O ESPECTADOR CONDENADO À MORTE (OPINIÃO)

O título é sugestivo – “O Espectador Condenado à Morte“. Neste caso, você (espectador) poderá ser condenado a morrer. Será que são todos os espectadores que forem a plateia ou um específico? Fui conferir.

Após estar com o ingresso na mão, todos ficam esperando no saguão do teatro. E quando pensava sobre a peça, muita coisa vinha à cabeça – como será esse julgamento; como será escolhido o espectador que será condenado; qual crime ele cometeu,..

Abre a porta da sala e começa o processo da fila. A pessoa que pega nossos ingressos é meio suspeita (será que é funcionário do teatro ou é um ator? Afinal, as roupas dele não são muito condizentes com a de alguém que trabalha em um teatro).

Quando entramos na sala, percebemos que estamos em um tribunal, numa sala de julgamento. Atores já estão a postos. O único que dá para saber quem é, é o juiz, por causa de suas roupas.

Você escolhe o seu lugar e percebe que todas as cadeiras são numeradas (mas não numa sequência, como em qualquer teatro, mas com números aleatórios – 3, 145, 27, 209, 13,….). Por causa do meu tamanho, fui sentar na primeira fileira, para poder esticar as pernas. A sorte estava lançada.

Deu-se o terceiro sinal, apagaram-se as luzes. Começa a peça.

iluminadosQuem está no palco é o juiz, o escrivão e o advogado de acusação. Este, pede ao juiz, a pena de morte ao acusado. Parece que é algo grave, pela eloquência e tamanho da fúria dos três. Até que o advogado de acusação estende a mão pra mostrar quem é o culpado. EU! (Ferrou!)

Começa o discurso, ele olhando direto nos meus olhos (eu mantenho o olhar). Acusa-me de um crime que eu “cometi” (Mas qual? Ele não menciona) A plateia começa a virar para me olhar. Minha reação? Rir muito.

Rio principalmente pelas provas forjadas que são apresentadas. O cara que pegou os ingressos, é uma testemunha. Diz que me reconheceu pelas minhas mãos. Aparece uma funcionária da chapelaria (que chapelaria, não vi nenhuma no hall do teatro, como posso ter sido tão desligado assim). Ela apresenta mais provas, mas são inverdades. Rio mais.

Até que me é designado um advogado de defesa (antes tivesse eu me defendido só). Percebe que há um conchavo entre todos os funcionários do tribunal para me incriminarem (nessa hora não sei se estou mais em um teatro ou num julgamento). Quando eu poderei falar???

Intervalo de 10 minutos

Durante o intervalo, é servido um café ou uma limonada. As pessoas ficam me olhando. Eu rio. Vou até o meio da sala ver os itens que eles “apreenderam em minha residência”. Tem um urso de pelúcia, uns livros, uns brinquedos, peças de roupa infantil, alguns discos (LPs). Graças a Deus, nada do que tive de verdade, senão iria começar a duvidar da minha própria inocência.

13731749_1642070682786464_3875294083571237542_n

Volta para o julgamento. E aparecem mais testemunhas. Testemunhas estas que são manipuladas, são compradas, que tem seus testemunhos dirigidos.

Ou seja, nesta hora, o riso some do meu rosto. Porque você começa a pensar que não é tão diferente da nossa realidade, onde muitas “verdades” são fabricadas; pessoas são corrompidas; sentenças são compradas. Termina a ficção e chega na realidade.

Até que termina a peça. (Não se preocupe, não estragarei as surpresas que o espetáculo ainda guarda. E o que falei até agora, é algo que se observa na própria página do facebook do espetáculo).

O Espectador Condenado à Morte” é uma peça do dramaturgo romeno, Matéi Visniec. Ele é conhecido como “o novo Ionesco”, com suas peças encenadas em mais de vinte países. O tom de sua obra é marcada pela linguagem do absurdo e do surreal, usada para desviar da realidade na qual ele viveu na Romênia sob a ditadura de Nicolae Ceausescu.

