OLFATO

Com uma comedia crítica que flerta com o grotesco, a Cia do Escombro chega com seu mais novo trabalho: Olfato. O espetáculo está no Teatro de Container da Cia. Mungunzá. A temporada tem sessões sábados, domingos e segundas-feiras, sempre às 20h, até 30 de abril. A peça passa pela discussão entre as relações de poder no público/privado e reflete a situação política e social no Brasil atualmente.

A montagem tem o diretor convidado de Maurício Perussi e dramaturgia de Teresa Cristina Borges. O elenco conta com Paulo Barcellos, Marco Barreto, Melina Marchetti e Vivian Petri. Na trama, enquanto um importante evento político é transmitido pela televisão, uma mulher, juntamente com a babá e um recém-nascido, vai até um encontro extraconjugal em um sobrado, onde um homem e o seu amigo a esperam.

Em cena, vemos uma mulher rica que busca realizar as fantasias não permitidas por seu status social; a babá, que a acompanha diariamente, e que tenta achar saídas para sua condição servil; um homem, dono do local do encontro, o qual se envolve na situação sem que tenha por isso optado, mas que, ainda assim, não deixa de se aproveitar do que acontece ali; e, por fim, o personagem intitulado “outro”, cujo desejo e cuja impotência estão em constante conflito, manifestando-se nas estratégias que emprega para influenciar os demais.

A inspiração da peça veio de dois cruzamentos: de um lado, a arena privada onde os interesses pessoais, aparentemente subjetivos, refletem também a realidade político-ideológica de seu entorno e, de outro, a votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff, o que polarizou radicalmente o país.

A dramaturga Teresa Borges falou sobre o processo de construção do texto. “O espetáculo se relaciona com a dinâmica da transmissão televisiva e o seu papel na articulação do processo de impeachment e na formação de opinião. Isso como primeira instância. Na segunda camada, a dramaturgia tenta trabalhar a transposição de uma moral política para uma moral das relações privadas. Os personagens aparentemente não têm relação nenhuma com que estão assistindo, porém, reproduzem e aplicam estratégias, táticas, negociações e artimanhas que são desenvolvidos nas instâncias políticas”.

Para Teresa, a dramaturgia traz diversos fios que são conectados por um tema central que é o poder. “A montagem também toca em uma série de assuntos transversais como relações trabalhistas, de afeto, dependência, de interesse erótico”.

Os recursos cênicos refletem o conceito da animalidade, infantilização e o princípio de justaposição. O cenário é composto por três paredes que evocam uma casinha de brinquedo. O figurino é composto por elementos de vestuário adulto e infantil, além de elementos animais, procurando revelar o que os personagens escondem: o caráter regressivo das relações de poder estabelecidas entre si. A concepção inclui soluções multimídias para reforçar o contexto da história. O vídeo transmite a votação do impeachment e mostra sequências de imagens ligadas a história do Brasil, enquanto a projeção revela um momento de clímax da trama.

Um dos pontos fortes da peça é a possibilidade de leitura não naturalista para as falas das personagens, figuras estas aparentemente realistas. Essa tensão entre um naturalismo aparente e uma realidade cênica estranha e autônoma foi o que mais me chamou a atenção. Além disso, os símbolos de morte e renascimento contrastados à retórica perversa utilizada pela maioria dos deputados brasileiros, pareceram-me oferecer um material muito rico para a construção de uma leitura crítica a respeito do atual momento histórico do país. Todos esses elementos podem impactar o espectador por uma via mais afetiva do que racional com a construção de uma visualidade expressiva e de uma sonoridade instigante”, finaliza o diretor Maurício Perussi.

Olfato56.JPG

Olfato
Com Paulo Barcellos, Marco Barreto, Melina Marchetti e Vivian Petri. 
Teatro Container da Cia. Mungunzá (Rua dos Gusmões, 43 – Santa Efigênia, São Paulo)
Duração 90 minutos
07 a 30/04
Sábado, Domingo e Segunda – 20h
$20
Classificação 16 anos

 

POESIA INSANA

Cantora e atriz Naíma celebra seus 25 anos de carreira com o lançamento de seu primeiro disco autoral Poesia Insana. Para obter singularidade sonora e pincelar com tons latinos sua MPB pop contemporânea, se utiliza de uma formação inusitada: 2 violões, baixo, guitarra e 2 percussões, que trazem elementos como o cajón, a cabaça africana e o bombo legüero.

