O MÁGICO DE OZ

Baseado na obra original de Lian Frank Baum “ O MÁGICO DE OZ ” tem texto e direção geral de um dos nomes mais conceituados na dramaturgia do Teatro para Crianças , FERNANDO LYRA JÚNIOR , que ao longo de seus mais de 30 anos dedicados ao palco foi detentor de vários prêmios e críticas elogiosas.
A peça conta a história de Dorothy, uma garotinha que se perde no Mundo de Oz e para conseguir o caminho de volta para sua casa precisa encontrar o Grande Mágico de Oz. Com a ajuda da Bruxa do Norte , Dorothy, começa a sua procura no caminho até o Castelo do Mágico, onde muita coisa acontece. Ela conhece seus três inseparáveis amigos: O Espantalho , O Homem de Lata e o Leão, que ajudam a menina a atingir seus objetivos.
CARMEN (1).png
O Mágico de Oz
Com Marina Ribeiro,  Giuliano Landim, Cibelle de Martin, Rebecca Etiene, Fernando Lyra Jr, Luciano Brandão e Dico Paz.
Teatro Ruth Escobar – sala Dinah Sfat (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração não informada
27/01 até 31/03
Domingo – 17h30
$40
Classificação Livre

10 ANOS DA TRUPE PÉ DE HISTÓRIAS

Em 2019, a Trupe Pé de Histórias completa 10 anos e a melhor maneira de fazer festa é estar no palco, revivendo com o público um pouco da sua história.

De 02 a 10 de fevereiro ele apresentam, Já, Elvis?, de 16 a 24/02, A Menina e o Tempo, de 09 a 17/03, Conto Cantando e finalizam com o Conto dos Pássaros, de 23 a 31 de março.

A Trupe começou seu caminho fazendo teatro em festas de aniversário, depois a música e o formato de “show” foram ganhando força e espaço em parques, praças e teatros. Os “shows” cantam e contam histórias, já que a companhia acredita que essas são sementes frutíferas para qualquer geração.

No segundo semestre de 2018, a “Menina e o Tempo” foi indicada como melhor espetáculo infantil, pelo prêmio São Paulo de incentivo ao teatro infantil e jovem de São Paulo. Também foi indicada pela Folha de São Paulo como melhor espetáculo infantil de 2018, ficando em 2º lugar por júri popular.

A menina Nina é a personagem central dos espetáculos “Já, Elvis?”, “A Menina e o Tempo”, “Conto Cantado” e “Conto dos Pássaros” e como qualquer criança, passa por desafios, como brigar com sua melhor amiga, perder alguém muito querido e pensar sobre o futuro, o passado e o presente. Com a ajuda de seu pai consegue descobrir mais sobre o mundo a sua volta.

Em “Já, Elvis?” Nina, briga com sua melhor amiga por estar sendo muito mandona e se depara com um rei ainda mais mandão que ela. Músicas e danças do Elvis Presley  fazem um divertido encontro da “rainha do 2ºC” com o “rei do rock”.   Contando que é importante ouvir o que os amigos têm a dizer.

Em “A Menina e o Tempo”, mais recente espetáculo da Trupe, as canções autorais ganham destaque e compõe a narrativa. Nesse espetáculo musical, Nina é uma menina que tem tantos compromissos que nunca sobra tempo para fazer aquilo que mais gosta,
brincar. No domingo, dia que Nina e seu pai passariam brincando, os dois perdem-se em seus smart fones e abre-se uma fenda no tempo. Agora, sem energia nem Wi-Fi, Nina não tem aplicativos para voltar pra casa. Para encontrar o pai e aproveitar o tempo perdido, ela conta com a ajuda da tartaruga Antígona, a libélula Efêmera e a siri Siri.

O “Conto Cantado” é o primeiro espetáculo musical da Trupe e é também Cd e livro. Um passeio pelo repertório das cantigas tradicionais e outras autorais. Nele, a menina Nina percebe que está crescendo quando o seu primeiro dente de leite cai. Uma pergunta do seu pai conduz o seu sonho: “O que vai ser quando eu crescer?”. Nina encontra personagens do mar, do céu e da terra, que explicam a ela o que acontece quando a gente cresce, cada qual, a sua maneira. No final, sua aventura a leva a também questionar seu pai: “e você, pai, o que vai ser quando eu crescer?”

