VISITANDO SR. GREEN

Um pequeno acidente de trânsito nas ruas de Nova York, que quase resultou num atropelamento, acaba provocando a aproximação entre o Sr Green, um velho e solitário judeu ortodoxo, e Ross Gardner, um jovem executivo de 29 anos que, graças ao juiz Kruger, foi acusado de negligência na direção e considerado culpado pela ocorrência. A pena consiste em fazer com que Ross Gardner deva prestar serviço comunitário junto à vítima uma vez por semana, pelos próximos seis meses.

A ação da peça se passa no velho apartamento do Sr. Green, tipicamente nova-iorquino, atulhado entre outras coisas de inúmeras edições de listas telefônicas já em desuso, jornais espalhados, pilhas de correspondências e um buquê de flores secas. Tudo parece ter sido adquirido nos anos 50 e mantido intocável desde então.

A circunstância legal que os uniu involuntariamente, envolve os dois em situações inusitadas, com traços de fino humor e de profunda emoção.

Revelando pouco a pouco a personalidade de cada um, suas realizações e suas frustrações acabam por constituir a trama central da peça através da riqueza da narrativa e dos instigantes diálogos de Jeff Baron. Retratam também, magistralmente, os aspectos mais pitorescos da cultura judaica, bem como os encontros e desencontros de dois habitantes de uma metrópole como Nova York.

O resultado final é estimulante e provocador, surpreendendo aos espectadores, pela originalidade das situações e a oportunidade de oferecer ao público um espetáculo de alta qualidade e de comoventes e inesquecíveis atuações.

Depois de mais de 11 anos atuando no Ministério da Cultura, finalmente retornei ao Teatro. Voltei a estar sobre o palco, como sempre estive por mais de 50 cinquenta anos – espaço sagrado onde passei a maior parte de minha vida. Para comemorar, fiz acertada escolha pelo texto do americano Jeff Baron, Visitando o Sr. Green, prestando assim justa homenagem a um grande mestre e defensor do teatro brasileiro, Paulo Autran, criador desse personagem. Nada mais significativo para mim, que retornei à minha carreira”, afirma Mamberti.

A montagem de Visitando o Sr. Green é apresentada pelo Ministério da Cultura e tem patrocínio da Atlas Schindler.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Visitando o Sr. Green
Com Sergio Mamberti e Ricardo Gelli / Gustavo Haddad
Teatro Jaraguá – Novotel Jaraguá (Rua Martins Fontes, 71. Bela Vista, São Paulo)
Duração 90 minutos
13/01 até 19/03
Sexta – 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 19h
$20
Classificação 14 anos
 
Autor: Jeff Baron
Tradutora: Rachel Ripani
Direção: Cassio Scapin
Assistente de direção: Ando Camargo
Cenário: Chris Aizner e Nilton Aizner
Figurino: Fabio Namatame
Luz: Wagner Freire
Trilha sonora: Daniel Maia
Adereços: Nilton Araújo
Fotografia: Ale Catan
Programação Visual: Marcelo- Cordeiro Estúdio Bogari
Vídeo: Leandro Goddinho
Produção executiva: Daniel Palmeira
Assistente de Produção: Uli Alcântara
Coordenação Financeira: Cleo Chaves
Direção de produção: Carlos Mamberti
Realização: CD4 Produções e Mamberti Produções
Assessoria de Imprensa: Morente Forte
Patrocínio: Atlas Schindler
Apoio: Itaú
Apoio Institucional: Pronac – Lei Federal de Incentivo à Cultura

Um comentário sobre “VISITANDO SR. GREEN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s