ROCKY HORROR SHOW

Rocky Horror Show é um fenômeno teatral raro. Após estrear em uma pequena sala do circuito underground londrino em 1973, virou filme, se transformou em ícone pop e nunca mais saiu de cartaz dos palcos e das telas de cinema. Uma verdadeira legião de fãs ajuda a manter a aura do musical, em exibições especiais, encontros e happenings por todo o mundo. Quatro décadas após o seu lançamento, Charles Möeller & Claudio Botelho vão apresentar a sua versão brasileira do espetáculo a partir de 11 de novembro, sexta-feira, às 21h,  no Teatro Porto Seguro.

14947807_326818307677404_2585197277181202326_n.jpg

Inspirada nos filmes b de ficção científica e horror dos anos 40 a 70, a comédia musical – com texto e músicas de Richard O’Brien – conta com uma trilha roqueira e um texto que mistura referências da época com um leve toque sexual. Ao procurar ajuda em uma estrada deserta, um jovem casal de noivos, Brad Majors e Janet Weiss, chega a um castelo abandonado, onde são recebidos pelo cientista maluco Frank N Furter (Marcelo Medici) e uma série de criaturas bizarras.

temp_regrann_1478608247140

14720401_325123241180244_2132540733115609657_n
Rocky Horror Show
Com Marcelo Medici, Bruna Guerin, Felipe De Carolis, Gottsha, Thiago Machado, Jana Amorim, Nicola Lama, Felipe Mafra, Marcel Octávio, Vanessa Costa, Thiago Garça.
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 105 minutos
10/02 até 12/03
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 19h
$50/$120
Classificação 14 anos
Texto, Música e Letras de Richard O‘Brien.
Versão Brasileira: Claudio Botelho.
Direção: Charles Möeller.
Cenografia: Rogério Falcão.
Iluminação: Paulo Cesar Medeiros.
Visagismo: Beto Carramanhos.
Design de som: Ademir Moraes Jr.
Coordenação Artística: Tina Salles.
Direção de Produção: Beatriz Braga.
Produção Executiva: Edson Lopes.
Realização: Möeller & Botelho.
Assessoria de Imprensa: Factoria Comunicação

GASTANDO AMOR

Se perder nos próprios caminhos, se apaixonar perdidamente por alguém, sentir medo, saudade, ciúmes, lidar com o fim de um relacionamento. Difícil encontrar quem nunca tenha lidado com esses sentimentos que parecem ter se tornado ainda mais complicados depois das redes sociais.

O amor de hoje é diferente do compartilhado pelos amantes de antigamente? Será que os novos modelos de relacionamento são o caminho para ficar em paz com o coração? Um relacionamento sério está longe de ser complicado? E um relacionamento aberto deixa de ser sério? Essas perguntas que andam nos aparecendo cada vez mais são o ponto de partida de Gastando Amor.

O espetáculo, produzido, dirigido e encenado por Daniel Farias e Talis Castro, mistura ficção, música, referências do cinema e citações de estudiosos como Zygmunt Bauman e Regina Navarro Lins com narrativas construídas a partir da própria experiência dos atores. No palco Daniel e Talis cantam, declamam poemas e mandam mensagens via WhatsApp, tudo para falar de Amor. “É um jeito de trazer essa discussão tão presente na nossa rotina para a linguagem cênica usando tudo que está aí. A vida já está repleta de referências e de histórias de amor” explica Talis.

