POKAS

Em seu terceiro show solo, Pokas, Thiago Ventura faz piadas e conta histórias engraçadas sobre os seus últimos anos como comediante de stand up. Fala de liberdade de expressão, livre arbítrio, sexualidade, drogas, dogmas e da vida pessoal, sempre com seu inconfundível estilo da quebrada.

Thiago Ventura

Administrador de empresas e ex-bancário, Thiago Ventura se dedica à comédia stand up desde 2010. Desde maio de 2016 está em cartaz em São Paulo no Teatro Shopping Frei Caneca “Isso é tudo que eu tenho e Só Agradece (shows que geraram dois dvds homônimos) ” e agora com novo show “Pokas”.

Ventura é fenômeno de público e crítica por onde passa, já participou dos maiores festivais de comédia do Brasil. Faz parte do elenco dos grupos: 4 Amigos, Comédia ao Vivo e a Culpa é do Cabral, em 2017 e 2018 fez turnê internacional no Japão, Estados Unidos e Europa (Lisboa, Dublin, Galway, Amsterdã, Bruxelas, Londres e Paris). Seus vídeos geram mais de 20.000 compartilhamentos e mais de 2.000.000 de views em pouco mais de 3 dias, muitos vídeos contam com mais de 50.000.000 de views.

 

Pokas

Com Thiago Ventura

Teatro Humboldt (Av. Engenheiro Alberto Kuhlmann, 525 – Jardim Ipanema, São Paulo)

Duração 80 minutos

29 e 30/11

Sexta e Sábado – 20h

$70

Classificação 12 anos

O DESPERTAR DA PRIMAVERA

Nos dias 2, 3 e 4 de dezembro – de segunda a quarta, às 21h – a Escola de Atores Wolf Maya apresenta o espetáculo O Despertar da Primavera, um estudo sobre a obra de Frank Wedekind com direção de Dan Rosseto. As sessões acontecem no Teatro Nair Bello, tendo no elenco os alunos da Turma M5A da escola.

Com fortes críticas à sociedade alemã do fim do século XIX, que culturalmente reprimia a sexualidade, a obra é uma dramatização viva de fantasias eróticas, além de tocar em assuntos como morte, aborto, abuso e religião. Pela ousadia da abordagem, a peça foi censurada à época.

Escrita entre o outono de 1890 e a primavera de 1891, O Despertar da Primavera teve sua primeira montagem autorizada somente em novembro de 1906, em Berlim, com direção de Max Reinhardt. Em 1917, a obra atravessou o continente e estreou na cidade de Nova Iorque – primeira encenação em inglês -, onde também sofreu censura. Em 2006 a versão musical estreou na Broadway, arrebatando prêmios (foram oito Tony Awards, incluindo melhor musical) e atraindo os jovens para o teatro. No Brasil, diversas montagens do texto ganharam os palcos pelas mãos de importantes diretores, revelando novos talentos para as artes cênicas.

Nesta versão inédita, o dramaturgo Dan Rosseto traz ao público uma história que atravessa o tempo, situando os conflitos dos adolescentes em 1890, nos anos 60 e nos dias atuais. Sem uma linha narrativa cronológica, o espectador acompanha os dramas vividos pelos jovens em cada época, embalados por músicas e acontecimentos marcantes. “As personagens vivem, em cada período, os conflitos escritos por Wedekind com seus desdobramentos sociais, morais, sexuais, éticos e religiosos”, comenta o diretor Dan Rosseto, que completa: “Será espantoso e surpreendente acompanhar Moritz, Melchiors, Wendlas, Marthas, Ilses, em diferentes períodos, e perceber que o ser humano continua em busca de algo que está longe de encontrar”.

