CURSO TÉCNICO DE TEATRO MUSICAL SESI-SP

Desde quarta até domingo, 27 de novembro, os alunos da primeira turma do Curso Técnico de Teatro Musical do SESI-SP (uma parceria do SESI-SP com o Atelier de Cultura) apresentarão o espetáculo musical “Freak Show“, como trabalho de conclusão de curso.

Serão 11 sessões, para que os 52 alunos do curso (turmas manhã e tarde), possam apresentar no palco a história das irmãs siamesas Violet e Daisy Hilton. Mas mais do que isso. Servirá para que eles possam mostrar o resultado de três anos de preparação para se formarem atores especializados em Teatro Musical.

E lá se foi uma jornada.

Começou no início de 2014, quando cerca de 1.000 candidatos, vindos de vários cantos do Brasil, participaram das quatro fases do processo seletivo: aptidão musical, dança, atividade corporal e  canto.

Na banca, nomes de peso do Teatro Musical brasileiro, como Saulo Vasconcelos, Sara Sarres, Carlos Bauzys, Floriano Nogueira e Cleto Baccic (um dos idealizadores do projeto).

Foram aprovados 64 alunos, que começaram as aulas em março de 2014. Estudaram juntos na unidade do SESI Vila Leopoldina, cerca de 2.400 horas, divididas em 64 disciplinas, que foram ministradas por profissionais de renome na área.

E o resultado já pode ser visto. Vários dos alunos trabalharam em musicais enquanto estudavam. Puderam ser vistos nos palcos em “Ghost – o Musical“, “Hoje é Dia de Maria, o Musical“, “O Musical Mamonas“, “Nuvem de Lágrimas, o Musical“, “Refúgio – o Musical“, “Godspell“, “Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta“, entre outros espetáculos..

O aluno Andrey Alfaia disse que o curso foi válido, porque “nestes três anos cresci muito nas três áreas – canto, dança e interpretação. Mas tem que estar sempre se renovando, estudando sem parar. A gente se formou, mas o estudo continua“.

A gente construiu um laço muito forte. A gente dividiu por três anos, de segunda a sexta, a sala de aula. É uma separação difícil, mas a gente acredita que vai dar certo para todo mundo. É o que a gente torce”, complementa o aluno Hícaro Nicolai.

O contentamento com o nível dos alunos formados é compartilhado entre os professores e o corpo técnico do SESI-SP. Daniel Rocha, diretor musical do espetáculo, e que também foi professor, diz que “foi muito emocionante vê-los em cena. Eles vieram de vários lugares e com vivências diferentes, e a escola fez uma base de formação para deixá-los prontos para o mercado. Com certeza, é uma turma muito aguardada pelo mercado profissional do Teatro Musical“.

1-01

1-02

“Freak Show”

O espetáculo escolhido para o trabalho de conclusão do curso foi “Freak Show“, uma adaptação inspirada no musical da Broadway – “Side Show” (1997).

331

As irmãs Hilton

Side Show” baseou-se na história verídica das irmãs siamesas britânicas, Violet e Daisy Hilton. Ambas nasceram unidas por seus quadris e nádegas; compartilhando a circulação sanguínea e fundidas na pelve, mas sem compartilhar órgãos importantes. Na época, se fosse feita uma cirurgia para separá-las, uma das irmãs acabaria falecendo.

Violet e Daisy foram trazidas para os Estados Unidos para participarem de um Circo de Aberrações, local que apresentava pessoas com deformações físicas. Ambas eram as estrelas principais, só que eram abusadas e maltratadas pelo dono do estabelecimento.

Até que chegam ao circo, um caçador de talentos e um músico, que as descobrem e querem levá-las para se apresentarem em shows de vaudeville. Ambas aceitam e vão atrás da fama, mas sem nunca conseguirem encontrar o verdadeiro amor, exceto o do que uma tinha pela outra.

O diretor da montagem, Rogério Mathias, disse que a escolha por “Side Show” foi pela “pluralidade do espetáculo, pela oportunidade de falar sobre a diversidade. O que é realmente o anormal? O anormal é só aquilo que está visível, ou também é o que está escondido no interior das pessoas“. “Além do que, também poderíamos ter muitos “freaks” em cena, visto que é um trabalho de conclusão de curso e nosso elenco (alunos) é muito grande“.

Veja abaixo a cena de abertura de “Freak Show”, com o número “Vem ver o anormal”.

Na plateia, além de pais, familiares e amigos dos formandos, estavam os atores e produtores Jarbas Homem de Mello e Carlinhos Machado. Jarbas ficou muito impressionado com o que viu. “Primeiro, o projeto é de uma importância ímpar. É uma oportunidade que essa moçada tem de estudar três anos, enquanto a minha geração se formou na raça e fazendo. O resultado é maravilhoso. Eles podem estrear em qualquer teatro. Saio com uma expectativa superada com o que assisti hoje“.

Nós, do Opinião de Peso, aplaudimos de pé a ação educativa do SESI junto com o Atelier de Cultura na transformação e formação de jovens em atores profissionais do Teatro Musical Brasileiro; e também “desejamos uma linda jornada na carreira de cada um destes 52 jovens atores, que acompanharemos nos palcos nacionais, e quiçá, internacionais. Merda!!!”

Em breve, no site do SESI, maiores informações sobre o processo seletivo para a segunda turma do Curso Técnico de Teatro Musical do SESI-SP (previsto para 2017).

Este slideshow necessita de JavaScript.