RECEITAS DE FRIDA

Um prato salgado com chocolate como ingrediente. Um petisco picante para os amigos. Uma receita com as cores da bandeira do México. Uma bebida transformada em sobremesa. Essas são algumas das receitas que a chef Ana Franco ensina no curso Receitas de Frida, que acontece no Espaço Cultural Porto Seguro nos dias 5, 12 e 19 de novembro, sábados, das 15h às 18h.

Como parte da programação paralela da exposição Frida Kahlo – Suas Fotos | Olhares sobre o México em cartaz no Espaço Cultural Porto Seguro, até 20 de novembro, Ana Franco, do blog Cozinha de Ideias, mostra como criar alguns pratos mexicanos tendo como inspiração a vida de Frida Kahlo. O cardápio é baseado em pesquisas sobre a  vida de Frida e suas comidas favoritas, além de dicas, sugestões e um pouco da história da gastronomia mexicana e do que ela representa para sua nação.

Ana Franco é formada em gastronomia na Austrália e pós-graduada pela FAAP. No Cozinha de Ideias, ela dá receitas e tudo relacionado à gastronomia e viagens.

Cardápio:

Entrada

Quesadillas con salsa roja

Pratos principais

Chilles en nogada

Mole Poblano de frango

Sobremesa

Rompompe con calda de piloncilo

Receitas de Frida
Com Ana Franco
Espaço Cultural Porto Seguro – Ateliê de Criação (Alameda Barão de Piracicaba, 610. Campos Elíseos. São Paulo)
Duração 180 minutos
05 a 19/11
Sábado – 15h
Público-alvo: Interessados em gastronomia (para maiores de 18 anos).
Número de vagas: 15 vagas. Quórum mínimo: 10 vagas
$150

 

O NATAL ENCANTADO DA CINDERELA

O clima natalino chega mais cedo no Teatro Fernando Torres e a ER Artes trás aos palcos, mais um mágico e encantador musical, com uma forma bem humorada de mostrar ao público, sendo eles crianças ou adultos, que esta data é mais do que luzes, enfeites e presentes. Pois, tudo isso passa, exceto o amor no coração que é o que chamamos de Espírito de Natal.

Com a proximidade da data, acreditamos que será um belo presente de Natal para toda a família, assistir ao O Natal encantado da Cinderela.

Dos mesmos realizadores dos sucessos “A Bela e a Fera – 20 anos” e “Pinocchio – Uma aventura teatral mágica”, “A Branca de Neve – O musical Encantado”, “Aventuras no Reino das Fadas e Piratas”, a equipe envolvida nestas superproduções, optou por trazer aos palcos a magia do natal para emocionar e se sensibilizar.

O espetáculo tem profissionais atuantes no mercado Paulistano, 9 atores, figurinos belíssimos, 03 cenários, efeitos especiais incríveis, preparados para criar toda a magia que envolve a história.

                                                                       Sinopse

O Natal encantado da Cinderela é um belo musical que reúne em uma só história, as principais princesas dos contos de fadas.

Cinderela, Branca de Neve, Bela, as Crianças Elsa e Anna, O príncipe Encantado e o anão Zangado, se reúnem nesta mágica aventura.

O Papai Noel foi congelado, resultado de um feitiço da Bruxa má e somente com a união destes personagens será possível salvar o espírito natalino, garantindo assim um natal especial para o reino encantado e todas as crianças.

A mágica do natal presente no espetáculo é uma história de tirar o fôlego e faz desta produção única no brasil.