Frank Wedekind (Hanover, 1864 – Munique, 1918) foi ator, dramaturgo e romancista. É um dos precursores do movimento expressionista. O Despertar da Primavera (1891) é sua peça mais conhecida. Sua obra antecipou o teatro épico de Bertolt Brecht e já apontava para o que veio a se chamar teatro do absurdo. Brecht cita Wedekind como uma de suas grandes influências, tendo escrito um ensaio sobre ele na ocasião de sua morte, além de o considerar um dos grandes educadores da Europa moderna como Tolstoi e Strindberg.

FACE (3)

O Despertar da Primavera 

Com Alejandro Chiaradia, Andressa Ghezzi, Andressa Sifuente, Beatriz Matos, Fabiano Issas, Gabriel Scudeler, Gabriela Abrão, Guilherme Conceição, João Pedro Ruiz, Lara Handler, Larissa Bruna, Letícia Monezi, Lívia Guimarães, Luis Felipe Gimenes, Marília Troiano, Nathalia Marzola, Patrick Oliveira, Pedro Gottardi, Sara Rodrigues, Tayane Araújo, Thaís Rovesta e Vicky Souza.

Teatro Nair Bello – Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo)

Duração 90 minutos

02 a 04/12

Segunda, Terça e Quarta – 21h

$20

Classificação 12 anos

GUARDIÕES – UM CONTO DE CORDEL

Coletivo ROOF – Apresenta: Guardiões – Um Conto de Cordel

“Conto de fadas no sertão vai ter! Guardiões – Um Conto de Cordel, traz de forma divertida a saga de Nina, uma menina curiosa que precisa salvar as crianças das lendas Folclóricas que libertou de um baú em um instante de descuido. Agora deve enfrentar seus medos e trazer de volta ao baú. Cumprindo assim sua missão de garantir e devolver a paz e harmonia, entre o mundo real e o imaginário”.

FACE (1).png

Guardiões – um Conto de Cordel

Com Bruno Eustáquio, Carla Varjão, Heloise Fernandes, Milton Aguiar, Priscila Gabriele, Renata Toledo

Complexo Cultural Funarte (Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 70 minutos

07 a 15/12

Sábado e Domingo – 16h

$40

Classificação Livre

NAS ÁGUAS DO IMAGINAR

No dia 15 de dezembro, domingo, a Companhia de Danças de Diadema estreia o espetáculo infantil “Nas Águas do Imaginar”, de Ton Carbones e elenco, no Sesc Osasco, às 16 horas. Com direção geral de Ana Bottosso, a montagem apresenta uma viagem lúdica pela imaginação.

O enredo traz uma criança que, ao se deitar para dormir, é surpreendida por seres fantásticos que surgem em seu quarto, instigando sua imaginação. Ávida pela diversão, a criança veste-se de coragem e muita criatividade para embarcar em uma viagem ao mundo do imaginar.

Segundo Ton Carbones, criar um espetáculo de dança para o público infantil é sempre um grande desafio. “Como transpor história, aventura e diversão por meio de uma linguagem, por vezes tão abstrata como a dança?”, reflete o bailarino e coreógrafo. Assumindo esse desafio, os bailarinos da Companhia de Danças de Diadema embarcaram numa pesquisa que envolve brincadeiras, gestos, histórias, jogos teatrais, música e dança. Voltaram à infância, viajaram pelo mundo de imaginação e trouxeram experiências lúdicas para o espetáculo.

O cenário em branco vai ganhando cores e vida, à medida que se desenrola a divertida viagem com seus surpreendentes e incríveis personagens. Almofadas transformam-se em estrelas e voam. A cama se desdobra em vários objetos: carrinho de mão, bancos, coral no fundo do mar e skates. O lençol ganha vida e traz a noite, vira mar, barco e qualquer outro lugar. O Figurino têm cores vibrantes e combinações divertidas como se as personagens tivessem saído de um desenho animado, explorando as possibilidades de imaginação dos pequenos.

Nas Águas do Imaginar desafia o espectador a desbravar, junto com essa criança, um mundo repleto de surpresas e fantasias, numa lúdica brincadeira que reflete sobre a busca do que está do lado de fora ou desbravar o universo interior. E a passagem para essa aventura custa apenas o uso da imaginação.

