FESTIVAL TRANSBORDA DE CULTURA SEM GÊNERO

Vai ter muito brilho e representatividade em Agosto!
Durante este mês, acontece no TOP Teatro o primeiro Festival Transborda de Cultura Sem Gênero. O evento pretende discutir a questão da identidade de gênero através das atrações programadas, conscientizando a diversidade que nos constitui.
O Festival programou uma série de shows, peças de teatro, exposição, leituras, filmes e debates. As atividades acontecem entre o dia 03 de agosto e 01 de setembro, sendo que algumas serão com entrada gratuita e as outras com ingressos a preços populares (adquiridos na bilheteria do TOP Teatro ou pelo site ingressorapido.com.br
Rhommel Bezerra (Fora Da Chuva Produções Culturais, organizador do evento) diz que “quis dar voz a minha inquietude, pois sempre houve uma vontade enorme em mim de promover uma programação que pudesse discutir sobre gênero, sexualidade e identidade de gênero. Ainda é muito comum ouvir que são invenções ideológicas, desqualificando o direito de sermos como realmente somos. Então, enquanto artista e cidadão, acho todo esse movimento muito importante pra nossa sociedade. A violência física, psicológica e sexual contra mulheres e contra a população LGBTI infelizmente é uma constante do sistema do nosso patriarcado. Vamos desmistificar essas fobias e promover o amor através da arte
Programação:
 
03/08 – 20h
Tem Alguém Que nos Odeia
Leitura Dramatizada da Peça + Debate com Michelle Ferreira (autora)
Entrada Franca (Distribuição de ingressos às 19h)

“O triller escrito por Michelle Ferreira aborda a relação privada e amorosa de duas mulheres, Maria, brasileira, e Cate, estrangeira, que decidem morar juntas em São Paulo. Dentro do antigo e decadente apartamento herdado por Maria, elas vivem em conflito.

O casal possui histórias e culturas diferentes que provocam pequenos atritos constantes. E neste ambiente conflituoso a violência e o terror batem à sua porta invadindo o seu lar. Elas então se veem obrigadas a enfrentar agressões físicas e psicológicas de algum homofóbico do prédio que se torna um inimigo invisível e constantemente presente.”

5a05a2_8cb4cc74b31e441f83fa61446afa67a9-mv2_d_1800_1800_s_2
04/08 – 21h
Show intimista com Léo Fressato
$60
“Leo Fressato é compositor desde os 14 anos. Começou a escrever sobre amor ainda mais cedo, aos 10 anos de idade, quando, pela perimeira vez, se apaixonou. E, até hoje, assim são as canções de Leo Fressato: um tratado sobre o amor. Entre folhas de outono e invernos rigorosos brotam flores nas canções do rapaz. É preciso que o inverno passe (e que passe depressa). Leo Fressato é feito de flores e de veias saltadas no pescoço.
O show faz questão de incorporar um lado teatral às suas músicas, tanto na dramaturgia criada pelas letras quanto nas apresentações performáticas, de caráter interativo com o público.”
5a05a2_767173bf83c5499b9faac5a55e702f9c-mv2_d_1500_1500_s_2
05/08 – 21h
Show acústico com o projeto #NãoRecomendados de Caio Prado, Daniel Chaudon e Diego Moraes
$60
“Não Recomendados é um espetáculo com a união de três autores intérpretes: Caio Prado, Daniel Chaudon e Diego Moraes; e um produtor autor, Edu Capello. Todos inquietos e com a mesma vontade: transformar, questionar e provocar os padrões comportamentais e burocráticos da sociedade.
A união em virtude da arte transformadora reflete uma realidade nua sem tabus. O espetáculo, como um palco laboratorial, torna-se uma extensão das vivências de cada integrante. Tudo é refletido no palco, provocando o público às lágrimas e gargalhadas. Uma experiência musical e visual a serviço do não preconceito.”
5a05a2_8cabfcfb5c2d44d1962fc8d26700883a-mv2_d_1500_1500_s_2
06 e 07/08 – 20h
Peça “Comum de Dois” do Grupo Itinerante de Teatro
+Debate sobre o início da homofobia no país com Rhommel Bezerra (autor)
$40
“Uma casa é deixada de herança e novas descobertas são feitas sobre o verdadeiro passado de uma família. Revelando um diferente triângulo amoroso.
Ambientada no Recife antigo, explora épocas e intertextualidades e tem como ponto chave a relação homoafetiva dos protagonistas, localizando o debate na formação da sociedade moderna brasileira do século XX, a homofobia em sua matriz histórica.
Escrita, produzida e dirigida por Rhommel Bezerra, enfoca uma reflexão política da marginalização da sexualidade, dos significados da tolerância, do amor e das convenções sociais.”
5a05a2_f07a7ef1a8134164ab37bf8524233fce-mv2_d_1500_1500_s_2
10/08 a 01/09 – 21h – Quartas e Quintas
Peça “Só…Entre Nós” de Franz Keppler e Direção de Joca Andreazza
$40
“Uma história sobre a solidão urbana, o tempo e o amor envolvendo um triângulo amoroso entre um professor de música, sua mulher e seu aluno.
– Na volta para casa na madrugada fria, a melancolia do clima, o medo das perdas, a lembrança dos amores que terminaram, o vazio das ausências preenchido pelas memórias. Fui dormir embalado por todas essas sensações. Na manhã seguinte, senti uma vontade enorme de escrever sobre tudo isso. As palavras foram surgindo no computador e, aos poucos, ‘Só…Entre Nós’ foi se transformando em uma peça – conta o autor.”