O “Conto dos Pássaros” é um show com cantigas tradicionais e contemporâneas. Nele, Nina, apaixonada por seu Sabiá, o prende em uma gaiola para que ele cante só pra ela. O Sabiá foge e leva consigo todos os pássaros da cidade de Passaredo. Nina descobre, com a ajuda do Urubu Rei, que precisará sonhar junto com sua cidade para que os pássaros
retornem.

CARMEN (2).png

10 Anos da Trupe Pé de Histórias

Com Trupe Pé de Histórias

Teatro Alfa ( R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)

Duração 50 minutos

02/02 até 31/03

Sábado e Domingo – 16h

$40

Classificação Livre

02 a 10 de Fevereiro – Já, Elvis?

16 a 24 de Fevereiro – A Menina e o Tempo

09 a 17 de Março – Conto Cantado

23 a 31 de Março – Conto dos Pássaros.

BOB SOOM EM O TREM DE FERRO

Ao som de clássicos do cancioneiro popular, como A BaratinhaPintor de JundiaíMarcha Soldado e Pula Pula Pipoquinha, a formiguinha azul Bob Zoom, que soma mais de 724 milhões de visualizações no Facebook, se apresenta ao lado dos seus amigos noTeatro MorumbiShopping com Bob Zoom em: O Trem de Ferro a partir do dia 19 de janeiro, sábado, 16 horas.

No espetáculo, Bob Zoom e os amigos Cachorro, Joaninha, Barata, Menininho e Menininha vão viver uma aventura animada para encontrar o trem de ferro que dá nome ao show. Nessa viagem divertida, os personagens vão se deparar com situações inusitadas que prometem surpreender e alegrar a criançada e seus pais.

O espetáculo é composto por 18 canções, todas bem conhecidas do público que se acostumou a acompanhar o Bob Zoom na internet e em outras plataformas. Em 2017, o espetáculo anterior do Bob Zoom (Bob Zoom – Show) foi apresentado em cidades como São Paulo, no próprio Teatro MorumbiShopping, Rio de Janeiro e Salvador.

Este novo show é um convite para a diversão e viagem no tempo, já que atualmente viajar de trem não é algo mais tão comum na realidade das crianças. Estamos muitos satisfeitos com o resultado e torcemos para que todos se divirtam ao máximo”, afirma Marcos Mello, um dos criadores da formiguinha.

O Bob Zoom foi criado em 2012 e logo alcançou grande sucesso na internet. Atualmente conta com mais de 724 milhões de visualizações no Facebook e quase um milhão de curtidas no Facebook. O personagem e sua turma lançaram quatro temporadas com clássicos da música infantil e músicas autorais com gravações em português, inglês e espanhol, alcançando mais de 200 países.

Bob Zoom em: O Trem de Ferro

Teatro Morumbi Shopping – Morumbi Shopping (Avenida Roque Petroni Júnior, 1089; Santo Amaro, São Paulo)

Duração 50 minutos

19/01 até 10/03

Sábado e Domingo – 16h

$60

Classificação Livre

FESTIVAL TEATRO INFANTIL NO SESC PINHEIROS

Em fevereiro, as crianças poderão conferir uma série de shows e peças de teatro no Sesc Pinheiros.

O espetáculo Pequena Magdalenada Companhia de Copas, segue temporada até dia 10 de fevereiro.

No dia 9 de fevereiro, na praça, entra em cena a montagem Navegar, do grupo Esparrama.

O auditório recebe o show Bichos de Cá dias 17 e 24 de fevereiro. Nos dias 23 e 24 de fevereiro, a peça Um Canto para Carolina, da Cia dos Inventivos, será apresentada na praça.

A programação infantil encerra com o show Pelo Mundo com Mawacado grupo Mawacadia 24 de fevereiro, no Teatro Paulo Autran.

PROGRAMAÇÃO

Teatro – Pequena Magdalena

Com Companhia de Copas

Domingos, 15 e 17 horas, até 10 de fevereiro

Local: Auditório (98 lugares)

Recomendação: 5 anos. Duração: 60 minutos.

