DANIELLE WINITS DEIXA MUSICAL

A atriz Danielle Winits saiu do elenco do espetáculo “MPB Musical Popular Brasileiro“. Para substitui-la, foi escolhida a atriz Adriana Lessa. Ela interpretará a vedete Suzete Campos no musical, que tem estreia dia 2 de março no Teatro das Artes, direção de Jarbas Homem de Mello.

O motivo dado pela produção para a substituição foi que a atriz teria de passar 20 dias em fevereiro gravando um filme de Miguel Falabella, estrelado pela atriz espanhola Carmen Maura (“Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos”).

Mas as portas do musical não ficaram fechadas para a atriz. Há possibilidade que Winits faça parte da montagem no Rio de Janeiro.

P.S. Comentamos sobre Danielle Winits há cerca de duas semanas. Isto porque não entendemos como a atriz conseguiria participar de “MPB Musical Popular Brasileiro” e a nova produção de “Os Produtores“, onde ela estará ao lado de Miguel Falabella e Marco Luque, com estreia prevista para 19 de abril no Teatro Procópio Ferreira. Agora, está explicado.

REALMENTE ‘TIROS NA BROADWAY’

O espetáculo “Bullets Over Broadway” (‘Tiros na Broadway‘) teve sua temporada cancelada no Goodspeed Opera House, de Connecticut, (EUA), por causa das acusações de assédio sexual feitas por Dylan Farrow contra o cineasta Woody Allen, de quem é filha adotiva.

AP_woody_allen_dylan_farrow_split_h_jt_140208_v4x3_16x9_992

O musical é baseado no filme homônimo de Allen, que conta a história de um jovem escritor que tem sua primeira peça na Broadway financiada por um gangster. As críticas não foram tão positivas assim, tanto que a temporada na Broadway durou apenas 156 apresentações (2014). Depois o musical começou uma turnê pelos Estados Unidos.

Para substitui-lo, foi escolhida a comédia musical “The Drowsy Chaperone”  (‘A Madrinha Embriagada’), que já foi apresentada no nosso país, em uma produção do Atelier de Cultura, em 2013.

O PALHAÇO E A BAILARINA

Um universo lúdico e circense ganha vida no palco do Teatro Santander em janeiro para contar a divertida e romântica história da sonhadora bailarina Anabel e do corajoso e romântico Palhaço. Interpretados por Kiara Sasso e Lázaro Menezes, o casal, que assina também algumas funções criativas do espetáculo como concepção e texto, letra e música, direção e cenografia, retornam a São Paulo com o sucesso musical “O Palhaço e a Bailarina”, primeira produção da O Alto Mar Produções Teatrais, para uma temporada especial de férias.

Buscando alternativas para ganhar algum dinheiro, Tombo, vivido por Blota Filho, um severo domador de leões e ex-administrador do falido “Grande Circo Nômade”, decide dispensar seus artistas, entre eles o multitalentoso Palhaço – que passa a fazer apresentações pelas ruas com seu acordeom inseparável -, mantendo em atividade apenas a doce bailarina, por quem alimenta um sentimento platônico; Ele então acorrenta os pés dançantes de Anabel em uma enorme caixinha de música, que passa a ser seu único cantinho para os dias tediosos e sem ninguém para conversar, e a obriga a se apresentar diariamente para pequenos públicos, sem imaginar o quanto a faz infeliz e sonha ser encontrada.

Preocupado com o sumiço da bailarina-aramista, por quem deseja se declarar, o Palhaço decide então sair em busca de sua amada na decisiva missão de reencontrá-la, vencendo seus maiores medos e enfrentando os mais diversos desafios pelo caminho, até que descobre seu paradeiro e enfrenta Tombo, mudando assim seus destinos.

Resgatando bons sentimentos e valores como o perdão, a amizade e o amor, o espetáculo visa também a importância de se preservar a liberdade em todos os seus estados, e ganha ainda mais charme com encantadores momentos de sapateado e acrobacia, além da trilha original, sob a direção musical de Guilherme Terra, composta por 13 canções executadas por seis músicos ao vivo, e repletas de poesia e lirismo.

26733521_1966344663580618_6622005147461350123_n

O Palhaço e a Bailarina
Com Kiara Sasso, Lázaro Menezes e Blota Filho.
Teatro Santander (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 70 minutos
21/01 até 24/02 (não haverá sessão nos dias 10 e 11/02)
Sábado e Domingo – 16h
 $50/$100
Classificação Livre

SE MEU APARTAMENTO FALASSE

Burt Bacharach é um compositor que dispensa apresentações. Aos 89 anos e ainda em atividade, ele segue pelo mundo colhendo os frutos de uma carreira repleta de sucessos e de canções que se eternizaram, como ‘I Say a Little Prayer’ e ‘I’ll Never Fall In Love Again’. Estes dois hits fazem parte do repertório de ‘Se Meu Apartamento Falasse…’ (‘Promises, Promises’ no original de 1968), sua primeira e única incursão no Teatro Musical, que chegará aos palcos de São Paulo a partir de 21 de janeiro no Teatro Santander. Os responsáveis pela empreitada são Charles Möeller & Claudio Botelho, que já tinham dedicado um espetáculo ao cancioneiro de Bacharach (‘Cristal Bacharach’, em 2003) e retornam à obra em seu 41º musical.