Preciosas lições, com pitadas de humor, eu disse pitadas? É recheado de muito humor, magia e encantamento, fazendo desta história um espetáculo para toda a família.

o-natal-encantado-da-cinderela1

O Natal Encantado da Cinderela
Com Gabriella Tavares, Flavia Mercadante, Bianca Garcia, Reynaldo Sapucaia, Roberto Rocco, Hebert Freitas, Ygor Sapucaia, Lili Helena, Fernanda Ortega
Teatro Fernando Torres (Rua Padre Estevão Pernet, 588 – Tatuapé, São Paulo)
Duração 60 minutos
05 até 20/11 (sessão extra 14 e 15/11)
Sábado e Domingo – 16h
$50
Classificação livre
 
Direção geral e encenação: Edu Rodrigues
Autor: Cristiane Marques e Edu Rodrigues
Musicas: Alexandre Araujo
Coreografias: Gal Sptizer
Produção Geral: Cristiane Marques
Assistente de direção: Reynaldo Sapucaia
Figurinos e Cenários : ER Arte Produções
Maquinista:  Maycon Turrel
Criação de Luz: Edu Rodrigues
Operador de som: Flavio Ramos
Operador de luz: Leidy Lahoz
Maquiagem: Christian Querido

 

RAZÃO SOCIAL

Na madrugada do dia 31 de março para 1º de abril de 1964, enquanto as tropas militares tomavam as ruas do Rio de Janeiro, o operário Sabino (Gero Camilo) e o estudante Jucelino (Victor Mendes) fogem da polícia e encontram abrigo no Zicartola, antigo restaurante administrado pelo casal Dona Zica (Fabiana Cozza) e Cartola (Adolfo Moura). Tomados pelos medos e tensões do novo regime político que estava prestes a se instaurar no Brasil, os dois personagens se juntam a sambistas icônicos da época numa reflexão sobre o seu tempo e também sobre a trajetória do samba, gênero musical de resistência e engajamento político que comemora seu centenário em 2016. A estreia do espetáculo Razão Social acontece dia 18 de novembro, sexta-feira, às 21h, no teatro do Sesc Bom Retiro.

Apaixonado por samba há anos, Victor conta que a ideia de montar um espetáculo com o tema é antiga, mas ganhou consistência quando Gero o presenteou com o livro Desde que o Samba é Samba, de Paulo Lins (autor de Cidade de Deus). Durante a criação do texto, elaborado a quatro mãos, o conhecimento de samba de Victor juntou-se ao entendimento político de Gero, mas com espaço para trocas e atravessamentos dos artistas o tempo inteiro.

O espetáculo recria ficcionalmente o bar Zicartola no Rio de Janeiro, reduto de pensadores, intelectuais e artistas da década de 1960, dando também lugar em cena a grandes sambistas como Carlos Cachaça, Nelson Cavaquinho, Zé Keti, Clementina de Jesus entre outros. As músicas são encenadas ao vivo pelos atores e pelos músicos Everson Pessoa, Gerson da Banda e Nino Miau.

Em certo momento, Victor se transforma em Noel Rosa e Fabiana Cozza dá vida à Clementina de Jesus e Nara Leão. Até mesmo a banda entra em atuação ora como policiais, ora como estudantes e também como outros sambistas afins do restaurante.

O título da peça brinca com o nome oficial do Zicartola que, por registro, chamava-se Razão Social: Refeição Caseira Ltda. Razão social é um nome de registro de pessoas jurídicas, mas ao pé da letra tem muito a ver com a função do Zicartola, enquanto ele funcionava. Ele tinha uma razão social de estar ali, recebendo artistas e intelectuais que pensavam muito sobre seu tempo”, explicam os diretores.

O cenário é uma ficção representativa do restaurante. O figurino, um estudo da vestimenta popular da época.

image006

Razão Social
Com Adolfo Moura, Fabiana Cozza, Gero Camilo e Victor Mendes.
Músicos: Everson Pessoa, Gerson da banda e Nino Miau.
Sesc Bom Retiro (Alameda Nothmann, 185 – Bom Retiro, São Paulo)
Duração 90 minutos
18/11 até 18/12
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 18h
$30 ($9 – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes)
Classificação 14 anos
 
