EU NUNCA

 

Retratar o universo jovem pode ser considerado uma missão bastante peculiar. Com o intuito de aliar diversão e reflexão, a peça “Eu Nunca”, que estreia dia 11 de junho no Teatro da Livraria da Vila, do Shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo, surge com uma linguagem descontraída e com certo peso dramático, através de um conjunto de textos, depoimentos e pesquisas de colaboração coletiva, que abordam temas atemporais discutidos pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), estimulando assim o senso crítico de jovens com idade entre 14 e 19 anos.

Tendo como diferencial o modo como se conquista o interesse do jovem diante de certos assuntos e tabus, o espetáculo deixa um ponto de interrogação na cabeça de seu público alvo, abrindo mão de diretrizes fixas, onde o texto não tem como missão criar verdades ou mentiras absolutas, e sim despertar no adolescente alguns questionamentos sobre situações que, em seu dia a dia, podem vir a passar despercebidas.

A dificuldade de fazer esse projeto é justamente pela responsabilidade de ser um espetáculo para o jovem, que é um publico fiel, que ou te ama e idolatra, ou te rejeita, e conseguir tocar o jovem, que normalmente acha que já tem suas opiniões formadas sobre a vida e alguns aspectos, é muito difícil. Por isso que o texto do ‘Eu Nunca’ foi escrito, reescrito, experimentado, reexperimentado, com muitos depoimentos coletados, até que conseguíssemos chegar a um formato que acreditamos que tocará essa platéia segmentada, pois não existe formula certa, a mudança do jovem é constante. Eu sempre acreditei que o artista tem um poder social muito grande e neste momento espero conseguir atingi-lo com o espetáculo, de modo que a comunicação seja clara, pois se trata do nosso futuro, nós somos a satisfação do amanhã, explica o ator, produtor e diretor Júlio Oliveira.

Após um intenso processo de criação do texto, a fim de proporcionar uma melhor conexão entre o público e a plateia, o espetáculo, que faz referência a um jogo popular homônimo, que revela fatos interessantes e muitas vezes desconhecidos sobre os envolvidos, aposta em uma ação interna a partir das lembranças, reflexões e críticas de Téo (Júlio Oliveira), David (Ghilherme Lobo) e Duda (Gabriela Gama), três jovens de vidas extremamente opostas, convivendo e dividindo suas intimidades até o limite do suportável. A trama, que gira em torno da intensidade dos relacionamentos, esbarra ainda em assuntos como a sexualidade, independência financeira, dependência química, descoberta profissional e afetividade.

3b371e4e-9d42-47eb-9252-6d30f644bea9

Com um texto que surpreende a cada cena, construído de forma moderna, descolada, intensa e extremamente realista, a produção traz à tona as questões mais emergentes da juventude, quebra os clichês e apresenta novos desfechos com os quais estamos condicionados no dia a dia. Em cena, os “contos de fadas” são desconstruídos, de modo que o adolescente possa repensar o lugar em que se encontra atualmente, quando nunca se precisou tanto refletir sobre as escolhas de futuro como agora – escolhas estas que podem levá-lo aos mais desconhecidos e temidos questionamentos.

Assumindo o gênero drama adolescente, com leve toque de bom humor e sarcasmo, a peça “Eu Nunca” é ao mesmo tempo a narrativa da vida de indivíduos que buscam se encontrar em um retrato dos principais problemas que afetam a juventude, propondo assim que o jovem olhe para si mesmo e se sinta mais preparado para enfrentar os desafios da vida, criando uma positiva conexão com uma rede de conteúdo e entretenimento.

Com dramaturgia de criação coletiva, direção de Júlio Oliveira, que assina também a produção ao lado de Ricco Antony, a assistência de direção de Ingrid Mantovan, e de produção de Gabriela Gama, o espetáculo “Eu Nunca” estréia em curta temporada que vai de 11 de junho a 31 de julho, sábados às 20h e domingos às 18h, no teatro da Livraria da Vila, localizado no Shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo.

Após o espetáculo, o elenco recebe a platéia para uma extensão da conversa, onde se colocam a disposição para um breve bate-papo sobre os temas abordados e suas colocações em questão.

