QUANDO EU MORRER, VOU CONTAR TUDO A DEUS

A história do garoto Abou, refugiado marfinense, ganha os palcos do Sesc Vila Mariana no espetáculo Quando eu morrer, vou contar tudo a Deus. Baseado em fatos, a atração traz o coletivo O Bonde para uma única apresentação no dia 29 de fevereiro e encena a saga do garoto refugiado que foi encontrado enquanto tentava fazer a travessia entre Marrocos e Espanha.

Je m’appelle Abou (Eu me chamo Abou) foi a primeira frase dita por um menino marfinense ao ser encontrado escondido dentro de uma mala pelo raio-x da imigração espanhola na cidade de Ceuta, fronteira com Marrocos. Envolto entre as roupas, a cena foi mais um caso a realçar a situação de refugiados no mundo.

De forma lúdica e poética, o coletivo O Bonde retrata a situação de abandono e ausência de condições básicas de sobrevivência a que muitas crianças são submetidas, sobretudo as negras, no processo de imigração em massa de africanos para o continente europeu. Este é o ponto de partida para a construção do espetáculo baseado no texto homônimo da dramaturga, cronista e roteirista negra Maria Shu.

Para o diretor Ícaro Rodrigues o que mais chama a atenção é a forma como o garoto enfrenta suas dificuldades. “O Abou é um grande guerreiro que lida com a pobreza, com a fome e com a condição de refugiado, mas encontra forças para ressignificar a realidade em que está inserido.

A partir de uma pesquisa afrocentrada e inspirados nos contadores de histórias africanos, os griots, o elenco conta a trajetória de Abou e sua família. Os atores não fingem ser a criança, são narradores do processo migratório e da forma como a vida dele dialoga com as realidades de tantas crianças das periferias brasileiras.

A cenografia, assinada por Eliseu Weide, traz uma parede de malas que “inicialmente revela a savana, o espaço onde Abou morava, a África. Com o passar do tempo elas vão se fechando e vem a viagem. Tudo sai de dentro delas simbolizando a memória de Abou, ao mesmo tempo em que essas malas representam o alto número de refugiados”.

FACE

Quando eu morrer, vou contar tudo a Deus

Com coletivo O Bonde

SESC Vila Mariana – Teatro Antunes Filho (R. Pelotas, 141 – Vila Mariana, São Paulo)

Duração 70 minutos

29/02

Sábado – 16h

$20 ($6 credencial plena / grátis até 12 anos)

Classificação Livre

O MENINO DAS MARCHINHAS – BRAGUINHA PARA CRIANÇAS

Sucesso de público e de crítica, o musical infantil O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças volta ao cartaz, no dia 07 de março, para quatro apresentações no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, esticando o Carnaval por mais duas semanas. O espetáculo faz parte do projeto ‘Grandes Músicos para Pequenos’, criado pela produtora Entre Entretenimento com o objetivo de levar para os palcos nomes importantes da cultura brasileira em montagens que mesclam biografia e canções do artista escolhido. Fazem parte do projeto também “Raulzito Beleza”, “Bituca”, “Tropicalinha” e “Luiz e Nazinha”.

Grandes sucessos como “Balancê”, “Cantores do Rádio”, “Pirulito que bate bate”, “Carinhoso”, “Chiquita Bacana”, “Pirata da Perna de Pau”, “Tem Gato na Tuba”, “Yes, nós temos bananas” transportam o público aos divertidos carnavais de rua da década de 20. O resultado é um programa que agrada a toda a família. “Durante as temporadas anteriores, era comum vermos avós e netos numa sessão e aquela mesma avó em outra sessão sem os netos, mas com as amigas”, conta o diretor do espetáculo Diego Morais. “Nossa ideia é criar espetáculos com conteúdo atraente para as famílias, para aproximar as gerações”, destaca Pedro Henrique Lopes, autor do texto e ator do musical.

A peça conta a história de Carlinhos, um garoto que ouvia música em todo lugar por onde passava. A avó dele, pianista clássica, sempre estimulava a musicalidade do menino, mas o pai era contra. Carlinhos se junta a alguns amigos de escola e começa a criar belas canções de Carnaval. De forma engraçada e emocionante, O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças trata de temas como o valor da família, da amizade e das relações humanas, a perseverança na busca por um sonho, a criatividade e a cooperação artística entre as crianças.

