MOTEL RASHÔMON

Como se constrói uma verdade? Esse é um dos pontos levantados pelo espetáculo MOTEL RASHÔMON, que estreia dia 10 de julho, domingo, às 20 horas, na SP Escola de Teatro.
Com uma pesquisa que partiu do conto Dentro do Bosque, do escritor japonês Ryûnosuke Akutagawa, a nova montagem da Cia Santa Cacilda (a mesma de Plínio Conta Estrelas) tem direção de Roberto Audio e elenco formado pelos atores Raquel Anastásia, Tertulina Lima, Alessandro Hernandez e Ernandes Araujo.
A atriz Raquel Anastásia, que é a idealizadora do projeto, disse que o que mais a encantou no conto de Akutagawa foram as sete versões e todas críveis de um mesmo acontecimento. “Em MOTEL RASHÔMON temos quatro versões para o assassinato de um político e cada uma delas se torna um objeto de disputa sobre quem esta certo e quem está errado. Este foi o ponto inicial de inquietação que a obra nos trouxe, sobretudo quando a colocamos em contraponto aos dias em que vivemos. Apresentei essa ideia para o Marcos Gomes, dramaturgo e, junto com ele, eu e a Tertulina Lima começamos a pensar em como transpor esse conto para os dias de hoje e aproximá-lo da realidade brasileira”.
O trio passou a pesquisar uma série de crimes de cunho políticos e passionais. Foram eles que serviram de material para o Marcos desenvolver a dramaturgia. “Assisti também a alguns júris populares, filmes e séries que me fizeram pensar: até que ponto sabemos o que realmente aconteceu com esses crimes que geram uma enorme comoção popular? A opinião tem acesso a todos os fatos? Como isso é filtrado? A quem interessa as informações que são divulgadas e como essa verdade é construída”, questiona o autor.
Contemplado com o PROAC de Montagem e Temporada de Espetáculo Inédito, MOTEL RASHÔMON é uma trama cheia de percalços, mas muito familiar: um político é assassinado e as investigações sobre sua morte levantam várias suspeitas. E, a partir delas, inúmeras possibilidades. Aqui, não interessa em primeiro plano desvendar os motivos que geraram esta morte, mas navegar pelas perspectivas que ela produz – vasculhando os diferentes caminhos e observando suas afirmações e contradições, investigando a verdade e colocando sobre ela algumas dúvidas: seria a verdade um fato ou uma construção? Uma realidade em si ou um mito alheio aos diferentes pontos de vista?
476504761695792
Trabalho de ator
Roberto Audio (que integrou o Teatro de Vertigem até 2015) foi convidado por Raquel (ambos atuaram no CPT- dirigido por Antunes Filho) para integrar o projeto quando o texto do Marcos estava em sua segunda versão. Desde lá o texto passou por muitas mudanças. E seu principal foco é no trabalho do ator. “Temos quatro atores em cena, figuras primordiais desta investigação. Cada personagem será o ator de si mesmo: manifestando anseios e temperamentos diversos, convergentes ou não a uma lógica cartesiana de comportamento. Minha direção orquestra esse jogo, por vezes patético, entre atores e personagens, em que cada um busca convencer o público de sua versão para se safar da culpa”, explica.
O cenário – assinado por Telumi Hellen – coloca os personagens em quatro nichos diferentes e o público entre eles. Em determinado momento, a plateia sente-se como se fosse um júri ou um dos personagens na cena. A ideia é que o cenário se confunda tanto com um tribunal ou uma sala de ensaio. “Mesmo que em algumas cenas, os personagens pareçam estar em um ringue, travando verdadeiros duelos para defenderem seu ponto de vista”, diz Audio.
A narrativa da peça não é linear. Assim como a encenação, que fragmenta um objeto único (o espetáculo) em diferentes aspectos e elementos, proporcionando diversas apreensões e maneiras de edificar um discurso sobre o que se vê. Cabe ao público decidir qual versão acredita ou sair de lá sem conclusão alguma.
117693940276650
Motel Rashômon
Com Raquel Anastásia, Tertulina Lima, Alessandro Hernandez e Ernandes Araújo
SP Escola de Teatro – Sala R1 (Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação, São Paulo)
Duração 60 minutos
10/07 até 29/08
Sábado – 21h; Domingo e Segunda – 20h
$20
Classificação 16 anos
 
