SOUL LEE

A cantora Paula Lima apresenta show inédito em que interpreta as canções de Rita Lee. Em homenagem a cantora, Paula Lima reuniu sucessos como Mutante e Pagu para compor esse show.

Paula Lima gravou quatro álbuns e o DVD Sambachic. Foi indicada ao Grammy Latino, protagonizou o musical Cats e é comentarista do Carnaval de SP na Rede Globo. É apresentadora do programa Chocolate Quente, na Rádio Eldorado FM, vencedor do Prêmio APCA. Atualmente é protagonista na superprodução musical Brasilis – Circo Turma da Mônica.

FACE (3)

Soul Lee

Com Paula Lima

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 90 minutos

22/10

Terça – 21h

$50/$90

Classificação Livre

PAI E FILHO

De um lado, Moraes Moreira, um dos maiores compositores da música popular brasileira, poeta, imortal da Academia Brasileira de Cordel, um dos fundadores do grupo Novos Baianos, compositor de quase todas as canções do Grupo.

Ao seu lado no palco Davi Moraes, um dos músicos mais requisitados da sua geração, com composições próprias, em trabalhos solos ou em gravações de praticamente todos os grandes nomes da nossa música. Arranjador, apresentador de programas de TV, criador de trilhas sonoras, exímio instrumentista que leva pra frente a tradição da guitarra brasileira em estúdios, palcos e trios elétricos. No encontro entre pai e filho não vão faltar clássicos como Preta PretinhaForró do ABC e Bate Coração.

FACE (1)

Pai e Filho

Com Moraes Moreira e Davi Moraes

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 90 minutos

15/10

Terça – 21h

$80/$100

Classificação Livre

ELZA, MUSICAL

Com texto inédito de Vinícius Calderoni e direção de Duda Maia, o espetáculo tem a direção musical de Pedro Luís, Larissa Luz e Antônia Adnet. Além disso, o maestro Letieres Leite, da Orquestra Rumpilezz, foi o responsável pelos novos arranjos para clássicos do repertório da cantora, tais como LamaO Meu GuriA Carne e Se Acaso Você Chegasse.

Em cena, as atrizes se dividem ao viver Elza Soares em suas mais diversas fases e interpretam outros personagens, como os familiares e amigos da cantora, além de personalidades marcantes, como Ary Barroso (1903-1964), apresentador do programa onde se apresentou pela primeira vez, e Garrincha (1933-1983), que protagonizou com ela um notório relacionamento.

FACE

Elza, Musical

Com Janamô, Júlia Tizumba, Késia Estácio, Khrystal, Laís Lacôrte, Verônica Bonfim e Larissa Luz

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 150 minutos

08/11 até 15/12 (dia 23/11 não haverá espetáculo)

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h

$60/$80

Classificação 14 anos

MADAGASCAR, UMA AVENTURA MUSICAL

Há mais de uma década, o mundo se encantou com personagens que viviam em um zoológico em Nova YorK: a Zebra Marty, o Leão Alex, Glória (um hipopótamo fêmea), Melman (uma girafa macho) e os impagáveis pinguins se tornaram um fenômeno entre os públicos de todas as idades. A adaptação para os palcos foi um caminho natural. Assim nasceu ‘Madagascar, uma aventura musical’, que ganha uma versão brasileira, a partir de 11 de outubro, no Theatro Net São Paulo. A superprodução tem direção de Marllos Silva, versão de Daniel Salve, cenografia de Renata Borges, direção musical de Natan Bádue, coreografias de Vivien Fortes, figurinos de Fause Haten e direção associada de Carina Gregório. A produção é da Touché Entretenimento.  “BB Seguros Apresenta” o espetáculo, que tem o UOL como “Patrocinador Master” e, como “Patrocinadores”, a Drogaria São PauloColgate e Lorenzetti, com “Apoio Oficial” da Panco e Sonda Supermercados. O “Apoio Cultural” é da UPL, TOTAL BR Everest.