Texto e direção: Gero Camilo e Victor Mendes.
Cenotécnico: José Roberto Tomasim.
Iluminador: João Blumenschein.
Figurinista: Gero Camilo e Victor Mendes.
Concepção de luz: João Blumenschein.
Concepção de cenário: Gero Camilo e Victor Mendes.
Pesquisa, supervisão e execução de cenário: José Roberto Tomasim.
Execução do cenário: Bruno Matias (Più Design).
Direção de produção: Flávia Corrêa.
Assistente de produção: Ana Sardinha.
Produção executiva: Flávia Corrêa.
Produção: Cia Tertúlia de Acontecimentos.
Agradecimentos: Caco Bressane (ilustrações), Sato do Brasil e Murilo Thaveira – Casadalapa (programação visual), Paulo Leite (Empório Sagarana) e Roberto Setton (fotos).
Assessoria de Imprensa: ArtePlural Comunicação

 

BAILINHO DO TRIII

O Grupo Triii faz um show mirabolante repleto de músicas e brincadeiras para toda a família. O público é convidado à saborear deliciosos temperos musicais, em um encontro recheado com muita criatividade. No cardápio musical, canções tradicionais como Alecrim se misturam com as composições do grupo O Tomate e o Caqui, A E I O U, Vira Virou, Pão, Pão, Pão, entre outras. Venha cantar, brincar e dançar com o Grupo Triii!

Formado por Marina Pittier (voz), Fê Stok (guitarra e voz) e Ed Encarnação (Bateria e voz), o Grupo Triii surgiu em 2008 com o encontro de três pessoas que têm três coisas em comum: a amizade, a identificação musical e a fascinação por crianças. Com shows que reúnem músicas e brincadeiras, a proposta do Triii é criar um contato direto com crianças e pais através da música, de forma divertida e sempre muito criativa.

Bailinho do Triii
Com Marina Pittier, Fê Stok e Ed Encarnação
Teatro Morumbi Shopping (Av. Roque Petroni Júnior, 1089 – Chacara Santo Antonio, São Paulo)
Duraão 60 minutos
05/11
Sábado – 15h
Classificação Livre

LUIS ANTONIO – GABRIELA

Sucesso de público e crítica com mais de 300 apresentações e 35 mil espectadores em todo Brasil, o espetáculoLUIS ANTONIO – GABRIELA volta aos palcos de São Paulo com elenco original: Marcos Felipe, Lucas Beda, Sandra Modesto, Verônica Gentilin, Virginia Iglesias e Day Porto. As apresentações acontecem de 3 a 20 de novembro, de quinta-feira a sábado às 21h30 e domingo às 17h30, dentro do Projeto Ficha Técnica – atividades formativas sobre o processo de criação no teatro –, do Sesc Belenzinho. Além do espetáculo, a Cia Mungunzá realiza a oficina Cicatrizes sobre os processos de criação do grupo.

Em LUIS ANTONIO – GABRIELA o diretor Nelson Baskerville coloca em cena sua própria história, onde o irmão mais velho, homossexual, Luis Antonio, desafia as regras de uma família conservadora dos anos 1960. O documentário cênico tem início no ano de 1953, com o nascimento de Luis Antonio, filho mais velho de cinco irmãos, que passou infância, adolescência e parte da juventude em Santos até ir embora para Espanha aos 30 anos, onde se transforma em Gabriela.

O espetáculo narra a história de Luis Antonio até o ano de 2006, data de sua morte na cidade de Bilbao, na Espanha. LUIS ANTONIO – GABRIELA foi construído a partir de documentos e dos depoimentos do ator e diretor Nelson Baskerville, de sua irmã Maria Cristina, de Doracy, sua madrasta e de Serginho, cabeleireiro na cidade de Santos e amigo de Luis Antonio.

Documentário-cênico

LUIS ANTONIO – GABRIELA apresenta ao público a transformação de Luis Antonio em Gabriela a partir de diferentes pontos de vista, como do irmão caçula que foi abusado sexualmente; da irmã que sai pelo mundo em busca do corpo de Gabriela; do pai que não reconhecia o filho travesti; e dos amigos e colegas de trabalho, que viam a figura da protagonista com uma mistura de admiração e estranhamento.