 A história

Para dar início à aventura, uma trupe de artistas se aproxima da plateia cantando e fazendo brincadeiras com as crianças, abrindo alas para a história de Nas Águas do Imaginar. Uma criança ajeita-se para dormir. As roupas que estão jogadas pelo quarto vão ganhando vida, dançando e organizando-se. Como se estivesse sonhando, ela sai da cama e os objetos do quarto se transformam, dando início à aventura.

Aparecem Piratas divertidos e atrapalhados. Uma Polvo surge ao lado de criaturas Siamesas agitadas. . Um Caçador e uma Sapa planejam roubar a imaginação da personagem, tendo ajuda de seres misteriosos, deslizantes e muito suspeitos. A aventura passa também pelo fundo do mar, onde um navio é comandado pela capitã Polvo e seus Piratas.

Em meio a brinquedos que ganham vida, transformações mágicas, amigos imaginários e brincadeiras com personagens que emitem sons curiosos, o caçador coloca em prática o plano de roubar a imaginação da criança. Para tanto, ele sequestra sua amiguinha Polvo, mas ele só não contava com a intromissão das Siamesas, que mostram para a criança que a imaginação não pode ser roubada. No fim da aventura, as personagens fantásticas levam a criança de volta para o sono, mas será que ela será a mesma ao acordar?

FACE.png

Nas Águas do Imaginar

Com Carlos Veloso, Carolini Piovani, Daniele Santos, Danielle Rodrigues, Elton de Souza, Guilherme Nunes, Júlia Brandão, Leonardo Carvajal, Thaís Lima, Ton Carbones e Zezinho Alves

SESC Osasco (Av. Sport Clube Corinthians Paulista, 1300 – Jardim das Flores. Osasco)

Duração  60 minutos

15/12

Domingo – 16h

$20

Classificação Livre

O QUEBRA-NOZES

Tradição de final de ano, o Teatro Alfa recebe a 36ª temporada do espetáculo natalino de Tchaikovsky O Quebra-Nozes, interpretado pela Cisne Negro Cia de Dançade 12 a 22 de dezembro (com exceção dos dias 16 e 17), em um total de 13 apresentações, incluindo matinês. Horários – Quarta a sexta-feira, 20h30. Sábado, 17h e 20h. Domingo, 15h e 18h. Além do elenco fixo, dançam bailarinos e atores performáticos especialmente contratados. Os solistas convidados são Marcelo Gomes, brasileiro, estrela Internacional do balé; Alice Mariani, italiana, 1ª bailarina do Dresden Semperoper  Ballet, Alemanha (de 12 a 15/12); e os brasileiros Cícero Gomes, 1º bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e sua partner Manuela Roçado (Rio de Janeiro), que se apresentam de 18 a 22 de dezembro.

Encenado em dois atos, o balé conta a fantasia de Clara, uma menina que na noite de Natal ganha muitos presentes, mas se encanta de uma maneira especial por um deles, um boneco quebra-nozes. Quando todos vão dormir, Clara vai à sala para brincar com seu novo presente, adormece e entra no mundo da fantasia – os brinquedos ganham vida, dançam, lutam, viajam para O Reino das Neves e Reino dos Doces, onde Clara e seu príncipe são homenageados com danças típicas de vários países e com um gracioso grand pas-de-deux da Fada Açucarada. Criada em 1891 pelo compositor russo Pyotr Ilyich Tchaikovsky, a versão da Cisne Negro Cia de Dança tem direção artística de Hulda Bittencourt Dany Bittencourt.

Com direção artística de Hulda Bittencourt e Dany Bittencourt, conta com a colaboração de ensaiadores de expressão na área da dança, como a bailarina e maitre Daniela Severian e a ensaiadora da Cisne Negro Cia de Dança Patrícia Alquezar. A criação de O Quebra-Nozes foi inspirada em uma adaptação francesa de um trecho do conto Nussknacker und Mauserkonig (Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos), de Hoffmann. Tchaikovsky se encantou com as colorações sinistras e fantásticas que envolvem a história e compôs a música para o balé. O resultado é uma obra repleta de fantasia e romantismo.

