MANTENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ

Sucesso de público e crítica o espetáculo Mantenha Fora do Alcance do Bebê volta aos palcos da capital paulista. A montagem, com elenco formado por Débora Falabella, Anapaula Csernik, Jorge Emil e Diego Dac, está em cartaz no Teatro Porto Seguro.

A peça, uma das três premiadas na 1ª Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulotem texto assinado por Silvia Gomez, dramaturga formada no CPT – Centro de Pesquisas Teatrais, de Antunes Filho e direção de Eric Lenate.

Mantenha Fora do Alcance do Bebê mostra a entrevista de uma mulher (Débora Falabella) com uma assistente social (Anapaula Csernik), parte integrante do processo de adoção de um bebê. Porém, durante a conversa, as coisas fogem de controle e, como medida emergencial, Rubens (Jorge Emil), o marido da entrevistada, segue para o local. Fora dali, uma superpopulação de lobos toma ruas, calçadas e linhas de metrô. Já dentro da sala, um lobo selvagem acompanha em silêncio o desenrolar dessa conversa.

Valorização da dramaturgia e dos atores

Eric Lenate diz que, com a direção de Mantenha Fora do Alcance do Bebê, ele retoma um caminho em sua carreira e foca seu trabalho na valorização da dramaturgia e também no trabalho do ator.

O texto de Silvia é extremamente vigoroso e me dá diversos caminhos para criar uma encenação que flerta com o surrealismo. Foquei minha encenação muito na palavra e as cenas têm uma gestualidade e movimentos diretos e objetivos, deixando os atores livres também para se acharem no palco. O trabalho prévio de leitura do texto e a qualidade dos atores me rendeu algo inédito: em cinco ensaios, estávamos com a peça levantada já”, explica Lenate.

O cenário, também assinado por Lenate, possui poucos elementos, que sugerem ao público que aquele espaço é uma repartição pública. Porém, como o cenário é equipado com rodas, os atores criam outras imagens na cabeça da plateia.

Desde a época do CPT

Essa não é a primeira vez que Lenate e Silvia trabalham juntos. Os dois se conhecem desde a época do CPT e Eric Lenate assinou a direção de outro texto da autora, O Céu cinco minutos antes da tempestade.

Eu sabia da existência dessa peça há algum tempo. Algumas pessoas tinham comentado comigo sobre ela e sempre que pedi para a Silvia mostrar, ela dizia que ainda não era hora. Ano passado, nos encontramos e comentei de novo sobre o meu desejo de ler o material, foi então que ela me enviou e me apaixonei pelo o que li. Coincidentemente, foi na mesma época em que soube do edital do Centro Cultural São Paulo. Conversei com a Silvia e ela inscreveu o projeto que ganhou não por conta da ficha técnica da montagem e, sim, única e exclusivamente, por causa da qualidade e da maneira como a Silvia escreve”, conta o diretor.

Para Silvia Gomez, o longo processo para montar esse texto tem a ver também com a maneira como ela encara dramaturgia. “O dramaturgo tem obrigação de olhar o mundo a sua volta e analisá-lo. Para isso, ele precisa remexer o seu próprio lodo e isso, nem sempre, é algo simples”, explica.

Mantenha Fora_94765 - crédito Leekyung Kim

Mantenha Fora do Alcance do Bebê
Com Débora Falabella, Anapaula Csernik, Jorge Emil e Diego Dac
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 80 minutos
10/08 até 15/09
Quarta e Quinta – 21h
$40/$60
Classificação: 14 anos.
 
Texto – Silvia Gomez.
Direção, Cenografia e Adereços – Eric Lenate.
Assistência de Direção – Janaína Afhonso.  
Assistência de Cenografia–Saulo Santos.
Figurinos e Adereços – Rosângela Ribeiro.
Iluminação e Adereços – Alini Santini. 
Mascareiro – Fábio Pinheiro.
Direção de Palco–Diego Dac e Saulo Santos.
Trilha Sonora, Sonoplastia e Engenharia de Som – L.P. Daniel.
Projeto Gráfico – Laerte Késsimos.
Fotos de Cena e Vídeos – Leekyung Kim.
Direção de Produção – Ricardo Grasson.
Assistente de Produção – Ana Araripe.
Produção – Gelatina Cultural Produções Artísticas.
Idealização – Sociedade Líquida.
Ilustração – Adriana Komura
Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta

 

BRIMAS

O Teatro J. Safra, que prioriza a excelência em sua programação, o ineditismo em shows e peças e muita diversidade artística, se prepara para receber a temporada da premiada peça Brimas.

A comédia, que foi sucesso de público no Rio de Janeiro e indicada ao Premio Shell de ‘Melhor Texto do Ano’ em 2015, estréia pela primeira vez em São Paulo no dia 26 de agosto, e fica em cartaz durante três finais de semana – até o dia 11 de setembro – com apresentações às sextas-feiras, sábados e domingos.

Dirigida por Luiz Antônio Rocha, diretor de elenco da novela global “Velho Chico”, Brimas conta a história real de Ester e Marion, duas amigas que saíram jovens de seus países de origem – Egito e Líbano, respectivamente – e foram acolhidas no Brasil no início do século passado, onde entrelaçaram suas vidas.