5a05a2_c77a79d589034b34bfb2456f4c12098e-mv2_d_3508_3508_s_4_2

12/08 – 21h
Show intimista com Rafael Vidalles
$60
“Cantor, compositor, produtor e artista plástico paulistano de 23 anos, têm como influência nomes da música e das artes, tais como: Grace Jones, Jean Paul Goude, Emilie Autumn, entre outros. Vidalles traz em suas estruturas melódicas uma certa extravagância que mostra a miscelânea de várias influências entre o Funk carioca, Dances dos anos 80 e o Soul.
Lança seu primeiro single “Pão com Ovo” em maio de 2015, após já ter aberto shows para grandes cantores como Céu e Izzy Gordon e produzido alguns artistas. Rafael Vidalles mistura R&B, Pop, Electro e Funk em suas composições, com apresentação extremamente performática e brasileira que se funde ao seu trabalho de artista plástico.”
5a05a2_d0382699e88f496bbd03cda9729353c3-mv2_d_1500_1500_s_2
13 a 28/08 – 20h – Sábados e Domingos
Peça “Menina Bruno” do Grupo Itinerante de Teatro
$40
“A peça coloca em cena a saga de Bruno. Filha única, passou a infância e a adolescência sendo alvo de piadas pelo seu comportamento “inadequado” para os padrões de gênero ditados pela população de Arco Verde, agreste pernambucano.
Quando resolve fugir de casa, Bruno vê sua vida ganhar sentido e usa sua liberdade como força para enfrentar todos os desafios até chegar na grande São Paulo.

Escrita e dirigida por Rhommel Bezerra, Menina Bruno é uma narrativa poética que explora as questões de gênero, através de uma doce menina que carrega o peso de um corpo que nunca foi seu.”

5a05a2_0cdfb7a677de4a6aaf92b4de3c12f9aa-mv2_d_1500_1500_s_2.png

16/08 – 20h
Exibição do curta “ACEITO” de Felipe Cabral + Documentário “Vestidas de Noiva” da Gasolina Filmes
Com distribuição de pipoca e refrigerante
Entrada Franca (Distribuição de ingressos às 19h)

“Release curta: A premiada comédia romântica ACEITO, de Felipe Cabral, já passou por 52 festivais, 16 países e tem 5 prêmios! Quando Junior resolve preparar uma grande surpresa para pedir seu namorado em casamento, nada pode dar errado. Será?

Release documentário: Vestidas de Noiva é um documentário que traça o histórico do casamento homoafetivo no Brasil enquanto acompanha o processo de casamento de Fabia e Gabi . Entre beijos, flores e cetim, as duas apresentam outras histórias de amor homoafetivas, ativistas LGBT e figuras políticas. Vestidas de Noiva celebra as conquistas já alcançadas e aponta o que ainda precisa ser feito para garantir direitos iguais às famílias homoafetivas.”

5a05a2_2dbe4411ef464117b248e039c7b7bdb6-mv2_d_1800_1800_s_2

19/08 – 21h
Show intimista com Felipe De Vas
$40
“Cantor, compositor e equilibrista de meio fio como ninguém. Nascido em 1990, na cidade de Maceió (AL), desde jovem se vê apaixonado pela poesia inerente aos gestos cotidianos e pelos motivos das coisas.
“Não sei muito meu estilo, sei que faço um som bem íntimo, podendo, por vezes, ser extremamente desvinculado a qualquer imagem que eu tenha. As músicas podem se diferir profundamente uma das outras, do soul ao indie, passando pelo afrobeat, se alimentando do pop, se banhando na nova MPB, enfim… mas, de alguma forma, mantém-se meu estilo meio metidão a poeta de boteco. Acho que a minha forma de pensar, refletida nas melodias, é o que faz minha personalidade artística, não só o estilo musical que me habituo a tocar.” (Felipe de Vas)”
5a05a2_e534be8d6b97484c82aea350e9fa4173-mv2_d_1500_1500_s_2
 
26/08 – 21h
Show intimista com Ana Larousse
$60
“Cantora, compositora e violonista curitibana, Ana Larousse lançou seu primeiro disco, Tudo Começou Aqui, em 2013. Produzido por Rodrigo Lemos (ex-A Banda Mais Bonita da Cidade e Lemoskine), é um delicado tratado sobre solidão e partidas. O disco, composto de canções autobiográficas é bastante intimista e chamou bastante atenção dos críticos que tomara Ana Larousse como uma das grandes promessas e uma das melhores compositoras da nova cena da música nacional.”
5a05a2_7b6c96aefcae40a89ff4e826d033632d-mv2_d_1500_1500_s_2
 
