EU AMO ROBÔ

Com texto e direção de João Hannuch, a terceira montagem da Benvinda Cia EU AMO ROBÔ, estreia dia 3 de março, sábado, às 21 horas, na Cia da Revista. O espetáculo, com 14 atores em cena, questiona os limites dos conceitos de loucura e amor.

Em EU AMO ROBÔ Zé (Daniel Paulo) foi internado em um hospital psiquiátrico pela sua própria família sem o seu consentimento. Agora, diferente de sua antiga e abastada realidade, ele se depara com medicamentos pesados, situações imorais e terapias ocupacionais. Dentre os mais diversos e peculiares pacientes, ele se encanta por Chii (interpretada pelas atrizes Ema Jovanovic e Isabela Tilli), que se autodenomina um robô. Seria esse contato, exatamente o que Zé precisava para garantir sua lucidez ou a sanidade de Zé significaria a condenação de Chii? Afinal, que preço se paga pela paz de espírito?

Para o autor e diretor João Hannuch, EU AMO ROBÔ aborda temas atuais como abuso e depressão. “A ideia é explorar o tema da loucura sobre vários aspectos, além de fazer uma metáfora do mundo atual com o hospital psiquiátrico onde se passa a encenação”, conta ele.

Universo HQ

Terceira montagem da Benvinda Cia, o espetáculo apresenta personagens escritos especialmente para os atores, com isso a direção deixou os mesmos mais livres e abertos para as construções dos personagens. “Esse foi o grande diferencial na direção em comparação a Limonada, nosso trabalho anterior. Também não tive medo de buscar referências em diretores que admiro, já que somos um grupo jovem e sempre com montagens originais”, revela o autor e diretor.

A encenação de EU AMO ROBÔ se inspira no universo das histórias em quadrinhos e dos animes, principalmente no desenho japonês Chobits, que tem uma personagem com o nome Chii. “Adoro esse desenho e resolvi prestar uma homenagem utilizando o mesmo nome para a personagem”, explica João.

A cenografia minimalista composta por 13 bancos brancos e um retângulo de led azul, assim como os figurinos com camisolas que lembram, pelo corte, um quimono, também trazem referências orientais. A ideia é recriar um ambiente antisséptico, que lembre um pouco um hospital, mas também que seja frio e futurista. Na trilha sonora, músicas eletrônicas alternativas.

AmoRobo_ensaioaberto-10bx.jpg

Eu Amo Robô
Com Amanda Diniz, Bárbara Grossi, Carolina de Biagi, Daniel Paulo, Emma Jovanovic, Érica Estevam, Fábio Pazitto, Isabela Tilli, Jhones Pereira, Jhullie Campos, Victor Klotz, Virgínia Lapoian, Yasmin Pavanelli e Matheus Silva
Espaço Cia da Revista (Alameda Nothmann, 1135 – Santa Cecília, São Paulo)
Duração 70 minutos
03 até 25/03
Sábado – 21h, Domingo – 20h
$40
Classificação 14 anos

Um comentário sobre “EU AMO ROBÔ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s