CLAUDYA 50 ANOS

Claudya convida Marcos Valle em encontro histórico comemorando os 50 anos de trajetória artística da cantora que iniciou sua carreira nos anos 60, no lendário programa “O Fino da Bossa” com Elis Regina, Jair Rodrigues, Zimbo Trio e outros grandes expoentes da música brasileira.

Relembrará músicas de suas grandes vitórias em festivais nacionais e internacionais, passando pelos grandes sucessos em disco com as músicas “Com mais de 30” (Marcos e Paulo Sergio Valle), Jesus Cristo (Roberto e Erasmo Carlos), Como Dois e dois São 5 (Caetano Veloso), Deixa eu dizer (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza), esta última sampleada por ( Marcelo D2) e alcançando grande sucesso junto à nova geração, trazendo de volta a bela voz da cantora nas rádios e mídias televisivas.

Fará homenagem as cantoras que a influenciaram como:  Angela Maria, Barbra Streisand, Ella Fitzgerald etc. Relembrará a ópera rock Evita grande sucesso no teatro, quando protagonizou La Reina de Los Descamizados Eva Maria Duarte de Peron Evita. Sucesso total nos anos 80, sendo considerada pelos produtores ingleses Robert Stigwood e David Land, a melhor de todas as cantoras que fizeram a ópera no mundo.

Ficha Técnica


  • Autoria: Claudya
  • Direção: Manoel Barenbein
  • Elenco: Claudya
  • Convidado: Marcos Valle
  • Participação espacial: Graziela Medori
  • Bateria: Chico Medori Músico
  • Contrabaixo: Renato Schneider Loyola
  • Piano e teclado: Luis Claudio Bonan
  • Classificação: livre
  • Dia: 03/06 – Sábado, às 21h30
  • Duração do Espetáculo: 100 minutos

INGRESSOS

VENDA ANTECIPADA ATÉ 31/05:
Plateia Premium: R$ 100,00
Plateia Vip: R$ 80,00
Mezanino: R$ 60,00
Mezanino / visão parcialmente prejudicada: R$ 40,00
VENDA NORMAL A PARTIR DE 01/06:
Plateia Premium: R$ 120,00
Plateia Vip: R$ 100,00
Mezanino: R$ 80,00
Mezanino / visão parcialmente prejudicada: R$ 60,00

Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)

 

O NASCIMENTO DO PATINHO FEIO

“O Nascimento do Patinho Feio”, peça escrita e dirigida pela premiada atriz Pitty Webo, estreia curta temporada inédita em São Paulo dia 27 de maio, no Teatro J. Safra. Sucesso de bilheteria no Rio de Janeiro, o espetáculo chega a capital paulista com nova montagem e trilha sonora.

O nascimento e a maternidade são os temas centrais da peça e, cenas como a primeira mamadeira e os primeiros passos do “Patinho” prometem encantar as mães na plateia. Além disso, a montagem desse clássico literário faz uma reflexão sobre o racismo e o bullying. A história conta que o “patinho” é excluído do convívio social por ser branco e não amarelo como os outros.

O texto mantém a versão original a partir de uma linguagem contemporânea e a performance, com duração de 50 minutos, é embalada por sucessos do Legião Urbana, como “Pais e Filhos” e “Será”.  Com um forte viés educativo, a produção ficará em cartaz até o dia 25 de junho e garante entreter toda a família.

Segundo a autora Pitty Webo, as grandes histórias da literatura universal infantil sobrevivem centenas de anos e encantam plateias do mundo todo, mesmo em tempos modernos – em que a variedade de entretenimento é muito maior. “Este clássico ganhou uma adaptação didática e divertida que resulta numa lúdica opção de lazer para as crianças. O figurino de cada patinho é um grande e felpudo body e há diversos adereços que diferenciam cada personagem, chamando muito a atenção das crianças“, conta a autora.

 image002

Ficha Técnica

Direção e Adaptação: Pitty Webo

Elenco: Pitty Webo, Victor Di Lourenço, Giovana Possenti, Lucas Matos, Patricia Barbosa e Alexandre Moraes