Eu Nunca
Com Gabriela Gama, Ghilherme Lobo, Júlio Oliveira e Felipe Gaia (Cover de David)
Livraria da Vila – Shopping Pátio Higienópolis (Av. Higienópolis, 618 – Consolação, São Paulo)
Duração 70 minutos (+15 minutos pós espetáculo)
11/06 até 31/07
Sábado – 20h; Domingo – 18h
Recomendação 14 anos
$50
 
Direção: Júlio Oliveira
Assistente de Direção: Ingrid Mantovan
Dramaturgia: Criação Coletiva
Fotografia: Marcelo Auge
Produção: Ricco Antony e Júlio Oliveira
Assistente de Produção: Gabriela Gama
Assessoria de imprensa: Grazy Pisacane | InterArte
(Foto cabeças – Carol Schievenin / Foto sofá – Marcelo Auge)

 

NA MEDIDA DO IMPOSSÍVEL

Não, não é só a música. É o olhar, o sorriso, a lágrima, o detalhe. É o sim!”, disse Fernanda Takai sobre seu mais recente trabalho, Na Medida do Impossível, lançado em março. A cantora mostra as canções do seu terceiro CD solo dia 7 de junho, terça-feira, às 21h, no Teatro Porto Seguro.

Será a última apresentação de minha turnê solo na capital paulista. Coisas muito interessantes podem acontecer… aguardem!” diz Fernanda Takai.

A vocalista da banda Pato Fu mescla composições com regravações inusitadas. O CD, produzido por John Ulhoa, traz 13 músicas. Fernanda divide a autoria de Seu Tipo com Pitty, De um Jeito ou de Outro com Marcelo Bonfá e Quase Desatento com Marina Lima e Climério Ferreira. Sucessos nacionais foram regravados, como A Pobreza, de Renato Barros, e Como Dizia o Mestre, de Benito di Paula. O CD traz, ainda, Doce Companhia, sua versão em português para uma música da cantora mexicana Julieta Venegas.

Depois de dois álbuns inspiradores na carreira solo, Onde Brilhem os Olhos Seus (2007), dedicado à Nara Leão, e Luz Negra(2010), a cantora apresenta um repertório diversificado, com canções que vão de Padre Zezinho a George Michael.

fernanda-takai-capa-album

Foi natural para mim, pois essas músicas convivem bem em minha cabeça de ouvinte plural. Quis dar chance às canções para encantarem as pessoas como elas me atraíram em épocas distintas de minha vida. Talvez seja uma forma de socialização musical por meio da empatia. Acredito muito no potencial pop de cada uma das canções que entraram no álbum, esse critério foi importante na escolha”, conta.

Fernanda Takai será acompanhada por Larissa Horta (baixo e vocais), Lenis Rino (bateria e vocais), Lulu Camargo (teclado e gaita) e Tiago Borba (guitarra, violões e vocais).

 

Na Medida do Impossivel
Com Fernanda Takai
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 90 minutos
07/06
Terça – 21h
Recomendação livre
$60 / $80

 

PRA INGLÊS VER

A comédia “Pra Inglês Ver”, uma grande brincadeira com a língua inglesa e a importância dada à fluência no idioma dentro do ambiente corporativo, está em cartaz no Teatro Folha.

Com texto de autora que prefere usar o pseudônimo Maria Clotilde, a comédia se passa numa empresa multinacional, onde os executivos precisam se desdobrar para conseguir a fluência na língua inglesa e realizar uma apresentação ao CEO (Chief Executive Officer), que está chegando do exterior. Nessa visita será decidido o futuro profissional de alguns dos executivos, que chegam a contratar uma professora de inglês para se preparar para a grande apresentação.

Maria Clotilde dá algumas pistas sobre sua real identidade. É atriz e professora de inglês com bastante experiência nas duas funções e já ministrou aulas em ambientes corporativos. “Este texto é meu primeiro exercício na dramaturgia. Por isso pensei em escrever sobre algo que conheço bem, mas, por enquanto, sem revelar minha identidade”, diz. Ela conta que necessidade de fluência na língua inglesa é uma realidade que ganha toques dramáticos em muitas situações. “Já vi profissionais terem sua carreira interrompida porque não conseguiam atender às necessidades de sua função profissional”, conta a autora.

