CASTELO RÁ-TIM-BUM – O MUSICAL

Castelo Rá-Tim-Bum – o Musical, apresentado pelo Ministério da Cidadania, com patrocínio da UOL, Aché e realização da 4ACT Entretenimento, faz nova temporada em comemoração aos 25 anos do programa Castelo Rá-tim-bum e aos 50 anos da TV Cultura.

Depois do sucesso em 2017, o espetáculo fará uma curtíssima temporada e traz todos os principais personagens da série televisiva que foi eternizada nos anos 90. O espetáculo reestreia dia 9 de agosto no Theatro Net São Paulo.

Com direção geral de Léo Rommano, direção musical de Paulo Nogueira, coreografias de Thiago Jansen e direção artística de Léo Rommano e Ricardo Marques, Castelo Rá-Tim-Bum – o Musical é baseado na série Castelo Rá-Tim-Bum, criada por Cao Hamburger e Flávio de Souza, que estreou na TV Cultura em 1994 e contou com 90 episódios e um especial. Até hoje, a série é considerada um dos melhores produtos audiovisuais da história da televisão brasileira.

Na nova temporada, a produção conta com a participação do ator Duda Mamberti estreando em musicais e interpretando o papel do Dr. Victor, que marcou a carreira do pai e ator Sérgio Mamberti. Vencedora da 1ª edição do reality show Cultura O Musical, exibido na TV Cultura em 2019, a estreante em musicais Aline Serra também é novidade no elenco, ao lado dos atores Roberto Rocha, Igor Pushinov, Alessandra Vertamatti, Fernando Rubro, entre outros.

Sinopse

Na trama, Nino, um garoto feiticeiro prestes a completar 300 anos, vive em um castelo escondido entre os arranha-céus de uma grande cidade.  Nesse castelo, ele tem a companhia de seu tio Victor, feiticeiro e inventor de 3.000 anos, e sua tia avó, também feiticeira, Morgana de 6 mil anos.  Além da família de feiticeiros, moram no castelo outras tantas criaturas fantásticas.

Apesar de viver em um lugar tão fenomenal, Nino se sentia triste, pois queria ter amigos, ir à escola e brincar na rua como as outras crianças.  No aniversário de Nino, sua tristeza é interrompida com a chegada de Pedro, Biba e Zequinha, três crianças sem magia, mas com o poder de alegrar a vida dele. Tudo está indo muito bem, até que coisas estranhas começam a acontecer. Para salvar o Castelo e todos, Nino terá que provar seu valor e encontrar o caminho da verdadeira magia.

FACE

Castelo Rá-Tim-Bum – o Musical

Com Roberto Rocha, Duda Mamberti, Alessandra Vertamatti, Igor Pushinov, Karol Nascimento, Lipe Volpato, Raphael Souza, Bruno Barros, Vânia Canto, Mari Rosinski, Aline Serra, Maitê Cunha, Lia Canineu, Rodrigo Fernando, Fernando Rubro, Enrico Verta, José Dias, Gabriel Ebling, Everton Granado, Bia Freitas

Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (R. Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)

Duração 110 minutos

09/08 até 22/09

Sexta – 20h30, Sábado – 16h e 20h, Domingo – 18h

$50/$120

Classificação Livre

MUITO RUÍDO POR SHAKESPEARE

A Cia Núcleo estreia dia 3 de agosto, sábado, no Teatro Alfa, um projeto inédito no Brasil, Muito Ruído por Shakespeare – apenas apresentado em espanhol no VIII Festival Shakespeare Buenos Aires, em 2018. As sessões são aos sábados e domingos, às 17h30, até 1º de setembro.

A Cia Núcleo sempre teve verdadeiro apreço pela literatura e muitas de suas obras bebem da fonte dos grandes clássicos. Neste momento a Cia se aventura em obras do bardo William Shakespeare, adaptando duas de suas tragédias para o universo infantil. Um mensageiro tem que contar a história de Macbeth, e um outro tem que dizer a história de Otelo. Eles se encontram no meio do caminho e decidem trocar suas histórias, para evitar fadiga. Assim andarão menos e evitarão os percalços de adentrar um reino desconhecido.