Tradicional na cidade de São Paulo, o espetáculo recebeu em 2012 o Prêmio Governador do Estado como Melhor Espetáculo de Dança – preferência popular. O Quebra-Nozes conta com a colaboração de ensaiadores de expressão na área da dança, como a professora Denise Siqueira (ex-bailarina e solista de O Quebra-Nozes) e a ensaiadora e assistente de direção da Cisne Negro Cia de Dança, Patrícia Alquezar. O balé apresentará efeitos especiais circenses e acrobacia de tecido a cargo do Circo Escola Picadeiro, considerada uma das mais respeitadas escolas circenses do Brasil, criada em 1983, por Wilson Moura Leite, que tem em seu currículo ex-alunos atuando em importantes companhias no Exterior, alguns deles inclusive no Cirque Du Soleil.

Destaca-se também neste ano a participação de bailarinas integrantes da Usina da Dança, projeto social desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, de Orlândia-SP, fundado pela empresária Josimara Ribeiro de Mendonça, que atua pelo desenvolvimento integral de crianças e adolescentes na região Nordeste do Estado de São Paulo e mantém parceria com a Cisne Negro Cia. de Dança. No saguão do Teatro, haverá a apresentação de corais convidados, interpretando músicas natalinas, uma hora antes do início dos espetáculos, sob a coordenação da pianista Maria Inês Vasconcellos. O espetáculo conta com maquiagem e visagismo criados pela equipe Jacques Janine, sob a supervisão de Chloé Gaya. “É uma obra que nos faz embarcar no sonho de Clara, transportando-nos a um mundo de imagens fascinantes, repletas de magia e beleza, que ficam gravadas para sempre em nossas mentes e em nossos corações“, diz Hulda Bittencourt, fundadora da companhia e diretora artística do espetáculo O Quebra-Nozes.

Breve sinopse

O Quebra-Nozes conta a história de Clara e seu precioso boneco Quebra-Nozes, presente de seu padrinho, o mago Drosselmeyer. Juntos, eles enfrentam uma cruel batalha contra o Rei dos Ratos e seu exército, viajando pelo Reino das Neves até o Reino dos Doces.

FACE (2)

O Quebra-Nozes

Com Cisne Negro Cia de Dança

Teatro Alfa (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)

Duração 120 minutos

12 a 22/12 (não haverá sessão dia 16 e 17)

(sessão popular 18/12 – 4a as 16h – $20/$40)

Quarta, Quinta e Sexta – 20h30, Sábado – 17h e 20h, Domingo – 15h e 18h

$75/$160

Classificação Livre

INAUGURAÇÃO SEDE CIRCO ZANNI

O Circo Zanni vai inaugurar a sua sede na Raposo Tavares, com apresentações nos dias 30 de novembro, 1.º, 7, 8 de dezembro de 2019. O novo endereço, próximo de São Paulo, faz parte das novidades pensadas para a região pelo grupo circense que comemora 15 anos de atividades com a inauguração do mais novo ‘centro cultural de Cotia’.

O espetáculo do Zanni reúne uma estrutura próxima do circo clássico com características do circo contemporâneo. O público poderá assistir números aéreos, de acrobacia, de equilíbrio, de palhaçaria, entre outros, embalado pela música da banda Zanni. O espetáculo dura 60 minutos e a direção artística foi feita por Domingos Montagner. A direção musical é de Marcelo Lujan.

A decisão de ter um endereço fixo em Cotia é resultado do sucesso da companhia e ponto alto do aniversário de 15 anos. O terreno onde ficará a lona – quilômetro 26 da Rodovia Raposo Tavares, sentido São Paulo – vai contar com área para alimentação, banheiros e estacionamento.

