TRILOGIA DA CIA DO RUÍDO

Uma assassina em potencial, uma noite de Natal em família e uma série de abusos sequenciais: esses são os enredos da trilogia da Cia. Do Ruído, com dramaturgia de Carol Rainatto. Em “Oito Balas”, Marion e Jean se encontram em situações limite e discutem seus atos perante a visão de uma sociedade hipócrita. Já em “Meia noite, feliz Natal” a família Assumpção chega ao estopim das brigas e protocolos familiares nesta noite tão celebrada. E por fim, “Cerbera” reúne personagens que estão em conflito direto com suas verdadeiras essências.

A trilogia e temáticas foram desenvolvidas a partir de preceitos, conceitos, doenças, questões sexuais, obscuridade e profundidade. O labirinto de composições e este ser humano que o habita. O impulso da ação imediata. Oito Balas, Meia noite feliz Natal e Cerbera carregam consigo uma classe média sem coragem de assumir suas perversões, que são usualmente escondidas em seus discursos libertários. A hipocrisia é uma constante na linha do raciocínio das personagens que se encontram em verdadeiras situações de desespero, cada qual em seu âmbito, campo e espaço de situação. Uma concepção crua e de matéria bruta, encontrada até mesmo na cenografia aderida por cada uma das peças, desde sua estética à composição.

Dores humanas são expostas e vividas de forma intensa em cada uma das trajetórias. A contradição, a dualidade, a invenção de si.  As dramaturgias levantam pontos cotidianos. A visão do público é colocada em direta intimidade com as tramas colocadas. Os jogos de organização e desorganização estética jogam diretamente com a contrariedade da realidade da mente de cada um dos personagens, que possuem uma desestruturada e desorganizada psique.

A ironia plantada e semeada dispõe um jogo que se ofusca entre o patético, a comicidade banal, os assuntos velados, os falsos segredos, a sedução e a poesia assustadora. A explicitação de uma sociedade contemporânea deformada, sempre no limite entre a loucura e a morte.

Sinopses

Meia Noite, Feliz Natal

É noite de natal, e a família Assumpção te convida a espiar pela fechadura. Os filhos de Dona Martha se reúnem pela primeira vez sem sua presença e não imaginam que esta noite pode ser o estopim para a família. Em momentos em que a celebração e a nostalgia se encontram, ou sai briga, ou sai festa… Ou saem os dois. Conflitos e revelações muito pessoais vêm à tona ao som dos brindes natalinos. Bem-vindos a MEIA NOITE, FELIZ NATAL.

Cerbera

Planta venenosa. Divulgada vulgarmente como: “a arma do crime perfeito”. Uma vez usada para fins obscuros, pode inclusive matar por intoxicação sem deixar quaisquer vestígios. Em Cerbera, o público é convidado a observar mais claramente questões das quais, muitos de nós, infelizmente ainda não querem ver, ouvir, ou participar. Relações que ainda desafiam nossa compreensão como seres vivos entrelaçam todos esses personagens.

Oito Balas

Um bar decadente. Este é o cenário do encontro de dois seres enigmáticos prontos a explodirem segredos em um jogo psicológico que vai te provar que a mente humana é um grande poço sem fundo. Marion e Jean permitem que os espectadores tirem suas próprias conclusões e julguem a suas histórias. Assassinato, traições e mentiras estão prontos a emergir.

CARMEN.png

Meia Noite Feliz Natal
Com Beto Schultz, Carol Rossi, Ynara Marson, Rodrigo Castro, Victória Blat, Eliot Tosta, Frederico Vasques e Mariana Spinola
SP Escola de Teatro (Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação, São Paulo)
Duração 75 min
19, 20, 21 e 22/10
Sexta, Sábado e Segunda – 21h, Domingo – 19h
$40
Classificação 14 anos
 
 
Cerbera
Com Beto Schultz, Carol Rainatto, Carol Rossi, Ynara Marson e Rodrigo Castro
SP Escola de Teatro (Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação, São Paulo)
Duração 80 min
26, 27, 28 e 29/10
Sexta, Sábado e Segunda – 21h, Domingo – 19h
$40
Classificação 16 anos
 
 
Oito Balas
Com Carol Rainatto e Mateus Monteiro
SP Escola de Teatro (Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação, São Paulo)
Duração 50 min
01, 02, 03 e 04/11
Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h
$40
Classificação 14 anos

POR TRÁS DAS MÁSCARAS

Os mais de vinte anos de carreira do brasiliense Saulo Vasconcelos, ator, cantor e dublador que ficou especialmente conhecido por seus muitos trabalhos no teatro musical brasileiro, ganharão uma adaptação literária. Lançada pela Chiado Books, chega às livrarias a partir de 16 de outubro a biografia intituladaPor Trás das Máscaras” – uma alusão à dedicada vida de artista, construída com muitas camadas e histórias pelos palcos dentro e fora do país.

