PRA INGLÊS VER

A comédia “Pra Inglês Ver”, uma grande brincadeira com a língua inglesa e a importância dada à fluência no idioma dentro do ambiente corporativo, está em cartaz no Teatro Folha.

Com texto de autora que prefere usar o pseudônimo Maria Clotilde, a comédia se passa numa empresa multinacional, onde os executivos precisam se desdobrar para conseguir a fluência na língua inglesa e realizar uma apresentação ao CEO (Chief Executive Officer), que está chegando do exterior. Nessa visita será decidido o futuro profissional de alguns dos executivos, que chegam a contratar uma professora de inglês para se preparar para a grande apresentação.

Maria Clotilde dá algumas pistas sobre sua real identidade. É atriz e professora de inglês com bastante experiência nas duas funções e já ministrou aulas em ambientes corporativos. “Este texto é meu primeiro exercício na dramaturgia. Por isso pensei em escrever sobre algo que conheço bem, mas, por enquanto, sem revelar minha identidade”, diz. Ela conta que necessidade de fluência na língua inglesa é uma realidade que ganha toques dramáticos em muitas situações. “Já vi profissionais terem sua carreira interrompida porque não conseguiam atender às necessidades de sua função profissional”, conta a autora.

O diretor Isser Korik conta que quando leu o texto de Maria Clotilde imediatamente percebeu que havia material para retomar sua pesquisa sobre teatro popular, iniciada com o autor e diretor Carlos Alberto Soffredini nas montagens do Núcleo de Estética Teatral Popular entre 1985 e 1988. “Vi a possibilidade de fazer um rico jogo com os atores que põem a plateia no centro da representação e, o tempo todo, criam cumplicidade com o público”, conta o diretor.

Os personagens, conforme a observação do diretor, são muito bem descritos e tem características marcantes. “Os personagens são tipos muito bem definidos e isto combina muito com o teatro popular”, explica Isser Korik, lembrando que na peça o idioma é pronunciado como soaria em língua portuguesa, detalhe que garante efeito cômico às cenas.

Entre aulas desastrosas e um inglês pouco fluente, os executivos alunos passam por situações ainda piores, quando um escândalo corporativo envolvendo o alto escalão da empresa é descoberto. 

Pra_Ingl_s_Ver_cr_dito_Rodrigo_Fonseca (1)

SOBRE O  PIT (Programa de Inserção no Mercado de Teatro)

O projeto “Pra Inglês Ver” reúne trinta atores investidores que abraçaram esta parceria para viver um intenso processo de  coprodução e criação artística. Eles acompanharam todas as etapas da  produção do espetáculo, frequentaram oficinas para reciclagem artística e, no final do processo, apenas seis atores serão selecionados para compor o elenco.

O programa é proposto pela produtora Conteúdo Teatral com o objetivo de unir atores formados ou próximos da formação, interessados em investir em suas carreiras, a produtores experientes e diretores consagrados para a coprodução de projetos de montagem teatral. A ideia é que estes processos de produção e criação ofereçam aos atores a oportunidade de observação e participação em todos as etapas de produção de uma peça de teatro.

Cada um dos atores, sócios na produção, investem na montagem e poderão receber valores proporcionais a sua cota de investimento no projeto.

A próxima peça a ser encenada dentro deste modelo de coprodução é “Os Saltimbancos”, com texto de Sergio Bardotti e Luis Enrique Bacalov, tradução e adaptação de Chico Buarque de Hollanda, e direção de Fezu Duarte.

Pra Inglês Ver
Com Thiago Guimarães, Mario Mohrle Bueno, Isabela Tortato, Karla Mandro, Ferruccio Cornacchia e Juliana Simon
Teatro Folha (Shopping Pátio Higienópolis – Av. Higienópolis, 618 – Consolação, São Paulo)
Duração 90 minutos
04/05 até 28/07
Quarta e Quinta – 21h
Recomendação 12 anos
$30
 
Cenografia e Figurino – Osvaldo Gonçalves
Assistentes de Cenografia e Figurino  – Gustavo Thompson, Pedro Pó e Renata Birolli
Cenotécnico – Edmilson Souza                                                             
Costureira – Angela Oliveira
Fotografia  e vídeos – Rodrigo Fonseca
Criação Gráfica    – Laudelino Neto
Equipe Técnica – Jardim Cabine
Coordenação de Produção – Isabel Gomez
Assistente de Produção – Felipe Costa
Estagiários  de Produção – Gustavo Thompson, Pedro Pó e Renata Birolli
Administração – Felipe Costa e Isabel Gomez
Assistente de Direção – Luzia Meneghini e Ian Soffredini
Iluminação, Trilha sonora e Direção – Isser Korik
Produtores Associados (PIT) – Adriano Ferreira, Antônio Vergne, Bianca Almeida, Bruno Alba , Carlos Eduardo da Silva, Carolina Goes, Caroline Margoni, Ferruccio Cornacchia, Flaviane Herrera, Gabriela Mendes, Gisa Araujo, Isabela Tortato, João Carlos Gomes, Joel Alves Viana, Jhonas Araújo, Juliana Simon, Karla Mandro, Leilane Saburi , Luisa Levenstein, Mariana Amaral, Mariana Mellone Faloppa, Mario Mohrle, Max Martins, Neto Mahnic, Paulo Victor Gandra,Pedro Augusto Alves Lopes, Renata Souza, Roberson Lima, Thiago Guimarães e Vanessa Rosseto.  
Realização  – Doidim Produções e Conteúdo Teatral

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s