PALAVRA DE STELA

Nascida em 1941, Stela do Patrocínio foi internada no Centro Psiquiátrico Pedro II aos 21 anos, quando diagnosticada como psicopata e esquizofrênica. Quatro anos depois, foi transferida para a Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, onde permaneceu até sua morte em 1992. Durante seus anos de isolamento, Stela desenvolveu um discurso poético. Seu “falatório”, carregado de angústias, retrata a rotina manicomial e, sobretudo, revela sua visão da vida, do mundo e de si mesma.

Palavra de Stela é um espetáculo solo interpretado por Cleide Queiroz com direção e dramaturgia de Elias Andreatoque estreia dia 4 de agosto no Top Teatro. No espetáculo a personagem narra sua trajetória, expõe seu cotidiano e revela seu olhar de perplexidade diante da vida e dos seres humanos.

Elias Andreato escreveu o texto especialmente para Cleide Queiroz. Com 50 anos de carreira em teatro, cinema e televisão, a atriz traz uma relação muito pessoal com a temática proposta, pois é uma mulher negra que durante sua adolescência conviveu com a internação de sua mãe esquizofrênica.

Por meio da fala de Stela do Patrocínio, pretendemos levar o espectador a uma reflexão acerca da visão que temos sobre loucura e lucidez, bem como chamar sua atenção para como a sociedade enxerga a diferença e lida com o outro”, diz Elias Andreato.

A criação do espetáculo tomou por base o registro em áudio da obra de Stela do Patrocínio realizado na década de 1980 pelas artistas plásticas Neli Gutmacher e Carla Guagliardi, posteriormente, transcrito e organizado por Viviane Mosé no livro Reino dos bichos e dos animais é o meu nome.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Palavra de Stela
Com Cleide Queiroz
Top Teatro (Rua Rui Barbosa, 201 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 70 minutos
04 a 27/08
Sexta e Sábado – 21h; Domingo – 19h
$40
Classificação 14 anos

VOZ E PIANO

Paula Lima, considerada uma das belas e marcantes vozes da sua geração, apresenta show inédito “Voz e Piano”, paralelo ao seu show “Mil Estrelas” atualmente rodando o Brasil e exterior.

Com repertório colhido de momentos especiais de sua carreira, como as canções “Mil Estrelas” (Ivo Mozart/Zeider Pires) e “Clareou” (Serginho Meriti/Rodrigo Leite) e canções que fazem parte da sua formação musical, a cantora se apresenta em novo formato.

Seus shows, que sempre tiveram como marca registrada a forte sonoridade de sua banda e a música dançante, aparecem agora enfatizando sua voz, que fica absolutamente em primeiro plano, apresentando algo muito particular e mais intimista, mantendo sua personalidade cheia de nuances e harmonia.

Além dos sucessos da artista, Paula interpreta canções de João Donato, Ella Fitzgerald, Roberto Carlos, Chico Buarque, e muitos outros.

Voz e Piano
Com Paula Lima
Teatro Porto Seguro  (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 70 minutos
19/09
Terça – 21h
$50/$70
Classificação 12 anos

O MEU SANGUE FERVE POR VOCÊ

A comédia musical ‘O Meu Sangue Ferve Por Você‘ estreia uma temporada inédita em São Paulo, dia 21 de julho, no Teatro J. Safra. O espetáculo, com diretor e atores da TV Globo, foi visto por mais de 500 mil pessoas, ficou em cartaz durante cinco anos no Rio de Janeiro e agora chega à capital paulista por apenas dois finais de semana.

‘O Meu Sangue Ferve Por Você’ é uma comédia musical que passeia por situações engraçadas sobre as armadilhas do amor.

Grandes clássicos populares de Sidney Magal, Reginaldo Rossi, Fábio Junior, Gretchen e muitos outros foram selecionados para contar as histórias e idas e vindas de um quadrilátero amoroso.

O universo de músicas extremamente populares e a junção da veia cômica com o talento musical dos atores, reúne romance, paixão, brigas, melodrama e humor. Em cena, a mocinha virgem, o canalha, a mulher da vida e o bom moço rejeitado cantam as alegrias e dores de viver um grande amor.

O musical é uma comédia com o espírito das grandes chanchadas, que relata situações divertidas sobre amor, com arranjos vocais sofisticados e interpretações inusitadas. O espetáculo estreou no Rio de Janeiro em 2009 e teve grande aceitação por todos os teatros onde passou.

Agora, os atores Cristiana Pompeo, que, atualmente, integra o elenco do programa humorístico da TV Globo Zorra, Martina Blink, atriz premiada como Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio CBTIJ de Teatro Infantil 2016, e Pedro Henrique Lopes, que integrou o elenco das novelas Eta Mundo Bom e Aquele Beijo, vêm pela primeira vez a São Paulo com este espetáculo para dar vida a alguns dos principais personagens do musical.

