TUDO É JAZZ (OPINIÃO)

Abrem-se as cortinas. Você está em um bar nova iorquino, às escuras. A luz do dia vai surgindo pelas janelas. Até que o expediente se inicia e os cinco personagens surjam – o bartender, a aspirante a atriz/garçonete, o executivo, a socialite e a diva. É neste ambiente que eles terão suas histórias contadas.

São histórias sobre a vida, relacionamentos, encontros sexuais com objetivo de subir na vida, ser alguém… Mas não importa o que aconteça – coisas boas ou más, o mundo continua e a vida segue (“and the world goes ‘round”).

O musical norte americano “And The World Goes ‘Round” (1991) foi o escolhido pela produtora mineira – Circuito BroadUai – para entrar no mercado paulistano de teatro musical. Desde 07 de novembro, a versão brasileira “Tudo é Jazz” pode ser vista no Espaço Promon (SP).

Tudo é Jazz” é um musical revista, com canções de John Kander e Fred Ebb, autores dos musicais “Cabaret“, “Chicago” e “O Beijo da Mulher Aranha“, entre outros; e da canção clássica “New York, New York“, imortalizada nas vozes de Liza Minelli e Frank Sinatra.

Em um musical revista, não espere uma história linear. É uma sucessão de quadros (tempo de duração de uma canção), com um tema único, que contam uma história. No caso de “Tudo é Jazz“, o que interessa é quem a conta/canta.

Para contar esta história, a Circuito BroadUai escolheu um elenco e uma equipe criativa de peso. No palco temos os talentos de Alessandra Vertamati, Carlos Arruza, Leandro Luna, Lívia Dabarian e Simone Gutierrez. Marcelo Vasquez e Vivi Mori são os swings.

Na criação, temos Vania Pajares na direção musical; Thiago Jansen na direção associada e coreografias; e Claudio Botelho como versionista. A direção geral é de Daniel Kostás e Dilson Mayron.

14479584_661577630678183_4062559048960125887_n

Opinião

As vezes, não entendemos logo a história que um musical revista quer passar.

Sentados no teatro, somos pegos de primeira pelas canções e pela atuação dos atores. No caso de “Tudo é Jazz“, o elenco é um ponto forte, que faz com que decidamos assistir o musical. Afinal não é sempre que você consegue ter estes cinco atores – experientes, famosos e premiados do teatro musical brasileiro – reunidos em um espetáculo intimista.

A escolha do teatro do Espaço Promon para apresentar o espetáculo foi acertada. Por ser uma sala pequena (290 lugares), há uma proximidade do palco e dos atores – parece que também estamos sentados no mesmo café, onde acontece a história.

Mas terminado o espetáculo, com o passar do tempo, você começa fazer conexões, e a história vai sendo montada na sua cabeça. As canções vão tendo um novo significado. Parece que você conseguiu descobrir um segredo. Não há certo ou errado, é a sua versão para o musical que você assistiu. Dá vontade de assistir pela uma segunda vez, para além de poder rever o elenco, poder entrar na história mais rapidamente.

Então corra para o teatro – são apenas mais duas semanas, pegue o seu café e aproveite as canções de Kander e Ebb, que serão apresentadas durante os próximos 90 minutos, por um elenco estelar. Aproveite!

Curiosidades

  • Repare nos três toques que anunciam que o espetáculo vai começar. Lembre que a produtora é mineira.
  • Livia Dabarian aparece fantasiada de um personagem de desenho.
  • Leandro Luna cantando e atuando sobre patins.
  • Simone Gutierrez interpreta em um número a personagem do musical “O Beijo da Mulher Aranha”.
  • Na música “Miss Daisy” (no original “Sara Lee”), sim, é feito uma homenagem aos produtos desta famosa marca do ramo de alimentação.

14457448_658229454346334_5080412951227088156_n

 

Tudo é Jazz – Um tributo musical a Kander e Ebb
Com Simone Gutierrez, Leandro Luna, Lívia Dabarian, Carlos Arruza e Alessandra Vertamatti
Espaço Promon (Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1.830 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 90 minutos
07 a 30/10
Sexta – 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 19h30
(sábado, 29, não terá espetáculo; quinta, 27, espetáculo excepcionalmente às 21h)
$50/$100
Classificação 12 anos
Versão: Claudio Botelho
Direção Geral: Daniel Kostás e Dilson Mayron
Diretor Associado e Coreografias: Thiago Jansen
Diretora musical: Vania Pajares
Design gráfico: Leonardo Ferreira
Figurino: Daniella Vinci
Cenografia: Daniel Kostás, Leonardo Ferreira e Joana Souza
Iluminação: Luiz Henrique Moura
Assessoria de Imprensa: Grupo CDI Comunicação e Marketing

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s