No roteiro, as 12 faixas do disco e alguns covers com arranjos especiais para Esquadros (Adriana Calcanhotto), Ainda Bem (Marisa Monte), Escrito nas Estrelas (Tetê Espíndola) e  outras surpresas. O show contará com intérprete em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

naimailu.png

Poesia Insana
Com Naíma
Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 90 minutos
12/06
Terça – 21h
$40/$60
Classificação Livre

O ADVOGADO DE DEUS

O livro “O Advogado de Deus”, um dos mais emblemáticos romances de autoria de Zíbia Gasparetto e que já vendeu milhares de exemplares, volta aos palcos trazendo música, figurinos e o glamour da década de 50.

O enredo traz temas atuais como a ética na política e nos relacionamentos pessoais e profissionais e o imenso valor de um advogado corajoso e ético que defende um injustiçado em luta para restabelecer a justiça, reavendo o que é seu por direito. Além disso, aborda o conflito entre pais e filhos e o confronto de valores entre gerações.

A PRODUÇÃO

Este espetáculo encanta pela atualidade dos assuntos abordados, pela dramaticidade do enredo e pela produção. E para retratar uma época tão glamorosa a equipe de produção recriou mais de uma centena de figurinos da época, com roupas e sapatos originais, além do cuidado com objetos de cena como um grandioso móvel com rádio embutido.

A trilha sonora é um show à parte, com músicas encantadoras e inesquecíveis e até mesmo os famosos jingles de rádio e televisão. Além de duas canções interpretadas ao vivo e duas coreografias especialmente criadas para o espetáculo.

O elenco conta com 11 atores em cena que interpretam 20 personagens, e também participações especiais como Ronnie Von, em vídeo e Mamma Bruschetta, em off.

SINOPSE

No Rio de Janeiro, em 1951, uma época de muito romance e idealismos, Alberto volta da Inglaterra para lutar na justiça a fim de reaver uma herança e sua verdadeira identidade, Marcelo Camargo de Melo, roubadas por seu primo José Luís Camargo. Daniel Rezende é o jovem advogado idealista que aceita defender em juízo a causa de Alberto.

Muitos crimes foram cometidos para que a herança pudesse ficar em posse de José Luís Camargo, não só o sequestro de Alberto, mas também o assassinato de seus pais e de seu avô. Estes crimes ocorridos entre 1931 e 1933 envolvem muitos cúmplices e testemunhas que vão a julgamento em um caso que chocou a sociedade carioca.

O Advogado de Deus - Capa.jpg

O Advogado de Deus
Com Cássio Valero, Eduardo Sampaio, Fernanda Cunácia, Marcus Vinícius Máximo, Marisol Cordeiro, Maritta Cury, Marvin Tevian, Rick Conte, Rodrigo Giacomin, Rosa Guimarães e Tadeu Menezes. Participação especial Ronnie Von (em vídeo), Marcelo Pissardini, Arlete Montenegro e Mamma Bruschetta (todos em off).
Teatro Santo Agostinho (R. Apeninos, 118 – Liberdade, São Paulo)
Duração: 90 minutos
08/04 até 27/05
Domingo – 20h
$60
Classificação: Livre

[NOME DO ESPETÁCULO]

Vencedora do Prêmio do Humor 2018 nas categorias de Melhor Espetáculo , a versão brasileira do metamusical da Broadway [nome do espetáculo] volta ao cartaz para sua terceira temporada no Rio de Janeiro, a partir de 17 de abril, sempre  terça e quarta, às 19h, até 30 de maio de 2018, no Teatro Eva Herz, no centro do Rio de Janeiro.

Sinopse
O espetáculo é a história real (ou quase real) de Jeff e Hunter. Para participar de um festival, os dois escritores, com a ajuda de Susan, Heidi e Larry, precisam criar um musical em apenas três semanas. Com o elenco reunido, Jeff e Hunter fazem um pacto para escreverem até o prazo do festival e sonham com um espetáculo que mude suas vidas.

No elenco, Caio Scot [de The Book of Mormon], Junio Duarte [de The Book of Mormon e Jovem Frankenstein], Ingrid Klug [de O Mambembe], Carol Berres [de Contos e Encantos de Natal] e Gustavo Tibi [diretor musical e único músico em cena, da Banda Jamz], sob direção artística de Tauã Delmiro [de 60! Uma Década de Arromba, coautor das músicas de Vamp e diretor assistente de O Primeiro Musical aGente Nunca Esquece].

O espetáculo é a primeira montagem da CAJU produções, que tem à frente o ator e cineasta, Caio Scot e o ator e preparador vocal, Junio Duarte.  [nome do espetáculo] estreou no Solar de Botafogo, onde ficou em cartaz em novembro e dezembro de 2017. Em janeiro, a peça fez uma curta temporada no Centro Cultural da Justiça Federal.