30/08 – 20h
Ela x Ele Na Cidade Sem Fim” do Grupo Itinerante de Teatro
Leitura Dramatizada da Peça + Debate sobre a violência contra a mulher com Rhommel Bezerra (autor)
Entrada Franca (Distribuição de ingressos às 19h)
“As razões pelas quais as pessoas decidem se relacionar umas com as outras são subjetivas. Quando o amor se torna uma doença sem cura, como continuar na estrada?
A história é baseada em fatos reais sobre orgulho e sofrimento. O drama de um casal foragido, que carrega a culpa de um erro irreparável. Ele é tudo para ela e ela diz, inclusive, que foi ele quem lhe deu os seus olhos.No decorrer da trama, os personagens revelam um fascinante quadro amoroso, através do qual saberemos quem é quem e onde os conceitos de lar, amor e proteção se confundem com inferno, dor e medo.”
5a05a2_1fd1655f04dd43b59583ed1e63e61646-mv2_d_1800_1800_s_2
Durante todo o festival, obras do artista plástico Antonio Miranda, serão expostas nos cenários das atrações musicais. O artista também assina a cenografia da peça “Menina Bruno”.

MEU FILHO, LADY GAGA

A peça “Meu Filho, Lady Gaga”, de Genes Holder, está em cartaz em São Paulo, no Teatro Augusta, até dia 4 de agosto, em sua segunda temporada na cidade. Depois, tem previsão de excursionar pelo país.

A comédia, que não é um musical, conta a história de uma família brasileira em que o filho sai de casa jovem para estudar ballet na França e anos depois volta trabalhando como performer oficial da Lady Gaga.

Com isso, refletimos as relações familiares, a política brasileira, minorias, homofobia, preconceito, guerra de classes, desigualdade social, xenofobia, corrupção e até o famoso “jeitinho brasileiro”. Isso tudo em uma trama leve, divertida e engraçada. Lembrando que a peça não conta a história de vida da cantora.

Meu filho lady gaga 1.jpg

Meu Filho, Lady Gaga
Com Bárbara Nascimento, Cassio Tadeu, Gabriela Ananda, Luciano Cyrilo, Regina Hennies, Ronaldo Saad, Tâmara Vasconcelos e Zivalda Alves.
Teatro Augusta – Sala Paulo Goulart (R. Augusta, 943 – Cerqueira César, São Paulo).
Duração 70 minutos
27/07 até 04/08
Quarta e Quinta – 21h
$50 ($25 meia – mediante apresentação de comprovante ou apresentando o flyer da peça impresso ou pelo celular – e $20 para pagamento em dinheiro)
Classificação 10 anos
 
Texto e Direção: Genes Holder.
Diretor de Produção: Ronaldo Saad.
Assistente de Produção: Cassio Tadeu
Figurinos e Cenário: Ângela Schoendorfer.
Coreógrafias: Lucas Mendes.
Sonoplastia: Bárbara Nascimento e Cassio Tadeu
Designer Gráfico: Ronaldo Saad.
Trilha Sonora: Cássio Tadeu, Genes Holder e Ronaldo Saad.
Assessoria de Imprensa: Ronaldo Saad.
Fotos: Lucival Almeida e Mario Falcheti

MY FAIR LADY

Considerado um dos maiores musicais de todos os tempos, My Fair Lady ganha em agosto nova montagem assinada pelo diretor Jorge Takla. Com grande elenco e orquestra ao vivo, o espetáculo – baseado no clássico Pigmaleão, de George Bernard Shaw – se vale de cenários e figurinos luxuosos para narrar a história de um professor aristocrata, Mr Henry Higgins, que aceita o desafio de transformar Eliza Doolittle, uma vendedora de rua, sem qualquer refinamento, em uma dama da alta sociedade.

05072016-143729O principal personagem masculino estará a cargo de Paulo Szot, o consagrado ator e barítono que em 2008 ganhou o Tony (o Oscar do teatro americano) de melhor ator por sua performance no musical South Pacific, na Broadway, em Nova Iorque, tornando-se o primeiro brasileiro a receber este e outros três prêmios nos Estados Unidos – o Drama Desk, o Outer Critic’s Circle e o Theater World Awards. Dono de uma bem-sucedida carreira internacional no mundo da ópera, iniciada em 1997 em O Barbeiro de Sevilha, no Teatro Municipal de São Paulo, será a primeira vez que ele participará de um musical no Brasil. “Era um desejo antigo me apresentar aqui depois de tantos anos, ainda mais fazendo um musical na companhia de um dos maiores diretores do país, sinônimo de bom gosto e de belíssimos espetáculos. Eu e Takla temos uma grande parceria desde que ele me dirigiu em La Boheme, em 1998, e isso foi decisivo para ter aceitado esse convite. Eu não poderia me sentir mais feliz”, exalta o ator.

13712500_1713471535569591_1295356165_n Eliza Doolittle será interpretada por Daniele Nastri, escolhida através de audição entre cerca de 600 candidatas. A jovem soprano natural de Goiania é  graduada em Canto pela Universidade Federal de Goiás e mestre em Performance na Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance, em LondresDaniele integrou o  Coro da Orquestra Sinfônica de Goiânia entre 2008 e 2011 e chegou a se apresentar, no ano passado, no Blackheath Halls, na capital inglesa, interpretando a rainha das fadas Tytania, da ópera Sonho de uma noite de Verão, de Benjamin Britten. “Estar nesse espetáculo ao lado do Paulo, do Jorge Takla e de todos esses profissionais é uma situação quase surreal, como se eu estivesse em um sonho. Tenho todos eles como referência e inspiração, por isso estar nessa equipe só faz com que eu queira me dedicar e aprender ainda mais”, comemora.

