SILHUETAS

Todas as marcas e vivências que há mais de três décadas tecem a história da polivalente atriz e cantora Kiara Sasso, grande estrela do teatro musical brasileiro, se reúnem em uma nova apresentação de seu show solo “Silhuetas“, uma verdadeira viagem pelos inesquecíveis momentos de sua carreira, marcada para 26 de junho, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo.

Produzido pela O Alto Mar Produções, comandada por Kiara Sasso e Lázaro Menezes, o projeto, que nasceu como uma grande comemoração de 30 anos da trajetória da artista nos palcos e também no cinema através da dublagem, foi apresentado pela primeira vez há pouco mais de um ano, passando por São Paulo e Rio de Janeiro, onde conquistou um público diverso e despertou nos aficionados por musicais um saudosismo especial com a ajuda de um roteiro divertido e um setlist emocionante cheio de clássicas canções de suas personagens mais icônicas como Bela de “A Bela e a Fera”, Donna de “Mamma Mia, Maria de “A Noviça Rebelde”, Christine de “O Fantasma da Ópera”, e Ariel de “A Pequena Sereia” – a quem emprestou sua voz nas canções da animação que foi redublada em 1997.

O sucesso da jornada da atriz junto ao público traz “Silhuetas” de volta aos palcos para um show repleto de novidades e que dará espaço para outras silhuetas se revelarem. Em um novo momento, Kiara Sasso relembra grandes parcerias de palco e convida Saulo Vasconcelos, com quem contracenou em sete produções e formou cinco casais, Kacau Gomes e Li Martins, para relembrar icônicas personagens e inesquecíveis canções. Sem deixar de lado alguns momentos da temporada de 2017, que relembraram desde sua infância até os dias de hoje, a apresentação cheia de frescor e com muitas surpresas trará não só novidades no roteiro – escrito e dirigido por Lázaro Menezes, com quem divide o trabalho e a vida –, como também números inéditos, incluindo um momento de “As Aventuras de Poliana”, nova novela do SBT em que integra o elenco como Alice, mãe da protagonista.

Acompanhada por cinco músicos e sob a direção musical de Guilherme Terra, o show conta ainda com figurinos de Geraldo Couto, o visagismo de Anderson Bueno, o design de luz de Xuxa e de som de Alexandre Japa.

Silhuetas

Com Kiara Sasso e participações de Kacau Gomes, Li Martins e Saulo Vasconcelos

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elísios, São Paulo)

Duração 100 minutos

26/06

Terça – 21h

$80/$100

Classificação Livre

 

DR – DISCUTINDO A RELAÇÃO

Dirigida por Cris Nicollotti, a peça “DR – Discutindo a relação” reestreia em São Paulo, em curta temporada no Teatro BTC, Vila Mariana, dia 2 de junho, 21h.

Com texto de Thíago Uriart, dramaturgia nasceu de situações vividas e presenciadas pelo autor que também atua ao lado da atriz Sharon Barros. A trama se desenvolve levando para a cena problemas comuns entre um casal que estão juntos a cinco anos.

Discutindo a Relação leva o casal (Théo e Luiza) a buscar terapia para tentar resolver seus problemas conjugais, mas o que era para ajudar acaba transformando a vida desses dois em uma verdadeira guerra dos sexos! Sem pudor, os dois avaliam sua vida sexual, dificuldade em lidar com os amigos do parceiro, falta de comunicação, afinidades, egoísmo, ciúmes, mágoas acumuladas ao longo do tempo e todos os ingredientes sempre presentes em qualquer relação.

Há uma imediata identificação entre o público e as questões ali apresentadas, muitas risadas, momentos descontraídos e interação com a plateia. O espetáculo propõe similaridade e empatia ao público ao vivenciar em cena os questionamentos, as brigas e o amor tórrido e especial que casais da vida real vivem diariamente.”  Sharon Barros

Há dois anos em cartaz, montagem estreou em abril de 2016 no Rio de Janeiro e já circulou por diversas cidades do interior fluminense, Minas Gerais e grande São Paulo.

