OCUPAÇÃO RIO DIVERSIDADE (Rio de Janeiro)

A Ocupação Rio Diversidade tem como carro-chefe a apresentação de 4 monólogos inéditos sobre diversidade sexual e de gênero. As peças teatrais acontecem de 20 a 30 de julho, no Castelinho do Flamengo, com entrada FRANCA.

Idealizado pela dramaturga Márcia Zanelatto, a programação contará também com um espaço lounge onde a drag queen Magenta Dawning receberá os  convidados  e, aos sábados, 16h, debates com intelectuais renomados como a filósofa Carla Rodrigues.

O objetivo é unir arte e debate social, promovendo o encontro dos artistas com o seu público e com as cabeças pensantes da cidade, contribuindo com o fim do preconceito quanto aos gêneros.

Circulando pelos ambientes do Castelo, os espectadores verão as diferentes encenações. Os quatro monólogos, escritos especialmente para a Ocupação, são assinados por Jô Bilac, Marcia Zanelatto, Daniela Pereira de Carvalho e Joaquim Vicente, e têm direção de Ivan Sugahara, Guilherme Leme Garcia, Renato Carrera e Cesar Augusto, respectivamente. Em cena estarão Gabriela Carneiro da Cunha, Larissa Bracher, Kelzy Ecard e Thadeu Mattos.

Solos inéditos:

image001

Como Deixar de Ser
Mulher de meia idade está presa dentro do “armário-sala”, herança da mãe. Durante 20 minutos de exasperação, ela divide com a plateia pensamentos e desejos reprimidos pela sociedade ainda nos dias de hoje
Com Kelzy Ecard
Texto: Daniela Pereira de Carvalho
Direção: Renato Carrera
 
image002
 
Flor Carnívora
Em uma realidade em que a plantação de soja procura dar um golpe monocultural, as demais plantas, em defesa da pluralidade, ocupam o Castelinho do Flamengo. Em plenária, a flor carnívora afirma o hermafroditismo das plantas, sua indefinição de gênero, sua intersexualidade, e protesta contra a colonização organizadora do homem, que procura catalogar e normatizar o que a natureza criou diverso.
Com Gabriela Carneiro da Cunha
Texto: Jô Bilac
Direção: Ivan Sugahara
 
image003
A Noite em Claro
A peça retrata o impacto do assassinato de Luiz Antonio Martinez Correa.
Com Thadeu Matos
Texto: Joaquim Vicente
Direção: Cesar Augusto
image004
 
Genderless / Um Corpo Fora da Lei
Na Austrália, Norrie May-Welby se tornou a primeira pessoa do mundo a ser reconhecida como “sem gênero específico”. A partir do fato, a peça reflete poeticamente sobre os gêneros masculino e feminino e os conflitos entre as identidades sexuais e as estruturas sociais.
Texto: Marcia Zanelatto
Direção: Guilherme Leme Garcia
Atuação: Larissa Bracher
 
 
Ocupação Rio Diversidade
Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho – Castelinho do Flamengo (Praia do Flamengo, 158 – Flamengo, Rio de Janeiro/RJ)
20 a 30/07
Classificação 18 anos
Ingressos: Entrada franca com distribuição de senhas uma hora antes
 
Programação:
Peças Teatrais – De quarta a sábado, das 19h às 20h30
Lounge Foco Trans – sextas e sábados, a partir das 20h30
Encontros Cultura Queer, Sexo e Gênero em debate – sábados às 16h
(crédito fotos – Elisa Mendes)

 

 

PRÊMIO REVERÊNCIA 2016 (MATÉRIA)

A cerimônia do Prêmio Reverência 2016 aconteceu na noite de ontem, terça feira, 19 de julho, no Teatro Alfa. O Prêmio é uma criação da produtora Antonia Prado em parceria com Rodrigo Rivellino, da Aktuell Mix, e é dedicado para reconhecer e reverenciar o Teatro Musical e seus profissionais

O evento começou com um certo atraso, mas serviu para que todos os convidados pudessem se reencontrar e colocar a conversa em dia. O Teatro Alfa estava lotado.

Na abertura, Tiago Abravanel cantou uma canção, com a música de “Be Our Guest” (A Bela e a Fera). A canção falava sobre a cerimônia e o trabalho em musicais. Contou com a participação de Simone Gutierrez (“Hairspray”), Fred Silveira (“Avenida Q”) e Kiara Sasso (“A Noviça Rebelde”); além de Bruna Guerin (“Mary Poppins”), falando sobre o trabalho que os atores têm para estudar e fazer audição, mas os musicais não acontecem.

