É TUDO FAMÍLIA!

A peça ‘É tudo Família!’, com atores jundiaienses, baseada no livro “É tudo família!” de Alexandra Maxeiner, publicado por Klett Kinderbuch, Leipzig/Alemanha foi destaque de público e crítica em 2018. A peça foi vencedora de melhor espetáculo de texto adaptado pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) ainda concorre ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem nas categorias: melhor espetáculo infantil; direção e autoria de texto adaptado e ao Prêmio Aplauso Brasil de melhor espetáculo infantojuvenil.

O que é família? É possível escolhê-la? Laços que se formam a partir de relações não catalogadas ou comumente aceitas podem levar esse nome? Se não, qual nome dar aos cada vez mais diversos tipos de união que existem? Seriam uma espécie de “genérico” de família? Receberiam o nome do seu princípio ativo, nesse caso, “Amor”?

Kiko Marques, diretor convidado para o trabalho diz que: “Mais do que tentar responder essa pergunta a ideia foi, desde o início do projeto, lançar sobre o tema um olhar desprovido de preconceitos, mas também de bandeiras. Como o olhar do menino que diz: “o rei está nu”. Um olhar que não julga, apenas diz o que vê. Ainda que o que vê passe pelo crivo de seu olhar, não há julgamento. Há a nudez do rei”.

No caso de nossa peça, poderíamos adaptar a definição para “dizer aquilo que vê. Mas como fazer isso se o que se aprende não corresponde ao que se vê? Como dizer o que se espera que seja dito: “que belas roupas o rei está vestindo” se o rei está nu? É sobre esse dilema que se debruçam nossos pequenos heróis. De um lado, conceitos estáticos, como totens. Do outro, vida que se vê, suas contradições e suas diversas formas de amar e cuidar”, complementa Marques.

A cenografia de Marisa Bentivegna aposta na ambientação em consonância com a direção e traz uma tradicional sala de aula com a emblemática lousa e seus vários significados.

Sinopse

Dá para responder rápida e objetivamente “o que é família”?

Davi, Lucas, Lucinha e Júlia têm 9 anos e 1 hora para dar esta resposta em forma de seminário, na frente da classe inteira e do professor bem bravo.

Só que Davi tem uma irmã, um meio-irmão e duas meias-meias-irmãs; tem uma mãe e um meio-pai, um pai e uma meia-mãe, um meio-meio-pai e uma meia-meia-mãe. Lucas tem uma irmã, um pai e uma mãe; quando briga com a irmã, ele vai pra casa dos avós. Lucinha tem pais que nem se falam; mora só com a mãe; e queria ter um irmão pra brincar. Júlia não tem irmãos, mas tem tudo em dobro; mora metade da semana com o pai e metade da semana com a mãe.

Então, eles não sabem o que dizer: família é um grupo de pessoas com laços de sangue? Ou um grupo de pessoas que moram na mesma casa? Ou um grupo de pessoas que se gostam? Ou um grupo em que há pai-mãe-filhos? Ou é tudo família?

FACE.png

É Tudo Família!

Com Aline Volpi, Ana Paula Castro, Marcelo Peroni e Vladimir Camargo

Sesc Consolação

Duração 75 minutos

23/02 até 23/03 (não haverá apresentação 02/03)

Sábado – 11h

$17 (Grátis para menores de 12 anos)

Classificação 6 anos

CIA DO STAND UP

Cia do Stand Up é um projeto de sucesso criado por quatro grandes humoristas. Com trajetórias diversas e  estilos únicos de fazer humor, eles se revezam no palco, em apresentações de 15 minutos cada, entretendo a plateia sempre com olhar cômico sobre o dia a dia.

São eles:

Gustavo Pompiani: É fundador e integrante do Osascomedy, show que ficou em cartaz na zona oeste de São Paulo por mais de 4 anos.

Guto Andrade: este humorista da Zona Leste de SP tem mais de 1 milhão de acessos nos seus vídeos na internet. Participações no Prêmio Multishow e no canal Comedy Central. Fundador da Noite da Comédia Stand Up.

