CAFÉ AZEDO

Café Azedo teve sua primeira encenação entre de 29 de março e 01 de junho de 2017, no Teatro Pequeno Ato, com boa aceitação de público e crítica. Agora as atrizes Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel voltam ao cartaz com a trama onde três personagens observam o movimento em uma cafeteria refletindo sobre si mesmas e as pessoas que entram, saem ou ficam. Intuem seus sentimentos, simpatizam ou antipatizam, sempre no plano imaginário, em fluxo de pensamento. Sem dialogar efetivamente, elas se comunicam no campo das identificações e projeções e a identidade de cada uma vai se revelando, aos poucos. “A linguagem poética, quase onírica, nos defronta com nossas próprias histórias, escolhas e renúncias”, afirmam elas.  A partir da personagem-tronco, Café, ramificaram Cacos e Mililitros, que já apareciam secundariamente no conto original (“Onde os Pombos Dormem”, Ed. Benfazeja).

O texto é um mergulho no universo feminino e produz empatia, apostando no poder dos encontros, quando um sorriso ou um gesto produzem micro – às vezes macro – transformações. Esta peça foi escrita por uma mulher, dirigida por mulheres, interpretada por mulheres e é sobre mulheres. Numa cafeteria elas olham pras pessoas, olham uma pra outra, olham pra si mesmas. Nestes olhares elas se quebram em cacos e depois se reconfiguram. Misturadas.

A referência literária mais evidente é Evandro Affonso Ferreira e seu narrador sentado na confeitaria a divagar sobre velhice e morte, interagindo mentalmente com os demais frequentadores (“Minha mãe se matou sem dizer adeus”, Record). A prosa de Evandro, ourivesaria de frases, instiga e comove. Mas não é só. E aquelas mulheres da peça? Vieram de onde?

No entanto, o maior desafio foi pensar o feminino atual, tema desafiador.

O projeto Café Azedo nasceu de conversas regadas a baldes de café, tapioca e pão de queijo, intercâmbio de ideias, de vivências, de referências literárias e dramatúrgicas, muitas risadas, algumas lágrimas, e às vezes até confidências. Assim foi o processo de transformação do conto Café Azedo, (“Onde os Pombos Dormem”, Ed. Benfazeja) em peça. Um mergulho de quatro mulheres no universo feminino. Nosso universo. Fomos nos engolindo e nos deixando engolir uma pela outra. Tão diferentes: uma escritora, três atrizes. Quatro mulheres com histórias díspares, cada uma com suas dores, suas cores. Neste mergulho fomos nos dissolvendo e misturando nuances, encontrando matizes comuns. Nos reconhecemos um pouco no espelho do olhar da outra. E, aos poucos, sem perceber, éramos um grupo. Não mais um agrupamento de mulheres. Tínhamos realmente um projeto comum. Nossa reunião virou uma confluência, profundamente empática. Acreditamos no potencial dos encontros, sobretudo os femininos. Achamos que uma troca verdadeira entre mulheres é um retorno ao primitivo, ao matriarcal. Sem julgamento, mas acolhimento. No decorrer do processo nos vimos emprestando o rosto para as personagens, tomando seus rostos emprestados. E assim nasceu a peça, inserida no contexto de (re)união feminina, tema atual.” Paula Mandel, Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel

CARMEN.png

Café Azedo

Com Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel

CASA – Casa Aguinaldo Silva de Artes (Rua Major Sertório, 476 – Vila Buarque, São Paulo)

Duração 50 minutos

15/08 até 26/09

Quarta – 20h30

$40

Classificação 14 anos

DESTRUINDO AVELÃS

Cenas cortantes compõem o espetáculo noir Destruindo Avelãs.

Destruindo Avelãs é uma coletânea de sete cenas independentes que possuem em comum a investigação da contradição humana inserida numa estética inspirada no cinema noir. Personagens são enganados pelo mundo e por eles próprios, sempre em situações transformadoras. Guerrilha, incesto, hipocrisia, abuso, carência afetiva, maternidade e censura são alguns dos temas abordados no espetáculo.

Com a caixa cênica vazia, os espaços vão sendo desenhados pela iluminação e pelas projeções das ilustrações da artista plástica Alessa Menezes. A dramaturgia foi criada e desenvolvida pela direção e o elenco durante o período em que ficaram imersos no CPT – Centro de Pesquisa Teatral, coordenado pelo diretor Antunes Filho.

