RAZÃO SOCIAL

Na madrugada do dia 31 de março para 1º de abril de 1964, enquanto as tropas militares tomavam as ruas do Rio de Janeiro, o operário Sabino (Gero Camilo) e o estudante Jucelino (Victor Mendes) fogem da polícia e encontram abrigo no Zicartola, antigo restaurante administrado pelo casal Dona Zica (Fabiana Cozza) e Cartola (Adolfo Moura). Tomados pelos medos e tensões do novo regime político que estava prestes a se instaurar no Brasil, os dois personagens se juntam a sambistas icônicos da época numa reflexão sobre o seu tempo e também sobre a trajetória do samba, gênero musical de resistência e engajamento político que comemora seu centenário em 2016. A estreia do espetáculo Razão Social acontece dia 18 de novembro, sexta-feira, às 21h, no teatro do Sesc Bom Retiro.

Apaixonado por samba há anos, Victor conta que a ideia de montar um espetáculo com o tema é antiga, mas ganhou consistência quando Gero o presenteou com o livro Desde que o Samba é Samba, de Paulo Lins (autor de Cidade de Deus). Durante a criação do texto, elaborado a quatro mãos, o conhecimento de samba de Victor juntou-se ao entendimento político de Gero, mas com espaço para trocas e atravessamentos dos artistas o tempo inteiro.

O espetáculo recria ficcionalmente o bar Zicartola no Rio de Janeiro, reduto de pensadores, intelectuais e artistas da década de 1960, dando também lugar em cena a grandes sambistas como Carlos Cachaça, Nelson Cavaquinho, Zé Keti, Clementina de Jesus entre outros. As músicas são encenadas ao vivo pelos atores e pelos músicos Everson Pessoa, Gerson da Banda e Nino Miau.

Em certo momento, Victor se transforma em Noel Rosa e Fabiana Cozza dá vida à Clementina de Jesus e Nara Leão. Até mesmo a banda entra em atuação ora como policiais, ora como estudantes e também como outros sambistas afins do restaurante.

O título da peça brinca com o nome oficial do Zicartola que, por registro, chamava-se Razão Social: Refeição Caseira Ltda. Razão social é um nome de registro de pessoas jurídicas, mas ao pé da letra tem muito a ver com a função do Zicartola, enquanto ele funcionava. Ele tinha uma razão social de estar ali, recebendo artistas e intelectuais que pensavam muito sobre seu tempo”, explicam os diretores.

O cenário é uma ficção representativa do restaurante. O figurino, um estudo da vestimenta popular da época.

image006

Razão Social
Com Adolfo Moura, Fabiana Cozza, Gero Camilo e Victor Mendes.
Músicos: Everson Pessoa, Gerson da banda e Nino Miau.
Sesc Bom Retiro (Alameda Nothmann, 185 – Bom Retiro, São Paulo)
Duração 90 minutos
18/11 até 18/12
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 18h
$30 ($9 – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes)
Classificação 14 anos
 
Texto e direção: Gero Camilo e Victor Mendes.
Cenotécnico: José Roberto Tomasim.
Iluminador: João Blumenschein.
Figurinista: Gero Camilo e Victor Mendes.
Concepção de luz: João Blumenschein.
Concepção de cenário: Gero Camilo e Victor Mendes.
Pesquisa, supervisão e execução de cenário: José Roberto Tomasim.
Execução do cenário: Bruno Matias (Più Design).
Direção de produção: Flávia Corrêa.
Assistente de produção: Ana Sardinha.
Produção executiva: Flávia Corrêa.
Produção: Cia Tertúlia de Acontecimentos.
Agradecimentos: Caco Bressane (ilustrações), Sato do Brasil e Murilo Thaveira – Casadalapa (programação visual), Paulo Leite (Empório Sagarana) e Roberto Setton (fotos).
Assessoria de Imprensa: ArtePlural Comunicação

 

Um comentário sobre “RAZÃO SOCIAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s