LEOPOLD E LOEB, O MUSICAL

A Néctar Cultural (“Meu Amigo, Charlie Brown”, “O Louco e a Camisa”) prepara sua versão musical sobre a história de dois amigos, Nathan Leopold e Richard Loeb, que assassinaram um jovem de 14 anos de idade, em 1924, pela simples vontade de cometer um crime perfeito.

O caso inspirou vários filmes e peças. Em 1929, Patrick Hamilton lançou sua peça “Rope” (“Corda” – 1929), que inspirou o filme homônimo (“Festim Diabólico“) de Alfred Hitchcock (1948). Depois vieram livro, filme, peças, seriados e até graphic novel (“Ice Haven” – 2005).

Os dois assassinos serão interpretados por Leandro Luna (“Chaplin – O Musical”) e André Loddi (“Cinderella, o Musical”).

(P.S. O título da matéria não é o título do musical)

A história dos dois assassinos

600

Leopold e Loeb

Nathan Freudenthal Leopold, Jr. (1904-1971) e Richard Albert Loeb (1905 – 1936), mais conhecidos como “Leopold e Loeb“, eram dois jovens, namorados, estudantes da Universidade de Chicago. Ambos pertenciam as famílias mais ricas e prósperas da cidade, e eram extremamente inteligentes.

Baseados na obra de Friedrich Nietzsche, “Übermensch” (“Super-Homem”), resolveram cometer o crime perfeito. O escolhido foi Robert Franks, de 14 anos de idade, primo de Loeb.

Antes do assassinato, Leopold escreveu para Loeb: “Um super-homen (…) é, em virtude de certas qualidades superiores inerentes a ele, isento das leis comuns que regem os homens. Ele não é responsável por qualquer coisa que ele possa fazer.

O crime

150px-Bundesarchiv_Bild_102-00651A,_Robert_Franks_mit_Vater

Robert Franks e seu pai (1924)

O crime aconteceu em 1924, quando ambos atraíram o garoto para dentro de um carro e o mataram com uma pancada em sua cabeça. Depois, jogaram ácido clorídrico no corpo para dificultar seu reconhecimento, e o abandonaram em um uma rodovia no estado vizinho de Indiana.

Ao retornarem para Chicago, ligaram para os pais de Frank, dizendo que o filho havia sido sequestrado. Só que antes do resgate ser pago, um trabalhador encontrou o corpo do garoto, e junto a ele, um par de óculos com uma armação rara e sofisticada. Em Chicago, apenas 3 pessoas tinham comprado o modelo. Uma delas era Nathan Leopold.

Com isso, os dois rapazes acabaram confessando e começou uma cobertura do ocorrido pela imprensa, de uma maneira jamais vista. O crime chocou o país quando se soube o motivo que os levaram a assassinar o garoto.

O julgamento

250px-Clarence_Darrow

Clarence Darrow

O julgamento de Leopold e Loeb foi um dos primeiros casos nos Estados Unidos a ser apelidado de “julgamento do século“. Para atuar como advogado de defesa, foi contratado Clarence Darrow, que veio a se tornar uma lenda no direito americano.

Enquanto todos esperavam que os assassinos alegassem insanidade mental, Darrow surpreendeu a todos quando ambos se declararam culpados. Com isso, o advogado conseguiu evitar o júri popular, o que poderia levar seus clientes à pena de morte; e assim pode montar seu caso frente a apenas ao juiz do caso, John R. Caverly.

Foram nas horas finais do julgamento, que Darrow fez uma declaração, que foi considerada a melhor de sua carreira. O discurso incluía: “Esse terrível crime era inerente a esses garotos, que se originou no passado … devemos culpar alguém que tomou os ensinamentos de Nietzsche em sua vida? … devemos realmente condenar um garoto de 19 anos pela filosofia que foi obrigado a absorver na faculdade?”

A sentença

300px-Bundesarchiv_Bild_102-12794,_Nathan_Leopold_und_Richard_Loeb

Leopold e Loeb

O juiz sentenciou Leopold e Loeb a prisão perpétua por assassinato, adicionados 99 anos pelo sequestro.

Em 1936, Loeb foi morto por outro prisioneiro. Leopold chegou a ser solto em 1958, após 33 anos preso. Escreveu um livro sobre o assunto (“Life Plus 99 Years“). Morreu em 1971.

O ‘crime perfeito’, o tórrido envolvimento amoroso dos assassinos, o julgamento, a atuação magistral do advogado e todas as suas consequências,  impactaram profundamente a sociedade ocidental e em especial o mundo cultural.

 

Um comentário sobre “LEOPOLD E LOEB, O MUSICAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s