TONY AWARDS 2019

O Tony Awards 2019, prêmio máximo dos destaques do Teatro/Teatro Musical da Broadway, aconteceu na noite de ontem, 9 de junho.

Hadestown” foi o grande vencedor, levando oito premiações, incluindo melhor musical. Na categoria teatro, “The Ferryman” ganhou quatro estatuetas, incluindo melhor peça. “Rodgers and Hammerstein’s Oklahoma!” levou o prêmio de melhor remontagem de um musical. “The Boys in the Band” foi o vencedor de melhor remontagem de uma peça. E aqui no país, o ator/diretor Tadeu Aguiar aproveitou para postar no seu instagram, que montará  a peça no ano que vem.

O evento também teve vários momentos especiais e inéditos. Ali Stroker (Rodgers and Hammerstein’s Oklahoma!) foi a primeira atriz cadeirante a ser premiada. Rachel Chavkin foi a única mulher a concorrer a categoria de direção de musical (Hadestown) e levou o prêmio. Os atores veteranos Elaine May e André De Shiels, ganharam seus primeiros Tony por melhor atriz da peça “The Waverly Gallery” e ator coadjuvante do musical “Hadestown”.

FACE (4)

 

A cerimônia

A abertura foi emocionante. James Corden, o apresentador do evento, começou o número musical, no sofá de sua sala assistindo televisão. Falou de todos os seriados e programas que ele assiste, as maratonas que tem que ser vistas para poder se inteirar do que está no ar,… mas que sentia falta de ver algo ao vivo, sentir uma energia especial. É quando a parede de sua casa levanta e mostra a platéia do Radio City Music Hall, onde acontece a cerimônia de premiação.

Durante cerca de 10 minutos, James canta a diferença de ver uma apresentação ao vivo, com os atores na sua frente, do que ver pela telinha, um programa ‘frio e distante’ (mas, ele faz um mea culpa para a tv, já que tem seu programa de entrevistas diário)

Premiação

 

Teatro

Melhor Peça – The Ferryman

Melhor Remontagem – The Boys in the Band

Melhor Ator – Bryan Craston (Network)

Melhor Atriz – Elaine May (The Waverly Gallery)

Melhor Ator Coadjuvante – Bertie Carvel (Ink)

Melhor Atriz Coadjuvante – Cellie Keenan-Bolger (To Kill a Mockingbird)

Melhor Direção – Sam Mendes (The Ferryman)

Melhor Design de Som – Fitz Patton (Choir Boy)

Melhor Design de Luz – Neil Austin (Ink)

Melhor Figurino – Rob Howell (The Ferryman)

Melhor Cenografia – Rob Howell (The Ferryman)

FACE

Teatro Musical 

Melhor Musical – Hadestown

Melhor Remontagem – Rodgers and Hammerstein’s Oklahoma!

Melhor Ator – Santino Fontana (Tootsie)

Melhor Atriz – Stephanie J. Block (The Cher Show)

Melhor Ator Coadjuvante – André De Shields (Hadestown)

Melhor Atriz Coadjuvante – Ali Stroker (Rodgers and Hammerstein’s Oklahoma!)

Melhor Direção – Rachel Chavkin (Hadestown)

Melhor Libreto – Robert Horn (Tootsie)

Melhor trilha sonora (música e/ou letras) escrita para o teatro – Anaïs Mitchell (Hadestown)

Melhor Orquestração – Michael Chorney e Todd Sickafoose (Hadestown)

Melhor Coreografia – Sergio Trujillo (Ain’t too Proud)

Melhor Design de Som – Nevin Steinberg and Jessica Paz (Hadestown)

Melhor Design de Luz – Bradley King (Hadestown)

Melhor Figurino – Bob Mackie (The Cher Show)

Melhor Cenografia – Rachel Hauck (Hadestown)

FACE (1)

 

 

 

 

 

 

 

APARECIDA, UM MUSICAL

Walcyr Carrasco precisava de um milagre para poder encontrar o mote do espetáculo musical que faria em homenagem a Nossa Senhora Aparecida. A parte histórica ele já tinha, através das pesquisas feitas para escrever a novela “A Padroeira“, que estreou em 2001 na rede Globo. Mas ele queria algo mais atual.