A Cia Núcleo traz uma obra imersa no imaginário do bardo e que traça paralelos com questões atuais onde diversos acontecimentos políticos são mediados e influenciados pela imprensa, internet e pelas fake news. É um espetáculo para toda a família, em que os maiores irão acompanhar os caminhos tortuosos destes enredos, enquanto os menores irão se deliciar com os quiproquós desta dupla, sem se ausentar da mensagem geral do texto.  Utilizando a palavra, a música, o teatro de objetos e as projeções como fio condutor, para divertir e comover os espectadores, a Cia Núcleo pretende assim exaltar a poesia do homem do milênio. 

Sobre o espetáculo

Em um jogo narrativo conduzido por um personagem que manipula tudo de fora do cenário, e entra em cena por meio de projeções e interações, temos dois mensageiros que enfrentarão os problemas que aparecem no ato de comunicar uma história. Manipulação de informação, notícias falsas, ausência de dados são algumas das dificuldades que irão interferir diretamente neste objetivo. A história de Otelo narra um desenlace trágico de um casal apaixonado. Otelo ama Desdemona, mas ludibriado por Iago acredita na traição de sua amada. Já nos acontecimentos de Macbeth, reis são mortos em nome do poder e da ambição. Estas complexas histórias criadas por Shakespeare irão se embaralhar na fala destes mensageiros, apontando para equívocos na transmissão de um caso e suas consequências.

Em uma época em que diversos acontecimentos políticos são mediados e influenciados pela imprensa e internet, a Cia Núcleo traz uma obra imersa no imaginário do bardo e que traça paralelos com estas questões. É um espetáculo para toda a família, onde os maiores irão acompanhar os caminhos tortuosos destes enredos, enquanto os menores irão se deliciar com os quiprocós desta dupla, sem se ausentar da mensagem geral do texto. Crianças estão acostumadas com omissões de informações, mentiras contadas para evitar possíveis discussões e dificuldades em entender todos os lados de um fato. O desafio da Cia., então, estabelece-se neste lugar onde o texto de Shakespeare, o nó das Fakes News e a produção de um ato cênico abarquem estas questões para crianças e adultos.

FACE.png

Muito Ruído por Shakespeare

Com André Medeiros Martins, Caio Merseguel, Ronaldo Liano e Yuri de Francco

Teatro Alfa – Sala B (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)

Duração 50 minutos

03/08 até 01/09

Sábado e Domingo – 17h30

$40

Classificação Livre

COLOCA O CINTO QUE A VIAGEM VAI SER LONGA

Depois da recente temporada de Em Processo de Brisa, em junho, o comediante gaúcho Nando Viana volta ao palco do Teatro Morumbi Shopping para apresentar seu espetáculo inédito Coloca o Cinto que a Viagem Vai Ser Longa. A nova criação entra em cartaz a partir do dia 17 de agosto, sábado, às 23 horas, ficando até 5 de outubro, aos sábados, às 23 horas.

Trata-se do terceiro show solo na carreira do comediante. Depois de Da turma do fundão desde 1981 A vida não tá nem aí pro teu planejamento, chega aos palcos o novo resumo da vida desse gaúcho, que, com mais de 10 anos de carreira, promete continuar entregando as histórias mais engraçadas que acontecem com ele diariamente em seu cotidiano.

O apanhado vai desde o nascimento inesperado de seu filho até sua participação no  elenco e como roteirista do fenômeno de audiência A Culpa é do Cabral, hoje um programa de TV que apresenta com seus amigos comediantes Fabiano Cambota, Thiago Ventura, Rafael Portugal e Rodrigo Marques, no canal a cabo Comedy Central.  Nando passa, ainda, por momentos engraçados que falam de seus medos da velhice e sobre as “brisas” mais loucas que já passaram por sua cabeça em seus momentos de reflexão.

Humorista conhecido pelas piadas cotidianas diferentonas, ele também integra o grupo de comediantes do Comédia ao Vivo, em cartaz há 9 anos, em São Paulo. Nando Viana é publicitário, redator humorístico e comediante, um dos precursores do stand-up comedy em Porto Alegre (RS), sua terra natal. É Idealizador do espetáculo solo Da Turma do Fundão, (disponível no Netflix), projeto que rendeu a gravação de seu primeiro DVD e que foi sucesso de público em Porto Alegre. Além do stand-up comedy, desenvolve workshops e seminários humorísticos.

Em 2014, contribuiu com a produção de roteiros para o coletivo Porta dos Fundos. Escreveu para o lançamento da série do canal fechado Os Goldbergs. Por algumas temporadas, foi redator do talk-show Jacaré Banguela Fora do Ar, do também humorista Rodrigo Fernandes.

