V PRÊMIO BIBI FERREIRA

A cerimônia do Prêmio Bibi Ferreira assumiu pelo segundo ano consecutivo o palco do Teatro Santander, na noite do dia 18 de novembro. O prêmio que reconhece os destaques do Teatro Musical brasileiro entregou suas 20 estatuetas em uma noite voltada de muito glamour.

Os grandes vencedores (13 estatuetas) foram musicais que já se apresentaram nos palcos brasileiros. “My Fair Lady” (1962 e 2007) ficou com seis prêmios, “Les Misérables” (2001), com cinco, e “Gota D’Água [a seco]” (1975) com duas. “AUÊ“, um musical brasileiro inédito, recebeu três.

Dessa vez, ao invés de uma Mestre de Cerimônias, a cerimônia teve dois Alessandra Maestrini, que apresentou as quatro primeiras edições, dividiu o palco com Miguel Falabella e ainda contou com as participações mais que especiais de Kiara Sasso, Jarbas Homem de Mello e Jan Onoszko.

Os discursos de agradecimentos lembraram os momentos escuros que a Arte brasileira está passando com a queda nos patrocínios e na censura de exposições e peças teatrais.

Um momento de emoção foi o “In Memorian”, quando lembramos as estrelas que nos deixaram neste ano. O ator Jarbas Homem de Mello voltou ao palco para interpretar “Deus do Céu” (“Bring Him Home”) em homenagem ao amigo Marcos Tumura, que foi o primeiro Jean Valjean nacional.

A noite também resolveu homenagear a diversidade. Vários vencedores agradeceram aos seus pares (casais heteros e homoafetivos) com declarações de amor. O número de encerramento teve seus mestres de cerimônia vestidos com os gêneros invertidos, e drags queens, trans, lésbicas e gays subiram ao palco para cantar “I Am What I Am” (do musical “Gaiola das Loucas”).

Abaixo, a lista completa dos vencedores por categoria

MELHOR DESENHO DE LUZ
Wagner Antônio – Gota D´Água [a seco]

MELHOR DESENHO DE SOM
Tocko Michelazzo – My Fair Lady

MELHOR CENÁRIO
Nicolás Boni – My Fair Lady

MELHOR FIGURINO
Fábio Namatame – My Fair Lady

MELHOR VISAGISMO
Hugo Daniel – Forever Young

MELHOR ARRANJO ORIGINAL
Alfredo Del Penho e Beto Lemos com colaboração de Duda Maia e a Barca do Corações Partidos – Auê

MELHOR LETRA E MÚSICA ORIGINAL
Alfredo Del Penho e Beto Lemos, Duda Maia e a Barca dos Corações Partidos – Auê

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Fernanda Maia – Lembro Todo Dia de Você

MELHOR MUSICAL – VOTO POPULAR
Cartola – O Mundo é um Moinho

09VotoPopular.png

MELHOR VERSÃO
Claudio Botelho – Les Misérables

MELHOR COREOGRAFIA
Alonso Barros – Alegria, Alegria O Musical

MELHOR DIREÇÃO MUSICAL
Luis Gustavo Petri – My Fair Lady

MELHOR DIREÇÃO
Jorge Takla – My Fair Lady

ATOR/ATRIZ REVELAÇÃO
Filipe Brangança – Les Misérables

14Revelacao.png

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Ivan Parente – Les Misérables

15AtorCoadjuvante.png

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Andrezza Massei – Les Misérables

16AtrizCoadjuvante.png

MELHOR ATOR
Paulo Szot – My Fair Lady

MELHOR ATRIZ
Laila Garin – Gota D´Água [a seco]

18Atriz.png

MELHOR MUSICAL BRASILEIRO
AUÊ – Sarau Agência e Companhia Barca dos Corações Partidos

19MusicalBrasileiro.png

MELHOR MUSICAL
Les Misérables – T4F Entretenimento

20Musical.png

GALPÃO EM PROCESSO

A oficina Galpão em Processo, com o Grupo Galpão de teatro, tem inscrições abertas  (a serem feitas pelo email pelo galpaoemprocesso@itaquera.sescsp.org.brde 11 a 25 de outubro, de quarta a domingo, das 9 às 17 horas. Serão escolhidos 20 candidatos. A seleção dos participantes será feita mediante carta de intenção e breve currículo. A oficina acontece dias 2 e 3 de novembro, das 13 às 17 horas, no Sesc Itaquera. Dia 5 de novembro, ao meio-dia, tem bate-papo sobre Teatro Popular e Teatro de Rua. A oficina é livre e de graça.