[nome do espetáculo] faz sua terceira temporada no mesmo ano em que o musical americano completa uma década desde a estreia na Broadway, em 2008. Lá, [title of show] foi indicado ao Tony Award de Melhor Libreto de Musical.

A montagem brasileira foi indicada a quatro categorias do “Prêmio do Humor 2018”, idealizado pelo ator Fábio Porchat, levando os troféus de Melhor Espetáculo e o Prêmio Especial para versão brasileira. Foi também indicado a quatro categorias no “Prêmio Botequim Cultural”, incluindo Melhor Espetáculo.

[nome do espetáculo]
Com Caio Scot, Carol Berres, Junio Duarte, Ingrid Klug e Gustavo Tibi
Teatro Eva Hertz (Rua Senador Dantas 45 – Centro, Rio de Janeiro)
Duração 90 minutos
17/04 até 30/05
Terça e Quarta – 19h
$60
Classificação 14 anos

VALSA #6

Após ter recebido um público que lotou o Instituto Ling, um dos mais belos espaços de Porto Alegre, a enorme repercussão do espetáculo Valsa #6 exigiu passos mais ousados, que resultaram em uma grande turnê pelos principais teatros do país. As primeiras apresentações ocorrem no mês de Abril: São Paulo, dias 24 e 25, no Teatro Opus; Rio de Janeiro, dia 27, no Teatro Bradesco Rio e Recife, dia 29, no Teatro RioMar Recife. Em Maio o espetáculo retorna a capital gaúcha para apresentações dias 2 e 3, no Teatro do Bourbon Country e dia 10 encerra a turnê no palco do Teatro Feevale, em Novo Hamburgo. Os ingressos já estão à venda para todas as praças.

A peça Valsa #6 é menos parecida com um monólogo do que uma máquina de escrever com uma de costura. Uma atriz individuada, múltipla, que cabe nela a cidade inteira. Ela é todo o décor. Ela está morta. Portanto, livre do atribulado cotidiano, da tortura da vida. Ela trafega na serenidade da morte. O seu tormento é a presença ainda da vida, em sopros. Obra máxima do maior poeta dramático brasileiro, Nelson Rodrigues, se considerados os aspectos da complexidade dramatúrgica do mergulho na alma do ser humano e na expressão polifônica de tantas vozes que somos e desconhecemos.

As enormes cortinas que revestem o ambiente de branco se perdem na imensidão do urdimento, causando a sensação de um espaço etéreo; o jogo de sombras e os cheiros que envolvem a todos entregam aos presentes uma verdadeira experiência sensorial onde o público é parte integrante do espetáculo. O espectador poderá ser tocado, manipulado, terá que vestir uma roupa branca (fornecida pela produção), ficando coberto da cabeça aos pés – a necessária assepsia da morte. Uma jovem pianista viveu um sonho trágico. Eis a história que você vai vivenciar.

O olhar do diretor

A maior encenação da Valsa Nº6 de todos os tempos. O principal pesquisador da obra leva aos palcos a peça síntese do maior autor dramático brasileiro. A literatura, mais especificamente, a Menipeia (soma do diálogo socrático à tradição carnavalesca) percorreu longo caminho até ser libertada em vozes polifônicas pelas mãos de Dostoiévski. No teatro, este caudaloso rio chegou aos palcos por meio de Pirandello, com a peça “Seis Personagens à Procura de um Autor”. As margens do trágico haviam se unido, e no clarão provocado por esta aproximação, o surgimento de um teatro total, ou, se quiser, das raias do absurdo.

Aqui, por estas bandas, este anúncio foi feito por Nelson Rodrigues. Manuel Bandeira dizia de Nelson: “O que me dana é que ele consegue dar vida às suas personagens”. Outra coisa dita por Bandeira, é que Nelson era o nosso maior poeta dramático. A Valsa nº 6 (aqui tratada como Valsa #6) é, talvez, o maior poema dramático de Nelson. “Em nenhum outro texto ele foi tão preciso. O mesmo uso das rubricas de Samuel Becket”, avisa José Celso Martinez Corrêa. Mais um ponto de convergência entre estes dois mestres, precursores do teatro absurdo, é o fato de olhar pelo “buraco da fechadura” para de lá extrair uma verdade essencial, somente atingida através do delírio.

