NARRATIVAS SUBMERSAS – TIJOLOS D’ÁGUA

Narrativas Submersas – Tijolos d’água’ é o mais novo espetáculo do Grupo Rosas Periféricas, que será apresentado, em três curtas temporadas, nos municípios de Rubineia SP, Taiaçupeba – Mogi das Cruzes/SP, e na Zona Leste de São Paulo, na Casa de Cultura do Parque São Rafael, nos meses de maio e junho.

‘Tijolos d’água’ é o entrecruzamento de memórias dos habitantes de quatro lugares; Taiaçupeba–Rubineia-São Rafael (RN)-Parque São Rafael, três cidades inundadas há mais de duas décadas e um bairro de São Paulo, que condensam a pesquisa desenvolvida pelo grupo nos últimos três anos acerca da memória de habitantes remanescentes de cidades submersas obrigadas a dar lugar a represas, hidrelétricas ou usinas e o consequente deslocamento geográfico em busca da reconstrução de suas vidas.

Vamos contar a história de populações que tiveram que abandonar suas terras em formato de teatro de rua itinerante. Fizemos um recorte das histórias, misturamos nossas lembranças às memórias destas pessoas e buscamos a compreensão da convergência do que estávamos construindo neste trabalho. Toda cidade submersa também fica a margem e é periferia e todo o lugar se forma por pessoas que tem sonhos na beira da margem e no nosso bairro não seria diferente”, completa Gabriela Cerqueira.

image004

Rubineia foi inundada em 1973, após a construção da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira. Era conhecida como a “Cidade dos Poetas” por levar em algumas de suas ruas o nome de grande poetas e escritores brasileiros. O mineiro Carlos Drummond de Andrade, após a inundação, homenageou a população de Rubineia com o poema “Os Submersos”.

Taiaçupeba foi inundada desde a criação da represa do rio Jundiaí para integrar o Sistema Alto Tietê implantado no início dos anos 1970.

Já o município de São Rafael, no Rio Grande do Norte, foi inundado há 30 anos para dar lugar à barragem Armando Ribeiro Gonçalves.

O Parque São Rafael é o bairro mais antigo do distrito de São Rafael situado na zona leste de São Paulo e foi fundado nos anos 1960 quando amplas áreas foram loteadas em terrenos menores e vendidos para trabalhadores vindos de outros estados para se empregarem nas indústrias da Região do Grande ABC Paulista e que abrigou famílias das cidades submersas.

Ao longo da pesquisa fomos descobrindo as conexões entre os moradores que emendaram suas vidas ao bairro e nos ajudaram a reconstruir e revelar ainda mais a história do Parque São Rafael, onde mantemos hoje nossa sede”, diz Michele Araújo.

Nossa Casa é no Parque São Rafael… Lado leste…

Sentimos a receptividade dos moradores ao que tanto sonhávamos: fazer teatro na periferia.

Convidamos os moradores interessados para chegar com a gente. E não é que apareceu gente. Dos 8 aos 64 anos descobrimos pessoas que só estavam esperando que o teatro ficasse mais perto para poder tocá-lo.

A aproximação com os moradores do Parque São Rafael se deu pela arte. E desde o início de nosso trabalho fomos para as ruas conhecer os habitantes desse bairro tão peculiar da zona leste/SP, amparados por uma lousa com a seguinte escrita“Pare, sente e conte-nos sua história”, com essas palavras começamos a nos aproximar e não parou por aí, acolhemos também com os nossos palhaços e palhaças, realizamos nossa primeira oficina de iniciação teatral e integramos duas não atrizes moradoras no processo de pesquisa continuada que originou o novo trabalho Tijolos d’água.

Grupo Rosas Periféricas (março 2016)

 

AGRADECIMENTOS
 
Aos moradores e moradores do Parque São Rafael, São Rafael (RN), Mogi das Cruzes – Taiaçupeba, Paulo Pinheiro de Souza (Zé Ferro), Padre Claúdio, Auleo Ferreira, Rubineia, Projeto Gente, Ari Batera, Espaço Força Cultural, Subprefeitura São Mateus, José Adriano Albuquerque, a Equipe Cidadania Cultural/Programa Vai, Cia.do Feijão e Associação de Moradores do Parque São Rafael (Sedinha).
Narrativas Submersas – Tijolos d’Água
Com Everton Santos, Gabriela Cerqueira, Michele Araújo, Paulo Reis, Nalva Medeiros, Sebastiana Batista, Monica Soares, Rogério Nascimento e Fernando Figueiredo.
Duração 60 minutos
Recomendação livre
*Em caso de chuva não haverá apresentação
 
Rubineia (São Paulo)
Praça Osmar Novais s/n – Espaço Aquarela
14 e 15/05
Sábado – 13h; Domingo – 11h
 
Taiaçupeba (Mogi das Cruzes – SP)
Praça Cipriano Branco da Silva s/n
21 e 22/05
Sábado – 14h; Domingo – 11h30
 
Parque São Rafael (São Paulo)
Casa de Cultura do Parque São Rafael (Rua Quaresma Delgado, 376, São Paulo)
04, 11 e 18/06
Domingo – 15h
 
Roteiro e Direção: O Grupo
Colaboração do Roteiro: Tiago Cordeiro
Percussionista: Leandro Melque
Sonoplastia: O Grupo
Cenografia: O Grupo
Adereços e Figurinos: O Grupo
Orientadora de Expressão Corporal: Fernanda Haucke
Orientadora de Canto: Adriana Aragão
Arte: Eduardo Izidoro
Diagramador: Luciano Alves
Contrarregras: Dri Bluntrit e Samantha Bluntrit
Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro-Ofício das Letras.
Produção Geral: Grupo Rosas Periféricas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s