“Madagascar – Uma Aventura Musical” é inspirado na animação realizada pela Dreamworks, em 2005, e desenvolvido pela divisão teatral do estúdio (DreamWorks Theatricals), escrito por Kevin Del Aguila, com músicas originais e letras de George Noriega e Joel Someillan.  O espetáculo conta a divertida história dos animais criados no Zoológico de Nova York, que organizam um plano de fuga, com o objetivo de conhecer o que existia fora dos muros do local que sempre viveram. Entretanto, algo dá errado e eles embarcam em um navio e acabam acidentalmente na ilha que dá nome ao espetáculo. O sucesso do filme foi tamanho que deu origem a duas continuações no cinema e ao musical. “Madagascar fala da busca de um sonho, da importância da amizade e da família e, principalmente, do respeito ao próximo e sobre aceitar as diferenças. São temas que devem sempre ser pauta de uma sociedade”, explica Marllos Silva.

O elenco já está definido: Maurício Xavier (Marty, a zebra), André Loddi (Alex, o leão), Ludmillah  Anjos (Glória, o hipopótamo fêmea), Ivan Parente (Melman, o girafa), Lucas Cândido (Rei Julien, Funcionário do zoo I), Will Sancar (Capitão, Funcionário do zoo V, Lêmure V , Marty (cover)), Renato Belini (Rico, Funcionário do zoo IV, Lêmure II, Foosa II), Fernando Palazza (Kowalski, Funcionário do zoo VII, Lêmure IV, Foosa I, Melman (cover)), Júlio Oliveira (Recruta, Funcionário do Zoo VI, Lêmure III, Mort, Rei Julien (cover) e Policial (cover)), Nalin Júnior (Maurice, Funcionário do zoo II, Capitão do Navio, Policial, Kowalsky e Rico (cover), Lêmure II e IV (cover), Foosa I e II (cover), Funcionário do Zoo IV e VII (cover)), Rafael Aragão (Zeke – Funcionário do zoo, Mason (o macaco), Controle de Animais, Lêmure I, Foosa líder e Alex (cover)), Brenda Nadler (Zelda – Funcionário do zoo, Dulce Napaforte, Lynn lêmure, Recruta (cover), Funcionário do Zoo VI (cover), Lêmure III (cover)), Vanessa Mello (Funcionário do Zoo III, Mort, Lars Lêmure, Glória (cover), Capitão (cover), Lêmure V (cover), Funcionário do Zoo V (cover)), Letícia Mamede (Swing Feminino) e Guilherme Pereira (Swing Masculino).

A montagem nacional é 100% original, com a equipe com total liberdade de criação. “Estamos criando um musical muito alegre, colorido e dançante, diferente de qualquer outra versão já encenada”, celebra Marllos. “O que torna esse espetáculo encantador é a história de amizade entre este grupo de animais. Estamos sendo fiéis ao original, mas com o nosso tempero brasileiro. Quando se faz uma versão, algumas piadas perdem a força e, para que elas voltem a fazer sentido dentro da história, nós as adaptamos para a nossa cultura. Nossas referências estão presentes no estilo de interpretação, nas coreografias e na forma como os personagens são construídos”, explica o diretor.

Renata Borges, Diretora Executiva da Touché Entretenimento, que já trouxe ao país grandes musicais, como “Cinderella” (de Rodgers & Hammerstein´s), “Sim! Eu Aceito”“Como Eliminar Seu Chefe” e por último, “Peter Pan, O Musical”, todos originais da Broadway, ressalta a importância de se incentivar a cultura. “É fundamental o patrocínio da BB Seguros, do UOL e de todos os patrocinadores de Madagascar que enxergam a cultura como uma ferramenta de mudança positiva, apostando em conteúdo para toda a família, de uma forma leve, que consegue atingir todas as classes sociais”, celebra.

Além de produzir o espetáculo, Renata faz sua estreia assinando a cenografia. O projeto une alta tecnologia, com diversos efeitos, cenários físicos, além de um grande painel de led de 50m², que proporciona interação do elenco com a cenografia. Foram criados mais de 30 microfilmes especialmente para esta montagem, sendo a maioria em 3D.  A cenografia foi produzida quase na totalidade na China, o que traz um novo modelo de produção.

O nosso led é único no Brasil, com tecnologia de ponta, com telas flexíveis. Teremos ainda alguns puppets, que dão uma dinâmica visual ao espetáculo e, ao público infantil, um toque a mais da ilusão. Eles foram concebidos foram do Brasil. Desenhei e busquei o que seria viável para que os atores não ficassem cansados ao manipular, inclusive com o uso de tela lcd nos olhos”, explica Renata. A boca de cena retrata uma das entradas do zoológico do Central Park e as projeções da Maze FX dialogam com o cenário.