O diretor Nelson Baskerville conta que, em 2002, recebeu a notícia de que o irmão tinha morrido na Espanha. “Luis Antonio, pra mim, era aquele irmão, oito anos mais velho, que sempre mantive na sombra. Só alguns poucos amigos sabiam da sua existência, ele era aquele que, além de me seduzir, e abusar sexualmente, fazia com que muitos dedos da cidade de Santos fossem apontados pra nós. Sou obrigado a confessar que a notícia da morte dele não me abalou nem um pouco. Eram quase 30 anos sem saber nada dele, sem saber se ele estava vivo ou morto, enfim, liguei pra minha irmã, Maria Cristina, advogada para passar a notícia pra frente e a preocupação imediata dela foi com os papéis, atestado de óbito, documentação para o espólio, etc.”, explica ele.

Maria Cristina empreendeu então uma jornada fadada ao fracasso que era saber notícias do paradeiro de Luis Antonio. Depois de alguns meses, através da embaixada brasileira na Espanha ela o encontrou, mas não exatamente da forma que esperava. Luis Antonio estava vivo, morava em Bilbao e a partir disso os irmãos começaram a tentar formar e entender aquela lacuna de 30 anos que os separavam. “Minha irmã, numa aventura ‘almodovariana’ foi encontrá-lo. Luis Antonio chamava-se agora Gabriela, tinha sido uma estrela das noites de Bilbao, era viciada em cocaína e AIDS era a menor das suas doenças. Através da Maria Cristina, passamos então a ter notícias dele até sua morte, agora verdadeira, em 2006”, recorda o diretor.

22 telas na cenografia

Com trilha sonora original composta por Gustavo Sarzi, onde todos os atores aprenderam a tocar instrumentos para a execução das músicas, LUIS ANTONIO – GABRIELA também traz diferenciais na iluminação e cenografia.

A luz, não convencional do espetáculo foi inteiramente construída pelos atores e diretor e é operada de dentro do palco. Para a cenografia foram encomendadas 22 telas do jovem artista plástico Thiago Hattner, que fazem parte da cena que Maria Cristina leva Luis Antonio ao Museu Guggeinhein de Bilbao.

Oficina Cicatrizes

Paralelo às apresentações do espetáculo, a Cia Mungunzá ministra a Oficina Cicatrizes, que nasce do processo de criação dos espetáculos do grupo, principalmente em LUIS ANTONIO – GABRIELA, e tem como objetivo proporcionar aos integrantes uma experiência biográfica, dramatúrgica, estética e performática adentrando as histórias pessoais que resultaram numa cicatriz (física ou emocional).

A oficina gratuita acontece de 9 a 18 de novembro, quartas e sextas-feiras, das 14 às 18 horas. São oferecidas 30 vagas (idade recomendada a partir de 16 anos) e as inscrições podem ser feitas até o dia 3 de novembro, por meio de envio de currículo resumido para o e-mail cicatrizes@belenzinho.sescsp.org.br.

Veja abaixo trechos do espetáculo (video de 28/02/11, feito pela cineolhar)

Luis Antonio – Gabriela
Com Marcos Felipe, Lucas Beda, Sandra Modesto, Verônica Gentilin, Virginia Iglesias e Day Porto.
Sesc Belenzinho – Sala de Espetáculo I (Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho, São Paulo)
Duração 90 minutos
03 até 20/11
Quinta, Sexta e Sábado – 21h30; Domingo – 17h30
$20 ($6 – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes)
Classificação 16 anos
 
Direção – Nelson Baskerville.
Diretora Assistente – Ondina Castilho.
Assistente de Direção – Camila Murano.
Direção Musical, Composição e Arranjo – Gustavo Sarzi.
Preparador Vocal – Renato Spinosa.
Trilha Sonora – Nelson Baskerville.
Preparação de Atores – Ondina Castilho.
Iluminação – Marcos Felipe e Nelson Baskerville.
Cenário – Marcos Felipe e Nelson Baskerville.
Figurinos – Camila Murano.
Visagismo – Rapha Henry – Makeup Artist.
Vídeos – Patrícia Alegre.
Produção Executiva – Sandra Modesto e Marcos Felipe.
Produção Geral – Cia Mungunzá de Teatro.
Realização – Sesc São Paulo.
Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta