PLUFT, O FANTASMINHA

O novo Teatro Playcenter Family, localizado dentro do Playcenter Family no Shopping Aricanduva, apresentará o espetáculo, aclamado pelo público infantil, “Pluft, o Fantasminha” entre os meses de janeiro e fevereiro.

A peça, encenada pela Cia dos Reis, conta a cômica e inusitada história de Pluft, um fantasma que tem medo de gente. A trama também foca na amizade de Pluft com Maribel, uma jovem que irá ajudá-lo a superar seus medos. Com autoria de Maria Clara Machado, quem assina a direção da montagem é o ator e diretor Ivo Ueter.

Pluft, o Fantasminha começa quando o malvado e temido Pirata Perna de Pau, que está em busca do tesouro perdido do Capitão Bonança Arco-Iris, sequestra a jovem Maribel que é escondida na antiga casa de Bonança. Chegando lá, a menina descobre que a morada abriga uma família muito engraçada de fantasmas, inclusive Pluft, um gentil e bondoso fantasminha que tem medo de pessoas.

Quando os atrapalhados e divertidos marinheiros, amigos de Maribel percebem seu desaparecimento, logo começam a desconfiar que o maldoso Pirata possa ter levado a amiga para a antiga e assombrada residência do Capitão. Juntos, João, Julião e Sebastião vão atrás da garota para salvá-la, passando por momentos onde a coragem de cada um é colocada à prova. Com isso, o Pluft também terá que testar sua bravura e passar por cima do medo para enfrentar seus anseios e construir uma linda amizade entre ele e os humanos.

pluft

Pluft, o Fantasminha
Com Carol Marafiga, Fábio Brasile, Filipe Bertini, Ivo Ueter, Johnny Gonçalves, Luisa Galatti, Pamela Almeida, Pietro Alonso, Otávio Negri, Thiago Mantovani, Vivian Nóbrega e William Avelar
Teatro Playcenter Family – Shopping Leste Aricanduva (Avenida Aricanduva, 5.555, Vila Matilde, São Paulo)
Duração 50 minutos
25/01 até 25/02
Sábado e Domingo – 16h
$40
Classificação Livre

OS TRÊS PORQUINHOS E O LOBO

Apreciado por todas as gerações, a obra de Joseph Jacobs adaptada pela Companhia dos Reis, ganhou uma versão repaginada de “Os Três Porquinhos e o Lobo” sem perder a essência do clássico, com músicas e sapateado, inovando com cenário em tamanho diferenciado e moderno.

O espetáculo está em cartaz no novo Teatro Playcenter Family localizado dentro do Playcenter Family, no Shopping Aricanduva até 25 de fevereiro.

Com direção de Ivo Ueter, a saga narra a incrível jornada de três porquinhos que decidem construir uma nova moradia, em meio a muitas trapalhadas precisaram escapar de um lobo que está rondando a vizinhança e que utiliza muitos disfarces para enganar e perseguir os irmãos, o  lobo que  se sente esperto com planos que nunca dão certo, tentará ainda destruir as três casinhas feitas de palha, madeira e tijolos.

porquinhos

Os Três Porquinhos e o Lobo
Com Fábio Basile, Filipe Bertini, Ivo Ueter, Thiago Mantovani, Yago Senciani e William Avelar
Teatro Playcenter Family – Shopping Leste Aricanduva (Avenida Aricanduva, 5.555, Vila Matilde, São Paulo)
Duração 50 minutos
25/01 até 25/02
Sábado e Domingo – 19h
$40
Classificação Livre

 

A FANTÁSTICA BALEIA ENGOLIDORA DE CIRCOS

Sem usar qualquer palavra falada, a carioca Cia. Frita apresenta para a criançada o universo mágico do circo em A Fantástica Baleia Engolidora de Circos, que ganha uma temporada na CAIXA Cultural São Paulo, entre 22 de fevereiro e 4 de março. O elenco conta com as atrizes Érika Freitas, Mariana Rabelo e Florencia Santángelo, e a direção e o roteiro são assinados por Alvaro Assad. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos às 9h do dia da apresentação, na própria CAIXA Cultural.

O público conhece a hilária saga de três palhaças que foram engolidas por uma baleia junto com seu pequeno circo durante uma enchente que alagou a cidade. Enquanto o animal navega pelos sete mares do globo, as artistas precisam se adaptar àquele cotidiano surreal.

Elas esperam ansiosamente pelas surpresas que virão com a próxima mordida da baleia e sonham com o mundo externo. Durante cada tempestade no meio do mar, as palhaças se comportam de modo completamente nonsense.

Durante o processo criativo da peça, a trupe pesquisou o universo da pantomima e das reprises e gags (piadas) clássicas do circo. Como o espetáculo não tem falas, o elenco teve um treinamento corporal para a comédia física, em que os gestos são usados para provocar a comicidade e narrar de forma eficiente a história. A proposta da encenação é resgatar e difundir a arte da palhaçaria clássica.

