DOSTOIÉVSKI – TRIP

Sete anos após a estreia do premiado O Idiota – Uma Novela Teatral, as companhias Livre e Mundana se reencontram em Dostoiévski-Trip, nova viagem ao universo do escritor russo e ao célebre romance publicado em 1869. Com direção de Cibele Forjaz, o espetáculo, inédito no país, está em cartaz no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo.
 
O elenco de Dostoiévski-Trip é composto por atores criadores das companhias Livre e Mundana: Aury Porto, Edgar Castro, Guilherme Calzavara, Luah Guimarãez, Lúcia Romano, Marcos Damigo, Sergio Siviero e Vanderlei Bernardino. A direção de arte do espetáculo é assinada por Simone Mina.
 
Esta é a primeira montagem brasileira do texto de Vladímir Sorókin – um dos grandes nomes da chamada nova literatura russa –, já encenado em Moscou e Nova York. Na peça, um grupo de viciados aguarda a chegada de um traficante que lhes prometeu trazer uma novidade. Enquanto isso, conversam, discutem (e até mesmo brigam) sobre grandes nomes da literatura mundial – Kafka, Pushkin, Cervantes, entre outros – e seus supostos efeitos. Este, contudo, não é um encontro amistoso entre amantes das letras, e sim de um bando de pessoas que mal se conhecem, unidos apenas pela condição de viciados em literatura.
 
Ávidos pela próxima dose, os personagens são lançados em uma jornada pelo universo de Fiódor Dostoiévski (1821-1881). Em contato com a prosa do romancista russo, os personagens embarcam na trip do título e acabam por protagonizar uma das mais célebres passagens de O Idiota, na qualseus dilemas filosóficos e existenciais se aprofundam e se potencializam transcendendo para as formas do mundo contemporâneo.
 
Segundo Cibele Forjaz, a ideia de montar Dostoiévski-Trip surgiu ainda durante as apresentações de O Idiota – Uma Novela Teatral (2010), também dirigido por ela. Apesar de partirem da obra de um mesmo autor, para a diretora, as peças têm estéticas e temáticas bastante distintas. “Dostoiévski-Trip é uma espécie de pós-Idiota. Fizemos aquele espetáculo levando muito a sério a narrativa da novela e o seu lado humano e mais sensível. Esta, por sua vez, tem um desencanto pós-moderno. É Dostoiévski tomado como uma droga que a sociedade contemporânea não pode suportar, pois a sua poesia e sua humanidade não cabem mais nesse mundo, em que as relações sociais estão marcadas pela egotrip”, explica a encenadora.
 
O espetáculo também se beneficia de um traço comum à história recente de ambas as companhias: a pesquisa da obra do alemão Bertolt Brecht, que permeou o processo de criação. Além das leituras, também foram realizadas “travessias pela cidade” – uma experiência de toda a equipe pelas ruas de São Paulo que revelou, em uma sociedade viciada em excessos, um resquício de humanidade em meio ao concreto e à carência das populações de rua. Além de contrapor o texto russo com a realidade brasileira, a pesquisa de campo evidenciou a atualidade de Dostoiévski, autor que radiografou a burguesia de sua época e sua obsessão por dinheiro, poder e prestígio.
 
Além das apresentações em São Paulo, o espetáculo também cumprirá temporadas em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte em 2018.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dostoiévski-Trip
Com Aury Porto, Edgar Castro, Guilherme Calzavara, Luah Guimarãez, Lúcia Romano, Marcos Damigo, Sergio Siviero e Vanderlei Bernardino
Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo (Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo)
Duração 120 minutos
28/10 até 18/12
Sexta, Sábado e Segunda – 20h, Domingo – 19h
$20
Classificação 16 anos
 
Sessão gratuita: 13/11 (segunda-feira), 19h30, seguida de bate-papo com o elenco e a diretora

CAFÉ DIVERSIDADE – MACHISMO E HOMOFOBIA

 

 

A psicanalista, jornalista e escritora Maria Rita Kehl é a convidada do Café  Diversidade dia 30 de outubro, segunda-feira, das 18h30 às 20h30, no Auditório do Sesc Carmo.