Sandro Christopher (Alfred Doolittle), Eduardo Amir (Cel. Pickering), Frederico Silveira (Freddy Eynsford- Hill), Eliete Cigaarini (Sra. Higgins) e Daniela Cury (Sra. Pearce) também fazem parte do elenco, que contará com 30 atores no total, além de 14 músicos.

A música original de Frederick Loewe embala o libreto e as letras de Alan Jay Lerner, que receberam versão em português de Cláudio Botelho.  Responsável pela direção musical do espetáculo, o compositor e maestro Luis Gustavo Petri colecionou prêmios em universos tão diversos quanto o sinfônico, o operístico e os grandes musicais – dentre os que ele dirigiu estão West Side StoryCabaretMy Fair LadyVictor ou Victoria, Evita, O Rei e Eu e Jesus Cristo Superstar. Convidada por Jorge Takla e Stephanie Mayorkis para integrar a produção, a diretora associada e coreógrafa Tânia Nardini possui longa experiência com musicais no Brasil e no exterior, e em seu currículo constam títulos como ChicagoRentO Fantasma da ÓperaEvita e O Rei e Eu, entre muitos outros. À equipe soma-se também o premiado figurinista Fábio Namatame, cuja trajetória contabiliza mais de cem trabalhos em peças, musicais, óperas e filmes, e o cenógrafo argentino Nicolás Boni, que iniciou carreira na ópera.

A história de Pigmaleão foi levada às telas de cinema originalmente em 1938 e chegou à Broadway em 1956 com enorme aclamação de público e crítica, já batizada como My Fair Lady. A produção contava com Julie Andrews e Rex Harrison nos papeis principais e foi premiada com seis Tony e um Theater World Award. Oito anos depois, Harrison retornava ao papel na versão cinematográfica de George Cukor, desta vez ao lado de Audrey Hepburn, para repetir o grande sucesso do musical. Ao todo, o filme recebeu oito Oscar, três Globo de Ouro e o Bafta de Melhor Filme.

A nova montagem acontece num momento oportuno, quando a sociedade busca discutir de forma mais ampla temas e questões infelizmente ainda muito atuais, como discriminação, preconceito e barreiras sociais, além de apontar a cultura e a educação como meios possíveis de superação”, resume Stephanie Mayorkis. 

No Brasil, a primeira encenação de My Fair Lady, intitulada Minha Querida Lady, foi realizada em 1962 pelo produtor Victor Berbara. Além de Bibi Ferreira e Paulo Autran nos papéis principais, a montagem contava ainda com uma jovem Marília Pêra, em início de carreira. O espetáculo fez grande sucesso e ficou três anos em cartaz, no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Em sua segunda montagem (a primeira foi há nove anos), Jorge Takla optou por realizar um espetáculo inteiramente novo. “Trabalhar numa nova montagem deste clássico, encenado nos maiores teatros do mundo de dez em dez anos, é um desafio imenso, delicioso e renovador. Eu mudei, cenários, figurinos e elenco também mudaram, mas a música e a história permanecem, cada vez mais adoráveis e contundentes”, resume Takla.

my-fair-lady-1962-e-2007

Bibi Ferreira e Paulo Autran / Amanda Acosta e Daniel Boaventura

 A montagem – resultado da parceria entre a Takla ProduçõesEGG Entretenimento (da empresária e produtora Stephanie Mayorkis) e IMM Esporte e Entretenimento – é apresentada pelo Ministério da CulturaMercado Livre e Mercado Pago e ocupará o novo Teatro Santander entre 27 de agosto e 6 de novembro de 2016, com patrocínio da Renner e Zurich Santander Seguros.

My Fair Lady
Com Paulo Szot, Daniele Nastri, Sandro Christopher, Eduardo Amir, Frederico Silveira, Eliete Cigaarini, Daniela Cury, Ana Luiza Ferreira, Ana Paula Villar, Carol Costa, Claire Nativel, Debora Dib, Gisele Jesus, Janaina Bianchi, Luana Zenun, Maria Isabel Nobre, Talitha Pereira, Cadu Batanero, Cayo Caesar, Daniel Cabral, Diego Luri, Elton Towersey, Felipe Tavolaro, Fernando Cursino, Paulo Grossi, Marcio Louzada, Rafael Villar, Leo Diniz, Mariana Barros, Thiago Jansen
Teatro Santander – Complexo do Shopping JK (Av. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 150 minutos
27/08 até 06/11
Quinta – 21h; Sexta – 21h; Sábado – 17h e 21h; Domingo – 16h e 20h
$50/$260
Classificação livre
 