No dia 21 de agosto haverá duas sessões – às 18h e 20h
 
Direção – Roberto Audio.
Assistente de Direção – Josafá Filho.
Dramaturgia – Marcos Gomes.
Cenografia, Adereços e Figurinos –Telumi Hellen.
Desenho de Luz – Melissa Guimarães.
Música Original – Ricardo Severo.
Operação de Luz – Caroline Veiga.
Operação de Som – David Bemfica.
Técnica de Palco- Amanda Tolentino de Araujo.
Preparação Corporal – Paula Salles.
Projeto Gráfico – Angela Ribeiro.
Fotos – Cacá Bernardes.
Vídeo – Bruta Flor Filmes.
Direção de Produção – Raquel Anastásia e Tertulina Lima.
Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta

COMUM DE DOIS

O Grupo Itinerante volta a São Paulo, com a peça “Comum De Dois“, que ficou em cartaz na cidade durante o mês de maio

Com texto e direção de Rhommel Bezerra, a peça é ambientada em 1918, no Recife Antigo. A ação se passa numa casa, que é deixada de herança para a nova geração de um família, que tem ascendência inglesa.

Uma caixa, trancada por muito tempo nesse lugar, guarda a verdade sobre os antepassados dos herdeiros. Narra a história de um triângulo amoroso entre dois homens e uma mulher, uma paixão que foi sufocada pelas convenções sociais. Uma vez descobertas, as revelações nunca mais poderão ser esquecidas.

12112493_1090610794345516_2081957797153553249_n

A montagem explora épocas e intertextualidade e tem como ponto chave a relação homoafetiva dos protagonistas, localizando o debate na formação da sociedade moderna brasileira do século XX, a homofobia em sua matriz histórica.

O Grupo Itinerante é um coletivo formado por artistas de diferentes partes do Brasil que busca promover montagens teatrais que fujam do eixo convencional.

O amor não se contenta com estes olhares à furto e estes apertos de mão às escondidas.

Comum de Dois
Com Guilherme Dal Castel, Rhommel Bezerra, Eloise Yamashita, Ananda Ismail, Thiago Miyamoto, Rafael Anastasi
Top Teatro (R. Rui Barbosa, 201 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 80 minutos
01 a 31/07
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 19h
$40
Classificação 16 anos
 
Sessões aos domingos gratuitas para estudantes de toda a rede pública, mediante comprovação e disponibilidade na bilheteria do teatro.
 
Dramaturgia, Direção e Produção de Rhommel Bezerra
Foto: Studio Faya e Aline Pereira
Cenário e Design: Rhommel Bezerra
Figurinos: Jhon Santana
Produção Executiva: Fora da Chuva Produções
Iluminação: Carolina Jorge e Fernando Dantas
Trilha Sonora
Vozes: Rhommel Bezerra e Ananda Ismail
Violão: Thiago Miyamoto e Fernando Dantas

DESPEDIDA DE SOLTEIRO

Fenômeno da internet, Rogério Vilela está de volta aos palcos trazendo seu mais novo show de stand-up comedy, Despedida de Solteiro. O espetáculo tem única apresentação dia 8 de julho, sexta-feira, às 21h30, no Teatro APCD.

O artista mostra uma visão moderna sobre casamento, namoro e a solteirice. O show ainda estende as piadas ao vício das redes sociais e relacionamentos descartáveis de maneira divertida e bem-humorada.

Criador do Mundo Canibal, um dos maiores sites de animações da internet e referência do humor politicamente incorreto, Rogério Vilela tornou-se fenômeno da internet, com mais de 400 milhões de visualizações no YouTube.

Rogério Vilela começou sua carreira artística ao publicar tiras de quadrinhos na imprensa de São Paulo.

Além de humorista, ele é roteirista, desenhista, ator, dublador e já trabalhou como apresentador em programas de comédia em rádios e TV.

