OS BOÊMIOS DE ADONIRAN

Um músico que soube como poucos cantar a cidade de São Paulo por meio de suas figuras no dia a dia. Suas composições passeiam pelos bairros mais distintos da capital, como Bexiga, Vila Esperança, Brás, Mooca, Vila Ré e Jaçanã. Toda a atmosfera do samba paulistano de Adoniran Barbosa (1910 -1982) vai para os palcos com o musical Os Boêmios de Adoniran.

O musical é vencedor do Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro 2010, na categoria Projeto Sonoro; Melhor Espetáculo no Festival de Teatro de São Paulo 2011 e Melhor Espetáculo no Voto Popular do Prêmio Bibi Ferreira.

Na trama, João e Jacó, um velho turco, revivem momentos de pura boemia com a interpretação e performance dos atores/dançarinos, além de quatro músicos, nas canções de Adoniran Barbosa.

adoniran_2

A dramaturga Juliana Lucilha fala sobre o alcance do espetáculo: “A montagem tem apelo popular e artístico; atinge pessoas de várias gerações, de idosos a crianças. A história é uma homenagem a este ícone da música brasileira e tem uma leitura nostálgica com valorização da memória.”.

Em cena, destacam-se canções como Acende o Candieiro, Saudosa Maloca, Trem das Onze, Samba do Arnesto, Viaduto Santa Efigênia, Abrigo de Vagabundo, entre outras.

Figurinos e cenário remetem a uma São Paulo dos anos 1950. O flashback é um dos recursos mais utilizados para fazer essa volta no tempo com os personagens que estão na década de 1980. A iluminação enfatiza esse artifício cênico.

Adoniran Barbosa foi um ator frustrado, fez interpretações em rádio. Levou seu olhar apurado para a música ao fazer um retrato social paulistano com um tom bem-humorado. Esses fatores o deixaram imortalizado, influenciando outros músicos não só da cidade de São Paulo como de outros estados”, conta a Juliana Lucilha.

Fomos assistir o espetáculo e tivemos a oportunidade de conversar com os atores Juliana Lucilha e Rannieri Herdy.

Os Boêmios de Adoniran
Com Amanda Carvalho, Eduardo Osório, Fernanda Ventura, Jorge Derosa, Juliana Lucilha, Patrick Aguiar, Ranniere Herdy e Tálita Yabusaki.
Teatro APCD (R: Voluntários da Pátria, 547 – Santana, São Paulo)
Duração 70 minutos
02/04 até 29/05
Sábado – 21h; Domingo – 19h
Recomendação 12 anos
$60 ($25 – associados da APCD)
Direção: Milton Machado.
Texto: Juliana Lucilha.
Direção Musical: Marcelo Brandão.
Músicos: Anderson Sono, Gledson Silva, Leonardo Ferreira e Marcelo Brandão.
Coreografia: Juliana Lucilha.
Assistência Coreografia: Amanda Carvalho.
Figurinos:Carlos Alberto Gardin.
Produção: Cia Interiorando.
Cenografia: Newton Saiki.
Iluminação: Ligia Chaim.
Assessoria de Imprensa: Arteplural Comunicação

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s