A DAMA E O VAGABUNDO – O MUSICAL

A Dama e o Vagabundo, clássico da literatura infantil e imortalizado pelas mãos de Walt Disney, em 1955, a partir de um conto original do norte-americano Ward Greene, reestreia dia 5 de maio no Teatro Fashion Mall, 17h.

Dirigido e adaptado por André Breda e direção musical de Cosme Motta, a produção da RPR Produções conta a clássica história de Dama (Carol Leipelt), uma Cocker Spaniel acostumada ao luxo e aos carinhos de seus donos que vê sua vida se transformar quando estes têm um bebê. No contraponto, Vagabundo (Caio Godard), um vira-lata acostumado com os perigos das ruas da cidade, possuidor de um enorme instinto de sobrevivência e de uma boa dose de malandragem.

Com linguagem moderna, em relação ao famoso filme, que conta a história de amor entre uma cadela de raça e um vira-lata, completam o elenco os atores Debora Mesquitta (Shelly), Daniel de Mello (Bidu), Nicolas Moraes (Caco), Alison Weller (Humano), Clarice Monteiro (Humana) e Bruna Natali (Lily).

Ao fugir de casa, Dama se perde pela cidade, cruzando seu “mundo perfeito” com o contrastante universo em que vive Vagabundo, de quem dependerá para conseguir sobreviver em meio aos perigos que habitam nas esquinas da cidade.

Ela é uma Dama. Ele é um Vagabundo. Dois mundos; duas realidades; um caminho cruzado. O que será que acontece quando nos arriscamos a conhecer o desconhecido? No mínimo uma grande aventura! Claro que falamos dos nossos melhores amigos, os cachorros!

A Dama e o Vagabundo nos mostra que temos um mundo inteiro a descobrir, que o mais importante está nas pequenas coisas, que não precisamos de muito para ser feliz, mas, principalmente, que o encaixe perfeito está onde as diferenças se completam!

Com músicas originais, cantadas ao vivo, e personagens que encantam a todos os públicos, o musical foi eleito, pela Revista Veja, como um dos 5 melhores espetáculos infantis em sua primeira temporada, no Teatro Vannucci.

A nova temporada tem sessões aos sábados e domingos, 17h, até dia 27 de maio.

Márcia Lopes (2).jpg

A Dama e o Vagabundo – O Musical
Com Carol Leipelt, Caio Godard, Debora Mesquitta, Daniel de Mello, Nicolas Moraes, Alison Weller, Clarice Monteiro, Bruna Natali
Teatro Fashion Mall – Sala II – Shopping Fashion Mall (Estrada da Gávea, 899 – São Conrado, Rio de Janeiro)
Duração 55 minutos
05 a 27/05
Sábado e Domingo – 17h
$60
Classificação Livre

PANÇA

Pança é o segundo homem mais importante da maior potência econômica do planeta, braço direito do todo poderoso Don Quixote.
Sua tarefa é explicar para os iniciantes, aspirantes ao poder, quais são as regras quando as regras são as regras da vida; onde vence o mais forte, o mais esperto, o mais organizado, o mais armado.
Pança corta grandes pedaços de carne diante de seus ouvintes, ao mesmo tempo em que esmiúça, com humor e requintes de crueldade, o funcionamento da economia mundial, a decadência do Estado de direito e a instabilidade das relações humanas em sua forma mais bruta.
O boato de que ele costuma virar cachorro atrai ainda mais interessados a ouvir o que ele tem a dizer.
foto c texto 5 (1)
Pança
Com Beto Magnani
Teatro de Arena Eugenio Kusnet (Rua Dr. Teodoro Baima, 98 – República, São Paulo)
Duração 55 minutos
03 a 27/05
Quarta – 20h, Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$30
Classificação 14 anos

BORDERLINE

Bipolaridade, esquizofrenia, desejos, loucura e lucidez. Esses são os temas de “Borderline”, monólogo de Junior Dalberto que estreia dia 13 de abril no Espaço Parlapatões, 21h. Destaque literário potiguar Troféu Cultura em 2014, montagem dirigida por Marcello Gonçalves é estrelada pelo ator potiguar Bruce Brandão.

