TEATRO BREVE DE GARCIA LORCA

“Teatro Breve de Garcia Lorca”, do dramaturgo e poeta espanhol Federico Garcia Lorca, produzido pela Cia Noir Sur Blanc, estreia temporada no Teatro Cacilda Becker de 27 de setembro até 7 de outubro. A peça, dirigida por Brigitte Bentolila (“Hamlet é Negro” e “Os Negros”), francesa domiciliada no Brasil, traz em seu elenco os atores Paulo Guidelly (“Noites do Vidigal” e “Elza Soares – A Mulher do Fim do Mundo”) e Vanessa Pascale (“Anônimas”, “Medea en Promenade” e “Feira de Humor”). As sessões acontecem de qui a sáb às 20h e domingos às 19h.

O Teatro Breve de Garcia Lorca é composto por três peças: “O Passeio de Buster Keaton”; “A Donzela, o Marinheiro e o Estudante” e “Quimera” que são levadas em cena com poesia, dança e música. O espetáculo pode ser entendido e apreendido de forma quase muda. Percebido através do corpo e do gesto, feito de imagens, ruídos e sensações, escrito e desenhado no espírito de juventude que desperta um olhar sobre a vida. Sua leveza é poética e profunda, onde a palavra surge a partir da rara necessidade – diz a diretora.

Lorca foi poeta, pintor e músico. Criado por Lorca na década de 30, “La Barraca”, cuja tradução do espanhol, significa “tenda”, foi um lugar de encontro de pintores, bailarinos, comediantes, músicos, entre outros artistas que fomentavam o debate e as experimentações artísticas da época. Em Teatro Breve, ele fala desse encontro feliz de todas as artes reunidas em uma só: o Teatro.

Eu estou muito ansioso, pois é uma responsabilidade grandiosa fazer no teatro obras de Frederico Garcia Lorca e substituir o grande ator que foi Antônio Manso. Esse espetáculo é uma homenagem a ele. Não vou ser pretensioso de dizer que tudo que eu levo em cena partiu somente da minha intuição de ator, ele é minha grande inspiração. Somos atores de geração e formação bem diferentes. O espetáculo não será eu imitando o Antônio. De fato ele é o meu ponto de partida, meu anjo da guarda – diz Paulo Guidelly sobre a importância do papel que foi vivido posteriormente por Antônio Manso.

O cinema mudo de Buster Keaton, em Nova York, o amor da Donzela para o Marinheiro; o Estudante na Espanha; o pai que deixa filhos e mulher, em casa, na Andaluzia são histórias simples e curtas, com imagens leves e alegres, tristes e profundas, amargas e doces que se provocam, se interpelam.

Vanessa Pascale soube dos testes para a peça por intermédio de uma amiga. Ela, que recentemente viveu Manu em “Malhação: Vidas Brasileiras”, estrela, ao lado de Paulo Guidelly o espetáculo.

O processo é muito intenso e rico! Há dança, poesia, cinema e culturas variadas. Viajamos no tempo e no espaço. O Paulo é um presente, um ator habilidoso, com percepção refinada e gentil. É um trabalho de muita sensibilidade. A Brigitte, nossa diretora, é admirável, inteligentíssima, pragmática, generosa e também nos dá liberdade para criar junto – diz Vanessa Pascale sobre o processo de criação do espetáculo.

O desejo, a sexualidade e a homossexualidade afloram de forma sutil, porém violenta na obra do poeta. Lorca foi assassinado em plena guerra civil espanhola por causa das suas opções de vida e de arte. Teatro singelo e singular, diferente das obras antológicas do Teatro mais reconhecido de Lorca, como “A Casa de Bernarda Alba”, “Bodas de Sangue” ou “Yerma”. “Teatro Breve” se destaca nas Obras Completas de Lorca. Essa peça foi escrita em Nova York em plena crise mundial em 1929 e ressoa de uma forma atual, moderna e contemporânea – finaliza Brigitte.

CARMEN

Teatro Breve de Garcia Lorca

Com Vanessa Pascale e Paulo Guidelly

Teatro Cacilda Becker (Rua do Catete, 338 – Largo do Machado, Rio de Janeiro)

Duração 60 minutos

27/09 até 07/10

Quinta, Sexta e Sábado – 20h, Domingo – 19h

$30

Classificação 14 anos

LUCIANA MELLO em 60 ANOS DE BOSSA NOVA

Há mais de 30 anos transitando por vários estilos musicais, Luciana Mello aproveita o momento em que o gênero musical, que fez o mundo cantar em português, completa 60 anos.

Acompanhada por Walmir Borges (violão), Eric Budney (baixo acústico) e Daniel de Paula (bateria), a cantora interpreta uma seleção especial com clássicos da Bossa Nova misturados com grandes sucessos de carreira.