O protagonista de grandes superproduções como “Les Misérables”, “A Bela e a Fera”, “O Fantasma da Ópera”, “Aida”, “A Noviça Rebelde” e “Mamma Mia”, e que brilhou ainda em sucessos como “Cats”, “Priscilla, Rainha do Deserto”, “A Madrinha Embriagada”, “O Homem de La Mancha” e “Forever Young”, tem sua história partindo de 1997, quando após uma viagem à Londres, onde assistiu a sete musicais em quatro dias, se viu transformado pela arte da qual nem sonhava viver. Disposto a batalhar por um gênero que ainda se instalaria no Brasil, participou de musicais amadores em sua cidade e iniciou os estudos de canto com o Maestro Marconi Araújo, seu grande professor, e com o ator Sandro Christopher – que sempre o estimulou a seguir em frente -, adentrando assim ao promissor universo dos musicais.

Tendo sua grande estreia em solo internacional, Saulo estrelou a montagem mexicana de “O Fantasma da Ópera” em 1999, no papel título, e só dois anos depois passou a conquistar os principais protagonistas de seu país, tendo como o maior desafio aprender a emendar tantos espetáculos sem perder o frescor e a intensidade de dar vida a figuras icônicas, conhecidas do cinema ou da literatura. “Lembrar que fui o Fantasma, a Fera, Inspetor Javert, Capitão Von Trapp, que estive no elenco de Cats, me dá um arrepio no coração, uma onda de amor e gratidão sincera pelo que a vida me deu. Todos foram de extrema importância para o meu crescimento pessoal e artístico”, avalia.

Contando com o apoio da esposa, dos amigos mais próximos e da família, Saulo decidiu eternizar sua trajetória após reunir as principais memórias em um dossiê de quase 300 páginas, que até então serviria para tirar o visto canadense. Com mais de 40 anos revisitados, tamanha dedicação acabou originando a ideia da biografia, que, com uma estrutura dividida em oito capítulos, parte da infância e relata suas relações familiares, a descoberta da arte, as formações, a mudança de Brasília para São Paulo, experiências no exterior, as dificuldades da carreira, os grandes papéis, a vida de pai e marido, chegando até uma reflexão atual, de como vê e sente seu amor pelos palcos. Grandes nomes dos teatro musical brasileiro também ganham espaço entre um capítulo e outro, entre eles a Stage Manager Leslie Pierce, e os atores Sara Sarres, Marcos Tumura, Kiara Sasso e Cleto Baccic.

Cada personagem representa uma máscara. Me coloco na pele de outra pessoa, outra personalidade. Por isso é “Por Trás das Máscaras” no plural e não no singular. Foram muitas alegrias e aventuras. Teatros, colegas, cenários grandiosos, cenários simples, camarins, públicos. E há também a máscara que diferencia a personagem do homem, ou até mesmo a máscara que coloco quando me posiciono como figura pública. É uma grande metáfora”, explica sobre a escolha do título do livro, que nasce após uma campanha virtual.

Desenvolvido a partir de um financiamento coletivo, Saulo teve o valor necessário atingido – e ultrapassado – antes mesmo do término do prazo, tamanha aceitação e valorização das pessoas o encorajou a seguir em frente com este e tantos outros projetos, e para celebrar, o artista, junto a editora Chiado, realiza o lançamento oficial do livro no dia 16 de outubro, na Livraria Cultura, em São Paulo, onde aproveita o momento para realizar ainda um pocket show, cantando alguns dos grandes momentos descritos nas mais de 150 páginas.

O livro tem a pretensão de ser leve, divertido, talvez emocionante e, quem sabe, inspirar alguém de alguma maneira, pois entendo que no ramo artístico o talento é apenas um dos N fatores necessários para a prosperidade e sucesso. E acho que estive no lugar certo, na hora certa, na época certa, quando, em 1999, estava em São Paulo. Entendo ainda mais que, a melhor coisa que o artista, o verdadeiro artista, pode fazer, é seguir firme e positivo no seu propósito de servir a arte, com alegria no coração”, finaliza.

Para garantir o seu exemplar na pré-venda, acesse:

Livraria Cultura

Livraria Martins Fontes

Capa - Por Trás das Máscaras PNG.png

Por Trás das Máscaras

Autor: Saulo Vasconcelos

Editora: Chiado Books

Edição: 1ª

Ano: 2018

Valor: R$39,00

Idioma: Português

Categoria: Biografia

Especificações: Brochura

Páginas: 168

ISBN: 978-989-52-3894-1

Peso: 0,2kg

Dimensões: 14x22cm

Papel: Pólen – 80g

Impressão: Chiado Print

Pocket Show e Lançamento do Livro “Por Trás das Máscaras”

Livraria Cultura – Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2073 – Consolação – São Paulo)

16/10

Terça – a partir das 19h

*Pocket Show 19h às 19h45 – gratuito aberto ao público.