Baseado no clássico Pigmaleão, de George Bernard Shaw 
Músicas: Frederick Loewe 
Texto e Letras:  Alan Jay Lerner
Versão Brasileira: Cláudio Botelho
Direção Geral: Jorge Takla
Direção associada e Coreografia: Tânia Nardini
Direção Musical: Luis Gustavo Petri 
Cenário: Nicolás Boni
Figurino: Fábio Namatame
Design de Luz: Ney Bonfante
Design de Som: Tocko Mickelazzo
Visagismo: Duda Molinos 
Perucas: Feliciano San Roman
Direção Geral de Produção: Stephanie Mayorkis 
Assessoria de Imprensa: Canivello Comunicação
Uma produção Takla Produções, EGG Entretenimento e IMM Esporte e Entretenimento 
Apresentação: Ministério da Cultura, Mercado Livre e Mercado Pago 
Patrocínio: Renner e Zurich Santander Seguros
Apoio: Estácio e Colgate

PRÊMIO BIBI FERREIRA 2016 (INDICADOS)

Muitas novidades para o Teatro Musical e o Prêmio Bibi Ferreira. Isto foi o que aconteceu na manhã do dia de hoje, 25 de julho, no hotel Transamérica, durante o anúncio da lista dos indicados a 4a edição do Prêmio Bibi Ferreira.

A cerimônia será em nova casa. No dia 20 de setembro, o evento – que é dedicado aos melhores do Teatro Musical encenado em São Paulo – acontecerá no Teatro Santander.

Outra novidade é que este ano o Prêmio passa ter um patrocinador – a EMBRACON, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Lei Rouanet, do Ministério da Cultura.

E para o mercado do Teatro Musical, umas das maiores novidades pode ser a criação da Associação dos Produtores de Teatro Musical (APTM), que lutará pelos direitos dos profissionais que trabalham neste mercado.  Ainda está na fase embrionária, com formalização pelos advogados. Contará, entre outros, com a Marcenaria de Cultura (Prêmio Bibi Ferreira), Atelier de Cultura, Caradiboi Arte e Esportes, Raia Produções, IMM, entre outras.

Afinal este é um mercado que cresce ano a ano e tem o seu peso e importância na economia da cidade de São Paulo.

Afinal na primeira edição, em 2013, aconteceram 16 musicais na cidade e agora são 24. Desde que começou a nova fase do teatro musical brasileiro (1999 – “Rent”), houve um aumento de mais de 1.000% no número de produções, que ficam uma temporada média de 4 meses.

Para uma outra comparação, neste ano, o Tony julgou 16 musicais inéditos, enquanto em São Paulo, foram 24 novas produções.

Estes espetáculos musicais cada vez mais estão direcionando-se para uma dramaturgia nacional. Em 2013, eram 9 musicais estrangeiros e 7 nacionais. Já este ano, são 7 estrangeiros, enquanto as produções brasileiras são 17 (aumento de 183%). E destes, 3 foram musicais biográficos, 9 estilo jukebox (músicas já conhecidas),  e 5 originais.

E sim, a Lei Rouanet, entre outros incentivos fiscais (como o ProAC), é importante e vital para a realização dos musicais no país. Este ano foram realizados 16 musicais (lei Rouanet), 8 musicais (ProAC), 4 musicais (capital próprio) e 1 musical (edital).

Indicados

1-20160725_114202_2.JPG

Saulo Vasconcelos, Kiara Sasso, Marllos Silva (Prêmio Bibi Ferreira, Alessandra Maestrini, Patricia Cré (Embracon) e Daniel Salve (Direção Geral cerimônia premiação)

Os atores Kiara Sasso e Saulo Vasconcelos foram os anfitriões do evento  de hoje, onde foram apresentados os indicados a 4a edição do Prêmio Bibi Ferreira. São 19 categorias.

Para serem nominados, as produções precisam seguir regras, entre elas – terem sido apresentadas entre 01/07/15 até 30/06/16; ainda não valem musicais infantis; não terem sido já indicadas, entre outras.

Nesta edição, “Gabriela, um Musical” foi a mais lembrada. São 13 indicações, entre eles – ator/atriz revelação (Daniela Blois), ator (Danilo Dal Farra), diretor (João Falcão) e musical.

Depois com 7 indicações cada vem “Gilberto Gil – Aquele Abraço, um Musical“, “Antes Tarde do que Nunca” e “Cinderella, o Musical“. “Ou Tudo Ou Nada, o Musical“, “Meu Amigo, Charlie Brown“, “Wicked” receberam 4 indicações cada. Com 3 indicações foram “4 Faces do Amor“, “O Musical Mamonas” e “We Will Rock You“.

Para a categoria melhor musical foram indicados “Gabriela, um Musical“, “Gilberto Gil – Aquele Abraço, um Musical“, “Cinderella, o Musical“, “Wicked” e “We Will Rock You“.

As votações para a categoria “Melhor Musical – Voto Popular” começam no dia 01 de agosto, no site do Prêmio Bibi Ferreira.