Até que a mão do Destino se pronunciou.

Durante um voo, o autor sentou ao lado de um casal, que durante a conversa, contou o milagre pelo qual o marido tinha passado. Era o que Walcyr esperava – a história de “Caio e Clara” se intercalaria à da Santa.

53926346_2275534866026323_4076442929097342976_n

A história

Aparecida, um Musical” conta a história de Caio, um jovem advogado, materialista, de pouca fé, casado com Clara. No início da história, ele descobre ser vítima de um câncer. O tratamento não funciona, e ainda tira sua visão. Até que juntos vão ao santuário da Padroeira do Brasil, pedir por um milagre.

Milagres não faltam na história da imagem de Nossa Senhora, desde quando foi encontrada em 1717, por três pescadores, e que se produziu o seu primeiro milagre – o dos Peixes. No musical são retratados, além deste, os milagres das velas, do escravo Zacarias e do cavaleiro prepotente, além de incluir a passagem do atentado em 1978, quando foi destruída e depois restaurada no MASP.

FACE (2).png

A produção

Assim como o Brasil, “Aparecida, um musical” é eclético – seja no seu elenco, nos ritmos musicais e nos figurinos. Não é uma obra de catequização, mas sim, um espetáculo de teatro musical, voltado a todo tipo de público.

No palco, são mais de 30 atores, das mais variadas raças e credos religiosos, oriundos das principais produções de musicais no país.

Não espere encontrar canções que já fazem parte do imaginário de devoção à Santa. Na verdade, somente “Ave Maria“, de Bach e Gounod, se faz presente no musical. Todas as outras canções são originais, e procuram complementar a história que está sendo contada. Os ritmos musicais são os presentes na nossa cultura, não podendo deixar de citar a presença dos ritmos afro-brasileiros.

Para também mostrar a força da brasilidade nos figurinos, foram escolhidos os tecidos de algodão cru e renda nacional.

Os cenários utilizam uma mistura de estruturas físicas grandiosas com projeções de vídeos. Para mostrar uma sensação de dinamismo, serão movimentados pelo elenco, inclusive durante as cenas e canções.

“Aparecida, um musical” tem tudo para ser considerado um dos grandes espetáculos do ano.

 

Aparecida, um Musical

Com Leandro Luna, Bruna Pazinato, Edson Monttenegro, Frederico Reuter, Nábia Villela, Ana Araújo, Maysa Mundim, Arthur Berges, Reynaldo Machado, Cadu Batanero, Talita Real, Alessandra Vertamatti, Pamella Machado, Joyce Cosmo, André Torquato, Marcelo Vasquez, Daniel Cabral, Rubens Caribé, Vandson Paiva e Bernardo Berro, Keila Bueno, Rafael Machado, Maria Clara Manesco, Isabel Barros, Ygor Zago, Ditto Leite, Lucas Nunes, Tutu Morasi, Nay Fernandes, Gigi Debei, Isa Castro, Guilherme Pereira e Nina Sato 

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)

Duração 135 minutos

Estreia 22/03

Sexta – 21h, Sábado – 16h e 21h, Domingo – 15h e 19h30

$75/$220

Classificação Livre

CONHECENDO O MUSICAL “SUNSET BOULEVARD”

O musical “Sunset Boulevard“, de Andrew Lloyd Weber, estreia no país no dia 22 de março, no Teatro Santander. Encabeçando o elenco, temos Marisa Orth, Daniel Boaventura e Júlio Assad.

O espetáculo é baseado no filme clássico, em preto e branco, de mesmo nome.

Conta a história de Norma Desmond, uma atriz que foi uma estrela nos tempos do cinema mudo, mas não soube se adaptar aos filmes falados. Só que o tempo vai passando, e ela acredita que ainda é uma grande estrela, mesmo sem pisar num estúdio cinematográfico há anos.