A montagem realizou duas temporadas de sucesso em janeiro e abril deste ano em Salvador, nos teatros Gamboa Nova e Eva Herz. Após as apresentações acontece um bate-papo com convidadas especiais sobre os temas abordados na peça, incluindo a estudiosa Mônica Barbosa, autora do livro Poliamor e Relações Livres, que também serviu de base para a construção de Gastando Amor. Ao público o convite é não economizar.

image001.jpg

Gastando Amor
Com Talis Castro e Daniel Farias
Teatro Commune (Rua da Consolação, 1218 – Consolação, São Paulo)
Duração 50 minutos
12 a 26/11
Sábado – 21h
$30
Classificação 16 anos
 
Texto, atuação e direção: Talis Castro e Daniel Farias
Assessoria de Imprensa: Flavia Fusco Comunicação

A BEATLES PROJECT

A Beatles Project” ficará em cartaz de 11 a 27 de novembro, no Teatro da Cultura inglesa de Pinheiros e a entrada é gratuita.
A peça se passa no final dos anos 60 e conta a história de Jude, jovem que sai de Liverpool para descobrir um novo mundo nos Estados Unidos. O musical, apresentado todo em inglês, possui mais de vinte músicas dos Beatles, que ajudam a contar a história e com certeza farão com que a plateia cante junto com os atores os maiores sucessos do quarteto inglês.

Montagem_elenco.jpg

A Beatles Project
Com Ana Paula Cadamuro, Bia Freitas, Bia Souza, Caique Castagna, Caroline Palumbo, Cicero Lima, Danillo Doublel, Emily Maziero, Fernanda Rabelo, Gabriela Bandeira, Gui Giannetto, Gustavo Gouveia, Isadora Cabrera, Law Couto, Lheo Shiroma, Lucca Gussoni, Luana Novais, Márcio Garrido, Maria Venturini, Marianna Bianchini, Natália Monteiro, Nivea Lucila Sisti Pereira, Rafael Cairo, Rayssa Ruas, Shaya Lambert, Victor Fleming e Vitor Moresco.
Teatro da Cultura Inglesa Pinheiros (Rua Deputado Lacerda Franco, 333, Pinheiros, São Paulo)
Duração 120 minutos
11 a 27/11
Sexta – 20h30; Sábado – 16h e 20h30; Domingo – 16h e 19h30
(27/11 só terá sessão às 19h30).
Entrada gratuita
Classificação 12 anos

CANTO PARA RINOCERONTES E HOMENS

Será que nós, seres humanos, gostaríamos de virar rinocerontes? Foi a partir desse e de outros questionamentos que o os atores do Teatro do Osso, sob a direção de Rogério Tarifa (Cia do Tijolo e Cia São Jorge de Variedades), iniciaram o processo do espetáculo CANTO PARA RINOCERONTES E HOMENS, que volta em cartaz dia 10 de novembro, quinta-feira, às 20 horas, no CCC – Centro Compartilhado de Criação.

Partindo da obra O Rinoceronte, de Eugene Ionesco, o ato-espetáculo musical traz para o palco temas como a brutalização do ser humano, a falta de sonhos e a extinção do homem. A montagem, que teve nove meses de ensaio, marca a parceria de Rogério Tarifa, William Guedes e Jonathan Silva, ambos da Cia do Tijolo e vencedores do Prêmio Shell de Teatro. A montagem é finalista do Prêmio Aplauso Brasil na categoria Melhor Espetáculo de Grupo.

Na versão de Rogério Tarifa a história é cantada pelos atores, que são acompanhados por um pianista e um percussionista. Para o diretor, o espetáculo é um grande musical com forte diálogo com as artes plásticas e a dança. “Os sete atores formam um grande coro para contar e cantar a história de transformação dos homens em rinocerontes”, explica Tarifa.

Rinocerontes urbanos

O conceito de rinocerontes urbanos marca a montagem de CANTO PARA RINOCERONTES E HOMENS. “Além do texto de Ionesco, outras dramaturgias se incorporaram ao espetáculo e com isso chegamos a esse conceito, onde atualmente as pessoas estão sempre ao ponto de explodir como uma verdadeira bomba”, conta o diretor.

Para isso, Rogério pediu para cada ator criar um solo, onde a transformação de homem em rinoceronte fosse mostrada, sendo que a transformação teria que ter um tema. Crimes de ódio, violência, ensino, trabalho e culto a beleza são alguns temas utilizados pelos atores para virarem, durante o espetáculo, em rinocerontes.