O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças

Com Pedro Henrique Lopes, Erika Riba, Augusto Volcato, Jean Pontes e Beto Vandesteen

Teatro Clara Nunes – Shopping da Gávea (Rua Marques de São Vicente, 52 – Gávea – Rio de Janeiro)

Duração 50 minutos

07 a 15/03

Sábado e Domingo – 16h

$70

Classificação Livre

CRIANCEIRAS

Concebido para aproximar as crianças do universo artístico e literário do poeta Manoel de Barros (1916-2014), o musical CRIANCEIRAS tem quatro novas apresentações no Teatro-D, entre os dias 7 e 28 de março, aos sábados, sempre às 16h.

O espetáculo, concebido pelo músico Márcio de Camillo, transforma poemas desse grande autor brasileiro em canções, que são apresentadas ao público infantil junto com ilustrações, animações, projeções de vídeo e várias outras linguagens artísticas.

As personagens, que foram ilustradas pela filha do poeta, Martha Barros, saem do papel e ganham vida no palco, por meio de recursos digitais e de outras linguagens, interagindo com o cantor, músicos e atores ao longo do musical.

O projeto utiliza metalinguagens que despertam a curiosidade e o amor pelo mundo das artes. “Ao mergulhar em sua obra, percebi o quão lúdico é aquele universo de encantamento e descobertas, vividas pelo poeta em sua infância pantaneira. Assim, musiquei sua obra para as crianças, de forma que seus versos pudessem ser entoados como o canto dos passarinhos, e levados com o vento, sem direção”, conta o idealizador e realizador do projeto, o cantor e compositor sul-mato-grossense Márcio de Camillo.

O primeiro CD – Crianceiras Manoel de Barros – também rendeu um aplicativo com conteúdo educativo disponível para download gratuito na Googleplay e Appstore. Tanto os CDs, como o musical e App, possuem um grande viés educativo e têm sido cada vez mais utilizados por professores e educadores como ferramenta pedagógica para aproximar seus alunos e educandos de obras literárias de importantíssimo valor para a cultura brasileira. Ensina poesia e literatura de um jeito divertido, sem subestimar os pequenos, valorizando-os plenos e capazes de compreender poesia. Até porque toda criança nasce meio poeta. Pais, mães e educadores sabem bem disso!

Crianceiras

Com João Bresser e Driely Palácio; os músicos Márcio De Camillo, Nath Calan e Tiago Sormani; e o VJ Paulo Higa

Teatro – D – Hipermercado Extra Itaim (Rua João Cachoeira, 899, Piso G2 – Itaim Bibi, São Paulo)

Duração 50 minutos

07 a 28/03

Sábado – 16h

$80 (Moradores do Itaim Bibi pagam meia com comprovante de residência)

Classificação: livre

CARMEN, A GRANDE PEQUENA NOTÁVEL

O musical Carmen, A Grande Pequena Notável – inspirado na obra homônima de Heloísa Seixas e Julia Romeu e com direção de Kleber Montanheiro – volta aos palcos paulistanos, dia 18 de janeiro, após temporadas de sucesso com todo o público, principalmente o infantil.

Nessa nova fase, agora no Teatro Tuca, o espetáculo com linguagem de Teatro de Revista tem Antonio Fagundes como produtor. “Há anos eu procurava um infantil para produzir. Carmen foi amor à primeira vista. A história dessa icônica mulher é contada de maneira deliciosa e pode (e deve) ser vista por todos os brasileiros” conta o também ator que segue em cartaz no mesmo teatro com a comédia Baixa Terapia e no ar na novela Bom Sucesso.

Amanda Acosta dá vida à portuguesa radicada no Brasil, que completaria 110 anos em 2019, e que virou símbolo do nosso País para todo o Mundo, em cenas que retratam o Rio de Janeiro daquela época, com as rádios em que se apresentou, o cinema brasileiro, Cassino Urca e os filmes de Hollywood – contando essa biografia de maneira leve e colorida, dividindo as cenas com Amanda Acosta, Nábia Vilela, Luciana Ramanzini, Júlia Sanches, Vitor Moresco, Guh Rezende e os músicos Maurício Maas, Betinho Sodré, Monique Salustiano e Marco França.

Carmen, A Grande Pequena Notável fica em cartaz no Teatro Tuca de 18 de janeiro a 29 de março. O musical tem sessões aos sábados e domingos às 16h e os ingressos podem ser adquiridos através do site da Ingresso Rápido ou na bilheteria do Tuca.

Sinopse 

O musical conta a história da cantora Carmen Miranda, de sua chegada ao Brasil ainda criança, passando pelas rádios, suas primeiras gravações em disco, pelo cinema brasileiro e o Cassino da Urca, ao estrelato nos filmes de Hollywood. Inspirado no livro homônimo infanto-juvenil de Heloísa Seixas e Julia Romeu, o espetáculo conta e canta para toda a família os 46 anos de vida dessa pequena notável que levou a música e a cultura brasileira para os quatro cantos do mundo.