Atuante desde a década de 80 no campo dos direitos humanos, ela fez oposição à ditadura militar e compôs a Comissão Nacional da Verdade frente às graves violações dos direitos de indígenas e camponeses.

No encontro, Kehl abordará o machismo e a homofobia na sociedade atual e seus reflexos no mercado de trabalho.

Maria Rita Kehl é autora, entre  outros, de Deslocamentos do feminino – a mulher Freudiana na Passagem para a Modernidade (Boitempo 2016) e Tempo e o Cão – Atualidade das Depressões (Boitempo 2009 – Prêmio Jabuti do ano de 2010 na categoria de não ficção).

image008

 

Café Diversidade – Machismo e Homofobia
Com Maria Rita Kehl. 
Sesc Carmo (rua do Carmo, 147, Sé, São Paulo)
Duração 120 minutos
30/10
Segunda – 18h30
Entrada gratuita

 

TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR (Opinião)

As aventuras da empregada Olimpia ainda arrancam risadas do público que vai vê-la no Teatro Ruth Escobar.

“Trair e Coçar É Só Começar”, comédia de Marcos Caruso, está em cartaz há 31 anos ininterruptos.

A peça acumula outros números impressionantes: mais de 6 milhões de espectadores, mais de 9 mil apresentações, 4 vezes no Guiness Book, Prêmio Quality Cultural e homenagem pela Assembleia Legislativa de São Paulo.

22308662_1964769167139909_2872822824677700589_n

A história gira em torno de meras hipóteses de adultérios, geradas por equívocos e confusões provocadas por uma empregada, que se aproveita da desconfiança geral entre os casais do enredo para subornar seus patrões e amigos.

Ressaltamos o trabalho da atriz Anastácia Custódia, que desde 2005 dá vida a protagonista da história; o trabalho do elenco, por trazer o frescor para a peça como se estivesse sendo apresentada pela primeira vez, e para o texto maravilhoso de Marcos Caruso.

Se por acaso você ainda não viu (será que tem alguém) ou quer rever, e se divertir muito, “Trair e Coçar É Só Começar” é a nossa recomendação. Não perca.

Trair e Coçar é Só Começar
Com Anastácia Custódio, Carlos Mariano, Mario Pretini, Tânia Casttello, Carla Pagani, Miguel Bretas, Ricardo Ciciliano, Siomara Schröder e Beto Nasci.
Teatro Ruth Escobar (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 120 minutos
07/04 até 26/11
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$70/$80
Classificação 12 anos

ALADIM, O MUSICAL RECIFE

O Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, será o palco da estreia de ‘Aladim – O Musical Recife‘. Montado pela produtora pernambucana Nível 241, o espetáculo será apresentado nos dias 12 e 13 de outubro, com duas sessões por dia, às 16h e às 20h. Os ingressos já estão à venda.

Quem nunca sonhou em encontrar Aladim e a princesa Jasmine no tapete mágico que voa? Ter os três desejos realizados pelo gênio da lâmpada? A equipe local fez uma adaptação de um dos contos clássicos. Pensando no público de toda idade, a produção busca mostrar um mundo ideal completamente diferente. A montagem vai trazer grande referência cultural do estado, valorizando costumes e tradição do povo nordestino.

A releitura vai trazer figurinos fluidos e sofisticados, remetendo ao luxo que o espetáculo exige. No repertório, 19 músicas, que serão cantadas e acompanhadas de uma orquestra – tudo ao vivo, envolvidas em diversas coreografias elaboradas. Apresentação tem duração de 2h, a classificação é livre.

O musical tem a direção geral dos produtores Ana Letícia Lopes e Gabriel Lopes. Direção artística de Emmanuel Matheus, direção coreográfica de Stepson Smith. Valdetaim do Monte e Hugo Leonardo, assinam a direção musical. O pernambucano Israel de França, regente da orquestra Sinfonieta de Granada, na Espanha, vai reger a orquestra durante as apresentações.