Casais brigam sempre, mas não se desgrudam, não abrem mão da companhia um do outro, como também não abrem mão de uma boa briga. O espetáculo faz uma análise comportamental de diversos casais, que brigam como cães e gatos, mas sabem que no fundo são essenciais na vida um do outro.” Thíago Uriart

CARMEN.png

DR – Discutindo a relação

Com Thíago Uriart e Sharon Barros

Teatro BTC (Rua Santa Cruz, 2105, Vila Mariana, São Paulo)

Duração 80 minutos

02 até 30/06

Sábado – 21h

$60

Classificação 14 anos

QUE MONSTRO TE MORDEU?

Criado em 2014 como série televisiva (TV Cultura, 2014 – 2015) por Cao Hamburger e Teodoro Poppovic,Que Monstro Te Mordeu? transborda seu mundo pela primeira vez para a linguagem teatral.

Com texto e direção de Carla Candiotto, e espetáculo estreia para público dia 9 de junho, sábado, às 14 horas. A temporada segue até 2 de dezembro aos sábados e domingos às 14 horas. Além do espetáculo, a criançada também poderá visitar, a partir do dia 6 de junho, quinta-feira, uma exposição que exibe várias etapas do processo de criação da série infantil, no espaço expsositivo. A exposição e o espetáculo teatral apresentam narrativas que se complementam e oferecem um programa divertido e informativo para fãs da série e também para aqueles que ainda não a conhecem. Entrada gratuita.

Os autores da série original assinam colaboração dramatúrgica. No elenco estão Alexandre Scaldini, Bebel Ribeiro, Daniel Costa, Fernando Mariano, Gilson Ajala, Melina Menghini, Nilton Marques, Paulo Henrique, Sandro Gattone, Sidnei Caria e Thiago Toledo. A direção de arte (cenografia, adaptação de bonecos e figurino) é de Marco Lima; a direção musical é de Marcelo Pellegrini, e a iluminação de Wagner Freire.

A história do espetáculo se passa no Monstruoso Mundo dos Monstros, um lugar onde os monstros desenhados pelas crianças ganham vida. Certo dia, aparece nesse lugar Lali, uma monstrinha diferente dos demais que ali habitam. Lali conhece e convive com novos amigos – como Luísa, Gorgo e Dedé – até encontrar Dr. Z, que descobre que ela pode ser humana. A partir desse momento, o MMM (Monstruoso Mundo dos Monstros) se transforma em um lugar de medo e intolerância. Cabe a Lali lutar por sua sobrevivência e mostrar para todos que pode ser surpreendente e encantadora a convivência com o diferente.

A Monstruosa Exposição dos Monstros

Na abertura da série infantil Que Monstro Te Mordeu?, Dr. Z anuncia: Toda vez que uma criança desenha um monstro, ele ganha vida em um lugar muito especial“.  E esse lugar existe! Que Monstro Te Mordeu? A Monstruosa Exposição dos Monstros apresenta o universo dos monstros que se imagina e que se cria a partir do simples ato de desenhar. Ao propor uma experiência imersiva e interativa, a exposição apresenta ao público os bastidores criativos do programa e também o seu imaginário. Pinturas, desenhos, animações e projeções mostram as etapas da criação dos personagens: do papel em branco ao desenho da criança; do roteiro à vida animada na série. A atmosfera do espaço proporciona um mergulho neste universo de monstros, também estimulando a imaginação do público ao sugerir que desenhem suas próprias criações e criaturas, que até podem ganhar vida ao serem exibidas no local.

12507479_1013439212031577_6177290564557011834_n

Que Monstro Te Mordeu?