60 Anos de Bossa Nova

Com Luciana Mello

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 80 minutos

27/11

Terça – 21h

$90/$120

Classificação Livre

LUIZA POSSI em PIANO E VOZ

Luiza Possi apresenta seu show de Piano e Voz, uma mistura de emoções em um dos formatos mais viscerais. Acompanhada apenas por um piano, o grande espetáculo acontece na suavidade da voz da cantora e sua presença marcante no palco.

No show, os fãs podem esperar um repertoria diversificado, que transita entre os hits da carreira, como “Me Faz Bem” e “Eu Espero”, e releituras, passando por clássicos do jazz, mpb e também do rock nacional, de Rita Lee a Raimundos. Um show intimista e emocionante.

Piano e Voz

Com Luiza Possi

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 90 minutos

06/11

Terça – 21h

$70/$80

Classificação Livre

SILVA em BRASILEIRO

Silva volta aos palcos do Teatro Porto Seguro com o show de seu novo disco Brasileiro.

Nessa nova turnê, Silva se dedica intensamente a construir novos caminhos entre tempos e estéticas musicais diferentes, mostrando toda força de um dos nomes mais produtivos e criativos dessa geração.

O cantor se apresenta acompanhado de Lucas Arruda (baixo, synth e piano) e Hugo Coutinho (bateria e programações).

Brasileiro

Com Silva

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração  80 minutos

19 e 20/11

Segunda e Terça – 21h

$70/$80

Classificação Livre

MART’NÁLIA em + MISTURADO

Vencedora do 18º Grammy Latino (2017) com o melhor disco de samba + Misturado, Mart’nália apresenta o show que dá nome ao álbum, no Teatro Porto Seguro.

O CD traz oito canções inéditas e sete regravações de grandes clássicos da MPB como Estrela (Gilberto Gil),Tempo de Estio (Caetano Veloso), Linha do Esquador (Djavan/Caetano) e o medley Ela disse-me assim/Loucura (Lupicínio Rodrigues).

O show é uma mostra da personalidade artística plural de Mart’nália que sobe ao palco celebrando a vida.

+ Misturado

Com Mart’Nália

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 80 minutos

30/10

Terça – 21h

$70/$80

Classificação Livre

ALICE, O MUSICAL

Nessa versão a Alice é uma adolescente encarando sua própria personalidade, seus desejos e mudanças. Entediada em seu quarto ela resolve ler um livro para se entreter, quando de repente a história ganha vida e a velha estante da família deixa escapar fantásticas criaturas que transformam o seu quarto num verdadeiro país das maravilhas.

As canções foram compostas especialmente para a produção pelo ator e músico Elton Towersey. O espetáculo conta com a participação especial de Paula Capovilla (Evita, A Madrinha Embriagada) e Cláudio Galvan (A Família Addams, O Rei Leão), que emprestam suas vozes à mãe de Alice e ao Gato Sorridente, respectivamente.

CARMEN (2)

Alice, o Musical

Com Natália Foschini, Adriano Tunes, Márcio Godoy e Thiago Sak.

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 60 minutos

13/10 até 25/11

Sábado e Domingo – 15h

$50/$60

Classificação Livre

1984

Considerado um dos romances mais influentes do mundo no século 20, a distopia 1984, do jornalista e romancista britânico George Orwell (1903-1950), ganha uma nova adaptação teatral do Núcleo Experimental, com direção de Zé Henrique de Paula. O romance foi publicado em 65 países e virou minissérie, filmes, quadrinhos, mangás, ópera e até inspirou o reality show Big Brother, criado em 1999 pela produtora holandesa Endemol. Recentemente, a obra foi transformada em uma adaptação teatral dos ingleses Duncan MacMillan e Robert Icke. Esta última versão foi o ponto de partida da montagem brasileira.

A história se passa no fictício Estado da Oceânia, governado por um líder supremo chamado Grande Irmão, que chegou ao poder depois de uma guerra mundial que eliminou as nações e criou três grandes potências totalitárias. Esse Estado é pautado pela burocracia, censura e, sobretudo, pela vigilância. Quase sem qualquer forma de privacidade, cidadãos são espiados o tempo todo pelas “teletelas”, uma espécie de televisores espalhados nos lares e em lugares públicos, capazes de monitorar, gravar e espionar tudo.

CARMEN (1).png

1984

Com Carmo Dalla Vecchia, Rodrigo Caetano, Gabriela Fontana, Eric Lenate, Rogerio Brito, Inês Aranha,  Laerte Késsimos, Fabio Redkowicz e Chiara Scallet

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 90 minutos

17/10 até 06/12

Quarta e Quinta – 21h

$40/$60

Classificação 14 anos