Preços: Grátis para crianças até 12 anos. R$ 17,00 (inteira), R$ 8,50 (meia entrada: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 5,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Pequena-Magdalena.-Foto-Jéssica-G.-Teodoro-k

Às vésperas do Dia dos Mortos, uma animada festa no México, Magdalena se envolve em uma grande confusão e corre o risco de arruinar a mais tradicional festa de seu país. A peça é inspirado na infância da artista plástica mexicana Frida Kahlo (1907 – 1954).

____________________________________________

Teatro – Navegar

Com Grupo Esparrama

9 a 17 de fevereiro, sábados e domingos, 16 horas

Local: Praça

Recomendação: Livre. Duração: 50 minutos.

Grátis

navegar-grupo-esparrama-no-sesc-avenida-paulista-2.jpg

Grupo Esparrama apresenta o espetáculo Navegar – originalmente encenado no Minhocão – que traz como tema a relação das crianças com os espaços urbanos e a forma como elas interagem com a cidade. Durante a viagem de dois navegadores de cidade, Nina e Samuel, eles se juntam para transformar as ruas e vielas por onde passam. Porém, eles são surpreendidos pelo Gatão que se proclamou o dono de todas as coisas do mundo e que agora quer o barco deles. Ele e seus capangas usarão de todos os disfarces para enganá-las, mas, com a ajuda de seus amigos pássaros, as crianças descobrirão que para a imaginação não há limites, se não for possível navegar pela cidade, sempre será possível voar por ela.

___________________________________________

Show – Bichos de Cá

Com Grupo Nhambuzim

Dias 17 e 24 de fevereiro, domingos, 15 e 17 horas

Local: Auditório (98 lugares)

Recomendação: Livre. Duração: 60 minutos.

Preços: Grátis para crianças até 12 anos. R$ 17,00 (inteira), R$ 8,50 (meia entrada: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 5,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

nhambuzim-bichosdeca1-creditos-valdemir-cunha.jpg

Misturando música, folclore e meio ambiente, o grupo apresenta espécies da nossa fauna a partir de expressões da cultura popular brasileira. Para cada bicho, uma canção, e cada canção num ritmo característico da região onde ele vive. Tem o carimbó do peixe-boi, o jongo do muriqui, o maracatu do jabuti e muito mais. O espetáculo propõe uma viagem às florestas, planícies e sertões do Brasil, revelando um pouco da nossa diversidade cultural e ambiental.

____________________________________________

Teatro – Um Canto para Carolina

Com Cia dos Inventivos

Sábado e domingo, 23 e 24 de fevereiro, 16 horas

Local: Praça

Recomendação: Livre. Duração: 50 minutos.

Grátis

canto_para_carolina_zc3a9-carlos-baretta2.jpg

Inspirado na obra Quarto de Despejo, da autora mineira Carolina Maria de Jesus, o espetáculo dialoga com o público infantil ao mostrar para as crianças as injustiças e contradições em que vivem outras tantas crianças no país. Na peça são abordadas questões como o medo da morte, o questionamento das diferenças sociais, as relações com a sociedade e com a família.

Na trama, os irmãos João, José e Vera recebem de presente o primeiro exemplar da publicação do livro-diário Quarto de Despejo, escrito por sua mãe, Carolina Maria de Jesus. Mergulhando no cotidiano registrado por ela, os filhos revivem suas histórias de luta por uma vida melhor.

____________________________________________

Show – Pelo Mundo com Mawaca

Com Mawaca

Dia 24 de fevereiro, domingo, 17 horas

Local: Teatro Paulo Autran (1010 Lugares)

Recomendação: Livre. Duração: 60 minutos.

Preços: Grátis para crianças até 12 anos. R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia entrada: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 9,00 (credencial plena do Sesc – trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

01338612_4c5d6b5f8b.jpeg

O grupo Mawaca apresenta o espetáculo infantil Pelo Mundo com Mawaca, que propõe uma viagem pelos ritmos e canções de países como França, Albânia, Tanzânia, Índia, Portugal, Israel e Brasil. Por meio de uma trama de sons e histórias que educam e entretém a plateia, o show é baseado no livro De todos os cantos do mundo (Cia das Letrinhas), escrito por Heloisa Prieto e Magda Pucci. O grupo passeia também por uma canção em Suaíli, por uma dança portuguesa, um canto indígena da Amazônia, uma oração à deusa Kali e uma dança circular hebraica.