O espetáculo é uma viagem pelos clássicos melosos e cafonas dos anos 70, 80 e 90 e tem 80% de canções vindas de trilhas do maior melodrama brasileiro: a novela! A gente costuma brincar que, ‘O Meu Sangue Ferve Por Você’, é uma novela mexicana musical!”, finaliza o diretor do musical, Diego Morais, que dirigiu o musical ‘Vamp’ e já está escalado para dirigir a próxima novela das 18h da TV Globo.

 

O Meu Sangue Ferve Por Você
Com Cristiana Pompeo, Pedro Henrique Lopes, Martina Blink e Victor Maia
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo )
Duração 70 minutos
21 até 30/07
Sexta – 21h30; Sábado – 21h e Domingo – 20h
$30/$70
Classificação 12 anos

PALHAÇOS

Com texto de dramaturgo Timochenco Wehbi (1943 – 1986), Palhaços volta com temporada no porão do Teatro Sérgio Cardoso a partir de segunda-feira, 10 de julho às 20h. As apresentações acontecem às segundas-feiras (10, 17, e 31 de julho e 14 de agosto, às 20h) e uma terça-feira (25 de julho, às 20h).

O espetáculo conta com direção de Marcio Vasconcelos e atuação de Antônio Netto e Sérgio Carrera, além do sanfoneiro Guilherme Padilha. O projeto é uma realização da Cia das Artes e a Cia Pompa Cômica.

A trama se passa no intervalo de apresentação do palhaço Careta (Antônio Netto) que recebe em seu camarim a visita de um espectador, Benvindo (Sérgio Carrera), um vendedor de sapatos encantado com a performance. Se aproveitando da extrema inocência do visitante, o palhaço Careta expõe as dificuldades e dores de ser um artista, e estabelece um jogo de faz de contas para que Benvindo perceba o sentido de sua própria vida, condicionada aos padrões estabelecidos pela sociedade.

A peça fala sobre a condição humana ao expor os dois lados de um mesmo tipo de fragilidade: a desilusão frente à exploração social somada à uma insciência desta. Nesta versão, a obra de Timochenco Wehbi, ganha um novo integrante: o sanfoneiro.

Este personagem, em meio às músicas, caminha entre as histórias de Benvindo e o palhaço Careta, conduzindo a dramaturgia em um labirinto entre ficção e realidade. A montagem traz elementos que ajudam a trazer a atmosfera do picadeiro para o palco com artistas circenses que fazem números de clown, malabares, mágica.

O espetáculo é uma metalinguagem na questão da dificuldade de se viver de arte pelo país. O texto é um contraponto ao abordar o universo dos artistas, que mesmo diante de muitas barreiras, fazem o que mais gostam na vida. E também representa o mundo em que as pessoas seguem os costumes ditados pela maioria”, fala Carrera.

O ator viveu uma situação contrária de seu papel na vida real ao desistir da carreira médica e optar pela vida artística. “Definitivamente, trabalhar com arte no Brasil é resistir. Já meu personagem Benvindo abriu mão de seus anseios ao entrar para todos os padrões possíveis”.

Um dos maiores trunfos do texto é fazer um jogo em que nos perguntamos quem é o palhaço de quem durante o encontro entre os personagens. Expurga os conflitos internos, coloca uma outra face do palhaço, além do picadeiro. Em cena, um é complemento do outro”, diz Netto.

Assim como o dramaturgo, Netto também nasceu em Presidente Prudente e sua atuação no espetáculo Palhaços na cidade natal foi um fator determinante para sua chegada em São Paulo e continuar sua carreira no início dos anos 90. Os dois atores têm uma longa trajetória de parceria nos palcos, pois já trabalharam juntos em duas montagens da comédia musical Bar D’Hotel e no espetáculo De Um Dia de Pierrot ao Curto-Circuito, obra também de Timochenco Wehbi.

Timochenco Wehbi é um dramaturgo extremamente significativo, contendente, transgrediu a época em que vivia. Estava inserido na era da contracultura, um momento de ebulição na sociedade. Questões que não passaram em branco e ficaram refletidas em sua obra. Era uma pessoa apaixonada pelo circo e acompanhou bem as famílias que viviam dessa arte pelo interior”, diz os Netto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Palhaços
Com Antonio Netto, Sérgio Carrera e Guilherme Padilha. 
Teatro Sergio Cardoso – Porão (Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 70 minutos
10, 17, 25, 31/07; 14/08
Segunda – 20h; Terça – 20h
$40
Classificação 12 anos

 

BONITA, RICA E TRIPOLAR

A comédia “Bonita Rica e Tripolar”, com texto e direção de Roberto Bento, estreia dia 01 de julho, 21h 30, no Teatro Augusta, Sala experimental. A temporada vai até setembro.