Oscar Filho: Pioneiro na comédia Stand Up do país, foi fundador e integrante do Clube da Comédia, o primeiro show de stand up comedy de São Paulo e há 10 anos em cartaz com seu “Putz Grill”. É ex-integrante do programa CQC.

Tiago Carvalho: Fundador e ex-integrante do show 4 amigos.

FACE

Cia do Stand Up

Com: Gustavo Pompiani, Guto Andrade, Oscar Filho e Tiago Carvalho

Teatro West Plaza – Sala Nicette Bruno – Shopping West Plaza (Av. Francisco Matarazzo, s/n – Água Branca, São Paulo)

Duração 60 minutos

17/03 até 28/07

Domingo – 20h30

$50

Classificação 14 anos

15 ANOS DO GRUPO NAMAKACA

Grupo Namakaca foi selecionado na primeira edição do edital municipal para Espaços Independentes e preparou uma série de atividades circenses que envolvem oficinas, espetáculos e cabarés. A Ocupação Espaço Namakaca – Circo para Todos tem todas as atividades gratuitas, com atrações para todas as idades, durante seis meses e acontecem na sede do grupo, na Vila Ipojuca, Lapa.

A programação conta com oficina de circo para pais e filhos (16 e 17 de março, sábado e domingo, das 10h às 13h), para crianças (23 de março e 25 de maio, sábados, das 10h às 13h), cascata (1 e 2 de abril, segunda e terça-feira, das 18h às 21h), malabares para iniciantes (6 de abril e 8 de junho, sábados, das 10h às 13h), passe de claves (8 e 15 de maio, quartas, das 18h às 21h), malabares com objetos inusitados (4 e 6 de junho, terça e quinta, das 18h às 21h), um bate-papo sobre a manutenção de sedes e produção cultural para grupos de circo acontece no dia 16 de maio.

FACE (2).png

O grupo entra em cena com os espetáculos Quebrando a Bacia (27 de março, quarta-feira, às 14h), Carlos Felipe em Apuros (23 de abril, domingo às 14h) e O Omelete (12 de junho, quarta, às 14h).

Grupo Namakaca é formado pelos artistas circenses Cafi Otta, Montanha Carvalho e Du Circo. Durante estes 15 anos, o grupo criou um repertório com 7 espetáculos diferentes, além de uma intensa programação de oficinas em sua sede na Vila Ipojuca, Lapa. Em 2016, participou da gravação da série Minha Vida é Um Circo, e viajou por 8 países diferentes visitando circos e artistas ao redor do mundo.  A série estreou em 2018 e vem sendo exibida semanalmente no Canal HBO.

Sede do Grupo Namakaca (Rua Álvaro Martins, 17 – Vila Ipojuca, Lapa – São Paulo)

Informações: namakaca@gmail.com

facebook.com/grupo.namakaca

O FILHO PRÓDIGO

A Cia Artística Gênesis trará aos palcos do Teatro Municipal Glória Giglio – Osasco um incrível espetáculo, cheio de cenários que prometem impressionar o público, inspirado em grandes musicais, com muita dança e encenação para contar essa história fantástica do filho prodigo.

A história é uma adaptação da Parábola do Filho Pródigo, narrando a vida de um pai que possuía dois filhos, em um belo dia o mais novo pede ao pai a sua herança e parte para terras distantes gastando tudo o que tem com os prazeres da vida, quando a herança acaba o filho mais novo se vê sem nada e começa a padecer necessidades, fazendo-o refletir sobre sua vida e em suas escolhas.

FACE (1).png

O Filho Pródigo

Com Cia Artística Gênesis

Teatro Municipal Glória Giglio (Av. dos Autonomistas, 1533 – Vila Campesina, Osasco)

Duração 90 minutos

16/03

Sábado – 17h e 20h

$40 (lote promocional $20)

Classificação: Livre

PORNOTEOBRASIL

Diante do conturbado cenário sociopolítico brasileiro atual, o Tablado de Arruar apresenta Pornoteobrasil, novo espetáculo com texto do dramaturgo Alexandre Dal Farra, que estreia no dia 21 de fevereiro na Oficina Cultural Oswald de Andrade, onde segueem cartaz até 6 de abril. As sessões acontecem de quinta a sábado, sempre às 20h, com ingressos grátis.