Marcelo Medici interpreta Chuck Baxter, o atrapalhado contador de uma companhia de seguros que empresta seu apartamento para encontros casuais de colegas de trabalho, em troca de promoções e vantagens na empresa. Entre algumas confusões e hilários desencontros, as coisas se complicam quando ele se apaixona pela garçonete Fran Kubelik (Malu Rodrigues), conhece a desmiolada Marge MacDougall (Maria Clara Gueiros) e cede a sua casa para Sheldrake (Marcos Pasquim), o dono da empresa.

A trama cômica foi inicialmente escrita pelo premiado dramaturgo Neil Simon e levada ao cinema (‘The Apartment’, 1960) por Billy Wilder e I.A.L. Diamond. Estrelado por Jack Lemmon  e Shirley MacLaine, o longa venceu o Oscar de Melhor Filme e ainda levou outros quatro troféus (Direção, Roteiro Original, Direção de Arte e Edição). Nos anos seguintes, Simon procurou Bacharach com a ideia de transformar a história em um musical. O resultado estreou em 1968 e marcou a história da Broadway com impressionantes 1281 apresentações.

Criadas especialmente para o palco, muitas das canções de ‘Se Meu Apartamento Falasse…’ foram gravadas por astros da música internacional, como Dionne Warwick, e são facilmente reconhecidas em todo o mundo. Além dos sucessos já citados acima, entram na lista ‘Promises, Promises’ e ´A House Is Not A Home´. A versão brasileira conta com arranjos e direção musical de Marcelo Castro, que vai reger uma orquestra com oito músicos.

Além do maestro, outros antigos parceiros de Möeller & Botelho estão reunidos na ficha técnica do musical, como Tina Salles (coordenação artística), Rogério Falcão (cenografia), Paulo Cesar Medeiros (iluminação), Alonso Barros (que assina a coreografia com Möeller), Beto Carramanhos (visagismo) e Ademir Moraes Jr. (design de som). Todos estiveram com a dupla em produções recentes como ‘Kiss Me, Kate’ (2015), ‘O Que Terá Acontecido a Baby Jane?’ e ‘Rocky Horror Show’ (2016).

Protagonista desta última montagem, Marcelo Medici reforça o elo com a dupla, que também o dirigiu em ‘Sweet Charity’ (2006). Enquanto Marcos Pasquim faz a sua estreia com os diretores neste trabalho, Maria Clara Gueiros esteve em ‘As Bruxas de Eastwick’ (2011) e ‘O Mágico de Oz’ (2012).

Já Malu Rodrigues chega ao seu 11º com Möeller & Botelho. Aos 24 anos, a atriz alcançou a incrível marca após atuar em ‘7 – O Musical’, ‘Beatles Num Céu de Diamantes’, ‘A Noviça Rebelde’, ‘Milton Nascimento – Nada Será Como Antes’, ‘O Despertar da Primavera’, ‘Nine – Um Musical Felliniano’, ‘Um Violinista no Telhado’, ‘O Mágico de Oz’, ‘Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos’, ‘Versão Brasileira – 25 anos de Musicais’.

26733482_774461432737522_7494368346702165062_n

Elenco e Equipe Criativa

Se Meu Apartamento Falasse…
Com Marcelo Medici, Malu Rodrigues, Marcos Pasquim e Maria Clara Gueiros, André Dias, Fernando Caruso, Antonio Fragoso, Renato Rabelo, Ruben Gabira, Jullie, Karen Junqueira, Patrick Amstalden, Caru Truzzi, Lola Fanucchi, Patricia Athayde, Duda Ramos, Marianna Alexandre, Mayra Veras e Yasmin Lima
Teatro Santander (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 150 minutos
21/01 até 24/02
Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$50/$190
Classificação 12 anos
 

CANTOS DE COXIA E RIBALTA

Primeiro musical 100% autoral nos doze anos de existência da Companhia, e completamente inédito, “Cantos de Coxia e Ribalta” foi criado por Alef Barros e Gustavo Dittrichi, a partir do estudo de três vertentes artísticas: os personagens-tipos da commedia dell’arte, os ritmos musicais brasileiros e o teatro narrativo brasileiro; combinando esta nova abordagem com a bagagem de pesquisa cênica que a Cia. Lusco-Fusco já carrega; teatro e música (ou teatro musical).