Quatro atores, oito personagens, num espetáculo onde o público logo se identifica, pois, retrata de cara o cotidiano da sua, da minha, das nossas vidas: um marido intelectual submisso; uma esposa tripolar, mas apaixonada; ummordomo que “se acha”; um empresário amigo; um investidor salvador da Pátria; uma sogra que vou te contar e um narrador que quer a todo custo ser o protagonista dessa estória… Isto é, “Bonita, Rica e Tripolar! ” 

Com uma pitada Brechtiniana, as situações além de cotidianas, ainda são amarradas por um narrador que se acha o diretor da vida das personagens, e, quem não é tão Guilherme, ao ponto de se colocar na submissão pelo simples fato de evitar brigas? E quem não tem um pouco da Ema Rita, a “tripolar”, que faz e desfaz?

Participação áudio com voz de-Thalita Drodovisk .

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bonita Rica e Tripolar
Com Jose Negreiros, Flávia Mercadante, Alexandre Luz, Juliana Mascaliovas
Teatro Augusta (R. Augusta, 943 – Cerqueira César, São Paulo)
Duração 70 minutos
01/07 até 01/10
Sábado – 21h30; Domingo – 19h30
$60
Classificação 12 anos

CIA DO STAND UP

Quatro comediantes de longa data se reuniram para montar um novo projeto: a  CIA DO STAND UP. Todos carregam na bagagem uma vasta experiência no gênero. Quem são?

  • Gustavo Pompiani: É fundador e integrante do Osascomedy, show que ficou em cartaz na zona oeste de São Paulo por mais de 4 anos;
  • Guto Andrade: Fundador da Noite da Comédia Stand-Up, show em cartaz na zona leste de São Paulo;
  • Oscar Filho: Pioneiro na comédia stand up do país, foi fundador e integrante do Clube da Comédia, o primeiro show de stand up comedy de São Paulo.
  • Tiago Carvalho: Fundador e ex-integrante do show 4 Amigos.

O resultado desta união poderá ser conferido na temporada que a CIA DO STAND UP estreia no próximo dia 7 de julho no teatro da Ressurreição, com shows todas as sextas-feiras até o final de agosto.

unnamed

Cia do Stand Up
Com: Tiago Carvalho, Guto Andrade, Oscar Filho e Gustavo Pompiani
Teatro Ressureição (R. dos Jornalistas, 123 – Jabaquara, São Paulo)
Duração 70 minutos
07/07 até 25/08
Sexta – 22h30
$60 (antecipado $25)
Classificação 16 anos

DAS DORES – SUÍTE STRINDBERG

O espetáculo é uma encenação e adaptação de Samir Signeu, a partir do entrelaçamento e tessitura de alguns dos textos dramatúrgicos do autor sueco August Strindberg (1849-1912)com a Epifania Cia. De Teatro. O trabalho privilegia a fragmentação enquanto forma e evidencia a sensibilidade feminina em situações de extremo apelo emocional. A estreia é dia 1º de julho no Teatro Viradalata.

Cenas de obras como ‘Senhorita Julia’, ‘A Mais Forte’, ‘O Pai’, ‘O Sonho’ e ‘O Pelicano’ são apresentadas numa estrutura fracionada, com cenas independentes, onde só a mulher tem voz. É estabelecido um diálogo provocativo, verborrágico, em um texto híbrido, que visa problematizar a questão da fragmentação do pensamento contemporâneo, em circunstâncias que dialogam com o cotidiano, na sua diversidade de aspectos e, principalmente, com um olhar mais agudo sobre o universo feminino.

Em cena a mulher com suas dores, dilaceramentos e força diante do amor, da sociedade, do trabalho, da família e da sua própria identidade.A essencialidade e o corpo cênico inspirado no trabalho coreográfico da belga Anne Teresa Keersmaeker; naquilo que há de dissonância, fragmentação e convergências e pensando o teatro como possibilidade de reescritura poética, desnudamento e revelação da condição feminina, integram a pesquisa da Cia. neste novo processo.

Sinopse
Três atrizes interpretam as mesmas personagens em adaptações de cenas das peças “A Mais Forte”, “Senhorita Julia”, “O Pai”, “O Sonho” e “O Pelicano”, de August Strindberg. Em cena desdobramentos de dramas existenciais, amorosos e sociais das mulheres criando uma relação direta com o cotidiano e estabelecendo um antagonismo com o autor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Das Dores – Suíte Strindberg
Com Amanda Leones, Carla Dias e Luana Costa
Teatro Viradalata (Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo )
Duração 70 minutos
01/07 até 20/08
Sábado e Domingo – 19h
$40
Classificação 12 anos