A lista completa dos indicados está abaixo

Desenho de Som
BRANCO FERREIRA (Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical)
FERNANDO FORTES (Antes Tarde do que Nunca)
TOCKO MICHELAZZO (Gabriela Um Musical)
Desenho de Luz
CESAR DE RAMIRES (Gabriela Um Musical)
PAULO CESAR MEDEIROS (Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical)
JOHN TORRES e RODBERT WILSON (Garrincha)
Versão
ARTUR XÉXEO (Ou Tudo Ou Nada, O Musical)
MARIANA ELISABETSKY (Meu Amigo Charlie Brown)
MARIANA ELISABETSKY e VICTOR MÜHLEARER (Wicked)
 
Roteiro Original
ANNA TOLEDO (Nuvem de Lágrimas)
EDUARDO BAKR (Antes Tarde do que Nunca)
JOÃO FALCÃO (Gabriela Um Musical)
Cenografia
GRINGO CARDIA (Raia 30 – O Musical)
RENATO THEOBALDO (Antes Tarde do que Nunca)
ROGERIO FALCAO (Rodgers & Hammerstein – Cinderella)
Figurino
CARLOS SOTO (Garrincha)
FÁBIO NAMATAME (Antes Tarde do que Nunca)
SIMONE MINA (Gabriela Um Musical)
Música Original
JOSIMAR CARNEIRO (Memórias de um Gigolô – O Musical)
THIAGO GIMENES (Uma Luz Cor de Luar)
WLADIMIR PINHEIRO (Os Dez Mandamentos – O Musical)
 
Arranjo Original
GUILHERME BORGES e TÓ BRANDILEONE (Gabriela Um Musical)
LILIANE SECCO (4 Faces do Amor)
NANDO DUARTE (Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical)
Diretor Musical
TÓ BRANDILEONE (Gabriela Um Musical)
CARLOS BAUZYS (Rodgers & Hammerstein – Cinderella)
NANDO DUARTE (Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical)
Coreografia
FERNANDA CHAMMA (Antes Tarde do que Nunca)
LU BRITES (Gabriela Um Musical)
TÂNIA NARDINI (Raia 30 – O Musical)
Ator/Atriz Revelação
DANIELA BLOIS (Gabriela Um Musical)
LUCY ALVES (Nuvem de Lágrimas)
RUY BRISSAC (O Musical Mamonas)
Diretor
CHARLES MOELLER (Rodgers & Hammerstein – Cinderella)
GUSTAVO GASPARANI (Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical)
JOÃO FALCÃO (Gabriela Um Musical)
JOSÉ POSSI NETO (Antes Tarde do que Nunca)
TADEU AGUIAR (Ou Tudo Ou Nada, O Musical)
 
Ator Coadjuvante
ANDRÉ DIAS (Ou Tudo Ou Nada, O Musical)
MATEUS RIBEIRO (Meu Amigo Charlie Brown)
MAURICIO TIZUMBA (Gabriela Um Musical)
NICHOLAS MAIA (We Will Rock You)
PATRICK AMSTALDEN (O Musical Mamonas)
Atriz Coadjuvante
GIULIA NADRUZ (Rodgers & Hammerstein – Cinderella)
JANA AMORIM (Antes Tarde do que Nunca)
PAULA CAPOVILLA (Meu Amigo Charlie Brown)
THAIS PIZA (We Will Rock You)
TOTIA MEIRELLES (Rodgers & Hammerstein – Cinderella)
Ator
DANILO DAL FARRA (Gabriela Um Musical)
LEANDRO LUNA (Meu Amigo Charlie Brown)
MIGUEL FALABELLA (Antes Tarde do que Nunca)
MOUHAMED HAR FOUCH (Ou Tudo Ou Nada, O Musical)
RUY BRISSAC (O Musical Mamonas)
Atriz
AMANDA ACOSTA (O Primeiro Musical A Gente Nunca Esquece)
BIANCA TADINI (Rodgers & Hammerstein – Cinderella)
FABI BANG (Wicked)
MYRA RUIZ (Wicked)
MARISA ORTH (Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos, O Musical)
Musical Brasileiro
4 FACES DO AMOR (Brain+ e Estamos Aqui)
GABRIELA UM MUSICAL (Caradiboi e Tempo Entertainment)
GILBERTO GIL, AQUELE ABRAÇO – O MUSICAL (RG2 Prod., Miniatura 9 e Chaim Produções)
Musical
GABRIELA UM MUSICAL (Caradiboi e Tempo Entertainment)
GILBERTO GIL, AQUELE ABRAÇO – O MUSICAL (RG2 Prod., Miniatura 9 e Chaim Produções)
RODGERS & HAMMERSTEIN – CINDERELLA (Fábula Entretenimento)
WE WILL ROCK YOU (Caradiboi e Atual Consultoria)
WICKED (T4F Entretenimento)

GODSPELL, O MUSICAL (NÚMEROS MUSICAIS)

Na sexta feira, 22 de julho, houve a coletiva de imprensa do espetáculo “Godspell, o Musical”, onde foram apresentados quatro números. A peça estreia dia 04 de agosto no Teatro das Artes – Shopping Eldorado (SP).

Godspell, o Musical
Com Leonardo Miggiorin, Rafael Pucca, Beto Sargentelli, Matheus Severo, Pedro Navarro, Artur Volpi, Juliana Peppi, Fernanda Cascardo, Nathália Borges, Mariana Nunes, Gabi Medvedovski, Adler Henrique, Priscila Esteves.
Teatro das Artes – Shopping Eldorado (Avenida Rebouças, 3970 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 120 minutos
04/08 até 09/10
Quinta – 21h; Sexta – 17h e 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 20h
$60/$100
Classificação livre
Previews: 26 a 29 de julho – 17h
Site Oficial – http://www.godspellmusical.com.br/

 

 

 

 

GODSPELL, O MUSICAL (COLETIVA)

Grupo Teatral e Criação Coletiva. Estas palavras definem a nova montagem de “Godspell, o Musical“, que estreia dia 04 de agosto no Teatro das Artes (Shopping Eldorado – SP).