O diretor Isser Korik conta que quando leu o texto de Maria Clotilde imediatamente percebeu que havia material para retomar sua pesquisa sobre teatro popular, iniciada com o autor e diretor Carlos Alberto Soffredini nas montagens do Núcleo de Estética Teatral Popular entre 1985 e 1988. “Vi a possibilidade de fazer um rico jogo com os atores que põem a plateia no centro da representação e, o tempo todo, criam cumplicidade com o público”, conta o diretor.

Os personagens, conforme a observação do diretor, são muito bem descritos e tem características marcantes. “Os personagens são tipos muito bem definidos e isto combina muito com o teatro popular”, explica Isser Korik, lembrando que na peça o idioma é pronunciado como soaria em língua portuguesa, detalhe que garante efeito cômico às cenas.

Entre aulas desastrosas e um inglês pouco fluente, os executivos alunos passam por situações ainda piores, quando um escândalo corporativo envolvendo o alto escalão da empresa é descoberto. 

Pra_Ingl_s_Ver_cr_dito_Rodrigo_Fonseca (1)

SOBRE O  PIT (Programa de Inserção no Mercado de Teatro)

O projeto “Pra Inglês Ver” reúne trinta atores investidores que abraçaram esta parceria para viver um intenso processo de  coprodução e criação artística. Eles acompanharam todas as etapas da  produção do espetáculo, frequentaram oficinas para reciclagem artística e, no final do processo, apenas seis atores serão selecionados para compor o elenco.

O programa é proposto pela produtora Conteúdo Teatral com o objetivo de unir atores formados ou próximos da formação, interessados em investir em suas carreiras, a produtores experientes e diretores consagrados para a coprodução de projetos de montagem teatral. A ideia é que estes processos de produção e criação ofereçam aos atores a oportunidade de observação e participação em todos as etapas de produção de uma peça de teatro.

Cada um dos atores, sócios na produção, investem na montagem e poderão receber valores proporcionais a sua cota de investimento no projeto.

A próxima peça a ser encenada dentro deste modelo de coprodução é “Os Saltimbancos”, com texto de Sergio Bardotti e Luis Enrique Bacalov, tradução e adaptação de Chico Buarque de Hollanda, e direção de Fezu Duarte.

Pra Inglês Ver
Com Thiago Guimarães, Mario Mohrle Bueno, Isabela Tortato, Karla Mandro, Ferruccio Cornacchia e Juliana Simon
Teatro Folha (Shopping Pátio Higienópolis – Av. Higienópolis, 618 – Consolação, São Paulo)
Duração 90 minutos
04/05 até 28/07
Quarta e Quinta – 21h
Recomendação 12 anos
$30
 
Cenografia e Figurino – Osvaldo Gonçalves
Assistentes de Cenografia e Figurino  – Gustavo Thompson, Pedro Pó e Renata Birolli
Cenotécnico – Edmilson Souza                                                             
Costureira – Angela Oliveira
Fotografia  e vídeos – Rodrigo Fonseca
Criação Gráfica    – Laudelino Neto
Equipe Técnica – Jardim Cabine
Coordenação de Produção – Isabel Gomez
Assistente de Produção – Felipe Costa
Estagiários  de Produção – Gustavo Thompson, Pedro Pó e Renata Birolli
Administração – Felipe Costa e Isabel Gomez
Assistente de Direção – Luzia Meneghini e Ian Soffredini
Iluminação, Trilha sonora e Direção – Isser Korik
Produtores Associados (PIT) – Adriano Ferreira, Antônio Vergne, Bianca Almeida, Bruno Alba , Carlos Eduardo da Silva, Carolina Goes, Caroline Margoni, Ferruccio Cornacchia, Flaviane Herrera, Gabriela Mendes, Gisa Araujo, Isabela Tortato, João Carlos Gomes, Joel Alves Viana, Jhonas Araújo, Juliana Simon, Karla Mandro, Leilane Saburi , Luisa Levenstein, Mariana Amaral, Mariana Mellone Faloppa, Mario Mohrle, Max Martins, Neto Mahnic, Paulo Victor Gandra,Pedro Augusto Alves Lopes, Renata Souza, Roberson Lima, Thiago Guimarães e Vanessa Rosseto.  
Realização  – Doidim Produções e Conteúdo Teatral

BURLESQUE – PARIS 6 BY NIGHT

O grupo “Paris 6” apresenta o seu novo empreendimento – “Burlesque – Paris 6 by Night“. Um novo conceito de entretenimento aliado a alimentação, que estreia no dia 19 de agosto.