CARMEN

Destruindo Avelãs

Com Caio Menck, Camila Flores, Larissa Matheus e Vinícius Martins

Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação, São Paulo)

Duração 50 minutos

27/07 até 31/08

Sexta – 23h59

$40

Classificação 14 anos

O JULGAMENTO DE SÓCRATES

Aos 50 anos de carreira, e quase 70 de vida, Tonico Pereira sobe ao palco do Teatro Nair Bello com a comédia filosófica – O julgamento de Sócrates – a partir de 21 de julho. Em turnê pelo Brasil, solo é sucesso de crítica e público e marca a carreira de Tonico que interpreta seu primeiro monólogo. Em cena, interpreta um dos fundadores da filosofia ocidental cuja adaptação assinada por Ivan Fernandes, da obra ‘Apologia de Sócrates’, do filósofo e matemático Platão, dramatiza a defesa de Sócrates, no julgamento que o condenou à morte por envenenamento.

O texto, por ser um dos primeiros grandes casos na história em que um homem foi condenado por ter ideias diferentes da sociedade, debate a liberdade de expressão e o pensamento no mundo contemporâneo. As sessões acontecem aos sábados, 21h e aos domingos, 19h,  com temporada até dia 9 de setembro.

No palco, Sócrates defende suas ideias, mas, acima de tudo, o direito de tê-las. Para Tonico, o espetáculo é um “antiteatro”, ou seja, não é um espetáculo cheio de glamour, e sim uma troca de ideias com figurino, cenário e trilhas simples. É essencialmente artesanal, sem muitos recursos. Mas isso “é a essência do teatro”. Afirma

Para o autor, Ivan Fernandes, a inspiração veio da ideia de se falar dos tempos atuais. “Não queria falar diretamente sobre isso, até porque muitas pessoas estão sem distanciamento. Então, me ocorreu falar que tudo que se tornou em um grande julgamento”.

O Julgamento de Sócrates

Com Tonico Pereira

Teatro Nair Bello – Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – Cerqueira César, São Paulo)

Duração 50 minutos

21/07 até 09/09

Sábado – 21h, Domingo – 19h

$60

Classificação 12 anos

THE RATOS (OU O CAMARIM DA FAMA ENCARDIDA)

Esta é a história de dois ratos cheios de particularidades que, após serem maltratados pela sociedade, decidem mudar de vida. Bruck e Burguer querem realizar o sonho de se tornarem Ratos da Páscoa, para que quem sabe, possam ser aceitos e amados. Por isso, decidem roubar os ovos de chocolate do coelho Pimpão. Porém, o encontro com a menina Anjolinda não é bem como eles planejaram.
Um espetáculo cheio de cores, rock and roll, gagues de palhaço e um friozinho na barriga. Afinal, o que é certo e errado? O que é para rir ou para chorar? O que é uma amizade verdadeira e o que são sonhos impedidos de serem realizados? O espetáculo não traz respostas. Apenas nos mostra caminhos. E queremos descobrir a melhor forma de caminhar. Vamos?
The Ratos (2).jpg
The Ratos (ou o camarim da fama encardida)
Com Danilo Mora, Kleber Ramos, Samantha Verrone, Tati Takiyama, Leandro Santoro, Rafael Puglia
Teatro Dr. Botica (Rua Domingos Agostim, 91 – Tatuapé, São Paulo)
Duração 50 minutos
26 e 27/05
Sábado e Domingo – 18h
$30
Classificação Livre

VAIQUEEUVÔO

Senhoras e senhores, apertem os cintos e venha curtir esta divertida viagem com os Irmãos Sabatino.  A Cia orgulhosamente apresenta no SESC Pompéia o espetáculo “VaiqueuVôo”, uma releitura jovem e dinâmica, que dá aos espectadores a oportunidade única de prestigiar corajosos e habilidosos aviadores da década de 30’, que com ousadia e paixão desafiam as leis da gravidade.

Envoltos por um período turbulento da história mundial, repleto de avanços tecnológicos e pelas guerras, os nossos três  aviadores só veem sentido na vida quando estão nos ares, realizando as suas incríveis acrobacias aéreas. A viagem vai começar… Bom voo a todos!!!!

Sobre a Cia. Irmãos Sabatino

Os irmãos acrobatas André e Martin iniciaram sua pesquisa acrobática no final dos anos 80, e integraram importantes grupos nacionais e internacionais entre eles: Irmãos Fratelli, Grupo Ares e Circo Zanni. Em 2008, decidiram fundar a Cia Irmãos Sabatino, estreando o espetáculo “Irmãos Sabatino e o Maior Artista da Terra”, que já realizou mais de 80 apresentações, atingindo um público de mais de 50 mil pessoas.