A montagem também abre novas faces em relação ao texto de Ionesco. “O espetáculo é uma livre adaptação da obra e por isso trazemos outros questionamentos, como a própria extinção dos rinocerontes, que acontece atualmente. No nosso final, além de um único homem também sobra um único rinoceronte”, adianta Tarifa.

Canto para Rinocerontes e Homens
Com Gabriela Gonçalves, Guilherme Carrasco, Luísa Valente, Murillo Basso, Renan Ferreira, Rubens Alexandre e Viviane Almeida.
Músicos – Bruno Pfefferkorn e Filipe Astolfi. Dramaturgia – Jonathan Silva, Rogério Tarifa e Elenco.
CCC – Centro Compartilhado de Criação (Rua James Holland, 57 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 180 minutos
10 até 27/11
Quinta, Sexta e Sábado – 20h; Domingo – 19h; Segunda – 20h
$30
Classificação 14 anos
 
Direção – Rogério Tarifa.
Texto Original – O Rinoceronte, de Eugene Ionesco.
Direção Musical e Preparação Vocal – William Guedes.
Composição Musicas Inéditas – Jonathan Silva.
Cenário – Rogério Tarifa.
Assistência de Cenário – Elenco.
Cenotécnico – Zito Rodrígues.
Figurino – Silvana Carvalho, Rogério Tarifa e Elenco.
Colaboração – Artur Abe.
Consciência Corporal e Direção de Movimento – Érika Moura.
Desenho de Luz – Rafael Souza Lopes.
Operação de Luz – Nara Zocher.
Vídeo – Flávio Barollo.
Supervisão em Teatro de Animação – Luiz André Cherubini.
Fotos – Cacá Bernardes
Assessoria de Imprensa – Renan Ferreira

SONHOS NÃO ENVELHECEM

SONHOS NÃO ENVELHECEM é um musical jovem baseado na obra “Sonho de uma Noite de Verão” de William Shakespeare com canções do movimento musical conhecido como Clube da Esquina, uma das mais ricas e sofisticadas manifestações musicais brasileiras. Com adaptação e direção de Fernanda Maia, a peça reestreia dia 17 de novembro no Teatro do Núcleo Experimental.

Sinopse
Em Atenas, o duque Teseu e a rainha Hipólita estão felizes com seu casamento que deverá acontecer dali a três dias, mas recebem uma queixa de Egeu: sua filha Hérmia, apaixonada pelo jovem Lisandro, recusa-se a casar com o escolhido do pai: Demétrio, que por sua vez é amado pela bela Helena. Hérmia deverá escolher entre casar com Demétrio ou ir para um convento. Lisandro então propõe que os dois enamorados fujam para a casa de uma tia que mora do outro lado do bosque. Lá eles poderão se casar e o pai da moça não poderá fazer mais nada contra este amor. Os dois fogem, mas são seguidos por Demétrio e Helena, embrenhando-se todos no bosque, povoado por espíritos, fadas e elfos.

Neste bosque, Oberon, o Rei dos Elfos, está em disputa com a Titânia, Rainha das Fadas. Com a ajuda de seu servo Puck, Oberon arma um plano para enfeitiçar Titânia com uma flor mágica que faz com que uma pessoa se apaixone pelo primeiro ser vivo que encontrar em sua frente. Enquanto isso, um grupo de operários ensaia no bosque uma peça de teatro para ser apresentada no dia do casamento de Teseu e Hipólita. Puck pega o mais falastrão dos operários e transforma sua cabeça numa cabeça de burro. Em seguida faz com que Titânia se apaixone pelo homem transformado.

Toda esta atmosfera de encantamento enche-se de poesia e lirismo com a ajuda de canções do Clube da Esquina como Nuvem Cigana, Vento de Maio, Um Girassol da Cor do Seu Cabelo, Nascente, Amor de Índio, Anima entre outras jóias da canção brasileira.