Co-dirigido por Dal Farra e Clayton Mariano, o espetáculo se passa no Brasil contemporâneo, no cenário de um acidente ou atentado – não é possível afirmar ao certo. É neste espaço de destruição e catástrofe que a peça se dá. Depois de uma situação traumática como essas é comum que o sujeito tenha as suas estruturas abaladas, estruturas estas que constituíam o seu próprio olhar para si mesmo, para o seu passado, para o seu presente, e para o futuro.  Depois do acidente, três cenas procuram abordar aspectos diversos de um mesmo trauma. Primeiramente, um texto reflexivo discorre sobre perspectivas religiosas diversas, na tentativa de construir um olhar teológico para o presente. Em seguida, pessoas procuram lidar com as próprias memórias, sem conseguir ordená-las. E, finalmente, brota, do meio das memórias destroçadas, uma cena de violência e desespero, como se o terror da violência sofrida no passado recente emanasse para o presente em forma de terror em relação ao futuro.

Em alguns momentos, a encenação sugere que o país pode não ter saído completamente do tempo histórico que começou com o Golpe Militar de 1964. “O que se percebe de maneira indireta e oblíqua nas memórias dos personagens é que, de alguma forma, a sombra da ditadura não eram apenas sombras. Ela estava mascarada sob outras formas. Vemos também fragmentos dos caminhos da esquerda e pedaços de uma história que resultou no que vivemos atualmente”, esclarece Alexandre Dal Farra.

O cenário devastado, de acordo com Clayton Mariano, é uma metáfora para a situação sociopolítica brasileira atual. “O acidente é tanto uma referência mais direta à greve dos caminhoneiros de 2018 como também a imaginação de um desastre na estrada, no qual vários caminhões tombam e derrubam seus produtos na pista. E, como a peça começa com essa imagem, é como se no Brasil já vivêssemos nessa tragédia antes mesmo do recente avanço da extrema direita”, explica.

As figuras se comportam como o príncipe Míchkin, protagonista do romance O Idiota, do russo Fiódor Dostoievsky. “Eles comentam fatos e momentos políticos vivenciados no passado, mas não conseguem criar um pensamento crítico – nem nas memórias, nem no presente. Eles não conseguem se posicionar ou concatenar ideias”, revela Mariano.

Além do clássico russo, a encenação teve como referências o romance O Estrangeiro, do argeliano Albert Camus, a Pornochanchada brasileira e o livro Três Mulheres de Três Pppês, de Paulo Emílio Sales Gomes. “Creio que o ‘O Estrangeiro’ e ‘O Idiota’ confluem na construção de um ponto de vista sobre algo perplexo para o agora, que é o que defendemos como a única possibilidade de olhar realmente para as coisas. Por outro lado, as demais obras entraram como parte dessa tentativa de construir um olhar sobre o outro, a elite brasileira – sobre o que não somos e que não soubemos perceber”, acrescenta Dal Farra.

Há, além disso, uma referência às novas teologias que se propagam na sociedade brasileira atual. “O próprio termo ‘pornoteo’ do título tem a ver com a junção de uma elite pornográfica – no sentido de explicitude – e essa teologia nova do Estado Teocrático, no qual estamos inseridos. No entanto, tal junção não é, para nós, uma crítica à igreja pura e simples, e sim, a aceitação da sua importância e centralidade”, elucida Mariano.

FACE.png

Pornoteobrasil

Com André Capuano, Alexandra Tavares, Gabriela Elias, Ligia Oliveira e Vitor Vieira

Oficina Cultural Oswald de Andrade – Sala 3 (Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo)

Duração 90 minutos

21/02 até 06/04 (não haverá apresentação 01/03)

Quinta, Sexta e Sábado – 20h, Domingo – 18h

Entrada gratuita (distribuídos uma hora antes)

Classificação 14 anos

JARBAS HOMEM DE MELLO APRESENTARÁ REALITY SHOW

Cultura – o Musical“, o reality show da tv Cultura, já tem o seu apresentador definido: o ator Jarbas Homem de Mello (Cantando na Chuva, Chaplin), um dos mais consagrados atores do teatro musical brasileiro.