Com Alexandre Scaldini, Bebel Ribeiro, Daniel Costa, Fernando Mariano, Gilson Ajala, Melina Menghini, Nilton Marques, Paulo Henrique, Sandro Gattone, Sidnei Caria e Thiago Toledo

Teatro do Sesi – Centro Cultural FIESP (Av. Paulista, 1313 – Cerqueira César, São Paulo)

Duração 60 minutos

09/06 até 02/12 (não haverá sessões nos dias 17 e 22/06)

Sábado e Domingo – 14h

Entrada gratuita

Classificação Livre

Exposição Que Monstro Te Mordeu? A Monstruosa Exposição dos MonstrosDe 6 de junho a 28 de outubro, de terça a sábado, das 10 às 22h; domingo, das 10h às 20h. Entrada gratuita. Curadoria de Teodoro Poppovic. Espaço de Exposições.

O PLANETA DOS ESQUECIDOS

No próximo dia 02 de junho estreia no Teatro Viradalata o espetáculo O Planeta dos Esquecidos, uma ficção científica de Luccas Papp, que também está está em cena. Completam o elenco as atrizes Francis Helena Cozta e Raissa Chadad e o ator Wilson Gomes. A peça tem direção de Dan Rosseto marcando sua estreia no universo infanto-juvenil.

A peça se passa no ano de 2087, o planeta Terra está devastado por um vírus que já dizimou parte da humanidade. Nessa época vive Cora Corada uma jovem sagaz, que está imune e mora em uma pequena construção em meio ao vazio. Suas únicas companhias são Malone, um misterioso senhor de personalidade infantil e Íris, uma inteligência artificial.

Sua rotina muda quando uma misteriosa figura do espaço desembarca na Terra. É Hector, um clone vindo de Dynamo, planeta para onde foram levados na metade do século XXI os ricos, os líderes mundiais e o material genético dos “melhores” seres humanos da Terra.

 A partir desse encontro no planeta esquecido, sua relação com Cora Corada e os rumos da existência humana mudarão para sempre, além do futuro dos dois mundos.

A peça pretende questionar as ações do homem no presente para um melhor futuro usando um discurso realista, abordando temáticas como a relação entre homem e máquina, tecnologia, clonagem, traumas, perdas, alienação. O espetáculo tem um cenário que gira em 360º graus no palco e dois andares. Parte dos figurinos, cenários e adereços foram utilizados a técnica “upcycling”, que é totalmente sustentável e consiste na reutilização de materiais sem valor comercial que seria descartado transformando em algo diferente, novo sem utilização de processos químicos; dando continuidade ao ciclo de vida do produto, tornando assim o planeta sustentável. Um exemplo: calças, jaquetas e bermudas jeans foram transforadas em casacos longos, inspirados em guerreiros medievais.

CARMEN (1).png

O Planeta dos Esquecidos

Com Francis Helena Cozta, Luccas Papp, Raissa Chadad e Wilson Gomes

Teatro Viradalata (Rua Apinajés 1387, Sumaré, São Paulo)

Duração 70 minutos

02/06 até 28/07

Sábado – 18h30

$60

Classificação 10 anos

VAMOS FALAR DE AMOR, AMOR?

A peça começa com uma mestre de cerimônias que apresenta um convidado muito especial, que todos conhecem, em todas as culturas, desde o princípio dos tempos, é nossa glória e nossa dor, inspira a paz, mas já fizeram guerras por ele. Não é Deus, não é celebridade, mas também é muito famoso. Com vocês: “Amor!”
 
A partir daí, para encontrar o amor, a personagem se enreda em grandes aventuras e confusões, levando o público a uma enorme identificação e muitas gargalhadas com as loucuras que ela faz por amor.
 
A comédia Vamos falar de Amor, Amor? traz reflexões sobre os limites entre os desejos, a busca incessante por amar e ser amado e as sua obsessões. Interpretada por Ana Guasque, com direção de Grace Gianoukas e roteiro original das duas artistas, estreia dia 7 de junho, às 21h, no Teatro Itália.
 
Vamos falar de Amor, Amor? narra as aventuras de Marta, uma mulher que se apaixona perdidamente e é capaz de fazer loucuras por amor. Na sua ensandecida jornada para conquistar Augusto, entre desventuras e decepções, busca compreender a si mesma, ainda que sem êxito.
 