Com a ajuda do destino, ela conhece um roteirista, Joe Gillis, que vem bater a sua porta. Ela o contrata-o para reescrever o roteiro do filme, que a trará de voltas às telas. Mas, Norma vive num mundo de fantasias. O roteiro que ela escreveu é péssima, e os grandes produtores/diretores se esqueceram dela.

Numa trama de gato e rato, Norma tenta seduzir Joe, que é apaixonado por Betty Schaefer, assistente de produção num estúdio. Só que Norma não aceita o romance e faz com que termine. Joe acaba com Betty, mas também diz que sairá da vida da atriz. Será que ela deixará?

ah, só pra falar – a história é contada por um morto.

Sunset Boulevard

Com Marisa Orth, Daniel Boaventura, Julio Assad, Andrezza Massei, Eduardo Amir, Lia Canineu, Bruno Sigrist, Sérgio Rufino, Carlos Leça, Arízio Magalhães, Abner Depret, Brenda Nadler, Dante Paccola, Ester Elias, Fábio Ventura, Giovana Zotti, Hellen de Castro, Jana Amorim, Juliana Olguin, Letícia Soares, Luana Zenun, Mau Alves, Nick Vila Maior, Rafael de Castro, Renato Bellini, Rodrigo Negrini, Thiago Lemmos, Vânia Canto

Teatro Santander – Complexo do Shopping JK (Av. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)

Duração 150 minutos

22/03 até 07/07

Quinta e Sexta – 21h, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 15h e 19h

$75/$290

Classificação Livre

FROZEN 2

Parece que vem mais um sucesso de bilheterias da Disney…

Após seis anos de espera, a Disney lançou hoje o trailer de seu megasucesso “Frozen 2“.

No trailer, podemos ver a rainha Elsa tentando escapar de uma ilha, congelando sem sucesso o mar norueguês. Depois ve-se Elsa, Anna, Kristoff e Olaf irem até o lado mais desconhecido da floresta em busca da verdade sobre um antigo mistério de seu reino.

O filme tem a estreia prevista para 22 de novembro nos Estados Unidos. O público brasileiro terá que esperar até janeiro de 2020 para assistir no cinema.

Os atores Idina Menzel, Kristen Bell, Jonathan Groff e Josh Gad, continuarão emprestando suas vozes para seus personagens icônicos.

A franquia de Frozen é um sucesso. O primeiro filme arrecadou 1,2 bilhão de dólares no mundo todo. É a animação com maior bilhetaria de todos os tempos. Depois vieram a venda da utilização dos direitos de imagens dos personagens, para serem estampados em mochilas, cadernos, brinquedos, roupas,… No parque temático Epcot, no pavilhão da Noruega, tem-se que esperar cerca de 90 minutos, ou mais, para andar no barco que passeia pelo reino de Arendelle. A Broadway também foi ‘congelada’ pelas aventuras da rainha Elsa, da princesa Anna, do boneco de neve Olaf e dos demais personagens. Let it go…!

Aguardaremos ansiosos, com uma caneca de chocolate quentinho, por maiores notícias.

SILVIO SANTOS VEM AÍ

2019 deverá ser um ano inteiro dominical. Explicamos…

Ano que vem, o apresentador/empresário Silvio Santos será homenageado nos palcos do teatro, nas salas de cinema e na telinha.

O grupo cinematográfico Paris Filmes fará não uma mas duas homenagens ao apresentador. Através dos direitos do livro “Silvio Santos – A Biografia“, de Márcia Batista e Anna Medeiros, prepara um filme, tendo o ator/apresentador Rodrigo Faro cotado para interpretar o homenageado. E também estreia no ramo teatral com o musical “Silvio Santos Vem Aí”.

O espetáculo chegará no palco pelas mãos do diretor Zé Henrique de Paula e direção musical de Fernanda Maia (“Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812“, “Dogville“, “Um Panorama Visto da Ponte“). O texto será de Emílio Boechat e Marilia Toledo

Deve passar pelo palco momentos marcantes da vida de Silvio – seu tempo de camelô, locutor da barca Rio-Niterói, a criação da caravana do Baú da Felicidade, a ida para tv,… Além de quadros marcantes dos seus programas dominicais, como “Show de Calouros”, “Qual é a Música”, “Domingo no Parque” e “Porta da Esperança”.

