes, valor e forma de pagamento do investimento financeiro a ser feito, obrigatoriamente, por todo participante selecionado.
Seleção de participantes – Caberá à equipe criativa selecionar entre os candidatos quais poderão participar da produção do espetáculo. Os critérios poderão variar conforme as necessidades de cada espetáculo, envolvendo avaliação de currículo, entrevistas, testes e audições, entre outras, sempre de forma não onerosa ao candidato.
Ensaios e montagem – O número de vagas de participantes poderá ser maior que o número de atores que participarão efetivamente da temporada no teatro. Durante o período de ensaios, todos participam do processo de criação e ensaiam para representar um personagem do espetáculo. Deste modo o participante acompanha as etapas de produção e formação do espetáculo e pode ter seu trabalho de ator avaliado em profundidade pelo diretor e sua equipe. Ao final do período de ensaios, todos os participantes fazem uma apresentação pública do espetáculo criado.
Seleção do elenco definitivo – Após as apresentações do espetáculo por todos os participantes, o diretor e sua equipe darão um feedback individual a cada participante sobre seu desempenho artístico e profissional. A partir daí caberá exclusivamente ao diretor escolher entre os participantes aqueles que farão parte do elenco que entrará em cartaz com a nova montagem. Os atores escolhidos serão contratados pela produção e remunerados de acordo com critérios previamente estabelecidos.
Ensaios finais e temporada – A partir da escolha do elenco definitivo, acontece o período de ensaios finais com esse elenco. A peça estreia e cumpre a temporada prevista. Os coprodutores, mesmo aqueles que não participam do elenco definitivo, continuam como sócios participantes do empreendimento e podem acompanhar as etapas de produção.
Finalização e prestação de contas – Ao término do empreendimento, a Conteúdo Teatral elaborará relatórios gerenciais e uma apresentação de resultados econômicos financeiros para todos os coparticipantes. O eventual lucro do empreendimento será distribuído pelos coparticipantes conforme sua proporção de quotas.
Mais informações sobre o processo de seleção e coprodução da montagem estão disponíveis no site da Conteúdo Teatral, em http://www.conteudoteatral.com.br/.