Tendo como eixo conceitual e de trabalho o projeto artístico do Grupo Galpão, a oficina – ministrada por integrantes da companhia – vai estimular os participantes a desenvolverem uma experiência teatral a partir de suas vivências, sonhos, medos, alegrias e anseios

Sediado na cidade de Belo Horizonte (Minas Gerais), o Grupo Galpão é formado por 12 atores que trabalham com diferentes diretores convidados, como Fernando Linares, Paulinho Polika, Eid Ribeiro, Gabriel Villela, Cacá Carvalho, Paulo José, Paulo de Moraes, Yara de Novaes, Jurij Alschitz e Marcio Abreu, além dos próprios componentes – Eduardo Moreira, Chico Pelúcio, Júlio Maciel, Lydia Del Picchia e Simone Ordones -, que também já dirigiram espetáculos do grupo.

O Grupo Galpão O Galpão formou sua linguagem artística a partir desses encontros, criando um teatro que dialoga com o popular e o erudito, a tradição e a contemporaneidade, o teatro de rua e de palco, o universal e o regional brasileiro.Sem fórmulas e sem métodos definidos, o Galpão sempre pautou sua prática por um teatro de grupo, que não só monta espetáculos, mas que se propõe também a uma permanente reflexão sobre a ética do ator e do teatro, inserido em um amplo universo social e cultural.

 

galpão-de-tempo-somos-guto-muniz

Galpão em Processo
Com Grupo Galpão
Sesc Itaquera (Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1000 – Itaquera, São Paulo)
Inscrições de 11 a 25/10 (quarta a domingo – 09h às 17h)
Seleção 20 vagas – 16 anos
Seleção dos participantes mediante carta de intenção e breve currículo. Podem ser feitas pelogalpaoemprocesso@itaquera.sescsp.org.br. 
Atividades acontecem dias 2 e 3/11, das 13 às 17 horas. 
Dia 5, ao meio-dia, bate-papo. Livre
Grátis.

CAMARIM 9

O que acontece quando você divide o mesmo espaço de trabalho com outras pessoas? Pode ser que dê encrenca. Mas não é o que aconteceu no “Camarim 9” do Teatro Renault, onde o musical “Les Misérables” está atualmente em temporada.

Em um projeto concebido e dirigido pela atriz Vânia CantoCamilla MarottiCássia RaquelLaís LenciLara SuleimanLetícia SoaresLuíza LapaPâmela RossiniRaquel AntunesRoberta Jafet e a própria Vânia se juntaram e criaram o projeto para youtube – “Camarim 9” (é o camarim que ambas utilizam para se prepararem para o espetáculo musical).

FotoJet1

No programa de estreia, estas dez atrizes talentosas do nosso Teatro Musical escolheram fazer um medley com as canções das princesas da Disney.

Por ordem de apresentação no vídeo temos Pâmela Rossini – I See the Light (Enrolados) Luíza Lapa – Colors of the Wind (Pocahontas) Raquel Antunes – Everybody wants to be a Cat (Aristogatas) Roberta Jafet – A Whole New World (Aladdin) Laís Lenci – Part of your World (A Pequena Sereia) Vânia Canto – Zero to Hero (Hércules) Cássia Raquel – Someday my Prince will come (Branca de Neve e os Sete Anões) Camilla Marotti – Reflection (Mulan) Letícia Soares – Almost There (A Princesa e o Sapo) Lara Suleiman – How far I’ll go (Moana – Um Mar de Aventuras).

Nós do Opinião de Peso amamos a ideia e já estamos esperando pelos próximos trabalhos – que conta com a direção de fotografia, do colega de elenco e fotógrafo, Rodrigo Negrini. Inclusive, elas querem sugestões para os próximos vídeos.

Esperamos que este projeto saia do youtube – em breve – e invada os palcos.

Parabéns, meninas. You rock!

 

ALADIM, O MUSICAL RECIFE

O Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, será o palco da estreia de ‘Aladim – O Musical Recife‘. Montado pela produtora pernambucana Nível 241, o espetáculo será apresentado nos dias 12 e 13 de outubro, com duas sessões por dia, às 16h e às 20h. Os ingressos já estão à venda.

Quem nunca sonhou em encontrar Aladim e a princesa Jasmine no tapete mágico que voa? Ter os três desejos realizados pelo gênio da lâmpada? A equipe local fez uma adaptação de um dos contos clássicos. Pensando no público de toda idade, a produção busca mostrar um mundo ideal completamente diferente. A montagem vai trazer grande referência cultural do estado, valorizando costumes e tradição do povo nordestino.