Os mais de 60 figurinos foram criados por Fause Haten.  “Eles são uma experiência à parte e foram concebidos após muitos testes para encontrar a melhor solução para cada um dos animais. O Melman, por exemplo, é um projeto de 2,75 m de altura. Os lêmures têm um figurino diferente para cada ator, o que proporciona uma diversidade poucas vezes vistas em montagens de outros lugares do mundo”, entusiasma-se Marllos. O diretor destaca ainda o visagismo: “após longa pesquisa, o Anderson Bueno criou um projeto que conversa com a animação e com os figurinos. É um grande desafio para o elenco, tem uma concepção especial de maquiagem artística pouco usada no teatro musical, algo muito próximo ao que é usado no Cirque du Soleil”.

O musical propõe ainda uma forte interação com o público, que irá aprender uma coreografia antes de cada sessão. Sendo assim, a plateia terá a oportunidade de dançar com os animais do zoo e também será convidada a responder a algumas questões. “É um desafio imenso, mas o espetáculo está lindo, com todos olhando para a mesma direção. Um projeto para ser feliz e para deixarmos o público feliz”, finaliza Renata.

A ficha técnica do musical traz ainda Bruno Junqueira (efeitos especiais), André Garrido (designer de som) e Rafael Reis (stage manager). O próprio Marllos Silva assina o design de luz e Túlio Pezzoni é o designer de luz associado. A preparação de atores é de Inês Aranha.

FACE (5)

Madagascar, Uma Aventura Musical

Com Maurício Xavier, André Loddi, Ludmillah Anjos, Ivan Parente, Lucas Cândido, Will Sancar, Renato Belini, Fernando Palazza, Júlio Oliveira, Nalin Júnior, Rafael Aragão, Brenda Nadler, Vanessa Mello, Letícia Mamede e Guilherme Pereira

Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (R. Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)

Duração 85 minutos

11/10 até 01/12

Sexta – 20h30, Sábado e Domingo – 15h e 18h

$70/$240

Classificação Livre

A HISTÓRIA DE NÓS 2

Depois de 10 anos, 800 mil espectadores, turnê por mais de 30 cidades no país e indicação aos Prêmios Shell e APCA de melhor texto, a comédia romântica A História de Nós 2 reestreia em curta temporada dia 11 de outubro, às 21 horas, no Teatro Porto Seguro. Também foi eleita pelo jornal O Globo (voto dos leitores) como a melhor peça em cartaz e indicada ao Prêmio APTR de melhor texto e melhor produção de 2009. Com texto primoroso de Lícia Manzo (autora de A Vida da Gente, de 2011, e Sete Vidas, de 2015) e direção precisa de Ernesto Piccolo, reúne no palco os atores Alexandra Richter e Mouhamed Hafouch interpretando um casal já separado que recapitula a sua história de altos e baixos na noite em que ele retorna ao apartamento para pegar seus pertences.

Edu é um homem dividido entre o desejo de ascender profissionalmente, a vontade de manter um casamento e o sonho de ser eternamente livre. Lena é uma mulher ”partida” entre carreira, maternidade e paixão. Dois personagens, que, em cena se transformam literalmente em seis: Edu, Duca, Carlos Eduardo, Lena, Mammy e Maria Helena, dando corpo e voz às diferentes facetas de um mesmo homem e uma mesma mulher. Humor e romance são os ingredientes principais do texto. A relação instável do casal temcomo ponto de partida os diferentes desejos e perspectivas de vida dos personagens. Enquanto Edu se divide entre a busca pela ascensão profissional, a vontade de manter um casamento e o sonho de ser eternamente livre, Lena tenta se doar igualmente à carreira, maternidade e paixão. Dois personagens, que, em cena, embarcam numa sequência de flashbacks e se transformam literalmente em seis: Edu, Duca, Carlos Eduardo, Lena, Mammy e Maria Helena, dando corpo e voz às diferentes facetas de um mesmo homem e uma mesma mulher.