____________________________________________

PÉ DE PALHAÇO

Durante o mês de dezembro, o Sesc Belenzinho apresenta o infantil circense Pé de Palhaço com a Cia. Pelo Cano. A temporada tem sessões aos sábados e domingos, às 16h, até o dia 22/12. Já no dia 23/12, a apresentação ocorre às 12h. O espetáculo acontece na Área de Convivência da unidade, com entrada franca.

Pé de Palhaço reúne esquetes, números clássicos de circo, criações próprias e muita criatividade. Duas palhaças, Emily e Manela, contam histórias de princesas, organizam uma festa surpresa, adivinham o pensamento da plateia, se transformam em homensn, tentam aprender origami, brincam com água e sabão e, claro, limpam tudinho depois.

Toda essa aventura é narrada com o auxílio de papel, caneta e muita paspalhice. Com recursos despojados, as palhaças se divertem com as crianças numa grande brincadeira, bem próximas do universo infantil onde a magia se instaura nas coisas simples e as coisas mais cotidianas podem ser grandes descobertas.

Cia. Pelo Cano é formada por Paola Musatti e Vera Abbud, ambas trabalham com a linguagem do palhaço há mais de 20 anos. Começaram a praticar as disciplinas circenses e o teatro no início da década de 90. Profissionalmente, dividiram o palco nas apresentações da Cia. Cênica Nau de Ícaros, em 1992, dos Parlapatões, em 1996, são palhaças improvisadoras no Jogando no Quintal, desde 2002, e parceiras nos Doutores da Alegria, desde 1991.

CARMEN (2).png

Pé de Palhaço

Com Paola Musatti e Vera Abbud

Sesc Belenzinho – Área de Convivência térreo (Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho – São Paulo)

Duração não informada

01 a 22/12

Sábado e Domingo – 16h (23/12 – Domingo – 12h)

Grátis

Classificação Livre

ERA UMA VEZ UM REI

No próximo domingo, dia 09 de dezembro, às 14h, o Grupo Pandora de Teatro abre as portas de sua sede – a Ocupação Artística Canhoba – para receber uma apresentação especial de “Era uma Vez um Rei”, espetáculo do grupo Pombas Urbanas, que teve à sua frente o saudoso Lino Rojas (1942-2005) e que ao longo de sua trajetória de quase 30 anos ministra cursos de teatro em diversas regiões da periferia de São Paulo, transferindo o conhecimento produzido em sua pesquisa para jovens e adolescentes destas regiões.

O público de Perus poderá conferir a história de um grupo de mendigos que se encontram e acabam por construir, a partir de sucatas, um espaço de convivência onde nasce a brincadeira onde cada um deles vira um rei, um presidente e até um ditador. O jogo humano e imaginativo torna-se intenso e esses mendigos saem da realidade em que vivem para representar as relações de poder da mesma sociedade que os marginaliza.

A apresentação de Era uma Vez um Rei faz parte da ação “Teatro na Canhoba” que compõe as ações do projeto “Reminiscências” do Grupo Pandora de Teatro contemplado pela 30ª edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

A Ocupação Artística Canhoba é um espaço que atualmente é gerido pelo Grupo Pandora de Teatro. Foi construído em 2010 pela Prefeitura de São Paulo para abrigar um Ponto de Leitura da cidade, porém a obra foi paralisada e o espaço nunca chegou a cumprir função social. Abandonado e degradado, acabou virando ponto de encontro de usuários de drogas, trazendo medo e incômodo para a população local.

Em Fevereiro de 2016, com a colaboração dos moradores locais e com a ajuda de diversos coletivos, o Grupo Pandora realizou a revitalização do espaço e o transformou em um polo cultural que recebeu o nome de Ocupação Artística Canhoba – Cine Teatro Pandora.

A população do bairro, até então carente por opções de lazer e cultura na região, passou a ser frequentadora assídua do espaço e a usufruir de atividades como oficinas, debates, exibições de cinema e apresentações artísticas. Hoje, o espaço também é utilizado como sala de ensaio por diferentes coletivos.