Estamos oportunizando os artistas local e valorizando o talento de cada participante. O elenco reúne 39 artistas, entre bailarinos, cantores e atores. Victor Leal, viverá Aladim, Camila Bastos, dará vida a princesa Jasmine, o gênio será interpretado por Kleber Valentim“, detalha a diretora geral do musical e atriz, Ana Letícia Lopes.

Os assentos para a área da plateia VIP podem ser adquiridos no valor de R$ 165,00 e R$ 82,50 (meia). Plateia A: R$145,00, meia R$72,50, enquanto plateia B custa R$120,00, meia R$ 60,00. Os valores do balcão variam entre R$ 100,00 (inteira) e R$50,00 (meia). Os bilhetes já estão disponíveis na internet (link eventim (http://www.eventim.com.br/aladdin-o-musical-recife-ingressos.html?affiliate=BR1&doc=artistPages%2Ftickets&fun=artist&action=tickets&erid=1990466) ou nas lojas do Ticket Folia (Shopping Recife e Guararapes), nos shoppings Boa Vista, Rio Mar e Tacaruna, as lojas do Ticket funcionam na loja Riachuelo. Os ingressos também podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Guararapes.

A produção do musical colocou à venda os produtos da marca “Aladim: o Musical Recife”. Para adquirir os interessados devem acessar o site oficial da produtora através do www.nivel241.com.br.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aladim: o musical Recife
Teatro Guararapes (Avenida Professor Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho, Olinda – Pernambuco)
Duração 120 minutos
12 e 13/10
Quinta e Sexta – 16h e 20h
$100/$165
Classificação Livre

2 FILHOS DE FRANCISCO, O MUSICAL

TIME FOR FUN tem o prazer de anunciar que a emocionante história de sucesso da dupla Zezé Di Camargo & Luciano finalmente ganhará uma esperada adaptação para os palcos. “2 Filhos de Francisco – O Musical” tem sua estreia para o público marcada para 05 de outubro no Teatro Cetip(Rua dos Coropés, 88), localizado no Complexo Aché Cultural, em São Paulo.

Breno Silveira, diretor do filme homônimo, fará sua estreia na direção de espetáculos musicais. O roteiro é de Carolina Kotscho, com colaboração de Mariana Elisabetsky. Também fazem parte da equipe criativa: Miguel Briamonte (Diretor Musical, Composições e Arranjos Originais), Rachel Ripani (Diretora Associada), Marco Lima (Cenógrafo), Cesar de Ramires (Designer de Luz), Simone Mina(Figurinista), Marcos Padilha (Hair and Make Up Designer) e Marcelo Claret (Designer).

No elenco principal estão a atriz convidada Laila Garin (Helena) e Rodrigo Fregnan (Francisco). Os atores que darão vida à dupla sertaneja mais importante do país são Beto Sargentelli (Zezé Di Camargo) e Bruno Fraga (Luciano). Completam a montagem outros 20 atores, cantores e bailarinos de várias idades, além de uma orquestra com 7 músicos.
O espetáculo pretende emocionar o público com a trajetória e os sucessos da dupla sertaneja mais importante do país. A montagem é baseada no filme “Dois Filhos de Francisco”, dirigido por Breno Silveira, com roteiro de Patrícia Andrade e Carolina Kotscho, uma produção de Conspiração Filmes e ZCL em parceria com a Globo Filmes e Sony Pictures.  A película é um dos maiores sucessos recentes do cinema nacional, com números grandiosos: mais de 5,3 milhões de espectadores no cinema; quase meio milhão de DVDs vendidos; visto por mais de 30 milhões de pessoas em exibições na TV Globo, além de ter sido Indicação Oficial do Brasil ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2005.
Sinopse –  Francisco Camargo, da pequena cidade de Pirenópolis, no interior de Goiás, tinha um sonho: transformar seus filhos em cantores sertanejos. Sendo assim, ele resolve presentear seu filho mais velho, Mirosmar, com um acordeão no seu aniversário de 7 anos. A partir daí, Mirosmar e seu irmão Emival, que toca violão, começam a se apresentar e fazer sucesso nas festas da vila onde moram – Capela do Rio do Peixe, distrito de Pirenópolis. Inesperadamente, a perda da propriedade onde moravam nos anos 70, obrigou toda a família a se mudar para outra cidade, Goiânia.