Por enquanto, nenhum nome nem maiores informações foram divulgados.

Silvio também poderá ser visto no filme sobre a vida da apresentadora Hebe Camargo (Globo Filmes/Warner). Na obra, será interpretado pelo ator Daniel Boaventura. Depois o filme será adaptado para uma minissérie, a ser apresentada pela rede Globo.

Que venha 2019 em ritmo de festa!

MATEUS RIBEIRO ‘CALÇA QUADRADA’

Após a cerimônia de entrega do IV Prêmio Reverência, a produtora Renata Borges (“Touché Entretenimento”) fez uma postagem, parabenizando Mateus Ribeiro por ter ganho o prêmio de melhor ator por “Peter Pan, o Musical da Broadway“.

Mas o que mais nos chamou a atenção – além de também termos ficado contentes pela conquista de Mateus – foram as últimas linhas: “…você já é meu outro protagonista. Em uma terra não muito distante. Onde o sol brilha e onde as bolhas são constantes…“.

Só uma coisa nos veio a cabeça – Mateus interpretará o personagem título do musical “SpongeBob Square Pants” (“Bob Esponja Calça Quadrada”). E não é que seria perfeito para ele – mais um papel onde o ator e personagem fundem-se?

O que nos resta agora, é aguardar as próximas notícias… mas estamos torcendo para que seja verdade!

Criado pela diretora Tina Landau, o musical estreou no Palace Theatre (Nova Iorque) em dezembro de 2017, ficando em cartaz até setembro de 2018. Para o ano que vem, está programada uma turnê pelos Estados Unidos.

A trilha sonora foi criada por estrelas da música internacional, como 
Steven Tyler eJoe PerrySara BareillesJohn LegendThe Flaming LipsCyndi LauperPanic! At the Disco e também David Bowie.

O musical é baseado no famoso desenho animado da Nickelodeon. Conta a história de Bob Esponja e toda a turma da Fenda do Bikini, que juntos enfrentam a destruição de seu mundo submarino. O caos toma conta de todos, quando aparece um herói inesperado, provando que poder do otimismo pode salvar o mundo de verdade.

Abaixo, um vídeo da apresentação do elenco americano durante a parada anual de Ação de Graças, patrocinada pela loja de departamentos Macy’s.

TOCA LULU E RAUL!

Lulu Santos e Raul Seixas. Estes são os próximos cantores/compositores que terão suas canções levadas para o Teatro Musical.

Para o próximo ano, a Aventura Entretenimento tem previsto a estreia de “O Meu Destino é Ser Star“, com músicas de Lulu Santos; e “Merlin – Sinfonia de Lenda e Magia“, com repertório de “Raul Seixas.

O primeiro título é uma uma comédia musical, que trata da construção de um espetáculo em teatro musical. O musical contará a história de atores, que buscam pelos seus lugares ao sol, durante o processo de audições, aspirando o estrelato (relação com o nome do musical).

O elenco é composto por dez atores. São eles: Myra Ruiz, Gabriel Falcão, Jéssica Ellen, Helga Nemeczyk, Victor Maia, Carol Botelho, Marina Palha, Mateus Ribeiro, Ana Elisa Schumacher e Leonardo Senna.

“O Meu Destino é Ser Star” terá a direção de Renato Rocha (“Ayrton Senna – o Musical”), direção musical de Zé Ricardo, e Victor Maia na direção de movimentos e coreografias. A estreia será no dia 19 de janeiro, no Teatro Riachuelo (Rio de Janeiro)

Merlin – Sinfonia de Lenda e Magia” terá a concepção e direção de Guilherme Leme Garcia (“Romeu e Julieta ao Som de Marisa Monte”).

Guilherme escolheu as canções de Raul Seixas para contar a história do personagem mítico bretão, conselheiro do Rei Arthur. O processo de audição está em andamento, e a estreia ainda não teve sua data marcada.

(fonte – Teatro em Cena)