CASOS E CANÇÕES

Eva Wilma, uma das maiores atrizes brasileiras em atividade, mostra agora mais uma faceta artística. Protagonista do espetáculo Casos e Canções, ela canta sua vida e memórias ao lado do filho, o compositor, violonista e cantor John Herbert Jr., do pianista e cantor William Paiva e do diretor cênico Eduardo Figueiredo.

Em Casos e Canções, Eva convida o público a embarcar numa viagem lúdica e musical por algumas dascanções e imagens que se eternizaram e marcaram sua memória e a do país nos últimos 65 anos. “Isso eu trago da primeira infância. As horas mais felizes de intimidade com meu pai e minha mãe, é quando eles se revezavam ao piano e nós cantávamos”, lembra ela.

Dessa época, comparecem no repertório “Felicidade”, de Lupicínio Rodrigues e “O Trenzinho do Caipira”, de Ferreira Gullar e Heitor Villa Lobos. Da adolescência, quando foi aluna de Inezita Barroso, uma homenagem à mestra, com “Uirapuru” e “Azulão”. O amigo Baden Powell também ganha reverência, com “Bom Dia Amigo”, parceria dele com Vinícius de Moraes, e “Violão Vagabundo”, tema da personagem da gêmea Raquel, que Eva interpretou em “Mulheres de Areia”, novela exibida pela TV Tupi em 1973.

Das lembranças da trama de Ivani Ribeiro, vêm também as instrumentais “First Love” e “Last Love”, tocadas por William e John e produzidas à época por Arnaldo Saccomani com a Orquestra Phonoband, e uma homenagem a Adoniram Barbosa, que atuou na novela como o pescador Chico Belo, com a versão do trio para “Tiro ao Álvaro” e “Saudosa Maloca”.

O clássico “Sorri” versão de Braguinha para “Smile”, de Charlie Chaplin, enriquece a narrativa, além de outras referências a canções da Bossa Nova, MPB, Tropicália, Beatles… que William e John sugerem como fundo musical e costura às histórias contadas por Eva.

FACE (2)

Casos e Canções

Com Eva Wilma

Duração não informada

Classificação Livre

SESC Ipiranga (R. Bom Pastor, 822 – Ipiranga, São Paulo)

29 e 30/11

Sexta e Sábado – 21h

$40 ($12 – credencial plena)

SESC Jundiaí (Av. Antônio Frederico Ozanan, 6600 – Jardim Botânico, Jundiaí – SP)

01/12

Domingo – 18h

$30

CHICO ALMEIDA

Trazendo influências da música sertaneja raiz, MPB, rock, folk e jazz em arranjos para viola, o cantor mineiro Chico Almeida divulga seu primeiro CD com duas apresentações gratuitas em São Paulo: 20 de novembro, no Teatro Cacilda Becker; e 4 de dezembro, no Teatro – Centro Cultural Olido, sempre quarta-feira, 21h.

O artista é natural de Andrelândia (Sul de Minas). Nascido em uma família de tradição musical, ainda criança conheceu os encantos da viola com a Folia de Reis e se apaixonou pela música. A influência do Rock surgiu na adolescência. O artista consolidou sua formação com a graduação em Música pela UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), em 2009.

Nesse período, começou a estudar a linguagem da viola, fazendo releituras de outros ritmos e gêneros da música popular. A partir de 2010, começou a apresentar sozinho seus trabalhos autorais. De 2014 para cá, o artista começou a reunir composições que formaram seu disco de estreia.

No repertório, estão criações de Chico Almeida, além de uma parceria com Fernando Sodré, em letras marcadas pela mineiridade e que tratam de temas cotidianos como Trem de ferro, Franciscos, Trem de Gente, Mais Fácil, Tropas de Minas, Chico, Deleite, Da estrada Clareira, Uma canção, Fugas, Frevorada, Démodé. No disco, Chico canta sua terra e a mineiridade, incrementando as canções com as mais variadas influências, das folclóricas às mais sofisticadas.

A turnê de lançamento do CD, que leva o nome do cantor, já passou por Belo Horizonte, Ouro Preto, Juiz de Fora e São João del-Rei. As apresentações ainda acontecem em outras cidades de Minas Gerais e nas capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo. A iniciativa é uma realização da Sereno Produções, com aprovação na Lei Estadual de Incentivo Fiscal à Cultura de Minas Gerais e conta com o apoio de Módulo Embalagens.

CD – Chico Almeida

Com Chico Almeida

Grátis

 

Teatro Cacilda Becker (Rua Tito, 295 – Lapa – São Paulo)

20/11

Quarta – 21h

 

Centro Cultural Olido (Av. São João, 473 – Centro, São Paulo)

04/12

Quarta – 21h

CLÁSSICOS PALAVRA VIVA

Acontece neste domingo (10/11), a segunda edição do “Clássicos Palavra Viva”, evento que vai receber a pianista Talita Gondim e o violoncelista Moisés Ferreira. Juntos interpretarão Felix Mendelssohn, Friedrich Grützmacher, Franz Schubert, Gabriel Fauré e Frédéric Chopin.