Figurinos: Elisangela Ropke

Adereços: Rosa Bandeira

Cenários: Fábio Alexandre Cenografias

Iluminação: Kadu Moratori

Arranjo Musical: Luciano Alves

Assistente de Direção: Viviane Nahar

Assistente de Produção: Carlos Braga

Produção de Elenco: Marya Cecília Ribeiro

Realização: Pitty Webo Arte & Cultura

SERVIÇO

O Nascimento do Patinho Feio

Temporada: de 27 de maio à 25 de junho de 2017

Horário: sábados e domingos às 16h

Classificação: Livre

Duração: 50 minutos

Valores

Plateia Premium: R$40,00

Plateia Vip: R$30,00

Mezanino: R$20,00

Mezanino com visão parcial: R$5,00

Teatro J. Safra (Endereço: Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)

PLÁCIDO DOMINGO JR E NÁDIA FIGUEIREDO – JUNTOS

Plácido Domingo Jr. e Nádia Figueiredo se uniram para a turnê “Juntos” – que celebra a parceria entre a soprano brasileira e o barítono mexicano, filho do famoso tenor Plácido Domingo  – passando por várias cidades do Brasil como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Fortaleza. Acompanhados pelos renomados músicos João Carlos Assis Brasil (piano) – premiado pianista reconhecido internacionalmente e atualmente também é professor da Escola de Música Villa-Lobos no Rio de Janeiro -, Antón Caballo (violino), Alexandre Ito (contrabaixo) e Ary Dias (percussão), os artistas se apresentarão em São Paulo no dia 01 de junho, no Teatro J. Safra, e prometem emocionar o público com um repertório de clássicos italianos, franceses e um pouco de música brasileira.

Além dos números solo de cada um, Nádia e Plácido Jr. farão dueto em seis canções: “The way you look tonight” (letra de Dorothy Fields e música de Jerome Kern), “Garota de Ipanema” (Antônio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes), “Manhã de Carnaval” (Luiz Bonfá e Antônio Maria), “La vie en Rose” (letra de Édith Piaf e música de Louis Guglielmi), “Sous le ciel de Paris” (Hubert Giraud e Jean Drejac) e “Parla Più Piano” (letra de Larry Kusik e música de Nino Rota).

Já se passaram três anos desde a gravação do nosso primeiro dueto. Eu sempre tive o imenso desejo de cantar com o Plácido Jr. no Brasil. É um sonho que está se realizando e sou muito grata por ele ter confiado e acreditado em mim. Espero que todos gostem do que estamos preparando para essa turnê”, diz Nádia, que fez a sua primeira parceria através das redes sociais com o barítono em 2014, na gravação de “Lacrime D’inchiostro” um clipe gravado virtualmente em estilo pop, com vozes líricas.

Já o primeiro encontro presencial da dupla só aconteceu no ano passado (2016), quando Plácido esteve pela primeira vez no Brasil e convidou a soprano para prestigiar a apresentação do seu pai no “Amazônia Live”, projeto socioambiental do Rock in Rio.

Me sinto muito feliz em visitar o Brasil novamente. Eu tive o prazer de colaborar com a Nádia em duas gravações e o resultado foi lindo. Agradeço a ela de todo coração pela confiança em mim e por ter me escolhido como parceiro profissional para uma maravilhosa turnê em seu país. Será uma experiência única e inesquecível”, comenta Plácido, que, além de cantor, também é compositor e produtor.

 

Ficha técnica

Cantores: Plácido Domingo Jr. & Nádia Figueiredo
Piano: João Carlos Assis Brasil
Violino: Anton Carballo
Baixo acústico: Alexandre Ito
Percussão: Ary Dias
Violoncelo: Renato Amaral

SERVIÇO

Plácido Domingo Jr. e Nádia Figueiredo

Data: 01 de junho de 2017

Horário: quinta às 21h

Classificação: Livre

Duração: 75 minutos

Valores

Plateia Premium: R$300,00

Plateia Vip: R$270,00

Mezanino: R$160,00

Mezanino com visão parcial: R$80,00

Teatro J. Safra (Endereço: Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)

MIL MULHERES E UMA NOITE

Depois de uma temporada de estreia com ingressos esgotados em todas as sessões, o espetáculo Mil Mulheres e Uma Noite volta em cartaz de 2 a 30 de junho, com sessões às sexta-feira (às 21h) e sábado (às 20h), na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Os ingressos são gratuitos.

Primeira montagem adulta do Grupo As Meninas do Conto, com direção de Eric Nowinski e dramaturgia de Cassiano Sydow Quilici, a peça tem como ponto de partida o livro As Mil e Uma Noites traduzida diretamente do árabe para o português por Mamed Mustafa Jarouche.