O diretor Dagoberto Feliz procurou trazer elementos do dito ‘teatro tradicional‘ para a sua visão do espetáculo. Para ele, a comédia musical de Stephen Schwartz e John-Michael Tebelak (1971) permitia isso.

70-20160722_125918_1.JPG

Carlos Alberto Jr. (Diretor Musical) e Dagoberto Feliz (Diretor Cênico)

Dagoberto montou um grupo teatral, onde todos tiveram voz para poderem exprimir as suas visões sobre a história e o que os personagens sentiam e pensavam.

Os atores contaram na coletiva que no começo foi meio estranho, afinal não é uma técnica utilizada em musicais com padrão Broadway e West End, onde tudo é ‘marcado, definido e engessado’, com pouco espaço para criação do ator.

Mas depois, ficaram a vontade. O diretor determinava uma cena, propunha um jogo teatral e observava o que acontecia. Os atores iam discutindo, exprimindo suas opiniões, propondo sugestões e variações para o que tinha sido feito. E Dagoberto ia aparando as arestas. Com certeza, quem estava de fora e chegasse nos ensaios, não iria compreender muito; mas para a equipe, o musical estava ficando pronto.

Outra característica é que em “Godspell, o Musical”, apesar da primeira vista é de ter dois protagonistas (Jesus e João Batista/Judas Iscariotes), não é bem assim. Todos os personagens têm a sua importância para a história e têm os seus números solo.

O elenco foi escolhido entre mais de 600 candidatos. Mesmo tendo nomes já conhecidos no meio – Leonardo Miggiorin, Beto Sargentelli, Juliana Peppi e Rafael Pucca; apresentará ao público, novos talentos que merecem ser revelados. São eles: Adler Henrique, Artur VolpiFernanda CascardoGabi MedvedovskiMariana Nunes, Matheus Severo, Nathália Borges, Pedro Navarro e Priscila Esteves.

71-20160722_135627_3

Em pé: Pedro Navarro, Rafael Pucca, Beto Sargentelli, Leonardo Miggiorin, Juliana Peppi, Adler Henrique, Fernanda Cascardo e Priscila Esteves. Ajoelhados: Artur Volpi, Matheus Severo, Nathália Borges, Gabi Medvedovski e Mariana Nunes.

A visão do diretor também estendeu-se a parte criativa/técnica.

Estamos numa esfera de musicais e acho que este, em especial, me permitiu várias leituras, principalmente metateatrais, por se tratar de um grupo de pessoas e várias historinhas. Temos em cena três níveis de interpretação com atores, personagens, e atores fazendo personagens, e para isso, o cenário (criação de Paulo Correa) deve aparecer como ambiente de representação. Me agrada a ideia construtivista, aparente, sem maquiar as coisas, assumindo as estruturas como elas são, como uma colagem e descolagem de cenas, onde eles estejam com os camarins no palco, por exemplo, mas não como um ensaio, e sim como metalinguagem – um teatro dentro do Teatro. Encaminhei as interpretações para que fossem para este lugar, afinal, é tudo de mentira, segundo Dagoberto.

1-IMG-20160722-WA0017.jpg

Claudia Schapira pensou em figurinos que remetessem as roupas utilizadas pela juventude nos tempos de hoje – urbanos e contemporâneos. Permitem também que os atores possam expressar os movimentos e ‘coreografias’ propostas por Paula Flaiban.

Coreografias em aspas, porque Paula disse que na montagem – seguindo o processo de criação proposto pelo diretor – não há coreografia marcada, rígida, como nos musicais estrangeiros. Ela coordenou os movimentos através de um processo em parceria com os atores. Ela deixava-os livres para pensarem em como seus personagens se movimentariam. É um processo que está em constante adaptação.

A parte musical ficou a cargo de Carlos Alberto Jr. Diretor musical e também responsável pela LS Produções Artísticas, disse que escolheu “Godspell, o Musical” por ter “uma partitura extremamente desafiadora. Uma energia vocal que atravessa o rock e o gospel – com clássicos como Day by Day, que em 1972 alcançou a 13ª posição na lista da revista Billboard, e Bless The Lord – e um libreto que permite ao espectador uma reflexão sobre suas ações; São estes os ingredientes que compõem essa história rica em mensagens, tão apaixonante e atemporal”.

As letras das canções ganharam novas versões pelas mãos de  de Guilherme Leal – responsável também pela assistência de direção musical e preparação vocal – e Kaíque Azarias, que “após uma epifania poética, optaram juntos por letras tocantes, reflexivas e fiéis”.

A banda de  quatro músicos – Rubens Moraes (band leader e tecladista),  Marco Aurélio Assis (contrabaixo), Vando Lucena (guitarra, violão e ukulele) e Rafael Gonçalves (bateria e percussão) -também está em cena, junto com os dez atores.