O campo onde impera uma super-realidade, o perturbador terreno do sonho. Aqui, a rigidez exigida pelo vigor poético nos alça a um deslimite, onde a própria vida é superada por uma existência além do seu esgotamento. Nelson dá vida à morte, desafiando esta discordância fatal. O excesso de personagens, criticado por ele na dramaturgia em geral, é resolvido, nesta peça, por uma atriz individuada, ao mesmo tempo, múltipla, cabendo nela a cidade inteira. Em número igual a Pirandello, Nelson coloca em cena seis personagens. Estão todos lá: a menina, que se transforma em mulher, a rival, o galã, a mãe, o pai e o doutor, mutilado de guerra. Todos a serviço da invenção diversificada da vida.

30712703_457086194725922_1617846448768942080_n

Valsa #6
Com Gisela Sparremberger
Participação especial: Gabriel Coelho
Participação em São Paulo: Viviane Pasmanter
Participação no Rio de Janeiro: Giulia Gam
Trilha sonora e participação ao vivo: Pedro Figueiredo
Teatro OPUS – Shopping Villa Lobos (Avenida das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros, São Paulo)
Duração 90 minutos
24 e 25/04
Terça e Quarta – 21h
$40/$100
Classificação Livre
 
PROGRAMAÇÃO DA TURNÊ
 
Dia 27 de Abril – Teatro Bradesco (RJ)
 
Dia 29 de Abril – Teatro Riomar (REC)
 
Dias 02 e 03 de Maio – Teatro do Bourbon Country (POA)
 
Dia 10 de Maio – Teatro Feevale (NH)
 
Apresentações sempre às 21h.
 
Após cada sessão, haverá bate papo com a equipe do espetáculo.

3 ANOS DE TEATRO PORTO SEGURO

As cantoras Zizi Possi Gal Costa são atrações do final de semana especial de comemoração de 3 anos do Teatro Porto Seguro, celebrado em maio. Na sexta, dia 4 de maio, o teatro recebe o show Zizi Possi Canta Chico e Edu, um passeio da intérprete pelo universo poético e sonoro desses dois grandes compositores da MPB, Chico Buarque e Edu Lobo.

No sábado e no domingo, dias 5 e 6 de maio, Gal Costa sobe ao palco com o show Espelho d`água, acompanhada pelo violonista e guitarrista carioca Guilherme Monteiro.

Além dos shows, no momento da compra do ingresso pelo site é possível escolher um combo promocional com desconto especial no jantar ou happy hour do Gemma Restaurante, localizado no Complexo Cultural Porto Seguro – Piso Térreo.

Zizi Possi_show chico e edu _foto Caio Gallucci.jpg

ZIZI POSSI CANTA CHICO E EDU

A cantora Zizi Possi faz show com repertório totalmente dedicado a Chico Buarque e Edu Lobo. No repertório, canções de parceria da dupla, e canções de cada um – fazendo ou não dupla entre si. É o caso por exemplo de Lero Lero (de Edu Lobo e Capinam) e Carolina (de Chico Buarque).

Há canções que foram gravadas por Zizi em participações especiais mas que nunca foram cantadas ao vivo, ou gravadas em seus próprios discos. É o caso de Com Açúcar com AfetoDuetoCantiga de Acordar, entre outras. Como não poderia faltar, há também as que são inéditas na voz da cantora como Ciranda da Bailarina e Lilly Brown.

A relação musical de Zizi com Chico Buarque e Edu Lobo vem de longa data. O primeiro LP da cantora, Flor do Mal, gravado em 1978, chamou a atenção de Chico Buarque, que a convidou para cantar no disco dele a canção Pedaço de Mim, em dueto. Em 1982, Zizi participou da trilha sonora composta para o Ballet do Teatro Guaíra, Curitiba, O Grande Circo Místico e interpretou a canção-tema do espetáculo. Dois dos discos mais emblemáticos de Zizi Possi têm em seus nomes, os nomes de canções da dupla: ³Sobre Todas as Coisas e Valsa Brasileira.

Promoção Restaurante Gemma

Válida somente para compras no site Tudus.

COMBO 1 – HAPPY HOUR GEMMA RESTAURANTE

Contém: 4 cervejas long necks Heineken ou Stella Artois + pizza Gemma (sabor mussarela ou calabresa com 8 fatias).

Valor: R$40,00 (valor com 40% de desconto para compras antecipadas pelo site Tudus).

Validade: Apenas para o dia da apresentação, 04/05, das 18h às 20h30.

Quantidade disponível: 50 vouchers.

Orientação: Entregar o voucher impresso no Gemma Restaurante.

COMBO 2 – JANTAR GEMMA RESTAURANTE

Contém: 1/2 garrafa (375 ml) de vinho tinto chileno Montgras Carmenere + 2 pratos de delicioso torteloni recheado de mussarela de búfala (molho de tomate fresco e manjericão ou branco). 