A proposta é fazer ecoar a voz de Sheerazade, – que, para entreter o rei e salvar a própria vida, não se cansa de contar histórias – uma mulher que enfrenta a tirania dos homens com a potência das histórias. A perspectiva feminina é a força motriz para a dramaturgia.Na peça, a voz dessa mulher é multiplicada pelas vozes femininas que compõem o grupo de sete atrizes. A dramaturgia sobrepõe as narrativas do livro a notícias contemporâneas de opressão feminina.

O livro contém fábulas de terror, piedade, amor, ódio, medos, paixões desenfreadas, atitudes generosas e de comportamentos cruéis, delicadas e brutais. A obra, de tradição oral árabe e persa, foi escolhida por ser uma referência universalmente reconhecida de difusão de contos populares. “É um livro de tradição oral com histórias milenares dos mais variados gêneros, e ao cruzarmos com histórias de opressão feminina exercitamos o processo de educação e transformação, que é a função do conto, em sua essência. O ato de parar para ouvir, exercitar a imaginação e se colocar no ponto de vista do outro”, diz a atriz Simone Grande.

O diretor Eric Nowinski conta que o grupo fez a primeira interface da obra d’As Mil e Uma Noites com recortes de jornal. “Ao abrirmos os jornais, revistas, sites e outros veículos de comunicação nos deparamos diariamente com notícias sobre abuso, injustiça e violência de gênero. É preciso seguir dando voz às mulheres. E não existe na tradição oral mundial imagem mais emblemática do que a de Sheerazade, noite após noite, seduzindo o sultão Sharyar por meio de narrativas fantásticas que percorrem os mais variados gêneros; e esta imagem é ainda mais universal quando entendida como diálogo entre o feminino e o masculino, entre o oprimido e o opressor,” explica.

Em tempos de avanço das tecnologias de comunicação estamos perdendo os momentos de compartilhamento que a prática de leitura em voz alta pode trazer. Este tipo de leitura mobiliza não apenas a fala, mas também o corpo e a relação com os demais participantes, gerando um espaço para a construção de subjetividades,” analisa o Eric Nowinski.

Contemplado com a 4 ª edição Prêmio Zé Renato da Cidade de São Paulo em 2016, o espetáculo circulou por 4 bibliotecas municipais, cumpriu temporada em abril na Oficina Cultural Oswald de Andrade, além de promover leituras encenadas de episódios da obra que não constam da adaptação teatral.

Proposta de encenação

Com direção musical de Fernanda Maia e direção de movimento e coreografias de Letícia Doreto, um coro costura musicalmente as narrativas e conduz o público pelo espaço cênico percorrendo os diferentes espaços onde ocorrerão as histórias. Uma abertura musical contextualiza a plateia com a história de Sheerazade, de onde se desdobram as outras narrativas.

O coro funciona como um personagem, que tem a função de permear as cenas individuais com outras texturas sonoras, ambientação musical e diferentes composições espaciais. Instrumentos musicais como o darbuka, de tradição árabe, remete o ouvinte rapidamente a essa cultura. Outros, como o pandeiro, promovem um elo entre a música do oriente médio e do Brasil tornando possível revelar as influências árabes na cultura brasileira.

Também a iluminação tem função cenográfica. Na medida em que as histórias estarão instaladas em diferentes espaços cênicos, a luz, tanto quanto a ambientação de cada espaço é um importante índice de remissão a um espaço-tempo mítico situado entre o fantástico e o maravilhoso, universo proposto pelas narrativas e fábulas originais e o contemporâneo expresso em elementos da condição feminina , que reverberam em diferentes culturas e diferentes momentos históricos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ficha Técnica:

Dramaturgia: Grupo As Meninas do Conto, em colaboração com Cassiano Sydow Quilici. Direção: Eric Nowinski. Atrizes: Danielle Barros, Helena Castro, Lilian de Lima, Lívia Salles, Norma Gabriel, Silvia Suzy e Simone Grande. Musicista: Ana Rodrigues. Direção de arte: Yumi Sakate. Direção Musical e Preparação Vocal: Fernanda Maia. Preparação Corporal, Direção de Movimento e Coreografia: Letícia Doreto. Desenho de Luz: Eric Nowinski. Assistente de direção de arte e contrarregagem: Diego Dac. Operação de luz: Gabriela Araújo. Designer: Aida Cassiano. Fotografia: Júlia Chequer. Edição de áudio: DNAudio. Captação e edição audiovisual: Bruta Flor Filmes. Assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli. Produção: Joice Portes. Adminstração: Regiane Moraes.