FACE.png

Coloca O Cinto Que a Viagem Vai Ser Longa

Com Nando Viana

Teatro Morumbi Shopping (Av. Roque Petroni Júnior, 1089 – Jardim das Acácias, São Paulo)

Duração 60 minutos

17/08 até 05/10

Sábado – 23h

$60

Classificação 16 anos

“LAZARUS” ABRE AS PORTAS DO TEATRO UNIMED

A cena artística paulistana ganha no início do segundo semestre um novo palco. Iniciativa do empresário Fernando Tchalian, Teatro Unimed surge com a promessa de se tornar um espaço de excelência para a cultura na cidade. Localizado em um dos pontos mais centrais de São Paulo, na esquina da Rua Augusta com a Alameda Santos, a apenas uma quadra da Avenida Paulista, o projeto arquitetônico traz a assinatura do arquiteto Isay Weinfeld. Os produtores Monique Gardenberg e Jeffrey Neale respondem pela curadoria da programação, que abre no dia 22 de agosto com o musical Lazarus, de David Bowie, dirigido por Felipe Hirsch. A venda de ingressos para o espetáculo começa em 25 de julho, no site da Eventim.

Todo revestido em madeira, com 249 lugares distribuídos entre plateias inferior e superior, palco de 100 metros quadrados, boca de cena com 12 metros de largura e um pequeno fosso para acomodar músicos, o teatro, o primeiro a sair da prancheta de Isay, ocupa o primeiro andar do sofisticado edifício projetado pelo arquiteto, o Santos Augusta, empreendimento da Desenvolvedora REUD que reúne escritórios, o café Perseu e o restaurante Casimiro.

Está ainda prevista no local a inauguração, até o fim do ano, de um pequeno take away café no lado voltado para a Rua Augusta – projeto de Paulo Mendes da Rocha, único brasileiro, além de Oscar Niemeyer, a ter vencido o Prêmio Pritzker, o Oscar da Arquitetura.

Trabalhar na construção e viabilização de lugares que possam se tornar parte da história de São Paulo é o que me faz seguir em frente. É a materialização do conceito de que quando se acrescenta significado a um espaço, ele se transforma em um lugar”, define Tchalian, CEO da REUD.

A aquisição pela Unimed do naming rights (o direito de dar nome ao estabelecimento) vai garantir financeiramente a diversidade e qualidade das atrações do espaço nos próximos anos e faz parte da estratégia de reposicionamento da seguradora no mercado brasileiro.

Alexandre Ruschi, presidente da Central Nacional Unimed explica que ser referência em saúde na capital paulista é umas das grandes premissas da cooperativa nacional em 2019. “O Sistema Unimed trabalha um novo posicionamento da marca em São Paulo, com parcerias estratégicas, aperfeiçoamento no atendimento e investimento em projetos que reforcem o compromisso com a essência, valores e missão para os clientes. O teatro é mais uma conquista para a marca, visando fortalecer a imagem de todas as cooperativas, incentivando e proporcionando grandes oportunidades e experiências de cultura e lazer a todos os tipos de público”.

FACE (1)

A escolha de Lazarus para estrear o espaço partiu de Jeffrey Neale, sócio de Monique Gardenberg na Dueto Produções, empresa responsável por grandes eventos culturais, como o Free Jazz, o Tim FestivalBMW Jazz Fest e, atualmente, a exposição sobre Björk em cartaz no MIS – Museu da Imagem e do Som paulista.

Escrito por David Bowie e o dramaturgo irlandês Enda WalshLazarus é baseado no romance “O homem que caiu na terra”, que na versão para o cinema teve o cantor e compositor inglês no papel de protagonista. O roteiro narra a vida atormentada de Thomas Newton, um alienígena que viaja para a terra para salvar seu planeta. O espetáculo estreou oficialmente em Nova Yorkem dezembro de 2015, com a presença de Bowie, um mês antes de sua morte.

Grande conhecedor da obra de BowieFelipe Hirsch encena pela primeira vez um musical. Para chegar ao elenco final (Bruna Guerin, Carla Salle, Jesuíta Barbosa, Rafael Losso, Gabriel Stauffer, Luci Salutes, Marcos de Andrade, Natasha Jascalevich, Olivia Torres, Valentina Herszage e Vitor Vieira), ele testou, junto com as diretoras musicais Maria Beraldo e Mariá Portugal, mais de duas centenas de atores selecionados pela produtora de elenco Marcela Altberg.