A programação que será desenvolvida no novo endereço prevê atividades como oficinas, cursos, palestras, aulas e, evidentemente, espetáculos. Com a nova empreitada, o grupo quer consolidar um espaço permanente, um equipamento cultural vivo.

Com a possibilidade de ter um local fixo para o desenvolvimento das atividades artísticas e pedagógicas e de difusão sistemática, pretendemos ao longo do tempo agregar artistas, formadores, jovens em formação e comunidade para usufruir do fomento à cultura do circo na sua mais ampla gama de possibilidades”, afirma Márcia Nunes, produtora do Zanni.

Segundo Márcia, com a programação regular de atividades abertas à comunidade “será possível agregar a força criativa e de trabalho de colaboradores com quem temos estreita relação e interesse de intercâmbio e oferecer ao público um contato com o circo que contemple tanto a fruição do espetáculo como atividades de interesse público”, afirma.

FACE

História

Criado em 2004, o Zanni visa resgatar a importância dos espetáculos circenses apresentados sob lona em centros urbanos. Sua arte encanta plateias, seduzidas pela magia e beleza dos espetáculos. Entre os fundadores da companhia estão nomes de relevo da arte circense como Domingos Montagner, Daniel Pedro, Erica Stoppel, Fernando Sampaio, Isabel Mucci, Luciana Menin, Marcelo Lujan, Maíra Campos e Pablo Nordio.

Reconhecido pela sua excelência artística, o Zanni conseguiu incorporar características dos circos clássico e tradicional. Em São Paulo, já ocupou importantes territórios da cidade em diversas temporadas, com apresentações no Parque Augusta, no Memorial da América Latina, no Shopping Raposo, em várias unidades do Sesc, no Parque do Povo, entre outros.

FACE (1)

Inauguração sede do Circo Zanni

Com Circo Zanni

Quilômetro 26 da Rodovia Raposo Tavares sentido São Paulo

30/11 a 08/12

Sábado – 19h, Domingo -17h

$60

Classificação Livre

A ÚLTIMA ESTROFE

A Última Estrofe faz curta temporada no espaço Pessoal do Faroeste, em São Paulo, somente aos domingos, em dezembro (1,8,15 e 22).

A direção é de Rodrigo Ferraz, que comemora 15 anos de carreira no teatro e no audiovisual. O elenco é formado por Wood Moura, Daniel Alexs, Whintney Polato, Carola Valente, Rafael Sabinos e Evelyn Simões.

De autoria do jovem ator e dramaturgo Wood Moura, em parceria com Whintney Polato, A Última Estrofe fala de paixão, ódio e possessão. É o primeiro texto teatral assinado pela dupla de artistas. Reúne suspense, drama, audiovisual, interatividade e muita música.

Dado é um cantor no auge do sucesso, que está passando por um momento de dúvidas na sua vida e conhece um policial que o salva de um precipício. De caráter duvidoso, Dado não vai medir esforços para conquistá-lo; mal sabe ele que a partir desse dia começa uma nova jornada na sua trajetória. Você faria de tudo pra conquistar alguém? Sim ou não?

O diretor Rodrigo Ferraz leva para o teatro a sua experiência no audiovisual.  A peça conta com a exibição de curtas-metragens que fazem uma introdução sobre a vida de cada personagem. Os vídeos serão exibidos antes do início de cada sessão e trazem participações muito especiais de Ferraz, e dos atores Eliana Guttman, Erick Zamorim, Bianca Belain e Ray Vieira.

Outro destaque da montagem é a trilha sonora, que além de composições musicais exclusivas, traz grandes sucessos do rock brasileiro dos anos 80 e 90. O público tem a tarefa de decidir o final da história.

FACE (2)

A Última Estrofe

Com Wood Moura, Daniel Alexs, Whintney Polato, Carola Valente,Rafael Sabinos e Evelyn Simões

Sede Luz do Faroeste (R. do Triunfo, 301 – República, São Paulo)

Duração 85 minutos

01 a 22/12

Domingo – 19h30

$20

Classificação 16 anos