Para conseguir algum dinheiro para ajudar em casa, Mirosmar e Emival começam então a se apresentar na rodoviária local, onde chamam muita atenção. E é lá que conhecem o empresário de duplas caipiras Miranda, que reconhece o potencial dos garotos e passa a viajar com a dupla fazendo shows. Os irmãos fazem muito sucesso por onde passam e chegam a cantar para seis mil pessoas em um de seus shows. Tragicamente, um acidente automobilístico encerra prematuramente a carreira da dupla, com o falecimento de Emival.

Depois de quase desistir da carreira artística, Mirosmar decide voltar a cantar, usando o nome artístico de Zezé Di Camargo. Ele grava um disco solo, mas não obtém sucesso. Já casado e com duas filhas pequenas, Zezé tem dificuldades em sustentar a família. Mas, de repente, tudo muda novamente em sua vida quando Zezé passa a se apresentar com seu irmão Welson, que adota o nome artístico de Luciano. E assim nasce a dupla sertaneja mais importante do país com uma bela história de garra e perseverança.

ELENCO PRINCIPAL
Helena – Laila Garin (atriz convidada)
Francisco – Rodrigo Fregnan
Zezé Di Camargo – Beto Sargentelli
Luciano – Bruno Fraga

ENSEMBLE FEMININO
Ensemble/Zilu – Eline Porto
Ensemble/Cover Zilu – Pamella Machado
Ensemble/Cover Helena – Stephanie Serrat
Ensemble – Ágata Matos
Ensemble – Luiza Nigri
Ensemble – Marya Bravo
Swing – Nathália Mancinelli

ENSEMBLE MASCULINO
Ensemble/ Benedito/ Cover Miranda – Paulo de Melo
Ensemble/ Miranda – Ubiracy Paraná do Brasil
Ensemble/ Cover de Francisco – Luiz Araújo
Ensemble/ Cover de Luciano – Marcelo Ferrari
Ensemble/ Cover Zezé Di Camargo – Mateus Ribeiro
Ensemble e Cover de Benedito – Drayson Menezzes
Ensemble – Fábio Ventura
Swing – Lucas Corsino

ELENCO INFANTIL
Alex Novais, Bruno Barros, Marco Souzza, Pedro Miranda e Renatinho

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Filhos de Francisco, o Musical
Com Laila Garin, Rodrigo Fregnan, Beto Sargentelli, Bruno Fraga, Eline Porto, Pamella Machado, Stephanie Serrat, Ágata Matos, Luiza Nigri, Marya Bravo, Nathália Mancinelli, Paulo de Melo, Ubiracy Paraná do Brasil, Luiz Araújo, Marcelo Ferrari, Mateus Ribeiro, Drayson Menezzes, Fábio Ventura, Lucas Corsino.
Elenco infantil: Alex Novais, Bruno Barros, Marco Souzza, Pedro Miranda e Renatinho
Teatro Cetip (Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 120 minutos
05/10 até 17/12
Quinta e Sexta – 21h, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 16h e 20h
$50/$200
Classificação Livre

ENQUANTO AS CRIANÇAS DORMEM

Após uma bem-sucedida temporada de 02 meses, no Teatro Aliança Francesa, o espetáculo Enquanto as Crianças Dormem, reestreia no dia 15 de setembro para uma curta temporada no Teatro Viradalata.

Nesse novo texto, um antimusical tragicômico, Dan Rosseto em que também assina a direção, discute o que o ser humano seria capaz de fazer para realizar os seus sonhos.

Enquanto as Crianças Dormem, conta a história de Kelly (Carol Hubner) uma fã do musical O Mágico de Oz, que trabalha como atendente de uma rede de fast-food e sonha em imigrar para a América e se tornar uma atriz de musical na Broadway.