Oficina de palhaçaria

Além do espetáculo, a trupe ministra uma oficina gratuita de Palhaçaria para Crianças, com Érika Freitas. A atividade pretende despertar o lúdico, o riso, a espontaneidade e a relação com o outro a partir de brincadeiras e jogos de improviso. A ideia é proporcionar aos participantes a oportunidade de ter um primeiro contato com o universo dos clowns.

A oficina acontece na própria CAIXA Cultural São Paulo, no dia 3 de março, das 10h às 12h, e oferece 20 vagas para crianças de 10 a 14 anos. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo telefone (11) 3321-4400. A seleção será a partir da ordem de inscrições.

A fantastica baleia_Mariana _Rocha (4)

 

A Fantástica Baleia Engolidora de Circos
Com Érika Freitas, Mariana Rabelo, Raquel Theo e Florencia Santángelo
CAIXA Cultural São Paulo (Praça da Sé, 111 – Centro, São Paulo)
Duração 50 minutos
22/02 até 04/03
Quinta, Sexta, Sábado e Domingo – 15h
Entrada gratuita (ingressos distribuídos a partir das 9h do dia da apresentação)
Classificação 6 anos
 
Oficina: Oficina de Palhaçaria para Crianças
CAIXA Cultural São Paulo (Praça da Sé, 111 – Centro, São Paulo)
03/03
Sábado – 10h às 12h
Inscrições: gratuitas e feitas pelo telefone (11) 3321-4499 (por ordem de inscrição)
Vagas: 20 vagas
Público-alvo: crianças de 10 a 14 anos

O MÁGICO DE OZ – O ESPETÁCULO

Baseado na obra original de Lian Frank Baum O MÁGICO DE OZ tem texto e direção geral de um dos nomes mais conceituados na dramaturgia do Teatro para Crianças , FERNANDO LYRA JÚNIOR , que ao longo de seus mais de 20 anos dedicados ao palco foi detentor de vários prêmios e críticas elogiosas.

 

A peça conta a história de Dorot,uma garotinha que se perde no Mundo de Oz e para conseguir o caminho de volta para sua casa precisa encontrar o Grande Mágico de Oz.

 

Com a ajuda da Bruxa do Norte , Doroty , começa a sua procura no caminho até o Castelo do Mágico, onde muita coisa acontece .Ela conhece seus três inseparáveis amigos : O Espantalho , O Homem de Lata e o Leão, que ajudam a menina a atingir seus objetivos.

 

foto original O MAGICO DE OZ.jpg

O Mágico de Oz – O Espetáculo
Com Marina Ribeiro, Matheus Rodrigues, Cibelle de Martin, Rebecca Etiene, Fernando Lyra Jr, Luciano Brandão e Bruno Bianchi.
Teatro Ruth Escobar – Sala Dina Sfat (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 50 minutos
28/01 até 25/03
Domingo – 17h30
$40
Classificação Livre

O BEBÊ QUE NÃO DORMIA E TROCAVA A NOITE PELO DIA

Depois do sucesso de seu monólogo cômico “Meu Trabalho é um Parto”, em que interpreta 12 personagens, a atriz e dramaturga Veridiana Toledo volta a narrar os apuros e os dilemas enfrentados por pais de primeira viagem na comédia musical infantil O bebê que não dormia e trocava a noite pelo dia. Escrito em 2012, o texto é levemente inspirado na experiência pessoal da autora e do diretor Marcelo Galdino com o nascimento de seu filho Ian.

Em cena, Veridiana e os atores Luciano GattiAndo CamargoLívia Ziotti e Diego Rodda contam em tom fabulesco as aventuras de um casal que está há meses sem dormir porque seu bebê trocou o dia pela noite, o que acontece com muitos recém-nascidos. Para tentar solucionar esta questão, eles buscam ajuda em muitos lugares. Eles chegam até a viajar ao Japão com a esperança de que o fuso horário ajude o filho a descansar na hora que eles querem.

Quando eles voltam dessa viagem, percebem que o bebê passa a dormir à noite naturalmente e que todos os esforços foram inúteis. A ideia da montagem é criar uma reflexão sobre o desejo do homem contemporâneo de controlar a natureza de acordo com as necessidades de sua vida acelerada, ignorando o tempo real das coisas.

Para dar suporte aos divertidos tropeços do casal, os atores, que se revezam em diferentes papéis, interpretam ao vivo uma série de canções compostas especialmente para a peça por Marcelo Galdino e Diego Rodda. Cada tema homenageia um estilo musical brasileiro.

O cenário é construído com objetos e instrumentos musicais, que adquirem diferentes funções de acordo com as demandas da encenação. Um carrinho, por exemplo, é usado ora como berço, ora como carrinho de bebê, ora como um avião. Uma caixa branca é usada para a projeção de sombras e para delimitar o espaço de representação.

Sem qualquer forma de fomento, o espetáculo só pôde ser realizado cinco anos depois de escrito, graças a uma campanha de vendas antecipadas de ingressos, crowdfunding, que também ajudou a para produzir um CD com a trilha sonora original e um livro com o texto da montagem.