FACE

Carmen, A Grande Pequena Notável

Com Amanda Acosta, Nábia Vilela, Luciana Ramanzini, Júlia Sanches, Vitor Moresco, Guh Rezende e os músicos Maurício Maas, Betinho Sodré, Monique Salustiano e Marco França

Teatro Tuca (Rua Monte Alegre, 1024, Perdizes – São Paulo)

Duração 70 minutos

18/01 a 29/03

Sábado e Domingo – 16h

$80

Classificação Livre

MARIA E OS INSETOS

Com direção geral de Thaís Medeiros (diretora revelação do ano de 2019 no Prêmio APCA de Teatro Infantil e Jovem), dramaturgia da Companhia Delas de Teatro e com Fernanda Castello Branco, Julia Ianina e Paula Weinfeld no elenco, “Maria e os Insetos” é o segundo espetáculo da trilogia Mulheres e Ciência, na qual a companhia conta para crianças e adultos histórias de vida de mulheres que mudaram o curso da ciência. O espetáculo estreia dia 1 de fevereiro no Sesc Consolação, às 11h.

Seguindo o mesmo princípio que inspirou o espetáculo “Mary e os Monstros Marinhos”, a vida de Maria Sybilla Merian e seu material de estudo serviram como base para a criação de um espetáculo lúdico, que une uma linda história de vida ao magnetismo da ciência e seus desafios.

Sinopse

No início do século XVII uma mulher decide explorar sozinha as enigmáticas florestas tropicais do Suriname. Lá ela encontra calor, umidade, plantas exóticas e… insetos! O que para alguns era motivo de repulsa, para ela era material de pesquisa. Seu olhar e paciência em acompanhar o processo de metamorfose das borboletas revolucionou a maneira como esses animais foram compreendidos. A vida de Maria nos fala sobre determinação, coragem e persistência.

Um pouco sobre a encenação

A criação da encenação e dramaturgia do espetáculo foram feitas a partir de duas linhas: a vida de Maria Sybilla Merian, suas reviravoltas, desafios e criações; e a vida invisível dos insetos tornada visível pelo trabalho e pela imaginação de Maria. Hoje, mais do que nunca, se sabe da importância dos insetos para a manutenção de qualquer ecossistema. E infelizmente sua gradual diminuição vem preocupando muitos cientistas. A habilidade da cientista e ilustradora ao retratar detalhes em seus desenhos em oposição ao tamanho real dos insetos que ela observava cria uma relação interessante de inversão de perspectiva que foi explorada em cena.

A concretude do trabalho da entomologista está no palco: a persistência, a resiliência diante dos desafios, o talento para registrar artisticamente esse trabalho, a atenção e observação apuradas. Maria, atenta ao maravilhoso mundo que observa, também parece brincar com o lúdico, seus desenhos, que podem ter parecido vir de sonhos malucos, possibilitaram que muitos pudessem enxergar o que antes era invisível.

Quem foi Maria Sibylla Merian

Maria_Sibylla_Merian_portrait_colorsNascida na Alemanha em 1647, Maria Sibylla Merian combinou ciência e arte para se tornar uma das maiores ilustradoras científicas de todos os tempos. Desde jovem, ela começou a coletar insetos para estudar seu comportamento. O padrasto ensinou-a a pintar, habilidade que ela usou para ilustrar os diferentes estágios da vida de seus insetos favoritos. Maria se interessava especialmente pelas borboletas. Na época, ninguém entendia realmente a conexão entre as lagartas e as borboletas. Em 1679, ela publicou um livro sobre metamorfose, repleto de anotações científicas e ilustrações.

A partir daí, a vida de Maria mudou drasticamente. Ela deixou o marido e levou a mãe e suas duas filhas para a Holanda. Elas se juntaram a um grupo religioso estrito que tinha laços com uma colônia holandesa na América do Sul, o Suriname. O grupo religioso mal administrado acabou se desfazendo, mas o interesse de Maria pelo Suriname permaneceu. Aos 52 anos de idade, curiosa a respeito dos novos insetos, Maria desbravou as florestas da América do Sul. Ela documentou insetos nunca vistos antes e enfrentou os perigos da chuva e do calor. Infelizmente, a viagem terminou antes do previsto, pois ela contraiu malária e teve que voltar à Europa. Mas ela já tinha feito as ilustrações de que precisava para criar seu maior livro. “A metamorfose dos insetos do Suriname” foi publicado em 1705 e se tornou um sucesso em toda a Europa. O trabalho de Maria ajudou os cientistas futuros a classificar e entender os insetos. Suas ilustrações belas e detalhadas surpreendem e ensinam pessoas até hoje.