A nova casa é o resultado da união entre o empresário Isaac Azar, do restaurante Paris 6, com Sandro Chaim, da Chaim Produções, uma das produtoras especializadas em teatro e teatro musical. Fica na rua Augusta, entre a Oscar Freire e a Estados Unidos, ao lado do Teatro Procópio Ferreira.

Segundo Azar, a casa vai ter “um conceito de entretenimento que nunca se viu no Brasil”.

O “Burlesque – Paris 6 by Night” vai trabalhar com o conceito de “dinner show“. Ou seja, os seus frequentadores assistirão um espetáculo teatral, e no intervalo, será servido o jantar. Após as apresentações, o local transforma-se em balada, com a presença de DJs.

Paris 6 By Night

No primeiro ambiente do estabelecimento, está o Paris 6 By Night. Será aberto diariamente, a partir das 18h, encerrando suas atividades na madrugada. Com capacidade para 90 pessoas, além de desfrutar dos melhores drinks e gastronomia, os visitantes poderão acompanhar uma programação com música ao vivo, DJs, performances e muito mais.

12794544_10153537076137807_8556296955907420565_n

Burlesque

O segundo ambiente, com capacidade para 260 pessoas, é o Burlesque, apresentando o conceito Dinner Show. Às terças e quartas acontecerão jantares com shows de artistas conhecidos do grande público em um formato intimista, proporcionando noites inesquecíveis

De quinta a domingo, Burlesque apresenta o show oficial da casa: BANQUETE, que foi criado, dirigido e coreografado por Maicon Clenk, ficará em cartaz durante um ano, sempre de quinta a domingo.

A produção trás belas imagens plásticas e uma original mistura de técnicas é utilizada para contar a história como: o teatro físico, a dança, o circo, o ilusionismo, acrobacia e música. Há uma integração total de linguagens, característica das obras de Clenk.  Aparelhos acrobáticos e efeitos de ilusionismo inéditos foram criados com exclusividade.

A proposta da linguagem artística é integrar os principais teores do burlesco durante a sua trajetória: o belo, sensual, glamoroso, caricato e engraçado. O elenco é formado por bailarinos, cantores, atores e acrobatas de alto nível técnico, com experiência em alguns dos maiores espetáculos do mundo como os do Cirque du Soleil.

10173598_10153532816533721_4283865453447186530_n

Sinopse Banquete

O ambiente é uma grande celebração festiva e glamorosa, oferecida por um milionário em comemoração ao casamento de sua filha. A festa promete envolver e encantar os convidados mais ilustres – o público – que vem de várias partes do mundo. Os convidados interagem e jantam durante a celebração, a diversão é garantida por um show recheado de performances originais que misturam dança, acrobacia, teatro e ilusionismo, apresentadas por artistas brasileiros e internacionais com incríveis habilidades.

A festa de casamento começa muito elegante com a recepção pelos anfitriões, boa música e garçons equilibristas pra lá de eficientes.

BANQUETE trata-se da festividade com muita alegria e emoção, irrigada de belas imagens plásticas, paixões e desilusões amorosas. É uma sátira às máscaras sociais e explora a sensualidade em diferentes aspectos.

Espetáculo “Banquete”
Com Anna Gelinskas, Bruna Rosa, Cleiton Amorim, Dani de Lova, Fernanda Santana, Flávia Mattos, Helio Coutinho, Isabela Lago, Laís Borges, Lais Camila, Margreet Nuijten, Michele Rettondini Noboa, Priscila Menucci, Priscila Teixeira, Renato Borges, Thiago Barbosa, Victor de Seixas, Willian Kreff
Burlesque – Paris 6 By Night (Rua Augusta, 2805 / 2809 – Jardins, São Paulo)
Duração 150 minutos
Estreia 19/08
Quinta, Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 19h
(O espaço abre 30 minutos antes dos horários do show, para entrada do publico, serviço inicial de bebidas e entrada do jantar)
$230 / $350 (Preços promocionais primeiras 6 semanas – $180 / $300)
Classificação 14 anos
 
Criação, direção e coreografia Maicon Clenk
Figurinos Fause Haten
Visagismo Anderson Bueno
Cenógrafo José Carlos Serroni.
Iluminação Drika Matheus
Trilha Sonora DJ Felipe Venâncio