Nessa jornada desesperada para capturar o ‘amor da sua vida’ é surpreendida por situações provocadas por suas próprias escolhas. Carente, desesperada e desajustada, encontra no jogo do vale tudo por amor sua válvula de escape, tornando risíveis as carências, os afetos, os desafetos, as obsessões e os desajustes humanos.
 
Mas não cabe a nós julgá-la. Afinal quem nunca foi um pouco Marta e nunca cometeu nenhuma loucurinha de amor, que atire a primeira pedra!
 
Quem nunca encontrou em seu caminho alguém que nos fizesse perder a cabeça? Essa é Marta, aquela que perdeu a cabeça e não conseguiu mais encontrar.
 
CARMEN.png
 
Vamos falar de Amor, Amor?
Com Ana Guasque 
Teatro Itália (Av. Ipiranga, 344 – República, São Paulo)
Duração 70 minutos
07/06 até 09/08
Quinta – 21h
$60
Classificação 12 anos

À ESPERA

Três personagens acordados do que deveria ser um sono profundo, deparam-se diariamente com o sol que insiste em nascer exatamente à mesma hora todos os dias numa indecifrável realidade. Embora não saibam exatamente o que estão fazendo ali, os personagens têm consciência de que foram despertados por algum propósito. Estariam aguardando o tribunal do juízo final? Aquele que deverá julgar os vivos e mortos, virá afinal? Nessa espera atemporal talvez o que os una seja o sentimento que possibilitou a continuidade da aventura humana ao longo dos séculos: a esperança.

34319937_261285797769330_5897759227266465792_n

À Espera

Com Ella Bellissoni, Jean Dandrah e Regina Maria Remencius

Oficina Cultural Oswald de Andrade (Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo)

Duração 60 minutos

08/06 até 21/07

Quinta e Sexta – 20h, Sábado – 18h, Segunda – 20h

Entrada gratuita (retirar com 1 hora de antecedência)

Classificação 14 anos

 

OTTO LARA RESENDE OU BONITINHA MAS ORDINÁRIA

Texto clássico do mais influente dramaturgo brasileiro, “Otto Lara Resende ou Bonitinha Mas Ordinária” ganha montagem dirigida pelo especialista na obra de Nelson Rodrigues, Luis Artur Nunes, no Teatro Augusta a partir de 01 de junho.

“Otto Lara Resende ou Bonitinha Mas Ordinária” está inserida na fase das “Tragédias Cariocas” na classificação da obra de Nelson Rodrigues pelo crítico Sábato Magaldi. Em enredo folhetinesco, Edgard, jovem pobre e ambicioso, recebe uma proposta irrecusável para subir na vida: Casar-se com a filha de seu patrão, o Dr. Werneck, um milionário devasso e amoral.

Edgard precisará revisar suas convicções, já que é apaixonado por sua vizinha Ritinha, uma moça pobre que faz de tudo para sustentar a mãe e as irmãs.

Atormentado moralmente pela frase “o mineiro só é solidário no câncer”, atribuída na peça ao escritor Otto Lara Resende, Edgard confronta sua ambição com seus princípios éticos”.

Repleto de pistas falsas e reviravoltas, o texto de Nelson Rodrigues surpreende pela atualidade, mais de 50 anos após ter sido escrito, evidenciando a fragilidade do caráter dos homens frente à obsessão pelo dinheiro e à submissão ao poder.

33992758_10216399972450592_5601533181082730496_n

Otto Lara Resende ou Bonitinha, mas Ordinária

Com Stella Portieri, Cal Titanero, Monique Hortolani, Josias Souza, Pedro Paulo Eva, Adão Filho, Emerson Natividade, Breno Villas Boas, Ângelo Aleixo, Victoria Blat, Taisa Pelosi, Carolina Rossi, Renata Souza, Rosa Piscioneri

Teatro Augusta (R. Augusta, 943 – Cerqueira César, São Paulo)

Duração 90 minutos

01/06 até 01/07

Sexta – 21h, Sábado – 19h e Domingo – 20h

$20

Classificação 14 anos