FACE (2)

A História de Nós 2, uma comédia romântica

Com Alexandra Richter e Mouhamed Hafouch

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 75 minutos

11 a 27/10

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h

$45/$100

Classificação 12 anos

O SANTO DIALÉTICO

O projeto Levante Teatro do Incêndio – Pra Vida e Revida apresenta o espetáculo O Santo Dialético (montagem de 2016, com texto e direção de Marcelo Marcus Fonseca), nos dias 19 e 20 de outubro, sábado, às 21h, e domingo, às 20h.

A peça – que resultou do processo de pesquisa do projeto A Teoria do Brasil – investiga os vestígios da essência ancestral do brasileiro por meio de pessoas que perderam o contato com suas origens, vivendo em São Paulo, e passaram a habitar um mundo determinado por valores urbanos.

O Santo Dialético é dividido em dois atos e parte do ponto de vista de pessoas comuns, inquietadas pelo esquecimento e pela perda de fatos de sua própria história, que seguem em busca de uma mitologia que possa explicá-la. A peça propõe o entendimento da descaracterização do negro, do índio e do próprio europeu (transformados em outra raça), indo à procura desse “novo povo”, o brasileiro, levando cada personagem numa espécie de voo interior rumo à própria raiz.

No enredo, seis histórias paralelas criam um mosaico da mistura racial brasileira: um índio, tirado aos oito anos de sua tribo por padres, retorna do seminário para encontrar sua aldeia; uma moradora de rua acredita ter sido chamada para uma missão e encontra o sincretismo pelo caminho; um casal negro, evangélicos, vive o drama de não conseguir ter filhos, enquanto o marido é atormentado por ritmos antigos que ele não reconhece; e um publicitário não se encontra no próprio corpo, enquanto sua mulher sofre de uma doença terminal. Com música ao vivo e trilha sonora original, a peça propõe uma paisagem diversa, levando o público por lugares do centro, periferia e interior do Brasil. No intervalo, pratos da culinária brasileira, preparados durante o primeiro ato pelo próprio diretor, são oferecidos ao público por um valor à parte.

Levante Teatro do Incêndio – Pra Vida e Revida

Diante do atual momento de ‘estrangulamento’ cultural, a Cia. Teatro do Incêndio, sem nenhum apoio ou incentivo cultural, lançou, em julho, uma programação de resistência que segue até dezembro, reunindo cinco espetáculos de repertório, entre de outras atividades. As demais montagens – todas dirigidas por Marcelo Marcus Fonseca – a serem encenadas são: A Gente Submersa (2017) e Rebelião – O Coro de Todos os Santos (2018), respectivamente em novembro e dezembro. São Paulo Surrealista abriu a programação em agosto, com direito a sessão extra, seguida por O Pornosamba e a Bossa Nova Metafísica em setembro. Esta mostra sintetiza o trabalho de pesquisa de linguagem dos últimos sete anos do coletivo, período em que construiu três teatros até conquistar sua sede definitiva na emblemática entrada do bairro Bixiga, esquina das ruas Treze de Maio e Santo Antônio, onde já funcionou a lendária boate Igrejinha e o Café Soçaite.

Próximas apresentações

Espetáculo: A Gente Submersa

23 e 24 de novembro. Sábado (às 20h) e domingo (às 19h)

120 min. 14 anos. Comédia dramática musical. R$ 80,00

Apresentações: Sol-Te

7 de dezembro. Sábado, às 15h30 e às 19h30

60 min. Livre. Contribuição voluntária.

Espetáculo: Rebelião – O Coro de Todos os Santos

14 e 15 de dezembro. Sábado (às 20h) e domingo (às 19h)

90 min. 14 anos. Drama apocalíptico. R$ 80,00

FACE

O Santo Dialético

Com Gabriela Morato, Marcelo Marcus Fonseca, Elena Vago, Ágata Matos, Carlos Gomes, Valcrez Siqueira, André Souza, Victor Castro, Yago Medeiros, Renato Silvestre, Gui Mameluco, Heloisa Feliciano, Jade Buck, Luiz Castro, Natália Burger, Amanda Santana, Giovana Kuczynski, Kaena Chioratto, Rafael Américo, André Ortiz, Mauricio Caetano, Moisés Santos e Laura de Rita.

Teatro do Incêndio (Rua Treze de Maio, 48 – Bela Vista, São Paulo)

Duração 150 minutos

19 e 20/10

Sábado – 20h, Domingo – 19h

$80

Classificação 14 anos