A releitura vai trazer figurinos fluidos e sofisticados, remetendo ao luxo que o espetáculo exige. No repertório, 19 músicas, que serão cantadas e acompanhadas de uma orquestra – tudo ao vivo, envolvidas em diversas coreografias elaboradas. Apresentação tem duração de 2h, a classificação é livre.

O musical tem a direção geral dos produtores Ana Letícia Lopes e Gabriel Lopes. Direção artística de Emmanuel Matheus, direção coreográfica de Stepson Smith. Valdetaim do Monte e Hugo Leonardo, assinam a direção musical. O pernambucano Israel de França, regente da orquestra Sinfonieta de Granada, na Espanha, vai reger a orquestra durante as apresentações.

Estamos oportunizando os artistas local e valorizando o talento de cada participante. O elenco reúne 39 artistas, entre bailarinos, cantores e atores. Victor Leal, viverá Aladim, Camila Bastos, dará vida a princesa Jasmine, o gênio será interpretado por Kleber Valentim“, detalha a diretora geral do musical e atriz, Ana Letícia Lopes.

Os assentos para a área da plateia VIP podem ser adquiridos no valor de R$ 165,00 e R$ 82,50 (meia). Plateia A: R$145,00, meia R$72,50, enquanto plateia B custa R$120,00, meia R$ 60,00. Os valores do balcão variam entre R$ 100,00 (inteira) e R$50,00 (meia). Os bilhetes já estão disponíveis na internet (link eventim (http://www.eventim.com.br/aladdin-o-musical-recife-ingressos.html?affiliate=BR1&doc=artistPages%2Ftickets&fun=artist&action=tickets&erid=1990466) ou nas lojas do Ticket Folia (Shopping Recife e Guararapes), nos shoppings Boa Vista, Rio Mar e Tacaruna, as lojas do Ticket funcionam na loja Riachuelo. Os ingressos também podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Guararapes.

A produção do musical colocou à venda os produtos da marca “Aladim: o Musical Recife”. Para adquirir os interessados devem acessar o site oficial da produtora através do www.nivel241.com.br.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aladim: o musical Recife
Teatro Guararapes (Avenida Professor Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho, Olinda – Pernambuco)
Duração 120 minutos
12 e 13/10
Quinta e Sexta – 16h e 20h
$100/$165
Classificação Livre

CASUSBELLI – O MUSICAL

O ator e escritor, Vitor Rocha, tinha um sonho. Publicar o seu primeiro livro de poesias, que contava a história de uma trupe circense. Enquanto não conseguia realizá-lo, ia nas escolas infantis contando a história de “Casusbelli“.

Numa destas visitas, encontrou uma menina que tinha também seu sonho. Ter lápis de cores para poder colorir seus desenhos.

Os dois sonhos se fundiram e surgiu o Projeto Casusbelli. Um projeto social que visava arrecadar fundos para a compra de material escolar para crianças carentes e que recompensaria seus apoiadores com um exemplar do livro de poesias “Casusbelli”.

Em 60 dias de campanha na internet, mais de 23 mil reais foram arrecadados via financiamento coletivo e o projeto acabou tomando maiores proporções.

Grandes nomes da classe artística e personalidades acabaram descobrindo o projeto e assinaram o livro em forma de apoio. Dada a repercussão, empresas começaram a se interessar pelo sonho desse circo colorido de “Casusbelli”.

As tintas Suvinil apoiarão o próximo passo do projeto – realizar leituras musicadas de “Casusbelli – o Musical“.

Estamos torcendo para que este mundo colorido saia das páginas do livro para os palcos e possa colorir os sonhos do púbico que virá assistir o espetáculo.

 

HUGO BONEMER SERÁ AYRTON SENNA

Hugo Bonemer (“Hair”, “Rock in Rio, o Musical”) interpretará nos palcos um dos maiores ídolos do Brasil – o piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna.
O musical em homenagem a Senna tem estreia prevista para novembro no Teatro Riachuelo, Rio de Janeiro.
Ainda se sabe muito pouco sobre o roteiro – somente que não será um musical biográfico, e que terá também um personagem chamado Wandson.
Wandson era um adolescente de 16 anos, que trabalhava como ajudante de pedreiro na rua Ayrton Senna, em Itabela (extremo sul da Bahia) e foi morto a tiros no serviço, em 2015.
A produção é uma parceria da Aventura Entretenimento com a família Senna. O texto e as músicas são de Claudio Lins (“O Beijo no Asfalto – O Musical”) e Cristiano Gualda ( “Bem Sertanejo”). A direção musical é de Felipe Habib e a direção geral de Renato Rocha.
ayrton-senna-brasil-bandeira-mclaren-vitoria
(fonte – Monica Bergamo/Folha de São Paulo)