Tanto o argumento (texto) quanto as músicas são originais, e inéditos. O argumento (escrito por Gustavo Dittrichi) buscou livre inspiração na obra de Luis Alberto de Abreu; em especial no texto “O Auto da Paixão e da Alegria”. A linguagem cênica tem inspiração no musical “Godspell“, de Stephen Schwartz e John-Michael Tebelak. Já a música (escrita por Alef Barros, e em parte composta por ele) buscou referências na obra musical de Chico Buarque; nas composições de Baden Powell com Toquinho, em especial nos seus estudos e releituras dos cantos de terreiro e umbanda; e na bossa-nova em geral. Os arranjos musicais e composições gerais são de Dario Ricco, Hiago Guirra e Marco De Laet; e os arranjos vocais são de Pedro Aldozza. A concepção cênica e estética é de Gustavo Dittrichi.

O espetáculo tem patrocínio da Só Dança; apoio da ACENBI (Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira do Imirim), da Poiesis, das Fábricas de Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura e da Prefeitura de São Paulo. A produção e realização é daLusco-Fusco Produções Artísticas.

Sinopse do espetáculo

Sob os sussurros da coxia e as luzes de ribalta, um grupo de atores se reúne para contar uma história. Entre o corre-vida e as chegadas e partidas dos trilhos de uma estação de trem, o público é apresentado a uma trupe de teatro em crise financeira, que corre o risco de ter seu teatro tomado por conta da especulação imobiliária. Um Poeta então é encarregado de criar uma grande obra teatral a fim de trazer de volta aos artistas os tempos áureos: é a última chance do Teatro sobreviver.

Neste cenário, personagens tipificados, inspirados pelos tipos commedia dell’arte – o Dono da Cia., um Poeta, um Músico, uma Primadonna, um Jovem Ator sonhador e uma linda e ambiciosa Jovem Atriz – passam a viver seus próprios conflitos, que misturam-se com a própria história da peça que estão montando. Enquanto tentam contar a história, a realidade mistura-se com a ficção até que se tornem uma coisa só. A abordagem poética da paixão, da desilusão, da entrega, da inveja e competição, da morte e, sobretudo, da sensação de estar sempre tentando permanecer “de pé” e superar os obstáculos impostos pelo destino – sensação tão comum ao Teatro e também à vida cotidiana – são os ingredientes para mover o espetáculo.

Cantos de Coxia e Ribalta
Com Gustavo Dittrichi, Marco De Laet, Carolina Silveira, Lucas Zamaia, Joyce Fernandes, Rodolfo Mozer, Beatriz Belintani, Isabella Costa, Heitor Moretti, Laís Helena
Teatro Alfredo Mesquita (Avenida Santos Dumont, 1770 – Santana, São Paulo)
Duração 120 minutos
13/01 até 04/02
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h
$20
Classificação 12 anos

A PEQUENA SEREIA

Chega ao Brasil, no Teatro Santander, a partir de 30 de março, a montagem da Disney para o clássico das telas, A Pequena Sereia – Musical.

A estreia na Broadway foi em 2008.

O musical que conta a história de Ariel e seu amor pelo príncipe Eric, e a vontade de viver em terra seca, tem a produção da IMM e EGG Entretenimento. A direção e a coreografia é de Lynne Kurdziel Formato, a direção e a coreografia associada é de Fernanda Chamma e a direção musical é de Vânia Pajares.

O espetáculo é estrelado por Fabi Bang (Wicked), Rodrigo Negrini (Les Misérables), Andrezza Massei (Les Misérables), Conrado Helt (Cantando na Chuva), Tiago Abravanel (Tim Maia, o Musical) e Lucas Cândido (Les Misérables).

BeFunky Collage

Conheça o elenco completo do musical – https://goo.gl/sSJpUw

 

BEATLES PARA CRIANÇAS 2 – A BAGUNÇA CONTINUA

Beatles Para Crianças 2 traz um repertório renovado, com canções como Sargent PeppersLonely Hearts Club BandShe Loves YouObladi ObladaOctopus Garden, entre outras. Vídeos e animações operadas ao vivo deixam o espetáculo ainda mais atraente.

As crianças são apresentadas também a novos e diferentes instrumentos musicais, tais como banjo, gaita, sanfona, escaleta e outros. E mantendo a tradição do grupo, dessa vez as crianças recebem no final do show uma carteirinha de Fã Número 1

Beatles Para Crianças 2 – A Bagunça Continua
Com Beatles Para Crianças
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 70 minutos
10/03 até 29/04
Sábado e Domingo – 15h
$30/$60
Classificação Livre