ENGOLIR A ESCURIDÃO

A leitura de Suíte número 1, do dramaturgo francês Philippe Minyana, que já ganhou uma montagem nacional pela Cia Brasileira de Teatro, foi o ponto de partida que inspirou Roberto Alvim na criação do texto de ENGOLIR A ESCURIDÃO, espetáculo que tem estreia no dia 21 de abril, quinta, às 21 horas, no Club Noir. A montagem mostra a dificuldade que temos de lidar com o luto e com as mais diversas formas de perda.
O elenco é formado por 11 atores descobertos por Roberto Alvim e Juliana Galdino em suas oficinas de interpretação. “Nas oficinas que fazemos no Club Noir, sempre surgem atores com quem temos desejo de vir a trabalhar profissionalmente. Recentemente, tivemos a sorte de encontrar uma turma altamente comprometida com o teatro como arte, com a sensibilidade e a excelência técnica necessárias para estar em cena”, afirma Alvim.
Um escritor em conflito
A leitura de Suíte número 1 inspirou o autor e diretor a criar um texto novo. “A obra de Minyana disparou em mim alguns temas, sobretudo ligados ao luto, às perdas que sofremos ao longo da vida e à dificuldade que temos de seguir em frente e nos reestruturarmos. ENGOLIR A ESCURIDÃO conta a história de um escritor que entra em colapso e que não consegue mais escrever depois que sua casa é invadida e vandalizada por uma bando de crianças. A casa é uma metáfora do modo como organizamos nossas vidas, e as crianças são uma metáfora da morte e do caos imprevisível que sempre vai surgir quando menos esperamos.
Alvim conta que o espetáculo segue a linguagem cênica criada pelo Club Noir, com sua atmosfera crepuscular e delirante. O luto abordado na peça não diz respeito somente à morte, mas também à perda de uma rotina estável e à necessidade de se começar de novo. “Vivemos essa instabilidade: quando nos acostumamos com uma situação, algo acontece: uma demissão, uma separação, uma doença, uma mudança… Aí precisamos lidar com este novo estado de coisas e recomeçar”, afirma.
Toda essa história é contada com o auxílio da trilha sonora composta por Vladimir Safatle especialmente para o espetáculo. Essa é a segunda vez que a dupla trabalha no teatro: Safatle também compôs a trilha de Caesar – Como Construir um Império, que foi executada ao vivo pelo próprio filósofo ao piano.
Engolir a Escuridão
Com Angelo de Carvalho, Caio Brandão, Cláudio Nunes, Fernanda Degolin, Leonardo Cônego, Marjorie Gerardi, Nathalia Manocchio, Neriane Libardi, Renata Bortoleto, Thaís Carvalho e Valentina Safatle.
Club Noir (Rua Augusta, 331 – Consolação, São Paulo)
Duração 45 minutos
21/04 até 13/05
Quinta e Sexta – 21h
Recomendação 16 anos
$20
 
Direção, texto, iluminação e cenografia – Roberto Alvim. 
Figurinos – Juliana Galdino. 
Trilha Sonora Original – Vladimir Safatle. 
Assistente de Direção – Erica Kou. 
Programação Visual – Felipe Uchôa. 
Fotos– Gabriel Bicho. 
Produção – Club Noir. 
Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s