OU TUDO OU NADA

Em 1997, um filme britânico independente “The Full Monty”, de baixo orçamento e sem grandes nomes do cinema internacional no elenco, era lançado.
A comédia, ambientada numa cidade antes próspera e em fase de decadência, contava a história de seis demitidos – sujeitos comuns – que arranjavam um meio muito original de dar a volta por cima: subir ao palco para um striptease. Para isso, têm de enfrentar seus medos e inseguranças quanto à aparência ao investir no show em que, como diferencial, promete a nudez completa.
“The Full Monty”, imediatamente ganhou o reconhecimento do público, virando fenômeno de bilheteria.
Transformado em musical de sucesso na Broadway por Terrence McNally e David Yazbek, a comédia ganhou dezenas de montagens mundo afora e, agora, é montado no Brasil, com concepção e direção do experiente diretor e ator Tadeu Aguiar, fartamente premiado por Quase Normal.
Ou Tudo ou Nada tem direção musical de Miguel Briamonte (das versões brasileiras de O Fantasma da Ópera, Chicago, A Bela e a Fera, Les Misérables) e texto em português de Artur Xexéo, com realização da Estamos Aqui Produções Artísticas, em parceria com a Brainstorming Entretenimento.
 
Ou Tudo Ou Nada
Com Mouhamed Harfouch, Saulo Rodrigues, André Dias, Victor Maia, Carlos Arruza, Sérgio Menezes, Xande Valois, Pedro Henriques Motta, Patrícia França, Kacau Gomes, Sylvia Massari, Betina Vianny, Stela Celanuo, Carol Futuro, Claire Nativel, Larissa Landin, Fabio Bianchini, Felipe Niemeyer, Gabriel Peregrino
Theatro NET SP
Duração 140 minutos
11/03 até 01/05
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 17h
Recomendação 10 anos
$50 / $150
 
Autores: Terrence McNally (texto) e David Yazbek (música)
Direção: Tadeu Aguiar
Direção musical: Miguel Briamonte
Versão para o português: Artur Xexéo
Cenário: Edward Monteiro
Figurino: Ney Madeira e Dani Vidal
Coreografia: Alan Rezende
Desenho de luz: David Bosboom e Daniela Sanchez
Desenho de som: Gabriel D’Angelo e Bruno Pinho
Multimídia: Paulo Severo
Orquestração: Harold Wheeler
Arranjos vocais e incidentais: Ted Sperling
Arranjos para músicas de dança: Zane Mark
Preparador vocal: Mirna Rubim
Design gráfico: Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa: Morente Forte
Coordenação de produção: Norma Thiré
Produção geral: Eduardo Bakr
Produtor Associado: Brainstorming Entretenimento
Realização: Estamos Aqui Produções Artísticas

CHÃO DE ESTRELAS – MUSICAL

Um encontro inusitado (ou não) de dois artistas de rua, Don e Linda, é um convite para uma viagem musical onde eles irão contar um pouco de suas aventuras pelos longos “chãos da vida”.
Quantos risos e alegrias ou lágrimas vadias, o palhaço e a bailarina surgem como película antiga aos olhos do público e, aos poucos, eles vão colorindo este cenário transformando a cidade antiga, numa cidade de novas emoções.
No palco, músicas de Dalva Oliveira, Herivelto Martins, Dolores Duran e Dircinha Batista, entre outros, embala a história.
O musical tem direção de Rubens Lima Júnior, o roteiro de Marcelo Albuquerque. A direção musical é de Tony Lucchesi.
imagem
Chão de Estrelas – Musical
Com: Ana Luisa Leite, Sabrina Korgut e Tiago Higa
Teatro Espaço Promon (Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 80 minutos

Sábado – 21h; Domingo – 19h
20/02 até 13/03
Recomendação 12 anos
$80

GILBERTO GIL AQUELE ABRAÇO O MUSICAL

eI046946.jpg
Espetáculo atravessa a trajetória musical do cantor e compositor que em mais de 50 anos de carreira lançou quase 60 discos e se consagrou como um dos maiores nomes da música nacional e internacional.
A tríade “O poeta, a canção e o tempo” conduz um musical que abraça uma carreira de sucesso. Sem pretensões biográficas, uma grande homenagem a um dos maiores ícones da música brasileira é feita através de sua própria obra, ora falada, ora cantada por oito atores músicos multi-instrumentistas. “Gilberto Gil, Aquele Abraço” lança um olhar contemporâneo às canções do artista, que refletem sobre seu tempo, a história da música nacional e do próprio país.
Ao longo do espetáculo, as letras tantos anos cantadas por Gil mostram, além de poesia, seu lado teatral. São elas que dão o tom dramatúrgico de blocos temáticos que passeiam pela origem da música popular brasileira, o movimento tropicalista, a negritude africana, amor, religiosidade, tecnologia, futurismo, entre outros assuntos que marcam as composições deste ícone da MPB. Em todos eles, “vida e morte” estão inseridas como dupla central e indispensável, tal qual Gil fez em toda sua trajetória.
As canções em sua forma original, com todos os arranjos, tons e semitons, também não ficam de fora. Ao todo, 58 músicas são cantadas total ou parcialmente pelos atores/músicos, que tocam 39 diferentes tipos de instrumentos em cena. Projeções em vídeo trazem o lado multimídia para o palco, ajudando a ambientar os momentos retratados.
Na direção, o premiado Gustavo Gasparani – que leu todas as letras e ouviu todos os discos de Gilberto Gil antes de finalmente conceber esta homenagem – cuidou de trazer para o espetáculo o lugar de risco e ousadia presente na carreira do compositor, sem deixar de lado a delicadeza que sempre o acompanhou. O resultado é uma montanha russa de emoções que podem ser sentidas pelo público durante toda a apresentação, em um musical único e imperdível.
Gilberto Gil – Aquele Abraço, o Musical
Direção Gustavo Gasparani
Elenco – não informado
Teatro Procópio Ferreira (R. Augusta, 2823 – Cerqueira César, São Paulo)
Duração – não informada
Estreia 18/03
Sexta – 21h; Sábado – 18h e 21h30; Domingo – 18h
Recomendação 12 anos
$50 / $120

MEU AMIGO, CHARLIE BROWN – UM MUSICAL DA BROADWAY

Sábado passado, o elenco do espetáculo “Meu Amigo, Charlie Brown – Um Musical da Brodway” fez uma ação na cidade de São Paulo para encontrar o público, tirar fotos e divulgar a peça.

Eles foram na Avenida Paulista, em frente ao Copan e na rua Oscar Freire.

Veja aqui os convites que os atores Douglas Tholedo e Mateus Ribeiro fizeram para você.

 

 

WICKED NO JORNAL DA GLOBO

E haja coração. Nesta quinta feira, 18 de fevereiro, publicamos a entrevista com a atriz Myra Ruiz, onde ela falou sobre a carreira e este seu sexto musical; depois a T4F Musicais publicou as fotos dos atores usando seus figurinos (Myra, Fabi Bang, Jonatas Faro e Andre Loddi).
Agora a noite, o Jornal da Globo acabou de passar uma reportagem de 3 minutos com cenas da peça da Broadway e o principal, com cenas do Brasil.
Imagina como fica o coração
#Teatro #TeatroMusical #Wicked #WIckedBrasil

12751705_748280405302638_674960742_o

(crédito foto capa – Wicked Brasil