A HORA DA NOTÍCIA #005

Na edição desta semana, 21 a 27 de agosto, falamos sobre: Milton Nascimento e Clube da Esquina são temas de musical para 2018. foi divulgado o elenco de Hebe – o Musical, Garota de Ipanema chega a São Paulo com adaptações no roteiro, entre outros assuntos.

Estreando o quadro Dica Teatral, a nossa recomendação para assistirem Suassuna – O Auto do Reino do Sol e Boca de Ouro.

Felicidades também aos aniversariantes desta semana: Ismael Resende, Andrey Alfaia, Malu Rodrigues, Natã Queiroz, Marilia Di Dio, Jon Faria, João Luiz Azevedo e Paulo Maeda.

Saiba mais sobre as matérias citadas no programa
Hebe O Musical​ – https://goo.gl/zrhtck
Garota de Ipanema, o musical da Bossa Nova​ – https://goo.gl/UaYUa9
Clube da Esquina o Musical – https://goo.gl/u29iex
Audição A Pequena Sereia – Musical​ – https://goo.gl/eHxCsR
Suassuna – O Auto do Reino do Sol​ – https://goo.gl/xipBgn
Boca de Ouro​ – https://goo.gl/PFW2kE

PESCADORA DE ILUSÃO

Pescadora de Ilusão conta a história de uma mãe que pede perdão aos filhos por ter esquecido de dar comida aos seus peixinhos vermelhos, o que fez com que eles morressem. Para justificar seu pedido de desculpas, Clarice garante que ama os animais e conta histórias divertidas sobre os bichos de estimação que passaram por sua vida, como o cachorro Dilermando e a macaquinha Lisete. No enredo da peça as atrizes Carol Badra e Mel Lisboa vivem as personagens EU e TU, duas atrizes, que pedem para as crianças perdoarem a Clarice Lispector por ter matado os peixes, assim como ela faz no livro. 
 
A adaptação do texto e direção geral do espetáculo são de GpeteanH, tendo como seu assistente Arnaldo D’Ávila. Em um clima de mistério, diversão e interatividade com a plateia, as atrizes explicam a importância do perdão e a relação com as perdas, separações e até mesmo a morte, fazendo uma analogia, entre as diversas histórias que intercalam a trama, com a morte dos tais peixinhos vermelhos. 
 
A encenação utiliza objetos e adereços animados, concebidos pelo diretor de arte Marco Lima, que assina também o cenário e os figurinos. Estes objetos são “pescados” pelas atrizes ou surgem de forma inusitada para ajudá-las a contar essa história.
 
A dupla de atrizes ainda mostra a sua versatilidade ao cantar, sapatear e tocar alguns instrumentos, na bela trilha idealizada pelo diretor musical Pedro Paulo Bogossian, e na coreografia de Chris Matallo”, completa o diretor GpeteanH.
 
SINOPSE
PESCADORA DE ILUSÃO – As personagens EU e TU são amigas inseparáveis. O que as une é o amor pelo teatro. Um dia, decidem sair em defesa da escritora Clarice Lispector que esqueceu-se de alimentar os peixinhos de seus filhos. Para conseguirem seu intento, montam um espetáculo pedindo para que os espectadores perdoem a “Pescadora de Ilusão”.
 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pescadora de Ilusão
Com Carol Badra e Mel Lisboa
Teatro Morumbi Shopping – Shopping Morumbi Shopping (Av. Roque Petroni Júnior, 1089 – Vila Gertrudes, São Paulo)
Duração 60 minutos
09/09 até 29/10
Sábado e Domingo – 15h
$50
Classificação livre

GOD

Quando alguma coisa está errada, pode confiar: Deus toma as devidas providências. E dessa vez, o Todo-Poderoso, Rei do Universo, autor do espaço e do tempo decide vir à Terra pessoalmente… ou quase isso. Cansado dos Dez Mandamentos e de toda a incerteza que eles vêm gerando à humanidade, o criador toma forma através de Miguel Falabella para propor novas leis e esclarecer qualquer mal-entendido a seu respeito.

No espetáculo, ele e seus dois arcanjos dedicados, Miguel (Magno Bandarz) e Gabriel (Elder Gattely), respondem a algumas das questões mais profundas que têm atormentado a humanidade desde a Criação, em apenas 90 minutos. De uma forma muito particular, o Deus de Falabella vem para arrancar muitas risadas do público e desvendar os maiores segredos do universo ou, pelo menos, do Brasil. Afinal, Deus não é brasileiro?