Ao término do número, começou a premiação, tendo os atores Totia Meireles e Daniel Boaventura, como mestres de cerimônia.

A noite consagrou os espetáculos “Kiss Me, Kate – O Beijo da Megera” e “Urinal, o Musical“.

Kiss Me, Kate – O Beijo da Megera” ganhou nas categorias de ator (José Mayer), atriz coadjuvante (Fabi Bang), figurino (Carol Lobato), Coreografia (Alonso Barros), Design de Som (Marcelo Claret) e Categoria Especial (Claudio Botelho, pelas versões das canções)

“Urinal, o Musical” foi o vencedor de melhor espetáculo, direção (Zé Henrique de Paula), ator coadjuvante (Fabio Redkowicz), cenografia (Zé Henrique de Paula) e direção musical (Fernanda Maia).

Entre as entregas dos prêmios, foram apresentados quatro números dos cinco musicais que concorriam a categoria “Melhor Musical” (infelizmente, não foi apresentado o número de “Mudança de Hábito“).

Próximo ao final do evento, foi feita uma homenagem a uma das grandes damas do Teatro Brasileiro, Marília Pêra. Primeiro passou um vídeo com depoimentos de Nelson Motta (ex-marido de Marília) e diretores com quem ela trabalhou, como Aderbal Freire FilhoCharles Möeller e Claudio BotelhoJorge Takla e Miguel Falabella.

Depois, ao som do piano, foram apresentados trechos de cinco musicais que Marília Pêra fez – “Como Vencer na Vida Sem Fazer Força” (1964), com Letícia Colin; “Roda Viva” (1968), com Laila Garin; “Pippin” (1974), com Totia Meireles; “Vitor ou Vitória” (2001), com Daniel Boaventura, que foi par dela no musical.

A última a se apresentar foi Sandra Pêra, irmã de Marília, que cantou “Hello, Dolly“, uma das músicas do último musical que ela trabalhou (2013).

Para receber o Prêmio Reverência em homenagem à mãe, vieram ao palco as duas filhas de Marília – Nina e Esperança.

A meia noite e meia, a cerimônia terminou com um número com alguns dos musicais que, com certeza, estarão indicados para a terceira edição do Prêmio Reverência. No mesmo palco, Júlio Mancini (“Os Dez Mandamentos, o Musical”), Bianca Tadini (“Cinderella, o Musical”), Daniela Blois (“Gabriela, um Musical”), Alírio Netto e Lívia Dabarian (“We Will Rock You”) e Ruy Brissac (“O Musical Mamonas”)

(Como os melhores momentos do Prêmio Reverência serão apresentados no dia 03 de agosto, no canal Bis (Globosat), só podemos mostrar trechos de 30 segundos de cada número musical.)

(Outras fotos e trechos de vídeos também podem ser vistos na nossa página do Facebook e no nosso instagram).

Lista dos Vencedores do Prêmio Reverência 2016

ESPETÁCULO
‘Urinal, O Musical’

ESPETÁCULO VOTO POPULAR
‘Mudança de Hábito’

DIREÇÃO
Zé Henrique de Paula (‘Urinal, O Musical’)

AUTOR (Texto Original ou Adaptação)
João Falcão (‘Gonzagão – A Lenda’)

ATOR
José Mayer (‘Kiss me, Kate – O Beijo da Megera’)

ATRIZ
Laila Garin (‘O Beijo no Asfalto -O Musical’)

ATOR COADJUVANTE
Fábio Redkowicz (‘Urinal, O Musical’)

ATRIZ COADJUVANTE
Fabi Bang (‘Kiss me, Kate – O Beijo da Megera’)

CATEGORIA ESPECIAL
Claudio Botelho pelas versões de ‘Kiss me, Kate – O Beijo da Megera’

CENOGRAFIA
Zé Henrique de Paula (‘Urinal, O Musical’)

FIGURINO

Carol Lobato (‘Kiss me, Kate – O Beijo da Megera’)

ILUMINAÇÃO

Paulo Cesar Medeiros (‘Nine – Um Musical Felliniano’)

COREOGRAFIA
Alonso Barros (‘Kiss me, Kate – O Beijo da Megera’)

DIREÇÃO MUSICAL
Fernanda Maia (‘Urinal, O Musical’)

DESIGN DE SOM
Marcelo Claret (‘Kiss me, Kate – O Beijo da Megera’)