Despedida de Solteiro.
Com Rogério Vilela
Teatro APCD (Rua Voluntários da Pátria, 547 – Santana, São Paulo)
Duração 60 minutos
08/07
Sexta – 21h30
$50 / $20 (sócios e funcionários APCD).
Classificação 14 anos
Assessoria de Imprensa: Arteplural Comunicação

 

MEDIDA POR MEDIDA

Depois de protagonizar Hamlet, há 3 anos,Thiago Lacerda, retomou  a sua parceria com Ron Daniels, brasileiro, radicado em Nova York, e um dos principais diretores teatrais da britânica Royal Shakespeare Company de Stratford-upon-Avon, para levar aos palcos essas duas montagens do repertório do bardo inglês: A tragédia “Macbeth” e a comédia “Medida por Medida”. Escritas no fim do século XVI, entre 1603 e 1607, ambas tratam do poder, da corrupção e dos dilemas éticos e morais nas esferas pública e privada, mas em tratamentos e estruturas distintas.

O Repertório Shakespeare traz o mesmo elenco atuando nas duas peças, num  revezamento de personagens; os protagonistas de uma peça interpretam os segundos papéis na outra, dando ao público a oportunidade de apreciar a versatilidade dos atores em papéis diferentes, no exercício do jogo cênico, apresentado, desta vez,  em sessões consecutivas.

O diretor Ron Daniels passou uma temporada no Rio de Janeiro até a estreia das montagens. Foram mais de 800 horas de ensaios. Ron  que contabiliza 41 encenações de Shakespeare, entre montagens nacionais e internacionais, comenta:“Nos reunimos para este projeto artístico em torno da montagem das obras de Shakespeare no Brasil, uma continuidade natural do trabalho iniciado em “Hamlet”, com novos atores de escolas e realidades diferentes que se juntam ao núcleo anterior vindo do elenco do “Hamlet”. Parece até que formamos uma companhia teatral”.

O Repertório Shakespeare foi indicado aos prêmios; APCA 2015 de melhor ator (Marco Antônio Pâmio), Quem Acontece 2015 de melhor ator (Thiago Lacerda), 07 indicações ao Prêmio Aplauso Brasil de Teatro 2015 – Espetáculo de produção independente, elenco, direção, ator (Thiago Lacerda), trilha original, figurino e arquitetura cênica.

Os espetáculos tiveram pré-estreia na capital mineira, em novembro de 2015, ficando 3 meses em temporada na capital paulista, passando pelo Rio de Janeiro, Curitiba, Angra dos Reis (FITA), Porto Alegre, Novo Hamburgo, Lajeado, Campos dos Goytacazes e Recife, dos Goytacazes somando 100 apresentações, com público de 25 mil expectadores.

O Repertório Shakespeare fica em cartaz no teatro Sergio Cardoso, em temporada de 12 apresentações dos espetáculos ‘MACBETH’ e‘MEDIDA POR MEDIDA’,  de 16 a 31 de julho, sábados e domingos, às 17h (Medida) e às 20h (Macbeth).

medida-por-medida-do-repertorio-shakespeare-que-traz-thiago-lacerda-no-elenco-1455808819811_956x500

MEDIDA POR MEDIDA

Agora no caos da paz, o mundo se transformou em um bordel. E a pergunta que este autor sublime nos faz é se somos seres tão falíveis, se não nos conhecemos a nós mesmos, como podemos julgar uns aos outros? Este é um mundo povoado por homens de grande poder e também por padres e freiras, por prostitutas e cafetões, por bêbados e arruaceiros, gente alegre e simples que leva a vida nas ruas, nos conventos, nos bordéis e nas prisões da cidade. Um mundo onde o amor surge de forma inesperada e triunfa finalmente sobre o puritanismo e a libertinagem.