De David Javerbaum, vencedor de Emmy Award Winner, o aclamado e premiado “GOD” fez um enorme sucesso na Broadway, sendo definido pelo jornal The New York Times como “delirantemente, divinamente engraçado”. No Brasil, o espetáculo chega ao público pelas mãos de Miguel Falabella que, além de interpretar o personagem principal, assina a versão brasileira e a direção. A codireção é de Fernanda Chamma.

O altíssimo vem aos seus em uma versão bem mais “moderninha”, com direito à Bíblia em formato iPad, sabendo tudo sobre corte de gordura trans e glúten, e sem paciência para política. Dentre os mandamentos repaginados, estão “Honrarás teus filhos”, “Separar-me-ás do Estado” e “Não me dirás o que devo fazer” – todos peculiarmente muito bem explicados e fundamentados.

GOD_CreditoDanielChiacos00070.jpg

God
Com Miguel Falabella, Magno Bandarz e Elder Gattely
Teatro Procópio Ferreira (Rua Augusta, 2823 – Cerqueira Cesar, São Paulo)
Duração 90 minutos
18/08 até 24/09
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 18h
$90/$150
Classificação 14 anos

 

AMARELO DISTANTE

Com dramaturgia e direção de Kiko Rieser e atuação de Mateus Monteiro, o espetáculo solo Amarelo Distante, baseado em dois contos do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu (“Lixo e purpurina” e “Anotações sobre um amor urbano”), fala de descobertas, solidão e dor através da história de um jovem e suas experiências em terras estrangeiras. 
 
Nos anos 70, Caio F. se exilou em Londres, onde se deparou com a solidão, a sensação de estrangeirismo, a precariedade em decorrência da falta de dinheiro, sentimentos ambíguos e saudosos do Brasil, da família e dos amores do passado, do presente e possivelmente do futuro. A partir dessas angústias ele escreveu um diário (o conto “Lixo e purpurina”), mistura de ficção e realidade, que é o fio condutor desta história.
 
A peça retorna aos palcos dia 9 de setembro às 21h, no TUSP para temporada gratuita.
 
A DRAMATURGIA
Caio Fernando Abreu é conhecido por um estilo singular e facilmente reconhecível, tanto temática quanto formalmente. Os dois contos em que a peça se baseia, no entanto, são sutis exceções à homogeneidade formal da obra do escritor gaúcho, embora apresentem os mesmos temas que o consagraram. 
 
“Lixo e purpurina” é, talvez, o conto mais seco de Caio, quase exclusivamente narrativo, praticamente despido das fortes emoções que levaram Lígia Fagundes Telles a defini-lo como o escritor da paixão. Estruturado a partir do diário que Caio escreveu em Londres (aglutinando vários fragmentos que misturam ficção e realidade, segundo epígrafe do próprio autor), o conto narra as adversidades enfrentadas em terra estrangeira. Os reincidentes entreveros com policiais, a curta estada na cadeia por roubar um livro, os diversos tipos de trabalho e atividades a que tinha que se submeter para angariar algum dinheiro, os constantes despejos das casas que ocupava com inúmeros outros imigrantes de diferentes países e o enfrentamento do frio e da fome são descritos com objetividade, precisão e por vezes até certo distanciamento. 
 
“Anotações sobre um amor urbano”, por sua vez, é certamente um dos contos mais líricos de Caio. Sem nenhum enredo como base, é apenas a evocação de um amor do passado, constituída por uma sucessão de imagens poéticas que denunciam a solidão, o abandono, o inconciliável hiato entre alteridades, a incapacidade de afirmar plenamente uma identidade, a necessidade de represar desejos e o acúmulo de erros como consequência das inevitáveis escolhas.
A peça não se fixa nos contos, mas parte deles para construir uma fabulação própria. Tendo como fio condutor a estrutura fragmentada de diário, a dramaturgia narra os percalços e demais acontecimentos do auto-exílio em Londres, intercalando-os com evocações de diferentes amores – do presente, do passado e quiçá do futuro – surgidas como válvulas de escape, pequenas fugas psicológicas que tornam possível a sobrevivência em condições tão adversas e que enriquecem, ao menos um pouco, o imaginário desse personagem mergulhado na mais completa miséria material e emocional.
 