E todos setores estão simetricamente alinhados com o design de luz e som, criados por Alini SantiniGustavo Bertoldo, respectivamente, que complementam assim “a essência expressiva, cheia de vida, e curiosamente original proposta pela companhia.

Sinopse 

“Através de um jogo teatral, mesclando comédia, poesia, e a filosofia do “bem viver”, a história, que fala de Deus sem falar de religião, se desenrola de forma divertida e simbólica, onde um grupo de pessoas avessas e incrédulas, arquétipos da sociedade pós-moderna e que podem ser encontrados em qualquer grande metrópole, tem seus caminhos cruzados por João Batista e Jesus Cristo, encontro este que desperta novas esperanças em cada um, mostrando a eles diferentes formas de enxergar e viver a vida.

Com os ensinamentos em forma de parábolas, o grupo, até então desprovido de fé e amor, passa a construir uma comunidade, deixando de lado pequenos “pecados” cometidos em ações do dia-a-dia, e cultivando assim os bons sentimentos como a amizade, o amor, a generosidade, a ética e o respeito ao próximo.”

Godspell, o Musical
Com Leonardo Miggiorin, Rafael Pucca, Beto Sargentelli, Matheus Severo, Pedro Navarro, Artur Volpi, Juliana Peppi, Fernanda Cascardo, Nathália Borges, Mariana Nunes, Gabi Medvedovski, Adler Henrique, Priscila Esteves.
Teatro das Artes – Shopping Eldorado (Avenida Rebouças, 3970 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 120 minutos
04/08 até 09/10
Quinta – 21h; Sexta – 17h e 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 20h
$60/$100
Classificação livre
Previews: 26 a 29 de julho – 17h
Realização – Ministério da Cultura e LS Produções Artísticas
Música e Novas Letras por Stephen Schwartz
Concebido e dirigido por John-Michael Tebelak
Versões de Guilherme Leal e Kaíque Azarias
Direção – Dagoberto Feliz
Direção Musical – Carlos Alberto Jr.
Produtor Executivo – Luís Fernando Rodrigues
Assistente de Direção – Paula Flaiban
Assistente de Direção Musical e Preparador Vocal – Guilherme Leal
Produção Musical e Band Leader – Rubens Moraes
Pianista de Ensaio – Leonardo Côrdoba
Músicos – Marco Aurélio Assis (contrabaixo), Vando Lucena (Guitarra, Violão e Ukulele), Rafael Gonçalves (Bateria e Percussão)
Gerente de Palco – Joana Pegorari
Supervisor de Cia. – Pedro Guida
Estagiários de Produção – Guilherme Figueiredo, Lucas Gutierrez, Jorge William e Isabela Pascoaso
Cenografia – Paulo Correa
Cenotécnicos– Jorge Ferreira Silva e Denis Nascimento
Contrarregragem – José Vitor Batista e Hermann
Assistentes de Projetos – Jonas Soares e Carmem Guerra
Figurinista – Claudia Schapira
Assistente de Figurino – Sônia Costa Oliveira
Sound Designer – Gustavo Bertoldo
Sound Designers Associados – Bruno Pinho e Matheus Madeira
Operador de Áudio – Hugo Falcão
Microfonista – Bruna Moura
Lighting Designer – Aline Santini
Assistente de Light Designer e Operador de Mesa de Luz – Maurício Shirakawa
Desenvolvimento de Arte / Rede / Mídias Sociais – Lu Fernando Publicidade e Web Creator
Fotografia Artística – Bob Duarte
Fotografia de WebSite – Monique Carvalho
Fotografia de Ensaio – Debora Ruban
Assessoria de Imprensa – Grazy Pisacane
Produtos Personalizados – A Loja dos Musicais
Apoio – 4ACT Performing Arts, MôniqueCarvalhoFotografia,The Fifties, Paris6.
Patrocínio – Hamburg Süd

ESTÚDIO ACESSO CULTURAL

 

No dia 26 de julho estreia o “Estúdio Acesso Cultural”. O programa on-line será apresentado pela cantora Lu Andrade, ex-integrante do grupo Rouge. Transmitido ao vivo pela fanpage do site, com suporte técnico da plataforma ClapMe, a primeira exibição vai ao ar às 20 horas direto do estúdio Space Blues, em São Paulo.

Com formato diferenciado, a atração irá exibir shows de cantores de diversos estilos, misturando suas canções em maravilhosos duetos. Isso  tudo em meio a um agradável bate-papo musical, com a interação direta dos fãs realizando perguntas em tempo real aos convidados.

Estou realizando um desejo antigo, ser apresentadora foi o primeiro sonho da minha vida e quero dar meu melhor. O fato de ser musical torna tudo ainda mais fácil, por ser uma arte que eu amo e me dedico há 21 anos” explica Lu Andrade que comandará a atração.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O primeiro programa conta com a participação de dois cantores da nova geração: Leandro Buenno e Nikki, ex- participantes do reality show The Voice Brasil da Globo.

Além da exibição ao vivo via Facebook Live, o programa fará parte da grade de atrações do ClapMe, serviço de streaming focado em apresentações musicais virtuais, que podem ser assistidas tanto em tempo real quanto on demand.