Podemos controlar a anarquia do mundo?” (Ron Daniels)

SINOPSES

Alarmado com a imoralidade e a corrupção que tomaram conta de sua cidade, o Duque resolve reintroduzir uma antiga lei que pune todo e qualquer abuso sexual com a morte. Contudo, ele deixa que a lei seja implementada por seu vice, Ângelo, a quem transfere o poder por um período, enquanto ele se disfarça de frei para observar tudo à distância.

foto-joao-caldas-f-_197207press-jpg

Medida Por Medida
Com Thiago Lacerda, Marco Antônio Pâmio, Luisa Thiré, Ana Kutner, André Hendges, Fábio Takeo,  Felipe Martins, Lourival Prudêncio, Lui  Vizotto, Marcos Suchara, Rafael Losso, Stella de Paula e  Sylvio Zilber
Teatro Sérgio Cardoso (Rua Rui Barbosa,153 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 110 minutos
16 a 31/07
Sábado e Domingo – 17h
$60 ($30 – moradores do bairro do Bixiga mediante apresentação de comprovante de residência)
Classificação 14 anos
Sessões acessíveis de Macbeth, dia 24 de julho (audiodescrição para pessoas com deficiência visual e tradução em libras para pessoas com deficiência auditiva)
Pacote de compra para os três espetáculos (MACBETH ou MEDIDA POR MEDIDA e TRÓILO E CRÉSSIDA): R$ 108,00 (32,5% de desconto)
Pacote de compra para MACBETH e MEDIDA POR MEDIDA: R$ 90,00 (25% de desconto)
Pacote de compra para MACBETH ou MEDIDA POR MEDIDA e TRÓILO E CRÉSSIDA:            R$ 75,00 (25% de desconto)
Telefone: (11) 3288-0136
Texto: William Shakespeare
Tradução: Marcos Daud e Ron Daniels
Concepção e Direção: Ron Daniels
Curadoria Artística: Ruy Cortez
Instalação cênica | Painéis: Alexandre Orion
Instalação cênica | Cenografia: André Cortez
Figurinos: Bia Salgado
Desenho de Luz: Fábio Retti
Composição e trilha original: Gregory Slivar
Diretor assistente: Gustavo Wabner
Preparação corporal e direção de movimento: Sueli Guerra
Coordenador de ação: Dirceu Souza
Visagismo: Westerley Dornellas
Preparação vocal: Lui Vizotto
Preparação de luta: Rafael Losso
Cenotécnica: Fernando Brettas | Onozone Studio
Figurinistas assistentes: Alice Salgado e Paulo Barbosa
Indumentária e adereços: Alex Grilli e Ivete Dibo
Costureiras: Francisca Lima Gomes e Marenice Candido de Alcantara
Projeto de sonorização: Kako Guirado
Operador de som: Renato Garcia
Operadora de luz: Kuka Batista
Diretor de palco: Claudio Cabral
Contrarregra: Diro Faria
Camareira: Regina Sacramento
Edição de texto: Valmir Santos
Foto de cena: João Caldas
Foto do processo Still: Adriano Fagundes
Design Gráfico: 6D
Assessoria de Imprensa / SP: Adriana Monteiro (Ofício das Letras)
Relações institucionais: Guilherme Marques e Rafael Steinhauser
Administração: Flandia Mattar
Assistente administrativa: Mara Lincoln
Produção Executiva: Claudia Burbulhan
Direção de Produção: Érica Teodoro
Produção: CIT-Ecum, Pentâmetro e TRL
Realização: Sesc,CIT-Ecum, Pentâmetro e TRL

MACBETH

Depois de protagonizar Hamlet, há 3 anos,Thiago Lacerda, retomou  a sua parceria com Ron Daniels, brasileiro, radicado em Nova York, e um dos principais diretores teatrais da britânica Royal Shakespeare Company de Stratford-upon-Avon, para levar aos palcos essas duas montagens do repertório do bardo inglês: A tragédia “Macbeth” e a comédia “Medida por Medida”. Escritas no fim do século XVI, entre 1603 e 1607, ambas tratam do poder, da corrupção e dos dilemas éticos e morais nas esferas pública e privada, mas em tratamentos e estruturas distintas.