O espetáculo é gratuito e aberto para todos os públicos. Os músicos se apresentarão na Igreja Batista Palavra Viva, no bairro da Vila Leopoldina, das 17h às 17h50. O auditório tem capacidade para 2 mil pessoas.

Talita Godim é pianista da Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), e neste ano foi uma das vencedoras do Concurso Jovens Solistas da mesma orquestra. Moisés Ferreira é Solista B do naipe de violoncelos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo. Tocou em concertos com a Osesp e atuou como Chefe de Naipe Na Orquestra Filarmônica de Goiás na temporada 2013.

Trazer música clássica para nosso bairro e entorno é um serviço que oferecemos para nossa comunidade, a quem queremos tanto bem. Não há na cidade de São Paulo, com exceção das salas tradicionais de concerto, espaços de qualidade para apresentações como essa. Por isso a igreja se abriu para receber músicos de ponta e público interessado nesse estilo musical. Aqui temos toda estrutura para isso“, afirma Lamartine Posella, fundador da Igreja Batista Palavra Viva.

Na edição passada do Clássicos Palavra Viva, realizada no mês de outubro, 700 pessoas assistiram ao concerto da pianista Olga Kopylova, titular da Osesp, e do oboísta da mesma orquestra, Joel Gisiger, onde foram tocadas peças de Schumann, Villa-Lobos, Eugène Bozza entre outros compositores clássicos.

FACE.png

Clássicos Palavra Viva

Com Talita Gondim e Moisés Ferreira

Igreja Batista Palavra Viva (Avenida Mofarrej, 1024, Vila Leopoldina, São Paulo)

Duração 50 minutos

10/11

Domingo – 17h

Grátis

Classificação Livre

SOUL LEE

A cantora Paula Lima apresenta show inédito em que interpreta as canções de Rita Lee. Em homenagem a cantora, Paula Lima reuniu sucessos como Mutante e Pagu para compor esse show.

Paula Lima gravou quatro álbuns e o DVD Sambachic. Foi indicada ao Grammy Latino, protagonizou o musical Cats e é comentarista do Carnaval de SP na Rede Globo. É apresentadora do programa Chocolate Quente, na Rádio Eldorado FM, vencedor do Prêmio APCA. Atualmente é protagonista na superprodução musical Brasilis – Circo Turma da Mônica.

FACE (3)

Soul Lee

Com Paula Lima

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 90 minutos

22/10

Terça – 21h

$50/$90

Classificação Livre

PAI E FILHO

De um lado, Moraes Moreira, um dos maiores compositores da música popular brasileira, poeta, imortal da Academia Brasileira de Cordel, um dos fundadores do grupo Novos Baianos, compositor de quase todas as canções do Grupo.

Ao seu lado no palco Davi Moraes, um dos músicos mais requisitados da sua geração, com composições próprias, em trabalhos solos ou em gravações de praticamente todos os grandes nomes da nossa música. Arranjador, apresentador de programas de TV, criador de trilhas sonoras, exímio instrumentista que leva pra frente a tradição da guitarra brasileira em estúdios, palcos e trios elétricos. No encontro entre pai e filho não vão faltar clássicos como Preta PretinhaForró do ABC e Bate Coração.

FACE (1)

Pai e Filho

Com Moraes Moreira e Davi Moraes

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 90 minutos

15/10

Terça – 21h

$80/$100

Classificação Livre

MARGEM

Após a turnê bem-sucedida de A Mulher do Pau Brasil, na qual Adriana Calcanhotto apresentou o resultado da sua estadia como docente na cidade de Coimbra, em Portugal, para brasileiros e portugueses, a cantora retorna ao palco para apresentar “Margem”. O novo show reúne três discos de Adriana: Maritmo (1998), Maré (2008) e Margem (2019). Em São Paulo, a apresentação acontece no Theatro NET, dia 05 de outubro, sábado, em duas sessões — às 19h e 21h30.

Adriana Calcanhotto assina a direção do espetáculo de seu novo álbum, Margem, lançado em junho de 2019. A banda que a acompanha é formada pelos mesmos músicos que tocaram e coproduziram com ela o seu mais recente trabalho de estúdio. Rafael Rocha (mpc, bateria, percussão, Handsonic, assovio), Bruno Di Lullo (baixo e synth) e Bem Gil (guitarra e synth), os dois últimos estiveram com Calcanhotto na turnê A Mulher do Pau Brasil que rodou o Brasil no segundo semestre de 2018.

O repertório do novo show tem como esqueleto as canções do novo álbum e resgata músicas de Maritmo e Maré, os outros dois discos da trilogia marinha (como “Mais Feliz”, “Vambora”, “Quem vem pra beira do mar”), além de sucessos da carreira de Adriana, como “Devolva-me” e “Maresia” canções arranjadas especialmente para o espetáculo, como ‘Futuros amantes”, de Chico Buarque, de 1993, que a cantora gravou como faixa exclusiva para a versão japonesa do álbum Margem.