Apesar das histórias revividas pelas personagens – que são avós das atrizes e autoras Beth Zalcman e Simone Kalil, que as vivem no palco – se passarem em outra época, tratam de um tema atual, pois ambas sofreram com a intolerância, mas sempre com afeto, humor, risos, emoções e cumplicidade.

Brimas

Brimas
Com Beth Zalcman e Simone Kalil
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 70 minutos
26/08 até 11/09
Sexta – 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 19h
$30/$70
Classificação: Livre

CACHORRO ENTERRADO VIVO

Qual a diferença entre instinto e razão? A subjetividade não é uma especificidade dos homens – há crueldade e delicadeza em várias espécies. A memória não é uma especificidade humana – a noção de perda existe em várias espécies. Um cão e um homem que dividem uma vida dividem a mesma dor. Essas são as provocações que trouxeram à tona o texto Cachorro Enterrado Vivo, da dramaturga Daniela Pereira de Carvalho, concebido para ser o primeiro trabalho solo do ator Leonardo Fernandes.

Depois de temporada de sucesso em Belo Horizonte, espetáculo está em cartaz na SP Escola de Teatro.

Com direção de Marcelo do Vale, o texto mostra três monólogos em que diferentes personagens fazem parte da mesma situação: na tarde de uma quinta-feira qualquer, o vigia de um terreno recebe de um passante a proposta para cavar a cova e enterrar seu cachorro. Preço negociado, o homem sai para buscar o animal e retorna trazendo a seu lado um cão vivo.

A estrutura do texto propõe a sobreposição e o embate entre três diferentes posicionamentos éticos diante de um evento cotidiano, penteando a contrapelo as convenções sociais. O que é animalesco? O que é humano?

image001

Cachorro Enterrado Vivo
Com Leonardo Fernandes
SP Escola de Teatro (Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação, São Paulo)
Duração 50 minutos
06/08 até 26/09
Sábado, Domingo e Segunda – 21h
$30
Classificação 12 anos
 
Texto: Daniela Pereira de Carvalho
Direção: Marcelo do Vale
Preparação Corporal: Eliatrice Gischewski
Cenário e Figurino: Cícero Miranda
Trilha Sonora Original: Márcio Monteiro
Criação de Luz: Wladimir Medeiros
Técnico de Luz: Daniel Hazan
Projeto Gráfico: Lampejo
Fotografia: Lia Soares e Suzana Latini
Cenotécnico: Ronaldo de Deu
Produção Executiva: Eliatrice Gischewski
Produção São Paulo: Marcelo Carrusca
Produção: Leonardo Fernandes
Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

 

ANTES DA FESTA – MILHARES DE ANOS DEPOIS

O universo feminino contaminado pelo machismo é abordado na tragicomédia “Antes da Festa – Milhares de Anos Depois”, de Pedro Vicente. A peça com direção de Marcos Loureiro será apresentada as quartas e quintas-feiras no Teatro Folha, de 03 de agosto a 29 de setembro.

Na peça, quatro amigas se encontram antes de uma festa. Elas experimentam roupas e sapatos enquanto falam da vida. Este encontro garante uma noite de revelações capazes de balançar as amizades, resultado de uma crise de valores causada pelo machismo impregnado em suas vidas.

Pedro Vicente começou a escrever o texto há dez anos, e se inspirou no mito de Aphrodite e seus 4 mantos: o branco, da fertilidade; o azul, da sabedoria; o vermelho, da paixão; e negro, da morte. Recentemente, motivado pela crescente atuação das mulheres nas discussões sociais, finalizou a peça buscando uma dramaturgia engraçada e crítica ao mesmo tempo. “A montagem liga o mito à atualidade”, diz Pedro.

Sobre a temática da peça o autor comenta: “Quero fazer o público rir, e ao mesmo tempo refletir sobre a questão feminina, o machismo introjetado e as consequências disso, num momento em que o movimento feminista ganha força no ambiente político e social, com reivindicações e necessidades claras”.

As personagens são mulheres que tomam posse de seu corpo e de seu desejo e não se deixam dominar, mas acabam caindo em armadilhas contra as quais se julgavam protegidas. O encontro acontece na casa de Bianca, uma obstetra obcecada pela maternidade, onde uma gata deu à luz num gaveta em seu quarto. Junto a Sofia, uma advogada que é também modelo de sexcam, Pan, uma atriz quase famosa, e Leila, uma psicóloga com problemas psiquiátricos, vivem uma trama de intriga e ódio. Mas num instante lúcido as mulheres decidem se unir para fazer valer o poder feminino.

image005

Antes da Festa – Milhares de Anos Depois
Com Ana Rita Abdalla, Jeyne Stackflett, Lívia Prestes e Luciana Caruso
Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (Av. Higienópolis, 618 – Consolação, São Paulo)
Duração 60 minutos
03/08 até 29/09
Quarta e Quinta – 21h
$30/$40
Classificação 12 anos
 
Texto: Pedro Vicente
Direção: Marcos Loureiro
Produção: Lívia Prestes, Ana Rita Abdalla