O Repertório Shakespeare traz o mesmo elenco atuando nas duas peças, num  revezamento de personagens; os protagonistas de uma peça interpretam os segundos papéis na outra, dando ao público a oportunidade de apreciar a versatilidade dos atores em papéis diferentes, no exercício do jogo cênico, apresentado, desta vez,  em sessões consecutivas.

O diretor Ron Daniels passou uma temporada no Rio de Janeiro até a estreia das montagens. Foram mais de 800 horas de ensaios. Ron  que contabiliza 41 encenações de Shakespeare, entre montagens nacionais e internacionais, comenta:“Nos reunimos para este projeto artístico em torno da montagem das obras de Shakespeare no Brasil, uma continuidade natural do trabalho iniciado em “Hamlet”, com novos atores de escolas e realidades diferentes que se juntam ao núcleo anterior vindo do elenco do “Hamlet”. Parece até que formamos uma companhia teatral”.

O Repertório Shakespeare foi indicado aos prêmios; APCA 2015 de melhor ator (Marco Antônio Pâmio), Quem Acontece 2015 de melhor ator (Thiago Lacerda), 07 indicações ao Prêmio Aplauso Brasil de Teatro 2015 – Espetáculo de produção independente, elenco, direção, ator (Thiago Lacerda), trilha original, figurino e arquitetura cênica.

Os espetáculos tiveram pré-estreia na capital mineira, em novembro de 2015, ficando 3 meses em temporada na capital paulista, passando pelo Rio de Janeiro, Curitiba, Angra dos Reis (FITA), Porto Alegre, Novo Hamburgo, Lajeado, Campos dos Goytacazes e Recife, dos Goytacazes somando 100 apresentações, com público de 25 mil expectadores.

O Repertório Shakespeare fica em cartaz no teatro Sergio Cardoso, em temporada de 12 apresentações dos espetáculos ‘MACBETH’ e‘MEDIDA POR MEDIDA’,  de 16 a 31 de julho, sábados e domingos, às 17h (Medida) e às 20h (Macbeth).

I2K4208

Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Data 22-10-2015. Espetaculo Macbeth (Ensaio). Atores Thiago Lacerda (esq), Giulia Gam, Sylvio Zilber, Lourival Prudencio e Lui Vizotto (dir). Direção Ron Daniels. Cidade das Artes. Foto Lenise Pinheiro/Folhapress

Macbeth 

Escrita no fim do século XVI, entre 1603 e 1607, a peça fala do poder, da corrupção e dos dilemas éticos e morais nas esferas pública e privada, mas em tratamento e estrutura distintas.

Em MACBETH, no caos da guerra, o mundo é um campo de batalha. Mas Shakespeare pergunta de onde vem o mal? Em que canto do ser humano se encontra o germe de uma ambição tão desenfreada que nos leva a matar? E como lidar com a consciência quando o sangue derramado exige cada vez mais sangue, e aos assassinos não é mais permitido um momento de sono, um instante de quietude ou repouso? Com o crime e a culpa, morre também o amor?

Posições radicais não são posições humanas. Uma posição fundamentalista é antagônica à própria vida, ela não leva em consideração todas as contradições humanas.” (Ron Daniels)

SINOPSE

Macbeth, um general corajoso, ao voltar triunfante da guerra, encontra três criaturas misteriosas, videntes que lhe fazem a seguinte profecia: Macbeth será rei, em um futuro próximo. A ambiciosa Lady Macbeth, esposa de Macbeth, ao ficar sabendo da profecia, instiga seu marido a matar Duncan, o atual rei.Quando o crime é descoberto, os filhos de Duncan, Malcolm e Donalbain, sentindo-se ameaçados, resolvem fugir e Macbeth é coroado.

