DEZ ENCONTROS

Dois atores –Tania Khalill e André Garolli– representam cinco personagens cada um, que interagem entre si, movimentando expectativas, sedução e desencontros entre homens e mulheres de classes, profissões e estilos diferentes. Essa é a trama do espetáculo “Dez Encontros”, que reestreiou no Teatro Folha, com temporada a preços populares.

A narrativa revela uma universal teia de relações. O enredo apresenta recortes de dez encontros, a partir do envolvimento de uma garota com um motorista de táxi. A cada cena um personagem permanece, enquanto o segundo ator volta com outro personagem, formando assim uma ciranda de encontros que fecha o ciclo, retornando à personagem inicial:

Primeiro Encontro – A Garota e o Taxista
Segundo Encontro – O Taxista e a Doméstica
Terceiro Encontro – A Doméstica e o Estudante
Quarto Encontro – O Estudante e a Mulher Casada
Quinto Encontro – A Mulher Casada e o Político
Sexto Encontro – O Político e a Modelo
Sétimo Encontro – A Modelo e o Autor
Oitavo Encontro – O Autor e a Atriz
Nono encontro – A Atriz e o Magnata
Décimo Encontro – O Magnata e a Garota

blue_room_bob_sousa9

O texto “Reigen” foi escrito pelo austríaco Arthur Schnitzler (1862–1931) no final do século 19 e, mesmo considerado pelo próprio autor como “completamente impublicável”, foi distribuído para ser lido entre amigos em 1900. A estreia do espetáculo foi proibida pela polícia de Viena, em 1921, e os atores da primeira produção berlinense, no mesmo ano, tiveram de enfrentar um julgamento sob acusação de obscenidade.

Em 1950 Max Ophuls (1902–1957) realizou o filme “La Ronde”, adaptado desse texto, estrelado por Gerard Philipe, Danielle Darrieux, Jean-Louis Barrault e Simone Signoret, entre outros, com grande sucesso.

The Blue Room” é uma adaptação escrita pelo inglês David Hare feita para ser encenada por apenas dois atores representando todos os papéis. A tradução e a direção dessa montagem no Brasil é de Isser Korik.

“O texto traz uma infinidade de emoções ligadas às possibilidades sentimentais entre homens e mulheres. David Hare fez um trabalho exemplar ao trazer os personagens de Schnitzler para o universo urbano contemporâneo, tratando os encontros de uma forma mais sintética e profunda que o texto original”, explica Isser. “Para os atores é uma riquíssima oportunidade de trabalhar a composição de cinco personagens diferentes, sem cair em caricaturas ou estereótipos”.

Esta é a terceira temporada do espetáculo, que teve estreia nacional em Campinas, no Teatro Amil, e cumpriu temporada no Teatro Folha em janeiro de 2015.

HISTÓRIA

Em 1998 a atriz Nicole Kidman causou enorme sensação na Broadway. Ela se apresentou toda nua por alguns meros segundos, em uma breve cena da peça “The Blue Room”.

Extremamente elogiada pela crítica, os ingressos da peça se esgotaram rapidamente e as filas dobravam a esquina. Desde então, Nicole Kidman se firmou como excelente atriz, bem-sucedida em papéis exigentes do cinema.

Há dez anos a peça teve sua primeira montagem no Brasil, com Christiane Torloni e Murilo Rosa.

blue_room_bob_sousa4

“Dez Encontros”
Com Tania Khalill e André Garolli
Teatro da Folha (Shopping Pátio Higienópolis – Av. Higienópolis, 618 – Higienópolis, São Paulo)
Duração 90 minutos
17/02 até 31/03
Quarta e Quinta – 21h
Recomendação 16 anos
$20
Autoria: David Hare
Tradução e direção: Isser Korik
Cenários e adereços: Gilberto Gawronski
Figurinos: Fábio Namatame

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s