Lazarus apresenta 18 músicas de diversas fases da carreira de Bowie. Grandes sucessos como Life on Mars e Heroes estão na lista, que também inclui músicas do último álbum de BowieBlackstar.

Daniela Thomas e Felipe Tassara assinam a direção de arte; Veronica Julian e Diogo Costa, os figurinos; e Alejandro Ahmed, a direção de movimento.

FACE

Lazarus

Com Bruna Guerin, Carla Salle, Jesuíta Barbosa, Rafael Losso, Gabriel Stauffer, Luci Salutes, Marcos de Andrade, Natasha Jascalevich, Olivia Torres, Valentina Herszage e Vitor Vieira

Teatro Unimed (Alameda Santos, 2159 / 1º andar – Cerqueira César, São Paulo)

Duração 120 minutos

22/08 até 27/10

Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 18h

$80/$180

Classificação 16 anos

CHAPEUZINHO VERMELHO

Criada pelas atrizes Alexandra Golik e Carla Candiotto há 23 anos, em Paris, a premiada Cia. Le Plat du Jour, um dos grupos de teatro infantil mais prestigiados do Brasil, entra em cartaz na sala B do Teatro Alfa com a primeira produção da dupla – a peça Chapeuzinho Vermelho, de  2001. A temporada acontece entre dia 3 de agosto e dia 1º de setembro, com sessões aos sábado e domingos, às 16 horas.

No palco, duas duplas de atrizes se revezam durante a temporada: Renata Maia e Natalia Vooren e Bebel Ribeiro e Luna Martinelli apresentam uma versão pouco convencional do conto clássico dos Irmãos Grimm, na qual as artistas, usando técnicas de clown, mímica, dança e malabarismo, entre outras, se revezam na pele dos personagens da fábula. Tudo começa como uma grande brincadeira, onde duas palhaças descobrem um armário cheio de chapéus. Estes chapéus as conduzem por uma “viagem de brincadeiras”, onde o fio condutor é dado pela história de Chapeuzinho Vermelho. Ora contam a história, ora brincam com os elementos da mesma, ou seja, há uma tônica constante no fato de serem duas palhaças tentando fazer o melhor para conseguirem contar a história.​

Os chapéus definem os personagens. Quando os colocam tornam-se a Chapeuzinho Vermelho, o Lobo Mau, a Mãe, a Avó e o Caçador.   Quando os tiram transformam-se em palhaças, tornando-se clara a “brincadeira dentro da brincadeira”, assim como a linguagem do teatro dentro do teatro. Baseada na versão dos Irmãos Grimm, a Cia inventou a própria versão de Chapeuzinho Vermelho.​ Os recursos utilizados são inúmeros, desde coreografias de dança e de movimentos clownescos até a utilização de instrumentos musicais; passando pelo canto, pela farsa, a mímica, a manipulação de objetos, teatro físico, pelo lúdico, nonsense, sobretudo pela linguagem do palhaço.​

Nesta versão de Chapeuzinho Vermelho o Le Plat du Jour e o diretor Fernando Escrich, optaram por fazer um espetáculo divertido e visualmente interessante para crianças de todas as idades, sem perder de vista um fator muito importante: o de quem as leva ao teatro. E foi pensando nisso que a Cia idealizou um espetáculo que possibilite também ao adulto o prazer de estar ali.

FACE.png

Chapeuzinho Vermelho

Com Renata Maia e Natalia Vooren, Bebel Ribeiro e Luna Martinelli

Teatro Alfa – Sala B (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)

Duração 60 minutos

03/08 até 01/09

Sábado e Domingo – 16h

$40

Classificação Livre

FRANCESCO

Talentosa e de personalidade inquieta, a diretora Neyde Veneziano está prestes a gerar sua mais nova criação artística, a peça de teatro Francesco. Último texto do Nobel de Literatura Dario Fo, sobre a vida de São Francisco de Assis, baseado nas histórias que o povo contava, a obra estreia dia 8 de agosto, às 20 horas, no Teatro do CCBB de São Paulo.

Autoridade sobre a obra do dramaturgo contemporâneo mais encenado no mundo, a diretora – que passou um ano em Milão, entre 2000 e 2001 debruçada sobre a oba de Fo, pesquisando o acervo da companhia, vendo vídeos, assistindo aos espetáculos, ensaios e palestras – convidou o ator Paulo Goulart Filho para a interpretação e cercou-se de equipe de criativos formada por Fábio Namatame (cenário e figurino), Daniel Maia (música) e André Lemes (iluminação).

