BLINK

Após a montagem de “Lisbela e o Prisioneiro, o Musical“(2015), em abril deste ano teremos a oportunidade de rever Ligia Paula Machado nos palcos, com seu mais novo trabalho – “Blink“. O texto é do autor britânico Phil Porter, que além de escrever para teatro, também escreve para a televisão. Seu colega de peça é o ator Eduardo Pelizzari, e a direção, de Kleber Montanheiro.

12745894_984437851626437_2270616827115589066_n

A história é sobre o relacionamento de Jonas e Sophie, dois jovens solitários. Jonas foi criado em uma fazenda no norte do Reino Unido. Seus pais fazem parte de uma seita religiosa protestante, por isso de seu nome e de seu hábito de sempre ler a Bíblia, quando as coisas não estão boas. Sophie  foi criada só pelo seu pai, um advogado, depois que a mãe os abandonou quando ela tinha apenas dois anos. Isto explica a sua fascinação em figuras paternas.

Com a morte de seu pai por causa de câncer no pâncreas (o mesmo motivo da morte da mãe de Jonas), Sophie herda os dois apartamentos da família (um fica sobre o outro). Resolve alugar o apartamento do andar de baixo, enquanto continua morando no do andar superior.Ambas residências tem entradas separadas e dividem somente o jardim.

Jonas se muda para Londres, mais especificamente pro bairro de Leytonstone, onde mora Sophie (zona leste da cidade). Através de uma imobiliária, ele aluga o outro apartamento.Só que ambos são terrivelmente tímidos, e com isso, não conseguem se relacionar pessoalmente.

Para resolver a situação, Sophie manda para ele uma tela de vídeo que está ligada a um monitor de bebê Wi Fi, o mesmo aparelho com o qual ela monitorava seu pai, quando estava doente.  Com isso, Sophie passa a viver na frente da câmera do monitor para que Jonas possa vê-la e participar do seu dia a dia.

A peça tem o seu quê de situação perversa, mas também apresenta um lado cômico. Retrata uma Londres -lugar frio e solitário para se viver – onde este tipo de contato indireto é melhor do que viver só.  Porter fala sobre questões de invisibilidade social, alienação tecnológica, e principalmente da vergonha e do prazer do voyeurismo e da perseguição consensual.

Para saber mais sobre a peça, fique ligado na nossa página, bem como na página oficial da peça – “Blink”.

Blink
Texto de Phil Porter
Com Ligia Paula Machado e Eduardo Pelizzari
Teatro Aliança Francesa
Estreia 02/04/16
Direção: Kleber Montanheiro
Tradução e Adaptação: Francisca Braga
Designer: Fellipe Guadanucci
Fotos: Caio Gallucci
Assistente de Produção: Luccas Garcia
Direção de Produção: Ligia Paula Machado
Produção: MP Produção Cultural
Patrocínio Tokio Marine Seguradora
Assessoria de Imprensa: Arte Plural
Facebook: Blink
Instagram: @blink_oficial

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s