FACE

Maria e os Insetos

Com Fernanda Castello Branco, Julia Ianina e Paula Weinfeld

SESC Consolação (R. Dr. Vila Nova, 245 – Vila Buarque, São Paulo)

Duração 60 minutos

01 a 29/02 (22, 24 e 25/02 – sessões às 15h)

Sábado – 11h

$20 ($6 – credencial plena / Grátis crianças até 12 anos)

Classificação Livre

TURMA DA MÔNICA – O SHOW

Após turnê internacional por Estados Unidos e Japão, o consagrado espetáculo musical Turma da Mônica O Show está de volta a São Paulo para uma curtíssima temporada. Serão 12 sessões, entre os dias 24 de janeiro e 9 de fevereiro, no Teatro Santander.
No espetáculo, Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento resgatam as famosas músicas da turma do bairro do Limoeiro em uma produção da Mauricio de Sousa AO VIVO e OPUS Entretenimento que emociona e encanta a toda a família com mensagens de amor, amizade e respeito.
Com efeitos especiais e muita interação com painel de LED, Turma da Mônica O Show é embalado por músicas famosas da Turma, com novos arranjos, e proporciona momentos engraçados, dinâmicos, lúdicos e interativos. O espetáculo tem 60 minutos de duração, com 15 minutos de intervalo, e foi criado e dirigido por Mauro Sousa, diretor da Mauricio de Sousa AO VIVO, com supervisão do criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa.
Ao longo dos últimos três anos, o musical já foi assistido por milhares de famílias tanto no Brasil quanto fora do país, uma vez que ele percorreu por cidades nos Estados Unidos e no Japão.
THUMB
Turma da Mônica – o Show
Teatro Santander (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)
Duração 75 minutos
24/01 a 09/02
24/01 – 16h / 25/01 – 15h e 18h / 26/01 – 16h / 30/01 – 16h / 31/01 – 16h / 01/02 – 15h e 18h / 02/02 – 16h / 08/02 – 15h e 18h / 09/02 – 16h
$75/ $120
Classificação Livre

A FORMIGA FOFOQUEIRA E O MISTÉRIO DA HORTA

Seu Confusolino (Thiago Hyuga) é dono de uma horta e presenciou um milagre, viu sua Alface receber uma gota de orvalho dourado e ganhar vida. Para cuidar e preservar sua Alface (Beatriz Pfeifer), Seu Confusolino decidi criar um espantalho (Ander Ferraz), que assim, espantaria qualquer passarinho de sua horta. Prestes a ficar pronto, o espantalho também ganha vida. – “Tudo que é feito com amor e carinho, acaba adquirindo vida” (Espantalho). Quando tudo aparentava estar tranquilo, a Alface percebe que suas folhas foram mordidas. Logo, os três tomam coragem para descobrir o mistério da horta: Quem comeu as folhas da Alface. 

Durante a investigação, eles se deparam com uma formiga, Carolina, a Formiga Fofoqueira (Victória Vergamine), que diz ser muito famosa por morder o pé do Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo. Apesar de aparentar grande simpatia e cumplicidade, ela esconde algo consigo e esse segredo acaba arrumando uma grande confusão entre todos. 

A peça é ambientada na região do nordeste brasileiro, mais especificamente, no quintal da casa do Seu Confusolino. A iluminação, trilha e cenário remetem a essa roça nordestina, porém, ganha força com a presença do ator Thiago Hyuga, o famoso palhaço Xibiu, que é nordestino.  

O espetáculo “A FORMIGA FOFOQUEIRA E O MISTÉRIO DA HORTA” aborda o verdadeiro valor de uma família tratando do amor, do respeito, da compaixão, da compreensão, do perdão e da amizade. Fala ainda sobre a importância da verdade, o reflexo das mentiras, a depressão e o bullying

FACE

A Formiga Fofoqueira e o Mistério da Horta

Com Ander Ferraz, Beatriz Pfeifer, Thiago Hyuga, Victória Vergamine

Teatro West Plaza – Sala Nicette Bruno (Av. Antártica, 408 – Água Branca, São Paulo)

Duração

09 a 30/01

Quinta – 16h

$40 (14,90 comprado com até uma hora de antecedência)

Classificação livre