Canção irmã de “Os ilhéus”, apontam as duas para muito tempo depois de nossa civilização, e apostam as duas no amor e na virtude como humanidades sobreviventes aos tempos. Não saberemos. As duas canções irmãs só se encontram no palco (e no disco japonês) e em sequência. É dos momentos mais fortes do show, pra mim, no sentido do quanto uma canção pode exigir de nós em termos da nossa capacidade de rendição à beleza. Será que um dia Copacabana será a nova Atlântida? Chico Buarque e Antonio Cicero é quem sabem”, especula a compositora.

No primeiro ensaio olhei para a banda e falei “vamos fazer um luau”. Esse foi o primeiro sentimento. Luaus dependem da força do vento, do tempo que ele sopra numa só direção, da maré, e esse show é assim; completamente dependente do mar. Com os ensaios porém, fui percebendo que o emaranhado de textos do roteiro, que tem muitos ecos e referências literárias, foi se superpondo à ideia de luau, que é a princípio menos complexo. Os arquétipos marinhos foram dando as caras, a meu ver em função da sonoridade que alcançamos tocando juntos tanto tempo depois das gravações do disco. O som do show não quis ser o som do disco, o universo timbrístico teve que se expandir pra conter as canções da trilogia e mais as outras todas e isso era previsto mas o som do show resultou mais relaxado, mais vagabundo. Interessante foi notar as ligações que as canções começaram a fazer entre si independentemente da minha ação. De certa forma, fui observando o roteiro se fazer a si próprio, maneira inteiramente nova pra mim de conceber um espetáculo.

O novo show traz mais uma novidade, a lojinha Margem. Dessa vez, com uma pegada sustentável. O espaço terá diversas opções de produtos e souvenirs que estarão à venda antes e após o espetáculo. Em parceria com a empresa Papel Semente, a tag das camisas, feita com papel artesanal, ecológico e biodegradável, poderá ser plantada e em 20 dias nascerá uma flor chamada de mosquitinho branco. Já as sacolas plásticas utilizadas na lojinha são da empresa Tudo Biodegradável. A decisão ecológica é fruto de uma parceria com a ONG Funverde, que investe no plantio de árvores.

“O espetáculo é onde as águas da trilogia se encontram, uma espécie de pororoca de água salgada” 

Adriana Calcanhotto in Margem 2019

 

FACE (2)

Margem

Com Adriana Calcanhotto

Theatro NET SP – Shopping Vila Olímpia (R. Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)

Duração 70 minutos

05/10

Sábado – 19h e 21h30

$80/$150

Classificação Livre

SHOWS DE CAROLINA DIECKMANN E RUBEL EM AGOSTO NO TEATRO PORTO SEGURO

Teatro Porto Seguro recebe Carolina Dieckmann que estreia o show Karolkê ao lado do músico Vinícius Feyjão, no dia 6 de agosto.

O cantor e compositor Rubel faz o show de lançamento da nova turnê, que contempla seus dois discos completos, Casas e Pearl, no dia 13 de agosto.

Os ingressos também podem ser adquiridos pelo site da Tudus – www.tudus.com.br

FACE (1)

Abaixo a programação com mais informações:

Carolina Dieckmann no show Karolkê.

A paixão pela música e o flerte com os instrumentos estão prestes a sair da intimista rodinha de amigos na casa da atriz e ganhar novos cenários. Depois de 26 anos de carreira na TV, no cinema e no teatro, o universo particular de Carolina sai da coxia e é traduzido para o público em uma apresentação despojada e em plena sintonia com o suave timbre e sua voz doce.

Ao lado do músico Vinícius Feyjão, novos arranjos e releituras inéditas para sucessos como É tão Lindo (Roberto Carlos), Vamos fugir (Gilberto Gil/Liminha), É o Amor (Zezé di Camargo/Luciano) Fogo e Paixão (Rose Marie/Wando), Eu Amo Você (Cassiano/Silvio Rochael), em acordes redesenhados de forma criativa e divertida. O espetáculo é produzido por Léo Fuchs e a direção musical assinada pelo instrumentista e arranjador Pretinho da Serrinha, ambos parceiros de Carolina em sua última peça teatral Tryo Elétryco, sucesso em 2017.

Com Carolina Dieckmann e Vinicius Feyjão

Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 75 minutos

09/08

Terça – 21h

$80/$100

Classificação Livre

* * * * * * * * *

Rubel no show Casas e Pearl.

Rubel (voz e violão) sobe no palco para apresentar canções como PartilharMantra e Colégio, além dos sucessos O velho e o Mar e Quando Bate Aquela Saudade. Um dos principais nomes da chamada nova Música Popular Brasileira, Rubel foi indicado ao Grammy Latino 2018 na categoria melhor disco de rock ou música latina em Português, pelo disco Casas (Dorileo/Natura Musical). Consolidou parcerias com os rappers Emicida e Rincon Sapiência e teve duas músicas em trilhas de novelas da Globo (Onde Nascem os Fortes e Malhação).

Pearl, o disco de estreia, foi disponibilizado na internet em 2013. Suas sete faixas embebidas em MPB setentista e folk foram gravadas num estúdio caseiro em Austin, Texas, enquanto Rubel estudava Cinema.

Com Rubel

Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 80 minutos

13/08

Terça – 21h

$60/$80

Classificação Livre