image001

Macbeth
Com Thiago Lacerda, Marco Antônio Pâmio, Luisa Thiré, Ana Kutner, André Hendges, Fábio Takeo,  Felipe Martins, Lourival Prudêncio, Lui  Vizotto, Marcos Suchara, Rafael Losso, Stella de Paula e  Sylvio Zilber
Teatro Sérgio Cardoso (Rua Rui Barbosa,153 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 100 minutos
16 a 31/07
Sábado e Domingo – 20h
$60 ($30 – moradores do bairro do Bixiga mediante apresentação de comprovante de residência)
Classificação 14 anos
Sessões acessíveis de Macbeth, dia 30 de julho (audiodescrição para pessoas com deficiência visual e tradução em libras para pessoas com deficiência auditiva)
Pacote de compra para os três espetáculos (MACBETH ou MEDIDA POR MEDIDA e TRÓILO E CRÉSSIDA): R$ 108,00 (32,5% de desconto)
Pacote de compra para MACBETH e MEDIDA POR MEDIDA: R$ 90,00 (25% de desconto)
Pacote de compra para MACBETH ou MEDIDA POR MEDIDA e TRÓILO E CRÉSSIDA:            R$ 75,00 (25% de desconto)
Telefone: (11) 3288-0136
Texto: William Shakespeare
Tradução: Marcos Daud e Ron Daniels
Concepção e Direção: Ron Daniels
Curadoria Artística: Ruy Cortez
Instalação cênica | Painéis: Alexandre Orion
Instalação cênica | Cenografia: André Cortez
Figurinos: Bia Salgado
Desenho de Luz: Fábio Retti
Composição e trilha original: Gregory Slivar
Diretor assistente: Gustavo Wabner
Preparação corporal e direção de movimento: Sueli Guerra
Coordenador de ação: Dirceu Souza
Visagismo: Westerley Dornellas
Preparação vocal: Lui Vizotto
Preparação de luta: Rafael Losso
Cenotécnica: Fernando Brettas | Onozone Studio
Figurinistas assistentes: Alice Salgado e Paulo Barbosa
Indumentária e adereços: Alex Grilli e Ivete Dibo
Costureiras: Francisca Lima Gomes e Marenice Candido de Alcantara
Projeto de sonorização: Kako Guirado
Operador de som: Renato Garcia
Operadora de luz: Kuka Batista
Diretor de palco: Claudio Cabral
Contrarregra: Diro Faria
Camareira: Regina Sacramento
Edição de texto: Valmir Santos
Foto de cena: João Caldas
Foto do processo Still: Adriano Fagundes
Design Gráfico: 6D
Assessoria de Imprensa / SP: Adriana Monteiro (Ofício das Letras)
Relações institucionais: Guilherme Marques e Rafael Steinhauser
Administração: Flandia Mattar
Assistente administrativa: Mara Lincoln
Produção Executiva: Claudia Burbulhan
Direção de Produção: Érica Teodoro
Produção: CIT-Ecum, Pentâmetro e TRL
Realização: Sesc,CIT-Ecum, Pentâmetro e TRL

PROBLEMA MEU

O Theatro NET São Paulo, na Vila Olímpia, recebe o show Problema Meu, de Clarice Falcão, nos dias 9 e 10 de julho, sábado (21h30) e domingo (21h).

image011A cantora, compositora, escritora, atriz e roteirista pernambucana Clarice Falcão está atualmente em turnê com o show do disco Problema Meu, lançado em fevereiro deste ano. Ela já passou por sua terra natal, Recife, e pelas cidades de Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Natal e João Pessoa, tendo ainda datas marcadas em Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte.

Produzido por Kassin, o álbum tem 14 faixas, onze delas autorais. Algumas das canções que estão no repertório de Clarice são Banho de Piscina, assinada por João Falcão, pai da cantora; A Volta do Mecenas, do jovem compositor Matheus Torreão; e uma versão balada do hit electropop L’Amour Toujours (I’ll Fly With You), de 2000, sucesso do DJ italiano Gigi d’Agostino.

Além destas, no palco Clarice apresenta novas canções como o single Irônico, Eu Escolhi Você, Como É Que Eu Vou Dizer Que Acabou? e Eu Sou Problema Meu, que inspira o título da obra, deixando também espaço para músicas de seu primeiro álbum, Monomania (2013).

A banda é formada por baixo, bateria, guitarra e teclados/programação. A direção artística da turnê, supervisionada pelo jornalista e produtor musical Marcus Preto – que já dirigiu os mais recentes trabalhos de nomes como Gal Costa e Tom Zé – é realizada por um coletivo de mulheres formado pela designer Julia Liberati, pela figurinista Elisa Faulhaber, pela empresária Michelly Mury e pela própria Clarice Falcão.