Valor: R$ 95,00 (valor com desconto de 30% para compras antecipadas pelo site Tudus).

Validade: Apenas para o dia da apresentação, 04/05, das 18:00hs as 20h30.

Quantidade disponível: 50 vouchers.

Orientação: Entregar o voucher impresso no Gemma Restaurante.

gal-costa

Acompanhada pelo guitarrista Guilherme Monteiro,  o roteiro se concentra nos temas que se tornaram clássicos na voz de Gal Costa. O repertório foi escolhido a quatro mãos pela cantora e pelo jornalista Marcus Preto, que também divide com Gal a direção do espetáculo. Desde a primordial Coração Vagabundo (Caetano Veloso), canção que abria o primeiro álbum de Gal, até alguns de seus maiores sucessos, como Folhetim (Chico Buarque), Vaca Profana (Caetano Veloso), Sua Estupidez (Roberto e Erasmo Carlos), Volta (Lupicínio Rodrigues) e Baby (Caetano Veloso).

Batiza o show Espelho d’Água, primeira parceria de Marcelo Camelo (Los Hermanos) com o irmão, o poeta Thiago Camelo. A canção está no disco Estratosférica, recém-lançado por Gal Costa. Apesar das características intimistas do espetáculo, Gal busca na guitarra e no violão de Guilherme Monteiro a mesma sofisticação de seus shows com banda, conciliando sempre delicadeza e intensidade.

Promoção Restaurante Gemma

Válida somente para compras no site Tudus.

COMBO HAPPY HOUR

Contém: 1 taça de espumante Salton Brut.

Valor: R$ 12,00 (valor com desconto de 25% para compras antecipadas pelo site Tudus).

Validade: Apenas para os dias de apresentação, 05/05 e 06/05, das 18:00hs as 20h30.

Quantidade disponível: 100 taças.

Orientação: Entregar o voucher impresso no Gemma Restaurante.

10338273_541660115976521_697126758245073461_n (1)

Zizi Possi Canta Chico e Edu
Com Zizi Possi
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 ­ Campos Elíseos – São Paulo)
Duração 70 minutos
04/05
Sexta – 21h
$140/$180
Classificação 14 anos
 
Espelho d`água
Com Gal Costa
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 ­ Campos Elíseos – São Paulo)
Duração 90 minutos
05 e 06/05
Sábado – 21h, Domingo – 19h
$180/$220
Classificação Livre

BEATLES NUM CÉU DE DIAMANTES

Ao completar 10 anos de sucesso, o musical ‘Beatles Num Céu de Diamantes’ realiza uma temporada comemorativa na reinauguração do Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea.

‘Beatles Num Céu de Diamantes’, da dupla Charles Möeller & Claudio Botelho, é um fenômeno teatral. Em cartaz desde 2008, o espetáculo já foi visto por mais de 700 mil espectadores em 16 temporadas, com apresentações no Rio e São Paulo, em turnêspor diversas cidades do Brasil e no exterior, como em Lyon, na França.

O espetáculo é uma revista musical com a obra dos Beatles. Sem exatamente um enredo único, mas apontando diversas pequenas histórias e situações interpretadas a cada canção, o espetáculo traz clássicos e músicas do ‘lado b’ do mítico grupo inglês. É um passeio da dupla Möeller & Botelho por um dos repertórios mais ricos da música popular mundial, criado na década de 60.

No palco, oito atores-cantores e três músicos apresentam uma teatral e emocionante visão sobre a mais forte invenção da música popular nos últimos 50 anos: a obra dos Beatles.

Com poucos recursos cênicos, e sem texto propriamente dito, a música é a grande protagonista do espetáculo, com suas letras originais em inglês. As canções são rearranjadas para a linguagem do teatro musical e agrupadas em temas como o sonho, a fuga, a descoberta, os encontros, a decepção, o amadurecimento e a volta. Não há um único número no estilo “cover de Beatles”, não vemos uma biografia do grupo, mas uma viagem pelas canções e o que elas remetem ao nosso imaginário.

Beatles Num Céu de Diamantes
Com Analu Pimenta, Camilla Marotti, Chris Penna, Eline Porto, Ester Freitas, Jules Vandystadt, Rodrigo Cirne, Sergio Dalcin e os músicos André Guerra, Lui Coimbra e Tony Lucchesi.
Teatro Clara Nunes – Shopping da Gávea (R. Marquês de São Vicente, 52 – Gávea, Rio de Janeiro )
Duração 90 minutos
06/04 até 13/05
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h
$100
Classificação Livre