Esse espaço vem da demanda de artistas locais e moradores que não aguentavam mais um espaço abandonado na frente de suas casas, sem cumprir nenhuma função social. É comum escutarmos dos moradores ‘Antes eu não passava nem na frente deste lugar, agora me sinto convidado a entrar e participar’”, conta Lucas Vitorino, do Grupo Pandora.

Desde a sua criação, o espaço estabeleceu uma grande conexão com o território que o cerca e com a população local, assim como o Grupo Pandora, formado predominantemente por moradores de Perus.

Em 2018 o Grupo Pandora de Teatro comemora 14 anos de um trabalho contínuo de pesquisa e criação teatral no bairro de Perus, fortalecendo parcerias com polos culturais, artistas da região e com a própria população.

Compõe seu repertório também o espetáculo “Relicário de Concreto” (2013) inspirado nas memórias dos trabalhadores da Fábrica de Cimento Portland Perus e na Greve dos Queixadas, que ocorreu na Fábrica e durou sete anos. Além de ter lançado um livro chamado “Efêmero Concreto – Trajetória do Grupo Pandora de Teatro” organizado por Thalita Duarte e Lucas Vitorino, que destaca as ações do grupo fomentando a cultura no bairro e atuando em prol da revitalização da Fábrica de Cimento Portland Perus. Recentemente o grupo estreou sua nova montagem chamada COMUM, que teve um enorme sucesso de público e de crítica. O espetáculo tem como eixo norteador o período ditatorial brasileiro e a descoberta da vala clandestina do Cemitério Dom Bosco em 1990, local que fica a cerca de 2 quilômetros da sede do grupo em Perus – a Ocupação Artística Canhoba. Uma vala comum com mais de mil ossadas, onde foram identificados desaparecidos políticos e cidadãos mortos pela violência da ditadura militar.

CARMEN (1).png

Era Uma Vez Um Rei

Com Pombas Urbanas

Ocupação Artística Canhoba – Cine Teatro Pandora (Rua Canhoba, 299 – Praça Canhoba, próx. à caixa d’água em Perus, São Paulo)

Duração não informada

09/12

Domingo – 14h

Grátis

AS AVENTURAS DO SUPER ESPANTALHO CONTRA O DR. CORVO

Depois dos clássicos de Maria Clara Machado (Pluft, o fantasminha e A bruxinha que era boa) que fizeram tanto sucesso em São Paulo, agora é a vez do autor Ivo Bender, com “As aventuras do Super Espantalho contra o Dr. Corvo” que tem como objetivo (além de divertir) levar o espectador a uma reflexão leve e agradável sobre certas dificuldades de relacionamento e aceitação do que surge como diferente e inusitado e como podemos superar tudo com o amor e amizade.

A peça conta a história de Julinha que mora com sua tia Clara, uma costureira que usa uma velha máquina de costura que só aceita ser lubrificada com óleo de girassol. Ao lado da casa, elas cultivam uma plantação de girassóis guardada por um espantalho. Ao chegar o tempo da colheita com as sementes já fortes, tia Clara decide se desfazer do espantalho. Julinha, compadecida da sorte do espantalho, se propõe a cuidar dele até que fosse necessário novamente. Como a tia se recusasse a manter o espantalho, certa noite, Julinha resolve resgatá-lo mas ao se aproximar percebe o som de um coração que bate no espantalho.
A partir daí, Julinha, seu novo amigo, tia Clara, a Estrela da Manhã e o Doutor Corvo vão viver experiências surpreendentes. 

O espetáculo estreia dia 2 de dezembro, ficando em cartaz aos domingos, 16h, no Teatro Jardim Sul. A diversão é para todas as idades e como sempre, a Ferbeck vai encantar a todos com o incrível trabalho das mágicas mãos de Angela Schoendorfer, além do talento dos atores.

As aventuras do Super Espantalho contra o Dr. Corvo

Com Gabriela Camargo, Marcello Palermo, Michelle Alexandre, Rita Mirone e Victor Garbossa. Gabriela Colin e Igor Ludac (stand ins)

Teatro Jardim Sul – Shopping Jardim Sul (Avenida Giovanni Gronchi, 5.819 – Vila Andrade, São Paulo)

Duração 60 minutos

02 a 16/12, 13 a 27/01

Domingo – 16h

$50

Classificação Livre