ARTAUD, LE MÔMO

Artaud, Le Mômo é um monólogo teatrocoreográfico multimídia de Maura Baiocchi e Taanteatro Companhia sobre a vida e obra de Antonin Artaud. A linha mestra da dramaturgia é “o problema da liberdade autêntica”. Mostra a luta do poeta e ator francês Antonin Artaud contra a institucionalização das formas de vida e a sua tentativa de conquistar um corpo soberano. A meticulosa encenação combinada com uma trilha sonora vigorosa e  mapping de projeções convidam o público a vivenciar intensamente o universo lúdico-alucinatório do criador do teatro da crueldade.

Em São Paulo, estreou em agosto de 2016 no Teatro da Aliança Francesa  por ocasião do 120º aniversário de Antonin Artaud (1896-1948). Na França, em outubro do mesmo ano, estreou na Capela Paraire, edifícação remanescente do manicômio de Rodez onde Artaud permaneceu internado de 1943 a 1946.

A repercussão positiva vem motivando sucessivas reestreias dentro e fora do Brasil. Recentemente estreou em Córdoba/Argentina. De 07 a 28 de julho (somente às sextas feiras) realiza curta temporada no Teatro Viga Espaço Cênico/ São Paulo e em novembro voltará a fazer apresentações em Paris e em dezembro estreia em Berlim.

 Na mitologia grega, Momo é uma divindade nascida de Nix, a Noite. Expulso do Olimpo por criticar os outros deuses, Momo é a personificação do sarcasmo, das burlas, da zombaria e das grande ironias. Comparável à função do palhaço ou do bufão.

Inspirado em textos como – As novas revelações do serVerdadeira história de Artaud, o Momo; Supostos e Supliciações; A face humana; O homem árvore– o espetáculo encena a atualidade da poética artaudiana diante de nossos conflitos sócio-políticos e culturais.

E o conflito entre a América e a Rússia, mesmo multiplicado por bombas atômicas, pouca coisa será, face ao outro, que irá, de um só golpe disparar, entre os mantenedores e uma humanidade digestiva por um lado e por outro, o homem da vontade pura e seus raros seguidores, mas que têm por si a força eterna.” A. Artaud

Artaud, Le Mômo - Foto Lenise Pinheiro.JPG

Artaud, Le Mômo
Com Maura Baiocchi
Viga Espaço Cênico (Rua Capote Valente, 1323 – Pinheiros, São Paulo)
Duração 90 minutos
07 a 28/07
Sexta – 21h
$40
Classificação 14 anos

ARTAUD, LE MÔMO

O espetáculo “Artaud, le Mômo” estreou em 2016 no Teatro da Aliança Francesa para comemorar o 120º aniversário de Antonin Artaud (1896-1948).   A seguir foi apreciado em curta temporada no Teatro Sérgio Cardoso.

A nova temporada do espetáculo, entre 10 de março e 2 de abril de 2017, na Funarte São Paulo, dará ao público paulista a oportunidade de vivenciar a elaboração meticulosa e abusada do universo alucinatório do poeta surrealista. Inspirado em textos artaudianos selecionados – As novas revelações do ser; Verdadeira história de Artaud, o Momo; Supostos e Supliciações; A face humana; O homem árvore, entre outros – o espetáculo demonstra a atualidade da poética artaudiana diante dos conflitos sócio políticos, econômicos e culturais em tempos globais.

“Artaud, le Mômo” confronta os “mantenedores da ordem do lucro das instituições sociais e burguesas”, os agentes das guerras e todas as formas de “escravidão contemporânea” com um combate em favor da “liberdade autêntica” do ser humano criativo.

Sinopse

“Artaud, le Mômo” é um espetáculo teatrocoreográfico de Maura Baiocchi sobre a vida e obra de Antonin Artaud. A linha mestra da dramaturgia é “o problema da liberdade autêntica”. Mostra a luta do poeta francês contra a institucionalização das formas de vida e sua tentativa de conquistar um corpo soberano. ARTAUD, LE MÔMO mistura dança, voz, música e vídeoarte. A equipe de criação consiste de artistas do Brasil, Alemanha e Argentina.

“Artaud, le Mômo” é uma síntese e um processo antropofágico da coreografia desenvolvida em cARTAUDgrafia, trilogia dirigida por Wolfgang Pannek e que traduz dimensões específicas da produção artaudiana – as crises do espírito, da cultura e da linguagem – relativas ao problema da representação no Ocidente.

Na mitologia grega, Momo é uma divindade nascida de Nix, a noite. Expulso do Olimpo por criticar os outros deuses, Momo é a personificação do sarcasmo, das burlas, da zombaria e das grandes ironias.  Comparável à função do palhaço ou do bufão.

Maura Baiocchi conta com uma equipe internacional e multidisciplinar: o alemão Wolfgang Pannek, co-diretor da Taanteatro, na dramaturgia, os argentinos Onofre Roque Fraticelli e Candelaria Silvestro na criação das vídeo-animações e os brasileiros Gustavo Lemos na trilha sonora e Eduardo Alves no desenho de luz. A encenação integra o projeto Taanteatro 25 Anos e tem o suporte do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Artaud, Le Mômo
Com Maura Baiocchi
Funarte São Paulo – Sala Renée Gumiel (Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 90 minutos
10/03 até 02/04
Sexta e Sábado – 19h; Domingo – 18h
$20
Classificação 12 anos
 
Direção, teatrocoreografia, performance e figurino: Maura Baiocchi
Dramaturgia e cenário: Wolfgang Pannek, Maura Baiocchi
Trilha sonora: Gustavo Lemos
Desenho de luz: Eduardo Alves
Videos: Onofre Roque Fraticelli, Candelaria Silvestro, Paula Alves, Bruna de Araujo
Produção: Wolfgang Pannek, Mônica Cristina Bernardes