VIRILHAS

Amor ou paixão? Relacionamento ou conveniência? As reflexões para tais respostas poderão ser avaliadas pelo público no inédito texto de “Virilhas”, de Alexandre Ribondi, com estreia no próximo dia 25 de agosto, no Teatro Augusta – Sala Experimental. Com direção assinada por Rafael Salmona, a montagem encenada por Neto Mahnic e Thiago Schreiter chega pela primeira vez ao tablado sendo marcada por sensualidade, erotismo, solidão e desejos.

Em cena dois corpos aprisionados em um cômodo de apartamento. Dois homens com vontades opostas: um quer ir embora, esquecer o que aconteceu e o que sentiu. O outro, por acreditar que “um coração nunca se cura do amor”, quer ficar. Durante cerca de 50 minutos, os dois usam todos os recursos que têm, inclusive seus corpos e sua sexualidade, para conseguirem o que querem.

Trancados dentro de um banheiro do apartamento, ambos convivem com os dilemas do fim de relacionamento, ciclos que se fecham, amores líquidos e a eterna superficialidade de quem vai embora sem nunca ter ficado. Juntos, buscam a liberdade, a vingança amorosa, o gozo sexual e a felicidade – mesmo que cada um queira ser feliz à sua maneira.

Qualquer pessoa que já tenha passado pela experiência de compreender que amar não basta para estar junto também pode saber o que é interromper a raiva para se jogar nos braços do outro. Isso é o que vazem esses dois homens dentro deste apartamento”, pontua o autor. “Se uma pessoa tem o direito de ir embora é, claro, que a outra tem todo o direito de impedi-la”, completa.“

De acordo com o diretor da montagem, a peça acima retrata a violência com que o amor vai embora. “É um reflexo bem atual sobre a forma como levamos os relacionamentos. As pessoas entram e saem da vida das outras como trocam de roupas. Para dar mais realidade e profundidade a montagem da peça, inserimos vivências dos próprios atores, sobre o tema, nas palavras das personagens”, sintetiza Rafael Salmona.

Em algum momento da vida nos apaixonamos e quisemos deixar alguém. A peça é muito atual e levará a público a grandes reflexões”, pontua Neto Mahnic. “A peça não possui vilões ou mocinhos. A temática é crível, é real. O texto fala sobre relação e o melhor do modo que é visto hoje, onde tudo é meio efêmero”, completa o jovem ator Thiago Schreiter.

unnamed

Virilhas
Com Neto Mahnic e Thiago Schreiter
Teatro Augusta – Sala Experimental (Rua Augusta, 943 – Cerqueira Cesar, São Paulo)
Duração 50 minutos
25/08 até 01/10
Sexta – 21h30; Sábado – 21h; Domingo – 19h
$60
Classificação 18 anos

GAROTA DE IPANEMA, O MUSICAL DA BOSSA NOVA

Com adaptações da temporada do Rio de Janeiro, “Garota de Ipanema, o Musical da Bossa Nova” estreia 22 de setembro no Teatro Opus (Shopping Villa Lobos). O espetáculo tem narrações e imagens que representam toda a história da Bossa Nova e a sua importância para a nossa música.

O musical é dividido em quatro partes: Na primeira são abordadas as histórias e curiosidades sobre o nome ‘Bossa Nova’; na segunda a origem do estilo musical, as influências do passado e como o cenário musical brasileiro propiciou o surgimento do movimento; o terceiro bloco trata dos costumes dos artistas da época e os locais onde se reuniam para criar; e o último mostra como a Bossa Nova ganhou o mundo.

O elenco conta com Claudio Lins, Fabi Bang, Myra Ruiz, Marcelo Várzea, Nicola Lama, entre outros atores/cantores. Eles interpretarão composições que ficaram na memória afetiva de toda uma geração, como ‘Samba de uma nota só‘ (Tom Jobim e Newton Mendonça), ‘Ela é carioca‘ (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), ‘Samba da minha terra‘ (Dorival Caymmi), ‘O Barquinho‘ (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli), ‘Chega de saudade‘ (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), além da canção que dá título ao musical – ‘Garota de Ipanema‘ (Tom Jobim e Vinícius de Moraes).

Para a temporada em São Paulo, decidimos colocar a música à frente da ficção, como um musical show. Temos uma nova equipe criativa, mantendo a essência da bossa nova no espetáculo. E “Garota de Ipanema”, que já foi executada em diversas línguas, é a música que melhor representa este gênero musical“, conta Aniela Jordan, sócia da Aventura Entretenimento, ao lado de Fernando Campos, Luiz Calainho e Patrícia Telles.

FOTO-02_.png

Garota de Ipanema, o Musical da Bossa Nova
Com Andrea Marquee, Ariane Souza, Eduarda Faidini, Fabi Bang, Myra Ruiz, Claudio Lins, Marcelo Varzea, Nicola Lama, Tadeu Freitas, Jhafiny Lima
Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Avenida das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros, São Paulo)
Duração 90 minutos
22/09 até 10/12
$50/$160
Classificação Livre

CLUBE DA ESQUINA, O MUSICAL

O movimento musical, surgido em Belo Horizonte (MG) no início da década de 60, que apresentou ao público nomes como Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes e Toninho Horta, será tema de musical com estreia prevista para 2018.

Baseado no livro “Os Sonhos Não Envelhecem – História do Clube da Esquina” (1996), de Márcio Borges, o espetáculo tem a direção de Dennis Carvalho (“Elis, a Musical”) e está sendo adaptado por Eduardo Rieche (“Yara Amaral – A Operária do Teatro”). A produção é de Marilene Gondim e Márcia Dias.

clube da esquina (1)-miniatura-900x550-164227

Formação original do Clube da Esquina: Milton Nascimento, Flávio Venturini, Vermelho, Tavinho Moura, Toninho Horta e com os braços cruzados, Beto Guedes. Letristas Fernando Brant e Ronaldo Bastos.

(fonte – Dramáticas – Folha de São Paulo)