Produzido pela Cia. de Arte Nova, o drama traz Rutras, numa linguagem metafórica, atemporal numa viagem mitológica acerca do personagem inspirado no livro O Cangaço e o Carcará Sanguinolento, posicionando-se diante de questões íntimas relacionadas à família, sexualidade homoafetiva, incesto,  HIV, mundo cibernético, dependência química e sua relação com a geração dos anos 90.

O desafio de dirigir proposto pelo ator Bruce Brandão, me acendeu em algo que é inerente a todos nós, homens da arte: a necessidade e o comprometimento de levar aos palcos uma obra singular e plural. Suponho que aonde quer que eu vá, levarei comigo os ventos das mudanças, eu estou na onda, no ritmo, marchando nele. O registro, a interpretação, a produção e a direção.” Marcello Gonçalves.

Para o ator Bruce Brandão, as leituras sobre o tema Borderline foram fruto do contato com o autor Junior Dalberto em Natal. Encantado com esse universo, fez suas pesquisas e se familiarizou com o tema.

No início eu pensava em visitar clínicas psiquiátricas, entrar em manicômios, mas percebi que o ”manicômio” estava dentro de cada indivíduo. O entendimento sobre o transtorno Borderline me fez galgar outros degraus: É o jeito de ser. Quem já não teve medo de rejeição, impulsividade, ciúmes, sensação de abandono? Porém quando se trata de um Border, o olhar é outro. Tudo tem intensidade! Olhar poeticamente a doença é mergulhar no desconhecido.

Sobre a Cia. de Arte Nova

A Cia. nasce do encontro entre os atores Marcello Gonçalves e Bruce Brandão, com a necessidade de gerar cultura, arte e o comprometimento com o trabalho de pesquisa, para criar novas formas de se pensar o teatro. Fomentando uma nova economia de gestão e transmissão de conhecimento, a Cia. criada em julho de 2014 pretende ser um centro integrado de arte onde os atores e as equipes formam e constroem um novo olhar sobre o teatro. Atualmente a Cia está em processo de montagem “O Senador”, baseada na obra de Victor Hugo.

Borderline
Com Bruce Brandão
Espaço Parlapatões (Praça Roosevelt, 158 – Consolação – São Paulo)
Duração 55 minutos
13/04 até 20/05
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$40
Classificação 16 anos

EU COM VOCÊS

Popularmente conhecido como Christian Pior, o humorista Evandro Santo apresenta seu stand-up comedy EU COM VOCÊS de 24 de março a 28 de abril, sábados, às 23h30, no Teatro Jaraguá.

Integrante do programa Pânico, da Rádio Jovem Pan e repórter do programa Melhor da Tarde, da Band,Evandro Santo, no espetáculo EU COM VOCÊS, brinca consigo mesmo, sua história de vida, cotidianos comuns e com sua plateia, gerando uma humanização no palco que ele define apenas como sendo um “adereço” para essa divertida experiência.

Baseado na premissa de que “somos todos muito interessantes”, o humorista conta que não consegue se diferenciar da plateia, pois cada presente alimenta suas inspirações. “Quer rir de mim mesmo, rir das pessoas, rir com as pessoas e passar a mensagem que a imperfeição humana é a melhor perfeição do mundo”.

Sobre Evandro Santo

Evandro Márcio dos Santos, 42 anos, nascido em Belo Horizonte criado em Uberaba e des/criado em São Paulo (assim se define sorrindo). Sonhava ser cantor, bailarino, ator, modelo e bonito, nada disso aconteceu, mas se tornou cômico. Em 1993 iniciou a sua carreira com os famosos telegramas animados, participava com seu espetáculo das melhores festas nas casas de famílias importantes da sociedade da cidade de São Paulo, se especializou em Chá-Bar, despedidas de solteiro, Bar Mitzvah, casamentos e eventos coorporativos. No início do ano de 2000 com o surgimento dos espetáculos Terça Insana e Cócegas, Evandro criou coragem e ampliou sua comédia para shows de humor em bares. Montou seu primeiro grupo The Bo Show, Paitê no Patê, Work Uma Incorporação de Humor, e o seu primeiro soloAbsurto, onde foi descoberto pelo programa Pânico. Há 10 anos paralelamente ao programa de TV e rádio Pânico, ele atua em shows de stand-up, tem o seu canal no Youtube com vídeos nada convencionais, faz shows e participação especial em eventos coorporativos e familiares.