É uma peça que foi escrita na Romênia, mas que poderia ter sido escrita em muitos outros países. Infelizmente, o Brasil é um deles.

Recomendamos o espetáculo para além de você conhecer o texto de Visniec e o trabalho da Companhia Teatro da Dispersão (a montagem está muito boa), também repensar sobre a nossa realidade e o que queremos para o nosso país neste momento de incertezas e mudanças. A peça merece ser vista!

P. S. Antes de sair de casa, ao me despedir, minha mãe falou “Tenho certeza que você será julgado“. E não é que ela estava certa!

(Ah, e faça reserva na página do grupo, liga para o teatro, o que for… são apenas 40 possíveis condenados por sessão)

13508823_1627578580902341_7484675564712021167_n

Raphael Nespule, Patrícia Vieira Costa, Caio Balthazar, Guilherme Iervolino, Rony Álvares, André Camargo, Drica Czech, Vanessa Rodrigues e Cadu Batanero (que não faz mais parte do elenco)

“O Espectador Condenado à Morte”
Com André Camargo, Caio Balthazar, Drica Czech, Guilherme Iervolino, Patrícia Vieira Costa, Raphael Nespule, Rony Álvares, Vanessa Rodrigues.
Pequeno Ato (Rua Dr. Teodoro Baima, 78 – Vila Buarque, São Paulo)
Duração 75 minutos
01/10 até 06/11
Sábado – 21h; Domingo – 20h
$40
Classificação 14 anos
Texto de Matéi Visniec
Produção: Companhia Teatro da Dispersão
Direção: Thiago Ledier
Cenografia e Iluminação: César Bento
Figurinos: Guilherme Iervolino
Sonoplastia: Marcus Couto
Tradução: Fábio Fonseca de Melo
Fotos: Patricia Mattos
Design: Lucas Lage
Produção executiva: André Camargo, Caio Balthazar, Drica Czech, Guilherme Iervolino, Rony Álvares

MIGUEL FALABELLA NO WICKED

Miguel Falabella fez uma participação especial no musical “Wicked“, interpretando o Mágico De Oz. Veja abaixo a matéria que o Vídeo Show fez dos bastidores.

E não perca, 08 e 09 de outubro, o ator Gabriel Leone interpretará Fiyero.

Wicked – A História Não Contada das Bruxas de Oz
Com Myra Ruiz, Fabi Bang, Sérgio Rufino, Adriana Quadros, Jonatas Faro, Giovanna Moreira, Bruno Fraga, César Mello, Talita Real , Hellen de Castro, Júlia Duarte, Roberta Jafet, Sara Marques, Vânia Canto, Carolina Franco, Jess Gardolin, Laura Ávila, Sâmella Nathielle, Andrezza Meddeiros, Fernanda Muniz, Thuany Parente, Diego Montez, Jessé Scarpellini, Léo Wagner, Matheus Paiva, Rodrigo Negrini, Fábio Lima, Gabriel Malo, Kauê Ribeiro, Lucas Nunes, Guilherme Pereira, Cauan Vieira, Sandro Conte
Teatro Renault (Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411 – Bela Vista, São Paulo)
04/03 até 18/12
Duração 150 minutos
Quinta e Sexta – 21h; Sábado – 16h e 21h; Domingo – 15h e 20h
$50 / $280

