MY FAIR LADY

Considerado um dos maiores musicais de todos os tempos, My Fair Lady ganha em agosto nova montagem assinada pelo diretor Jorge Takla. Com grande elenco e orquestra ao vivo, o espetáculo – baseado no clássico Pigmaleão, de George Bernard Shaw – se vale de cenários e figurinos luxuosos para narrar a história de um professor aristocrata, Mr Henry Higgins, que aceita o desafio de transformar Eliza Doolittle, uma vendedora de rua, sem qualquer refinamento, em uma dama da alta sociedade.

05072016-143729O principal personagem masculino estará a cargo de Paulo Szot, o consagrado ator e barítono que em 2008 ganhou o Tony (o Oscar do teatro americano) de melhor ator por sua performance no musical South Pacific, na Broadway, em Nova Iorque, tornando-se o primeiro brasileiro a receber este e outros três prêmios nos Estados Unidos – o Drama Desk, o Outer Critic’s Circle e o Theater World Awards. Dono de uma bem-sucedida carreira internacional no mundo da ópera, iniciada em 1997 em O Barbeiro de Sevilha, no Teatro Municipal de São Paulo, será a primeira vez que ele participará de um musical no Brasil. “Era um desejo antigo me apresentar aqui depois de tantos anos, ainda mais fazendo um musical na companhia de um dos maiores diretores do país, sinônimo de bom gosto e de belíssimos espetáculos. Eu e Takla temos uma grande parceria desde que ele me dirigiu em La Boheme, em 1998, e isso foi decisivo para ter aceitado esse convite. Eu não poderia me sentir mais feliz”, exalta o ator.

13712500_1713471535569591_1295356165_n Eliza Doolittle será interpretada por Daniele Nastri, escolhida através de audição entre cerca de 600 candidatas. A jovem soprano natural de Goiania é  graduada em Canto pela Universidade Federal de Goiás e mestre em Performance na Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance, em LondresDaniele integrou o  Coro da Orquestra Sinfônica de Goiânia entre 2008 e 2011 e chegou a se apresentar, no ano passado, no Blackheath Halls, na capital inglesa, interpretando a rainha das fadas Tytania, da ópera Sonho de uma noite de Verão, de Benjamin Britten. “Estar nesse espetáculo ao lado do Paulo, do Jorge Takla e de todos esses profissionais é uma situação quase surreal, como se eu estivesse em um sonho. Tenho todos eles como referência e inspiração, por isso estar nessa equipe só faz com que eu queira me dedicar e aprender ainda mais”, comemora.

Sandro Christopher (Alfred Doolittle), Eduardo Amir (Cel. Pickering), Frederico Silveira (Freddy Eynsford- Hill), Eliete Cigaarini (Sra. Higgins) e Daniela Cury (Sra. Pearce) também fazem parte do elenco, que contará com 30 atores no total, além de 14 músicos.

A música original de Frederick Loewe embala o libreto e as letras de Alan Jay Lerner, que receberam versão em português de Cláudio Botelho.  Responsável pela direção musical do espetáculo, o compositor e maestro Luis Gustavo Petri colecionou prêmios em universos tão diversos quanto o sinfônico, o operístico e os grandes musicais – dentre os que ele dirigiu estão West Side StoryCabaretMy Fair LadyVictor ou Victoria, Evita, O Rei e Eu e Jesus Cristo Superstar. Convidada por Jorge Takla e Stephanie Mayorkis para integrar a produção, a diretora associada e coreógrafa Tânia Nardini possui longa experiência com musicais no Brasil e no exterior, e em seu currículo constam títulos como ChicagoRentO Fantasma da ÓperaEvita e O Rei e Eu, entre muitos outros. À equipe soma-se também o premiado figurinista Fábio Namatame, cuja trajetória contabiliza mais de cem trabalhos em peças, musicais, óperas e filmes, e o cenógrafo argentino Nicolás Boni, que iniciou carreira na ópera.