IMG_3641

O Bebê Que Não Dormia e Trocava a Noite pelo Dia
Com Ando Camargo, Diego Rodda, Lívia Ziotti, Luciano Gatti e Veridiana Toledo
Teatro Viradalata (Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo)
Duração 60 minutos
17/02 até 01/04
Sábado e Domingo – 16h
$50
Classificação Livre

MOGLI – O LIVRO DA SELVA

Mogli – O Livro da Selva” é uma adaptação de Fabio Brandi Torres para a obra de Rudyard Kipling, que narra a história e as aventuras vividas por um menino criado por lobos. A encenação dirigida por Eduardo Leão bebe na fonte do teatro oriental e no universo mágico indiano.

Com movimentos de animais inspirados em “Rei Leão” e “Cats”, a história de “Mogli – O Livro da Selva” não abre mão do humor  e apresenta a agilidade vista nas animações Disney. A produção da montagem escolheu os atores mirins Chico Sanches de Melo e Pedro Estevam – que estreiam no teatro, ambos com 8 anos de idade – para se revezarem no papel principal. Com a  inclusão dos atores mirins, a encenação busca a autenticidade do olhar de criança.

O diretor Eduardo Leão diz que o processo de criação da montagem contou com a espontaneidade dos atores mirins e a vontade de jogar, típica da faixa etária deles. “Além da disposição para o jogo lúdico, a diferença de tamanho entre os atores adultos e crianças reforça a leitura de que Mogli é um menino pequeno num ambiente hostil, que é a floresta”.

A encenação faz referência ao teatro oriental, o que é revelado principalmente pelas músicas criadas especialmente para o espetáculo por André Abujamra, e nos figurinos desenhados por Olintho Malaquias. “Também trabalhei com o elenco detalhes da atuação. Atores fazem personagens animais em pé, com movimentações, posturas e energias que lembram a vida selvagem. Mas nunca fazem animais em quatro patas”, detalha o diretor.

 Mogli_divulga_o

Mogli – O Livro da Selva
Com Ivy Souza, Lia Canineu, Thiago Andreuccetti, Everton Granado, Leo Romanno, Chico Sanches de Melo e Pedro Estevam
Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (Av. Higienópolis, 618 – Consolação, São Paulo)
Duração 50 minutos
03/02 até 01/06 (sessões extras nos feriados e emendas de feriados 12 e 13/02, 30/03, 30/04, 01 e 31/05, 01/06.
Sábado e Domingo – 16h
$25
Classificação 04 anos

O PALHAÇO E A BAILARINA

Um universo lúdico e circense ganha vida no palco do Teatro Santander em janeiro para contar a divertida e romântica história da sonhadora bailarina Anabel e do corajoso e romântico Palhaço. Interpretados por Kiara Sasso e Lázaro Menezes, o casal, que assina também algumas funções criativas do espetáculo como concepção e texto, letra e música, direção e cenografia, retornam a São Paulo com o sucesso musical “O Palhaço e a Bailarina”, primeira produção da O Alto Mar Produções Teatrais, para uma temporada especial de férias.

Buscando alternativas para ganhar algum dinheiro, Tombo, vivido por Blota Filho, um severo domador de leões e ex-administrador do falido “Grande Circo Nômade”, decide dispensar seus artistas, entre eles o multitalentoso Palhaço – que passa a fazer apresentações pelas ruas com seu acordeom inseparável -, mantendo em atividade apenas a doce bailarina, por quem alimenta um sentimento platônico; Ele então acorrenta os pés dançantes de Anabel em uma enorme caixinha de música, que passa a ser seu único cantinho para os dias tediosos e sem ninguém para conversar, e a obriga a se apresentar diariamente para pequenos públicos, sem imaginar o quanto a faz infeliz e sonha ser encontrada.

Preocupado com o sumiço da bailarina-aramista, por quem deseja se declarar, o Palhaço decide então sair em busca de sua amada na decisiva missão de reencontrá-la, vencendo seus maiores medos e enfrentando os mais diversos desafios pelo caminho, até que descobre seu paradeiro e enfrenta Tombo, mudando assim seus destinos.

Resgatando bons sentimentos e valores como o perdão, a amizade e o amor, o espetáculo visa também a importância de se preservar a liberdade em todos os seus estados, e ganha ainda mais charme com encantadores momentos de sapateado e acrobacia, além da trilha original, sob a direção musical de Guilherme Terra, composta por 13 canções executadas por seis músicos ao vivo, e repletas de poesia e lirismo.

26733521_1966344663580618_6622005147461350123_n

O Palhaço e a Bailarina
Com Kiara Sasso, Lázaro Menezes e Blota Filho.
Teatro Santander (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 70 minutos
21/01 até 24/02 (não haverá sessão nos dias 10 e 11/02)
Sábado e Domingo – 16h
 $50/$100
Classificação Livre