A PEQUENA SEREIA – O MUSICAL

A Pequena Sereia – O Musical” – Dramaturgia assinada pelo paulistano Rafael de Castro e inspirada livremente no conto de Hans Christian Andersen,  tem direção geral de Mário Goes e conta com 10 canções exclusivas executadas por músicos ao vivo que vão de piano à violão cello, permeando por outros instrumentos de sopro e cordas que ilustram e dão ainda mais brilho a essa aventura.
Sinopse
Uma linda Sereia que vive no fundo do mar se apaixona por Dérick, o príncipe do mundo dos humanos, a partir disto uma grande aventura se inicia. Um caminho de tempestades, magia e bruxarias fazem com que nossa Pequena Sereia vá em busca do verdadeiro amor, contando com a ajuda de seu melhor amigo peixinho Coral e o governante do Palácio Real, O Conselheiro, nossa Sereia desbrava os sete mares em busca de seu amor verdadeiro. Será que uma Sereia pode viver fora da água? E nossa Pequena Sereia, como fará pra se livrar dos feitiços da Bruxa do Mar?
A Pequena Sereia – O Musical
Com Anna Preto, Rick Carvalho, Moroni Cruz, Cássio Pereira, Fábio Brasile, Marcus Rigonati, André Pottes, Leila Del Porto, Carolina Moreira, Joyce Alves.
Teatro das Artes = Shopping Eldorado (Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 75 minutos
15/10 até 13/11
Sábado e Domingo – 13h
Classificação livre
Direção Geral: Mário Goes
Dramaturgia: Rafael de Castro
Direção Musical: Moira L’ Abbate
Arranjos e Melodias: Thiago Sivilla
Letras e Músicas: Rick Carvalho e Fábio Brasile
Preparação Vocal: Cássio Pereira
Coreografias e Preparação corporal: Carolina Moreira e Edson Simões
Cenário: Juvenal Irene (CENARIVN ATELIÊ)
Adereços: Rafael de Castro
Figurinos: Ateliê Edson Fabricio
Maquiagem artística e Design Gráfico: Moroni Cruz
Light Design: Georgia Ramos
Assessoria de Imprensa: Moroni Cruz
Captação: GLO Produções Artísticas
Produção Executiva: Lúcia Lazzarini
Realização: Onix Elenco

DIVIDING LINES

Uma visão de São Paulo em 360º é a proposta do coletivo de arte Marshmallow Laser Feast (MLF) com a obra Dividing Lines, uma das quatro atrações da mostra Vestígios Paulistanos – Poética da Metrópole Distraída, em cartaz na Galeria de Arte Digital SESI-SP de 30 de setembro a 15 de novembro, das 20h às 6h. A exposição acontece na fachada do edifício da FIESP/SESI-SP.

Com o objetivo comum de lançar um olhar mais atento para aspectos pouco evidentes da cidade de São Paulo e, a partir daí, criar novas narrativas para as histórias encontradas, a mostra traz ainda mais três obras inéditas de artistas nacionais: Zonas de Indiscernibilidade, Fragmentos e Contemplação do Invisível.

O público poderá interagir com cada uma delas em uma plataforma construída especialmente para a mostra na Alameda das Flores (travessa para pedestres em frente à Galeria de Arte Digital SESI-SP), todos os dias, das 20h até às 22h.

A obra Dividing Lines é resultado da parceria entre o SESI-SP e o British Council, que durante duas semanas do mês de março de 2016 promoveram um workshop com 13 artistas brasileiros e os integrantes do MLF, Robin McNicholas, Barney Steel eErsinhan Ersin. Os artistas registraram paisagens da cidade de São Paulo em 360º, usando o scanner panorâmico Lidar. As imagens foram processadas em software comuns e open source, permitindo criar jornadas narrativas pelas paisagens, enriquecidas por ambientes sonoros, também captados in loco e trabalhados posteriormente. A imersão na realidade virtual é possível por meio de óculos de realidade virtual, o Oculus Rift.

Mostra digital
VESTÍGIOS PAULISTANOS – POÉTICA DA METRÓPOLE DISTRAÍDA
Dividing Lines – Marshmallow Laser Feast
Com a colaboração de: Acacia Montagnolli, Arthur Roessle, Bianca Turner, Daniel Graf, Fabio Luiz, Fabricio Masutti, Giovanna Graziosi Casimiro, Igor Costa, Carol Maziviero, Monica Ventura, Natalie Soares, Pablo Villavicencio e Thiago Giacobelli.
Galeria de Arte Digital SESI-SP (Av. Paulista, 1313 – Cerqueira César, São Paulo)
30/09 até 15/11
Diariamente, das 20h às 6h | visualização com óculos de realidade virtual das 20h às 22h.
Gratuito.