Mestres acrobatas, os Irmãos Sabatino se especializaram em aparelhos que possibilitam grandes voos, como os trapézios em balanço, de voos e petit volant. Além disso, faz parte do seu repertório técnico ações realizadas nas alturas através da utilização de equipamentos de resgate, escalada e alpinismo, tirolesas, pêndulos, ações verticais, coreografias nas paredes, cordas elásticas, ações suspensas por balão de ar quente, sempre impactando os espectadores com ações inusitadas.

Atualmente a companhia tem quatro espetáculos em seu repertório: “Cabaré Volant”, “O Maior Artista da Terra”, “Em busca da triple volta” e “Vaiqueuvôo.

Vaiqueeuvôo
Com André Sabatino, Gianfranco Di Sanzo, Marcos Porto e Martin Sabatino
SESC Pompéia – Área de Convivência (Rua Clélia, 93, Pompeia – São Paulo)
Duração 50 minutos
01 a 13/05
Sábado e Domingo – 17h
Grátis
Classificação Livre

STRONGER (A MAIS FORTE)

SINOPSE

Nos fundos de uma loja de departamentos em Nova York em plena liquidação de Natal, a senhorita Y se surpreende com a chegada ruidosa da senhora X, uma taça de segredos, frustrações e pequenas vinganças passa a ser destilada então. Somos levados a descobrir a relação delicada e pungente que se desenvolve com essas duas mulheres, uma esposa aparentemente dedicada e completa e uma atriz independente e explicitamente falida. A “guerra de nervos” que nasce ali, quer mostrar  quem é A MAIS FORTE.

ESSA MONTAGEM

Muito mais do que colocar rótulos, gêneros ou posições sociais, damos um presente duvidoso, embrulhado em papel fino, que mostra a luta interna de duas mulheres que se chocam violentamente e produzem todos os conflitos dramáticos e cômicos que somente o feminino mais puro pode produzir. Vestidas com extrema elegância e com uma cenografia enxuta e precisa, apenas duas atrizes, como manda o texto, se engalfinham em chamas numa atmosfera anos 40, enquanto a neva fria cai lá fora.

31944549_2160811804156474_1511322785857667072_n.jpg

Stronger (A Mais Forte)
Com Dani Guedes e Sarah Lopes
Teatro Augusta (R. Augusta, 943 – Cerqueira César, São Paulo)
Duração 50 minutos
04/05 até 29/06
Sexta – 21h30
$ 50
Classificação 16 anos

 

 

 

 

 

NEM AQUI, NEM LÁ

Após meses de pesquisa, lendo vários textos e fazendo diversos encontros a Cia Foras da Lei estreia no dia 27 de abril a sua primeira produção “Nem aqui, nem lá” do dramaturgo Cássio Pires, com Danielli Guerreiro e João Carlos Gomes.

A peça conta a história de uma policial que após abandonar o comando de uma operação de desocupação de um prédio público, se isola no alto do edifício. Seu irmão, que também é policial, é chamado para convencer a irmã a descer do prédio e evitar seu suposto suicídio. Os dois conversam, relembram memórias de infância e aos poucos vão revelando suas motivações e desventuras. Refletem sobre o sentido de suas escolhas e o rumo que gostariam de dar a suas vidas.

Através de diálogos sensíveis, os protagonistas convidam o público a refletir sobre ética, papel das organizações sociais e a legitimidade de suas escolhas, de maneira afetuosa, porém realista. Num mundo cada vez mais caracterizado pela diversidade de pensamentos e ideias, onde se busca estabelecer o respeito entre as diferenças de raça, sexualidade, religião, situação econômica e idiossincrasias, torna-se cada vez mais necessária uma discussão sobre os princípios e valores estabelecidos.

A discussão proposta pela peça “Nem aqui, nem lá”, após atravessar os conflitos pragmáticos de decisões sociais e de carreira, mergulham fundo no universo existencial de seus personagens. O ambiente metaforicamente criado pela suspensão do espaço do alto de um edifício, coloca a reflexão em estado essencial, podendo ser comparado ao conflito das estrelas.

Sinopse: No drama do autor Cássio Pires, dois irmãos policiais, analisam os momentos críticos de suas vidas em um espaço simbolicamente distanciado, do alto de um edifício, relembrando memórias de infância e aos poucos vão revelando suas motivações e desventuras.

FOTO 01.jpg

Nem Aqui, Nem Lá
Com Danielli Guerreiro e João Carlos Gomes
Viga Espaço Cênico – Sala Piscina (Rua Capote Valente, 1323 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 50 minutos
27/04 até 25/05
Sexta – 21h
$50
Classificação 12 anos