Problema Meu
Com Clarice Falcão
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)
Duração 90 minutos
09 e 10/07
Sábado – 21h30; Domingo – 21h
$80/$120
Classificação 12 anos

 

TÉRMINO DO AMOR

Término do Amor é uma peça sobre o fim de um relacionamento, tema bastante abordado e profundamente retratado em diversas obras. Neste espetáculo, o diferencial é a forma como o tema é apresentado.

O autor Pascal Rambert propõe um embate ideológico, um combate verborrágico entre o casal que está se separando. Ou seja, Término do Amor instaura um clima de batalha entre os personagens. O texto foi escrito para os atores franceses Audrey Bonnet e Stanislas Nordey e Pascal optou por colocar os nomes dos atores da primeira montagem nos personagens.

Nesta versão, adaptada (com colaboração de Clara Carvalho) e dirigida por Janaína Suaudeau, os atores são Carolina Fabri e Gabriel Miziara e, portanto, aqui os personagens se chamam Carol e Gabi, com o aval do autor. Primeira direção de atriz franco-brasileira Janaína Suaudeau conta com intermediação musical dramatúrgica(Drumaturgy) de Vinicius Calderoni.

O que mais me tocou quando eu li Clôture de l’amour pela primeira vez foi a poesia do Pascal Rambert. Neste texto, ele descreve o final de um relacionamento como ninguém, sob dois pontos de vista, sob uma verdadeira dialética. E ele o faz de forma inusitada, em versos livres e muito ritmados, como uma partitura de música”, comenta a diretora e idealizadora do projeto Janaína Saudeau, que teve a ideia de incluir uma bateria na encenação.

Sinopse
Término do amor
, como o título indica é o fim de uma relação amorosa. No caso, de Gabi & Carol / Carol & Gabi. Um embate verborrágico e físico; ele começa, eu queria te ver pra te dizer que acabou, ela escuta. Segundo round começa, ela responde, você acabou?, agora é a vez dele escutar. Pascal Rambert propõe um canto à separação, onde as palavras batem, repercutem e muitas vezes morrem.

A encenação
O cenário assinado por Ulisses Cohn traz três praticáveis, como se fossem três passarelas e cada uma delas é habitada por um ator. Desta forma, Carol fica de frente para a plataforma do Gabi e ao fundo, no terceiro praticável está uma bateria tocada pelo músico Pedro Gongom – que acompanha e os impulsiona os personagens tempo todo, como num repente. “O maior desafio para a encenação foi trabalhar o ritmo da fala e da escuta durante esses dois rounds tão distintos” completa a encenadora.

TÉRMINO DO AMOR 2 - DNG

© Joao Caldas Fº

Término do Amor
Com Carolina Fabril, Gabriel Miziara e Pedro Gongom (bateria)
Viga Espaço Cênico – Sala Viga (Rua Capote Valente, 1323 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 90 minutos
12/07 até 25/08
Terça, Quarta e Quinta – 21h
$20
Classificação 12 anos
 
Idealização do projeto: Janaína Suaudeau.
Texto: Pascal Rambert.
Tradução: Janaína Suaudeau com colaboração de Clara Carvalho e revisão de Eloïse Morhange.
Direção: Janaína Suaudeau.
Provocadora: Malú Bazan.
Drumaturgy (interação musical dramatúrgica): Vinícius Calderoni.
Orientação vocal interpretativa: Lucia Gayotto.
Estudo do movimento: Joana Mattei.
Cenografia: Ulisses Cohn.
Iluminação: Aline Santini.
Figurinos: Isabela Teles.
Fotografias – Carla Trevizani e João Caldas.
Design gráfico: Bruno Gonçalves.
Produção executiva – Larissa Barbosa.
Direção de produção: André Canto.
Co-Produção: Janaína Suaudeau.
Produção: Canto Produções.
Assessoria de Imprensa: Pombo Correio