 

Serviço:

MIL MULHERES E UMA NOITE .  De 02 a 30 de junho – Sextas-feiras às 21h e sábados, às 20h. Duração: 80 minutos. Classificação etária: 14 anos. Capacidade:  35 lugares.  Ingressos: Grátis (Distribuição de ingressos a partir de  1 hora antes da apresentação). OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo

CINEPIANO

O músico Tony Berchmans, acompanhado de seu piano, apresenta no Teatro Porto Seguro um repertório que funciona como trilha sonora para o filme “O Médico e o Monstro”, clássico do cinema mudo de 1920.

O espetáculo Cinepiano roda o mundo desde 2013, com apresentações em teatros, museus, espaços culturais e festivais, como o NattJazz da Noruega e o Rossi Aperto de Pisa (Itália).

FICHA TÉCNICA

Diretor / Pianista: Tony Berchmans
Projecionista: Alex Brasil
Produtora: Dany Neves
Técnico de Áudio: Rafael Pacheco
Produtor Executivo: Davi Amarante

 

SERVIÇO

Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.)
Gênero: Cinema/Música
Duração: 80 minutos
Classificação Etária: 14 anos
Terça, 25 de julho, às 21h
INGRESSOS

Plateia: R$ 40,00 | R$ 20,00 (meia-entrada)
Balcão: R$ 30,00 | R$ 15,00 (meia-entrada)
Frisas: R$ 30,00 | R$ 15,00 (meia-entrada

RENATO GODÁ E MIRANDA KASSIN – AO VIVO

Renato Godá e Miranda Kassin se juntam para show inédito no Teatro Porto Seguro. Amigos de longa data e admiradores do trabalho autoral um do outro, o novo show nasceu de encontros caseiros, com jams montadas na companhia de outros amigos músicos.

No repertório do show de estreia da turnê, sucessos da discografia dos dois artistas. A cantora Miranda Kassin tem suas raízes fincadas no Soul e na MPB. Há anos, roda o Brasil com o show ILove Amy, acompanhada da banda No No No’s. Em 2012, lançou seu primeiro disco,Aurora, com sucessos como “Pobre Menina”, “Terceiro Sinal”e “Seis Dias Sem Sono”.

Renato Godá despontou na cena musical no fim de 2009, ganhando projeção nacional e internacional com seus dois discos, Canções Para Embalar Marujos (2010) e Eu Não Mereço Seu Amor (2014). “Longe Eu Vou” e “Você Não É Um Anjo” são músicas de Godá que integram o repertório.

Este slideshow necessita de JavaScript.

SERVIÇO

Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.)
Gênero: MPB/Jazz
Duração: 80 minutos
Classificação Etária: Livre
Terça, 18 de julho, às 21h
INGRESSOS

Plateia: R$ 40,00 | R$ 20,00 (meia-entrada)
Balcão: R$ 30,00 | R$ 15,00 (meia-entrada)
Frisas: R$ 30,00 | R$ 15,00 (meia-entrada)

MÁRCIO GOMES – ETERNAS CANÇÕES

Há 3 anos em cartaz com o show Eternas Canções, no Rio de Janeiro, Márcio Gomes celebra o sucesso da longa temporada com o lançamento do CD produzido por Thiago Marques Luiz, gravado ao vivo, em janeiro deste ano.

Márcio apresenta um repertório com clássicos que marcaram a música brasileira, como Sentimental Demais e Somos Iguais (Altemar Dutra), Hoje (Taiguara), Porto Solidão (Jessé), Canção da Manhã Feliz (Elizeth Cardoso), Força Estranha (Caetano Veloso), Serenata Suburbana (Capiba), Eu Nunca Mais Vou Te Esquecer (Moacyr Franco), Devolvi (Adelino Moreira), além de uma música inédita composta para o show por Reinaldo Arias e Carlos Colla com o mesmo nome do espetáculo Eternas Canções.

SERVIÇO

Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.)
Gênero: MPB
Duração: 90 minutos
Classificação Etária: Livre
Terça, 27 de junho, às 21h
INGRESSOS

Plateia: R$ 80,00 | R$ 40,00 (meia-entrada)
Balcão: R$ 60,00 | R$ 30,00 (meia-entrada)
Frisas: R$ 60,00 | R$ 30,00 (meia-entrada)