Oito atores dão vida a vinte personagens que cantam ao vivo acompanhados por três músicos.

Sonhos Não Envelhecem
Com Andressa Andreatto, Beatriz Amado, Júlia Maia, Leandro Oliveira, Luiz Rodrigues, Marcos Teixeira, Miriam Madi e Tito Soffredini
Músicos: Betinho Sodré / Maria Carolina – Percussão, Felipe Parisi – Violoncelo, Luiz Aranha – Violão
Teatro do Núcleo Experimental (R. Barra Funda, 637 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 90 minutos
17/11 até 17/12
Quinta e Sexta – 21h; Sábado – 16h
$40
Classficação livre
Adaptação de Texto, Direção, Direção Musical e Preparação Vocal –Fernanda Maia
Assistente de Direção Musical – Bibi Cavalante
Preparação de Elenco – Inês Aranha
Assistente de Direção – Cy Teixeira
Cenário e Figurinos – Zé Henrique de Paula
Assistente de Cenografia e Figurinos – Cy Teixeira
Iluminação – Fran Barros
Arte Gráfica – Herbert Bianchi
Coordenador de Produção – Louise Bonassi
Produção Executiva – Laura Sciulli
Assistente de Produção – Mariana Mello
Assessoria de Imprensa – Pombo Correio

YENTL EM CONCERTO

Depois de dois anos de uma temporada de sucesso, passando por Rio, São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, Alessandra Maestrini atende a pedidos do público e lança o CD e DVD de seu espetáculo, Yentl em Concerto, em curta temporada, de 14 de novembro a 5 de dezembro, às segundas-feiras no Teatro Porto Seguro, sempre às 21h.

São os primeiros produtos audiovisual e fonográfico que a Maestrini Produções realiza. Graças a Deus, e a profissionais do mais alto gabarito, o resultado final está estampando um largo sorriso em nós. Sinto-me mais livre, mais realizada, mais plena, mais feliz, mais criativa, fazendo mais o que faço de melhor. E sinto que este é só o começo”, afirma Maestrini, que cuidou de cada detalhe. CD e DVD serão vendidos em pack especial, com direito a pôster de brinde.

Em cena, Alessandra Maestrini conta a saga da garota que precisou se disfarçar de menino para poder estudar. O espetáculo musicalébaseado na obra Yentl – The Yeshiva Boy, de Isaac Bashevis Singer (1902-1991) e no filme homônimo, estrelado por Barbra Streisand, em 1983. No palco, Maestrini, que também assina o roteiro e direção, é acompanhada pelo pianista João Carlos Coutinho. A atriz interpreta as canções do filme, compostas por Michel Legrand e com letras de Alan e Marilyn Bergman. Todas as músicas estarão no CD e DVD. O álbum tem ainda uma bonus track, What Are You Doing The Rest Of Your Life, dos mesmos compositores.

No DVD, assim como no palco, entre uma canção e outra, Maestrini conta a história da jovem Yentl sob seu ponto de vista. “Eu faço uma introdução contextualizando a história. Conto sua trajetória, exatamente como é, mas sob o meu ponto de vista, com a minha marca. Assim, costuro o roteiro com emoção, humor, questionamento e o encantamento que senti ao entrar em contato com este conto”, explica.

A trama acontece no início do século 20. Yentl perde o pai, Rebe Mendell, que lhe ensinava as sagradas escrituras; o que era proibido às mulheres da época. Decidida a desafiar o destino que lhe condenava a permanecer na ignorância de Deus, do mundo e de si, traveste-se de homem e segue para Yeshiva. Lá se apaixona por Avigdor, seu colega de estudos, e precisa descobrir até que ponto está disposta a abrir mão de sua identidade.

Yentl – The Yeshiva Boy, conto de Isaac Bashevis Singer, foi adaptado para o cinema tendo como protagonista a cantora e atriz Barbra Streisand. Em 1984, o filme ganhou o Oscar de melhor trilha sonora adaptada, Globo de Ouro de melhor filme musical e melhor direção para Streisand, que também assina o roteiro. Esta película é um dos maiores sucessos do cinema, um ícone do gênero musical.