IMG-20180316-WA0019.jpg

Eu Com Vocês
Com Evandro Santo
Teatro Jaraguá – Novotel Jaraguá (Rua Martins Fontes, 71 – Centro, São Paulo)
Duração 55 minutos
24/03 até 28/04
Sábado – 23h30
$60
Classificação 14 anos

O PRÍNCIPE QUE NÃO SABIA DE NADA

A Amadododito Cia Teatral reestreia neste dia 24 de março, no Teatro Gil Vicente, o musical infantil “O Príncipe que Não Sabia de Nada”. A montagem, que realiza sua quinta temporada de sucesso, aborda de forma poética temas presentes no cotidiano das crianças como as diferentes classes sociais, o preconceito e a educação.

Sinopse:

A história narra à vida em um reino fictício, onde o Rei, prestes a ganhar um herdeiro encontra-se com um mago que prevê que o pequeno príncipe nunca saberá ler. O Rei, desesperado pela vergonha que o filho pode lhe causar, resolve expulsa-lo do reino e entrega o bebê a um velho sapateiro mudo, que não possui qualquer nobreza.

Arrependido e desiludido, o Rei resolve não tomar mais banho, e como conseqüência, todo o povo do reino passa a viver na sujeira.

A Rainha por sua vez, também sente se culpada e passa a ter crises de riso incontroláveis, tudo para suprimir a dor de ter no passado entregue seu filho a um estranho. Com a tristeza imperando, o reino entra em crise por longos anos.

Com o passar do tempo e com o auxilio da leitura, o Príncipe se torna um dos homens mais sábios e inteligentes e sai em busca de um valioso tesouro. O que acontece nessa caçada é a grande mensagem de “O Príncipe que não sabia de nada”.

Narrada por uma dupla inusitada e divertida: um galo e uma galinha, ambos se  preocupam mais em brilhar do que em contar a história.

O espetáculo dedicado a toda família realiza a função que a arte e o teatro exercem, divertir e refletir. Entrando em sua quinta temporada, o musical já foi visto por quase 3 mil pessoas.

29356398_1833855616638207_6983542677612186565_n

O Príncipe que Não Sabia de Nada
Com Isaias Ferreira, Angélica Casselli, Paulinha Vezani, Wesley Vieira, Roberta Freitas, Fabrício Tintiliano, Tiago Gallodino, Renato Golla, Faby Veras, Cissa Lourenço, Israel Benetti, Thiago Gonçalves, Vinicius Oliveira, Fabiana Nunes, Gustavo Alvarenga, Francisco Souza, Lais Castro, Oliver Jô, Patrique Novais, Karina Faustino, Sil SantAnna, Lais Eloys, Pedro Duran, Danilo Lopes e Daniel Bueno.
Teatro Gil Vicente – Faculdade Impacta (Av. Rudge, 315 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 55 minutos
24/03 até 12/05
Sábado – 16h, Domingo – 15h
$40
Classificação Livre

RECICLONES – NA CONQUISTA DE UM LIXO CONSCIENTE

Homem Plástico, Senhor dos Papéis e Vida Vitral, além do Latacão são os Reciclones, super-heróis do ano de 2063, data em que a natureza no Planeta Terra está devastada, graças a terrível vilã Nebulosa, que escurece a mente das pessoas para que elas não cuidem do meio ambiente. Esse é o ponto de partida do musical infantil RECICLONES – NA CONQUISTA DE UM LIXO CONSCIENTE, que está em cartaz no Teatro Viradalata.

A montagem da Cia Paulista de Teatro Bilíngue tem direção de Danielle Andrade, que também assina a dramaturgia ao lado de Liliane Zimermann e Milena Moura. Conhecida do público pelos espetáculos em língua inglesa, sempre com ótimas críticas, o grupo estreia sua primeira peça em língua portuguesa e traz no elenco os atores Alan Ribeiro, Jéssica Alves, Liliane Zimermann, Luccas Garcia, Matheus Polimeno, Milene Vianna, Milton Junior e Vinicius Candoti.