A história de Pigmaleão foi levada às telas de cinema originalmente em 1938 e chegou à Broadway em 1956 com enorme aclamação de público e crítica, já batizada como My Fair Lady. A produção contava com Julie Andrews e Rex Harrison nos papeis principais e foi premiada com seis Tony e um Theater World Award. Oito anos depois, Harrison retornava ao papel na versão cinematográfica de George Cukor, desta vez ao lado de Audrey Hepburn, para repetir o grande sucesso do musical. Ao todo, o filme recebeu oito Oscar, três Globo de Ouro e o Bafta de Melhor Filme.

A nova montagem acontece num momento oportuno, quando a sociedade busca discutir de forma mais ampla temas e questões infelizmente ainda muito atuais, como discriminação, preconceito e barreiras sociais, além de apontar a cultura e a educação como meios possíveis de superação”, resume Stephanie Mayorkis. 

No Brasil, a primeira encenação de My Fair Lady, intitulada Minha Querida Lady, foi realizada em 1962 pelo produtor Victor Berbara. Além de Bibi Ferreira e Paulo Autran nos papéis principais, a montagem contava ainda com uma jovem Marília Pêra, em início de carreira. O espetáculo fez grande sucesso e ficou três anos em cartaz, no Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Em sua segunda montagem (a primeira foi há nove anos), Jorge Takla optou por realizar um espetáculo inteiramente novo. “Trabalhar numa nova montagem deste clássico, encenado nos maiores teatros do mundo de dez em dez anos, é um desafio imenso, delicioso e renovador. Eu mudei, cenários, figurinos e elenco também mudaram, mas a música e a história permanecem, cada vez mais adoráveis e contundentes”, resume Takla.

my-fair-lady-1962-e-2007

Bibi Ferreira e Paulo Autran / Amanda Acosta e Daniel Boaventura

 A montagem – resultado da parceria entre a Takla ProduçõesEGG Entretenimento (da empresária e produtora Stephanie Mayorkis) e IMM Esporte e Entretenimento – é apresentada pelo Ministério da CulturaMercado Livre e Mercado Pago e ocupará o novo Teatro Santander entre 27 de agosto e 6 de novembro de 2016, com patrocínio da Renner e Zurich Santander Seguros.

My Fair Lady
Com Paulo Szot, Daniele Nastri, Sandro Christopher, Eduardo Amir, Frederico Silveira, Eliete Cigaarini, Daniela Cury, Ana Luiza Ferreira, Ana Paula Villar, Carol Costa, Claire Nativel, Debora Dib, Gisele Jesus, Janaina Bianchi, Luana Zenun, Maria Isabel Nobre, Talitha Pereira, Cadu Batanero, Cayo Caesar, Daniel Cabral, Diego Luri, Elton Towersey, Felipe Tavolaro, Fernando Cursino, Paulo Grossi, Marcio Louzada, Rafael Villar, Leo Diniz, Mariana Barros, Thiago Jansen
Teatro Santander – Complexo do Shopping JK (Av. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 150 minutos
27/08 até 06/11
Quinta – 21h; Sexta – 21h; Sábado – 17h e 21h; Domingo – 16h e 20h
$50/$260
Classificação livre
 
Baseado no clássico Pigmaleão, de George Bernard Shaw 
Músicas: Frederick Loewe 
Texto e Letras:  Alan Jay Lerner
Versão Brasileira: Cláudio Botelho
Direção Geral: Jorge Takla
Direção associada e Coreografia: Tânia Nardini
Direção Musical: Luis Gustavo Petri 
Cenário: Nicolás Boni
Figurino: Fábio Namatame
Design de Luz: Ney Bonfante
Design de Som: Tocko Mickelazzo
Visagismo: Duda Molinos 
Perucas: Feliciano San Roman
Direção Geral de Produção: Stephanie Mayorkis 
Assessoria de Imprensa: Canivello Comunicação
Uma produção Takla Produções, EGG Entretenimento e IMM Esporte e Entretenimento 
Apresentação: Ministério da Cultura, Mercado Livre e Mercado Pago 
Patrocínio: Renner e Zurich Santander Seguros
Apoio: Estácio e Colgate

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s