OS REALISTAS

A estreia de ‘The Realistic Joneses’ marcou a estreia de Will Eno na Broadway em 2014, após vários êxitos no teatro americano. Debora Bloch – que já acompanhava e estudava a trajetória do autor – assistiu à montagem e decidiu que iria produzir o texto no Brasil. Com os direitos cedidos, firmou parceria com Guilherme Weber, que assina a direção da empreitada e tem total intimidade com o universo do dramaturgo: ele ostenta o título de ator que mais encenou Will Eno em todo o mundo.

Em cartaz a partir de 1 de abril no Teatro Porto Seguro, ‘Os Realistas’ chega a São Paulo depois de uma bem-sucedida temporada no Rio de Janeiro, marcada pelo encontro inédito nos palcos de Debora com Emílio de Mello, Fernando Eiras eMariana Lima. O projeto tem patrocínio da Renner e da Porto Seguro.

Em cena, dois casais de vizinhos se encontram e descobrem ter mais em comum do que as casas idênticas e sobrenomes iguais. Com este ponto de partida, a peça flagra a convivência do quarteto e os relacionamentos que começam a se entrelaçar. Em um hábil jogo de cena, o autor mostra também que nem tudo é o que parece ser, fazendo ainda que as situações reflitam sobre os diferentes estágios do casamento.

Para o diretor, ‘Os Realistas’ é um exercício do autor sobre o gênero realista. ‘É um gênero em que os heróis dão lugar a pessoas comuns. Nesta história, Eno desloca seus personagens para uma pequena cidade interiorana e campestre, em um movimento de alguma maneira também reverente ao teatro de Tchekhov. Este confronto com a natureza, o vasto e o desconhecido faz com que estes personagens se cruzem em uma comédia existencialista sobre vida, morte, amor e vizinhos’, analisa Guilherme Weber, cuja relação com a obra de Will Eno começou em 2003, quando estrelou e assinou a criação com Felipe Hirsch da montagem brasileira de ‘Temporada de Gripe’ (‘The Flu Season’). Depois, seguiu com ‘Thom Pain – Baseado em Nada’ (2006) e ‘Lady Grey – Em Luz Cada Vez Mais Baixa’ (2006), nas quais também atuou e dividiu a criação com Hirsch, e ‘Ah, a Humanidade e Outras Boas Intenções’, reunião de cinco peças curtas do autor, em que atuou a assinou o projeto junto com Murilo Hauser.

‘Os Realistas’ marcou ainda o retorno de Debora Bloch à produção teatral, tarefa que abraçou em meados dos anos 80. De lá para cá, ela foi responsável por espetáculos que marcaram a história recente do teatro brasileiro, como ‘Fica Comigo Esta Noite’ (1990), que lhe rendeu o Prêmio Shell de Melhor Atriz em 1990, ‘Duas Mulheres e Um Cadáver’ (2000), estrelado e produzido ao lado de Fernanda Torres, ‘Tio Vânia’ (2003), em montagem dirigida por Aderbal Freire-Filho que ocupou o Parque Lage. Seu último espetáculo foi o monólogo ‘Brincando Em Cima Daquilo’ (2007/2008), com direção de Otávio Muller.

10426830_1714828888735824_3429270255330157819_n

Os Realistas
Com Debora Bloch, Emílio de Mello, Fernando Eiras e Mariana Lima
Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 100 minutos
02/04 até 29/05
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 19h
Recomendação 12 anos
$50 / $100
Texto – Will Eno
Tradução – Ursula de Almeida Rego Migon e Erica de Almeida Rego Migon
Direção Geral, Adaptação e Trilha Sonora – Guilherme Weber
Cenografia – Daniela Thomas e Camila Schmidt
Figurinos – Ticiana Passos
Iluminação – Beto Bruel
Direção de Produção – Alessandra Reis
Assessoria de Imprensa – Factoria Comunicação

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s