Na equipe, temos também o nome da atriz de musicais e versionista, Mariana Elisabetsky, responsável pelo roteiro do programa. O corpo de jurados ainda não foi divulgado.

O reality, que recebeu mais de 1.300 inscrições, revelará novos talentos do Teatro Musical. Será exibido semanalmente, sempre aos domingos, a partir da primeira quinzena de abril.

Sobre o fato de a TV Cultura também entrar na rota dos reality shows, José Roberto Walker, diretor da tv, observa: “Considerando a tradição cultural da emissora, trata-se de um programa inovador, que explora e aposta em um público jovem“.

FACE

Formato

O formato da primeira temporada de Cultura – O Musical  conta com 6 eliminatórias em que 6 participantes disputam vagas para a próxima fase – nesse primeiro momento, 2 artistas são aprovados e 4 são eliminados por dia. A semifinal será realizada em 2 episódios com 6 concorrentes em cada.

Os 3 vencedores de cada episódio seguem para a final, com 6 artistas. Todos os programas serão gravados no Teatro Franco Zampari, em São Paulo. Nos episódios, cada artista irá apresentar um número de algum dos musicais pré-selecionados pela produção. Entre as peças eleitas, estão WickedA Noviça RebeldeWest Side StoryLes Misérables, Evita Mamma Mia, entre muitos outros.

O TESTAMENTO DE MARIA

O solo O Testamento de Maria, com direção e adaptação de Ron Daniels, é inspirado no livro homônimo do escritor irlandês Colm Tóibin, que também escreveu o bestseller “Brooklyn”, cuja adaptação para cinema foi indicada ao Oscar 2016 em três categorias.

A montagem revela como Maria, a mãe de Jesus Cristo, procura desvendar os mistérios ao redor da crucificação de seu filho. Perseguida e exilada, ela narra a sua trajetória e todo o seu sofrimento com uma voz carregada de ternura, ironia e raiva. Maria se propõe a falar apenas a verdade sobre a enorme crueldade dos romanos e anciãos judeus.

A ideia da encenação é destacar não apenas a importância religiosa de Maria, mas revelá-la como uma figura de enorme estatura moral. “Estava alerta, também, ao fato de vermos Maria como ícone, como mãe, mas nunca como uma mulher que sabe se colocar e que precisa ser ouvida. Para dar-lhe uma voz, olhei para os textos gregos, para as imagens de uma mulher solitária e corajosa, pronta para dizer palavras que são difíceis de ouvir”, esclarece Colm Tóibin.

A montagem rendeu à Denise Weinberg o prêmio APCA 2016 (Associação Paulista de Críticos de Arte), na categoria de melhor atriz. “O ponto de partida do nosso espetáculo também é este: uma atriz maravilhosa, que é a Denise, um texto de grande profundidade, e um espetáculo puro, belo e despojado, que possa oferecer à plateia momentos de grande humanidade”, diz Ron Daniels.

Em cena, a atriz é acompanhada apenas pelo músico Gregory Slivar, que assina e executa a trilha sonora ao vivo. O espetáculo foi produzido originalmente na Broadway, por Scott Rudin Productions e desenvolvido pelo Dublin Theatre Festival e Landmark Productions, com o apoio do Irish Theatre Trust.

FACE (3).png

O Testamento de Maria

Com Denise Weinberg

Duração 60 minutos (mais 30 minutos de debate)

Classificação 16 anos

Teatro Municipal João Caetano (Rua Borges Lagoa, 650 – Vila Clementino – São Paulo)

01/03, 09/03 e 10/03

Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h

$20

Workshop da Denise Weinberg no Teatro João Caetano – dia 09/03 – às 15h.

Informações: (11) 5573-3774 / 5549-1744

Teatro Alfredo Mesquita (Avenida Santos Dumont, 1770 – Santana – São Paulo)

28/03, 29/03, 06/04, 07/04, 11/04 e 12/04

Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h

$20

Workshop da Denise Weinberg no Teatro Alfredo Mesquita – dia 06/04 – às 15h00.

Informações: (11) 2221-3657