Sem perspectivas para realizar o seu desejo, a mulher fantasia sua rotina transformando em números musicais momentos da sua vida: um dia difícil na lanchonete se torna um show onde ela é a grande estrela. Mas como a vida não sorri para a mulher, à medida que a história avança ela acumula experiências ruins, fazendo com que os sonhos se transformem em pesadelos terríveis.

Num inusitado encontro no supermercado, Kelly vê uma possibilidade de transformar o seu sonho em realidade ao conhecer Ellen (Carolina Stofella), uma mulher disposta a financiar passagem, passaporte e dólares para bancar as suas despesas na América.

Mas qual será o preço a pagar? E se há um preço, o que pode acontecer quando alguém muda por completo a sua vida e embarca numa jornada sem redenção? Kelly e Ellen, serão cúmplices ou inimigas? E você, estaria disposto a tudo para realizar um sonho?

O elenco além das atrizes Carol Hubner e Carolina Stofella, conta com os atores, Diogo Pasquim, Guilherme Araújo, Haroldo Miklos, Juan Manuel Tellategui, Roque Greco e Samuel Carrasco. A peça tem a trilha sonora original composta pelo cantor, ator e compositor Fred Silveira.

 

FOTO 02 A

Enquanto As Crianças Dormem
Com Carol Hubner, Carolina Stofella, Diogo Pasquim, Guilherme Araújo, Haroldo Miklos, Juan Manuel Tellategui, Roque Greco e Samuel Carrasco
Teatro Viaradalata (Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo)
Duração 120 minutos
15/09 até 27/10
Sexta – 21h
$50
Classificação 14 anos

ROLETA RUSSA

Após duas temporadas em São Paulo e duas no Rio de Janeiro, com excelente repercussão de público e crítica (03 estrelas da Revista Veja SP e ganhador do Prêmio Arte Qualidade Brasil 2016 de direção para César Baptista), o espetáculo Roleta-Russa volta no dia 16 de setembro no Espaço Parlapatões para uma última temporada na capital paulista.

A peça é uma adaptação de Suicidas de Raphael Montes, um dos livros de maior repercussão no meio literário nos últimos anos, com mais 20 mil exemplares vendidos e traduzido para mais de 10 idiomas.

Para os palcos, o espetáculo foi adaptado e dirigido por César Baptista e traz um jovem elenco formado pelos atores Ana Terra, Dan Rosseto, Diogo Pasquim, Emerson Grotti, Felipe Palhares, Gabriel Chadan, Helio Souto Jr., Lorrana Mousinho e Virgínia Castellões.

A história se passa em um porão, onde estão nove jovens e uma Magnum 608. Meninos e meninas universitários da elite carioca, aparentemente sem problemas, decidem participar de uma roleta russa. Depois de um ano da morte desses jovens, uma nova pista, um manuscrito é encontrado.

Numa trama de suspense noir, o público é convidado a tentar desvendar a história como realmente aconteceu. Rompendo as relações de tempo e espaço, o espetáculo apresenta um suspense arrebatador, com uma dose de humor irônico, personagens dúbios e tramas que se entrelaçam até a solução surpreendente que só se mostra nas últimas palavras.

A peça, além de apresentar um clima de suspense entre os personagens, aborda alguns temas delicados como preconceito e o desrespeito à diversidade, com casos de homofobia e de pessoas portadoras de necessidades especiais como a síndrome de down; a auto-afirmação; a aceitação a falta de discernimento; o orgulho; o egoísmo; a mania de grandeza; a rebeldia.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Roleta Russa
Com Ana Terra, Dan Rosseto, Diogo Pasquim, Emerson Grotti, Felipe Palhares, Gabriel Chadan, Helio Souto Jr., Lorrana Mousinho e Virgínia Castellões
Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Centro, São Paulo)
Duração 120 minutos
16/09 até 28/10
Sábado – 21h
$50
Classificação 16 anos