A respeito do convite para fazer o espetáculo, Paulinho recebeu a surpresa como um desafio. “Quando a Neyde falou comigo fiquei muito feliz e, ao mesmo tempo, apavorado. Fazer um monólogo! E ainda mais do Dario Fo! Que  desafio! Mas nossa profissão é assim, somos movidos por desafios.

Bailarino, ator, cantor, Paulo Goulart Filho reúne as habilidades e características desejadas por Neyde para o papel. Em cena, além do próprio Francisco, interpreta todos os outros personagens que contracenam com ele. Além dos sete personagens principais – Francesco, cardeal, narrador, o lobo, o papa (o antagonista), o Colona e o padre – Paulinho interpreta o pai, a mãe, as pessoas da igreja e os amigos, num total de 25 tipos diferentes. “Enfim, uma gama de diversos tipos e características físicas, o que é um grande exercício de interpretação. Não estamos trabalhando com o naturalismo mas sim com tipos, arquétipos e uma linguagem farsesca de contadores de histórias.

Preciso utilizar toda a minha experiência como ator, todos os meus recursos e repertório físico, vocal e emocional para transformar o texto em um espetáculo divertido, performático e emocionante para o público. Confesso que dá um friozinho na barriga só de pensar. Mas isso que é bom em nossa profissão. Nunca estamos no lugar comum, na zona de conforto, sempre estamos na corda bamba sobre um precipício. Ser ator é isso, mergulhar num buraco negro sem saber o que está em baixo.” Paulinho conta que processo de trabalho tem sido gratificante e prazeroso, no sentido de explorar todas as possibilidades físicas e vocais para compor os personagens e contar as histórias de forma intrigante e performática.

Sobre ser dirigido por Neyde Veneziano, não mede elogios: “Neyde é uma diretora que permite ao ator participar de todo processo criativo, aceitando sugestões e dando espaço para desenvolver criatividade tanto na construção dos personagens como na concepção cênica. Isso faz com que o ator se sinta parte integrante do processo criativo e, assim, o espetáculo se torna parte do ator também. É uma diretora extremamente criativa, generosa e sabe como dirigir um ator mostrando os caminhos no sentido de ritmo, compreensão do texto, fisicalidade e voz. Enfim, além de uma grande encenadora, é também uma excelente diretora de atores“.

FACE (1).png

Francesco

Com Paulo Goulart Filho

Teatro do CCBB (Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo)

Duração 70 minutos

08 a 31/08 (sessões extras 11/08 – 11h, e 19/08 – 18h)

Quinta, Sexta e Sábado – 20h, Domingo – 18h, Segunda – 20h

$20

Classificação 14 anos

CIRCO EXCÊNTRICO

Sucesso de público e crítica, a Cia. LaClass Excêntricos está de volta a São Paulo para apresentar todo o seu humor e magia no Teatro Viradalata, localizado no Sumaré. Quem quiser curtir música, circo e teatro no mesmo espetáculo pode reservar um ou mais domingos de agosto para conferir o que prepara Dani Rocha-Rosa e Marcelo Lujan.

A partir de técnicas circenses clássicas (mágica, malabarismo, acrobacia, equilíbrio e ventriloquismo), estrutura não linear e pitadas de bastidores da vida dos artistas, a apresentação desenvolve uma discussão metafórica sobre as mazelas e não virtuoses da vida de um casal e do ser humano em geral.

O espetáculo carrega uma dramaturgia que beira o teatro do absurdo por meio da figura de uma ‘antiapresentadora’, vivida por Rhena de Faria. Parceira de longa data da Cia., ganhadora do Prêmio APCA 2018 por direção de espetáculo, a diretora e atriz está entre os nomes mais consagrados da improvisação no Brasil. Desta vez, Rhena desconstrói a imagem do apresentador perfeito com muito humor.

Sob o comando desses talentos consagrados, o espetáculo conduz o público a alternar momentos de diversão e encantamento com dramaturgia cômica e única, no mais refinado estilo vaudeville. As atrações garantem muito entretenimento e variedades de tirarem o fôlego para que a plateia fique envolvida e saia deslumbrada com a criatividade proporcionada pelos artistas.

FACE

Circo Excêntrico

Com Dani Rocha-Rosa, Marcelo Lujan e Rhena de Faria

Teatro Viradalata (Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo)

Duração 60 minutos

04 a 25/08

Domingo – 19h

$50

Classificação 10 anos