A ENCENAÇÃO
Não apenas para potencializar uma peça cujo motor principal é a palavra, mas também buscando expressar no palco a miséria, tanto emocional quanto material, a que é submetido o personagem da peça, foi criada uma encenação minimalista, centrada no trabalho do ator. Sem ações ou gestos cotidianos, passando ao largo do realismo, o espetáculo cria imagens que tentam reproduzir o universo mental do personagem, enquanto narra e revivifica o tempo passado no exílio. Com uma iluminação escura, trabalhando sobre contrastes e criando uma atmosfera brumosa, o palco foi sendo despido dos elementos do cenário criado inicialmente, até chegar ao completo esvaziamento do espaço cênico, apostando, assim, no essencial: o trabalho do ator, ressignificando a palavra dita e materializando-a espacialmente em seu corpo. 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Amarelo Distante
Com Mateus Monteiro
TUSP – Teatro da Universidade de São Paulo (R. Maria Antônia, 294 – Vila Buarque, São Paulo)
Duração 60 minutos
09/09 até 01/10
Sábado – 20h, Domingo – 18h
Entrada gratuita
Classificação 14 anos
 

2a EDIÇÃO FEIRA DE AUDIÇÃO

Acontecerá em São paulo a SEGUNDA EDIÇÃO da Feira de Audição – Empreendedorismo Artístico  que será realizada nos dias 11 e 12 de setembro na sede da Bravart Entretenimento, também apoiadora do evento neste ano (Av Mofarrej, 825– Vila Leopoldina, São Paulo).

Trata-se de uma feira de empreendedorismo artístico com palestras e stands do mercado em diversos segmentos como cinema, televisão, teatro, teatro musical, dança, música, direção técnica, cenografia, produção de eventos e etc. Uma experiência de TROCA na arte para profissionais e estudantes do segmento que estarão lá fazendo contatos, encontros, trocando experiências e fomentando a classe.

A idealização e realização é de Fefa Moreira, coreógrafa e diretora da Cia Tampa Tap. Fefa teve a ideia de criar a feira a partir da vontade de unir as cadeias da classe do mercado artístico para que trocassem trabalho e experiência e da necessidade de empreenderem o próprio trabalho e assim obterem mais espaço no mercado. “Ampliar os contatos e ter “Insights” através de outros profissionais amplia seu leque de atuação.” diz a empresária.

Durante os dois dias de evento, os stands e as palestras acontecem simultaneamente. Nos stands visitantes poderão circular livre e gratuitamente por escolas, produtoras e empresas de diversas áreas do mercado artístico, para conhecerem seus trabalhos, fazerem cadastramento profissional, além de aumentarem seu networking.

Serão 20 palestrantes que empreendem em diversas áreas do segmento artístico; produtores, artistas e agentes, que vão abordar assuntos desde como é estar do outro lado do palco, passando por  análise de carreira artística, até a área de produção e empreendedorismo artístico.

Dentre os palestrantes já confirmados desta segunda edição, estão nomes como Debora Dubois, Luanda Scandura(que participou da primeira edição e volta neste ano), Bia Ramsthaler, Jayr Sanzone, Jonatas Faro, Leonardo Miggiorin, Vânia Pajares, Raphael Mayer, Julio Oliveira, Daniel Boaventura, Fabiana Lian, Marco França, Gustavo Niederauer, e mais dois convidados especiais que completam esse time. Participaram da edição anterior nomes como Tiago Abravanel, Leandro Luna,  Álvaro RealRicardo Marques, Renata Borges, Marllos Silva, Ligia Paula MachadoFernanda Chamma e Bruno Fagundes.

Para participar do evento, as pessoas poderão adquirir o “Day Pass” para um dia inteiro de palestras e direito à “Mesa de Negócios”, o “Three Pass” com direito á 3 palestras pré-agendadas e palestras avulsas. Os valores vão de R$30 a R$ 150. As inscrições podem ser feitas pelo Sympla –https://www.sympla.com.br/feira-de-audicao-2017__169652. Maiores informações pelo email 

Este ano a Feira de Audição será transmitida ao vivo em live time streaming. O preço da transmissão ao vivo será de R$ 40. Maiores informações no site do evento.

Visite o site do evento e descubra sua programação de atividades. Não perca!!!

unnamed.jpg