Com interpretação intensa e visceral, Maestrini traz à tona os questionamentos de Yentl acerca da sexualidade e da sociedade da época. O tema delicado é abordado com leveza e até doses de humor, traços característicos da trajetória da artista. “Essa história tem a nos ensinar que, nos dias de hoje, é importante transpor limites questionáveis, que a vida só vale a pena quando de fato vivida e não meramente encenada. Que é importante confiar e investir na sua vocação, bem como lutar por quaisquer outras paixões que sejam reflexos da sua identidade. Que o limiar entre o preconceito e o ridículo é nenhum. Que a mulher deve receber o mesmo salário que o homem, e não 30% a menos como no mercado atual. Que só existe uma coisa imutável: a capacidade de transformação do ser humano, das coisas, do mundo, das situações e da vida”, resume Maestrini.

A turnê de Yentl deve seguir para outros estados no ano que vem. Enquanto isso, para 2017, Maestrini já confirmou que irá estrelar um musical que Miguel Falabella escreveu especialmente para ela, chamado O Som e A Sílaba. Ainda no primeiro semestre, lança um CD sob a direção de Nelson Motta. E no segundo semestre, lança outro CD, com suas versões para o inglês de músicas de Chico Buarque.

Yentl em Concerto
Com Alessandra Maestrini
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 75 minutos
14/11 até 05/12
Segunda – 21h
$60/$80
Classificação 12 anos
 
Idealização, roteiro, direção e intérprete: Alessandra Maestrini
Direção Musical e ao Piano: João Carlos Coutinho
Músicas: Michel Legrand
Letras: Alan & Marilyn Bergman
Figurino: Fábio Namatame
Visagismo: Wilson Eliodoro
Som: Mario Jorge Andrade
Assessoria de imprensa: Aline Salcedo e Grazy Pisacane
Fotografia: Priscila Prade
Diretor de Produção: Carla Schvaitser
Produção e realização: Maestrini Produções
 

 

QUERIDO AMIGO

Com um texto contemporâneo, inteligente e engraçado, a Cia Dos Reis trás de volta a peça “Querido Amigo”, que reestreia no próximo dia 11/11 no Teatro Extra Itaim, em São Paulo.

O espetáculo conta uma intrigante história de coincidências da vida, quando quatro rapazes cruzam suas trajetórias a partir da convivência diária, misturando diversos sentimentos como a amizade, o amor e o preconceito, em todas as suas formas.

Bernardo e Cristiano são grandes amigos desde a infância. Quando adultos, decidem dividir o mesmo apartamento, ganhando assim mais intimidade e espaço na vida um do outro.

Em meio às confusões do dia a dia, Bernardo se declara ao amigo, colocando a amizade de anos à prova, surgindo assim sentimentos e inseguranças entre eles. Após a revelação, os personagens fazem questionamentos a amizade, tentando em meio de situações cômicas salvar a relação com a ajuda de outros dois amigos, Pedro e Kadu que revelarão outras respostas ao longo da trajetória.

Escrita pelos autores Gustavo Vierling e Thiago Mantovani, com direção de Ivo Ueter, a peça é uma boa pedida para pensar em indagações sobre diversas situações de relacionamentos.

1-querido-amigo-copia

Querido Amigo
Com Filipe Bertini, Ivo Ueter, Yago Senciane e Zé Alberto
Teatro Extra Itaim – Extra Hipermercado (Rua João Cachoeira, 899 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 90 minutos
11/11 até 16/12 (exceto dia 09/12)
Sexta – 21h30
$40
Classificação 14 anos
 
Direção: Ivo Ueter
Texto: Gustavo Vierling e Thiago Mantovani
Assessoria de Imprensa: JR Comunicação
Mídias Sociais: Rodrigo Bueno