Em RECICLONES – NA CONQUISTA DE UM LIXO CONSCIENTE a natureza está devastada, há lixo por todos os lados e o mundo, no ano de 2063, está prestes a acabar graças a terrível vilã Nebulosa. Dessa necessidade de salvar a Terra surgem os Reciclones (Homem Plástico, Senhor dos Papéis e Vida Vitral). Quando Latacão, o fiel escudeiro robô, é sequestrado, os super-heróis têm que voltar no tempo e para deter Nebulosa. Nesta viagem ao passado acabam conhecendo Kadu, uma criança muito esperta que aprendeu tudo sobre a natureza com a sua avó e acaba se tornando aliada nesta batalha. Juntos eles ensinarão as pessoas sobre a importância de reciclar, reutilizar, reduzir e repensar, pois este é o único jeito de derrotar a temível vilã e conquistar um mundo melhor.

Ritmos brasileiros

Para Danielle Andrade, que assina a direção e as músicas de RECICLONES – NA CONQUISTA DE UM LIXO CONSCIENTE, o espetáculo traz momentos de reflexão sobre o meio-ambiente sem ser didático. “Minha maior preocupação era não deixar uma montagem piegas, então aliei as mensagens, principalmente sobre reciclagem, com a música e uma boa dose de humor”, conta ela.

Com ritmos brasileiros, como baião e frevo, as músicas e trilha sonora do espetáculo se encaixam com a dramaturgia. Já a cenografia e figurinos são todos confeccionados com material reciclável. “O espetáculo sensibiliza o público sobre os riscos que corre o meio ambiente e o que devemos fazer para minimizá-los. A ideia é que tudo pode virar outra coisa. Se não dá para reciclar, pode transformar ou achar um novo uso”, explica Danielle.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Reciclones – Na Conquista de um Lixo Consciente
Com Alan Ribeiro, Jéssica Alves, Liliane Zimermann, Luccas Garcia, Matheus Polimeno, Milene Vianna, Milton Junior e Vinicius Candoti
Teatro Viradalata (Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo)
Duração 55 minutos
14/10 até 26/11
Sábado e Domingo – 16h
$30
Classificação Livre

 

RELICÁRIO

Em seu trabalho inaugural, A Musa Heroica Companhia de Teatro apresenta novas possibilidades estéticas e dramatúrgicas para a improvisação. Ao contrário da maioria de espetáculos desse gênero, que geralmente usam jogos de desafios para provocar a risada na plateia, Relicário mostra que também é possível empregar a linguagem do improviso teatral para criar cenas dramáticas, cômicas, naturalistas, etc.

A partir de inspirações fornecidas pelos espectadores de cada sessão, a trupe cria oito histórias curtas sobre o relacionamento entre várias mulheres – mães, filhas, amigas, irmã, colegas de trabalho, vizinhas, amantes – em diferentes situações cotidianas.

As 12 atrizes do elenco se revezam em cena (em trios, quartetos, duplas ou outras combinações) de acordo com as demandas de cada contexto proposto. Elas só sobem ao palco juntas no último quadro, um desafio maior em termos técnicos.

De acordo com a diretora Rhena de Faria, a ideia da peça é lançar um olhar feminino – sem pretensão panfletária ou sexista – sobre a arte de improvisar, que, na América Latina, é majoritariamente dominada por homens. “É ano de quebrarmos paradigmas e abrimos o leque de possibilidades na linguagem improvisacional. Felizmente há muita gente boa em São Paulo trabalhando duramente para que isto aconteça”, diz.

Como não há qualquer script pré-estabelecido, os gestos, as palavras e as mínimas ações das personagens são usados para criar uma dramaturgia totalmente espontânea. Até a iluminação precisa corresponder ao que está sendo representado ou mesmo propor algo que auxilie o elenco no desenvolvimento da narrativa. Por isso, o grupo convidou o iluminador-improvisador Diego Rocha, que já operou a luz de vários espetáculos do gênero, como “Improvável”, da Cia Barbixas de Humor.

Relicário foi contemplado pela 5ª edição do Prêmio Zé Renato de apoio à produção e desenvolvimento da atividade teatral para a cidade de São Paulo.

IMG 198.JPG

Relicário
Com Anah Laise, Carolina Holly, Cimara Fróis, Cintia Portella, Juliana Mesquita, Luciana Esposito, Maíra De Grandi, Michelle Gallindo, Paula Silvestre, Priscila Muniz, Tamara Borges e Vanessa Corrêa
Teatro Sérgio Cardoso – Sala Paschoal Carlos Magno (R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 55 minutos
07 a 29/10
Sábado – 20h, Domingo – 19h30
$20
Classificação 14 anos