**Autógrafos 20h às 22h – serão distribuídas na loja 120 senhas (uma por pessoa) à partir das 9h do dia 16.

E COM UM BEIJO… EU MORRO

Um jogo cênico para celebrar a morte com a própria morte, ágil, divertido que buscasse no pós-dramático a referência estética e nos textos de Shakespeare a principal referência dramatúrgica. Foram estas as bases de criação do coletivo Bobik & Sofotchka, formado na Alemanha por Márcia Nemer, para compor ‘E, com um beijo…Eu morro’, que está em cartaz, de 21/09 a 22/10, sextas, sábados e segundas, às 21h e domingos, às 19h, na SP Escola de Teatro, sede Roosevelt.

A peça traz ao palco as mortes escritas por Shakespeare em um jogo cênico composto de uma sucessão de vidas interrompidas, totalmente descontextualizadas. Os personagens das 68 mortes escolhidas para entrar em cena (e que foram escritas para acontecer no palco) vão sendo revelados por seus nomes, e pelas palavras finais de cada um deles (como a célebre despedida de Romeu, que dá nome à peça).

Partimos da ideia de provocar e intrigar o espectador, fazendo nascer nele o desejo de conhecer mais da obra de um dos maiores artistas que a humanidade já produziu’, complementa.

‘E, com um beijo…Eu morro’ começou a ser desenhada na ocasião das comemorações dos 400 anos de morte do dramaturgo William Shakespeare (Stratford-upon-Avon, 1564-1616). Os estudos realizados pelo grupo propiciaram um profundo mergulho na obra do bardo inglês que escreveu incessantemente mais de 100 cenas de morte em suas 38 peças. “O espírito do Soneto 71, que diz: “Não lamente por mim quando eu morrer” foi o que norteou a dramaturgia, diz Marcia Nemer, diretora da peça.

Na peça, o público vai saber de curiosidades como: das 118 mortes escritas por W. Shakespeare, 50 foram fora de cena e 68 no palco. Por faca ou espada, 51, 9 suicídios, sendo 3 por veneno e um por “cobra no peito”, 3 de envenenamento por engano, 1 por sufocamento, 3 em peças dentro de peças, 2 por velhice e 1 por doença.

CARMEN (2).png

E, com um beijo…Eu morro

Com Alexcia Custódio, Daíse Neves, Samira Lochter

SP Escola de Teatro – sede Roosevelt (Praça Franklin Roosevelt, 210, Consolação – São Paulo)

Duração 40 minutos

21/09 até 22/10

Sexta, Sábado e Segunda – 21h, Domingo – 19h

$20 (somente em dinheiro)

Classificação Livre

A CASA DA BERNARDA ALBA

A aclamada peça de Federico García Lorca, em uma surpreendente adaptação feita só com homens, nos leva ao pequeno povoado de Andaluzia, em uma Espanha pré-guerra civil.

A sociedade é machista e o nome e a honra contam mais do que a vida e os prazeres carnais. A austera Bernarda Alba fica viúva pela segunda vez, e, segundo suas ordens, suas filhas terão de viver um luto de oito anos em regime de clausura.

Bernarda tem cinco filhas e todas se interessam por um único homem do vilarejo, que é prometido à filha mais velha: Angustias. Numa trama de intrigas e amargura, as filhas são quase como soldados, e se digladiam longe dos olhos da mãe.

Nessa montagem especial, homens interpretam essas mulheres sem amantes, mostrando o quão brutas e fortes podem ser as personagens de Lorca que metaforizam os soldados da guerra civil espanhola e a oposição à ditadura.

CARMEN

A Casa de Bernarda Alba

Com Rafael Mallagutti, Pedro Ruffo, Joaquim Araújo, Victor Garbossa, Caio Baldin, Bruno Akimoto, Renan Rezende, Miguel Langone, Cleber Cley Braz, João Pedro Uvo, Leonardo Malinowski, Lucas de Campos e Miguel Langone

Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação, São Paulo)

Duração 90 minutos

29/09 até 27/10

Sábado – 21h

$60

Classificação 12 anos

GLITTER COMEDY – NOITE DE TESTE

Nova noite paulistana para velhos e novos comediantes, “Glitter Comedy” surgiu para trazer diversidade as noites de comédia onde o MC é uma Drag Queen. Rodrigo Habermann da vida a Willy Drag, que já participou de programas de tv e em parceria com a página “Menino Gay” foram os vencedores do desafio Unaids 2018, atuando também com animação e Stand Up Comedy em diversos eventos. A noite de humor será no coração da diversidade de São Paulo, praça Roosevelt que tem ótima localização e fácil acesso para todos os públicos no Bambolina Bar.

Os personagens das noites sempre são uma surpresa, sempre pensando na diversidade humorística, cada um deles irá trazer sua visão para fatos do cotidiano de forma espontânea e cada um com sua particularidade, “Glitter Comedy” tem os mais diversos ingredientes que vai contagiar e tirar muitas risadas da plateia.

Indiscretissimos4.png

Glitter Comedy – noite de teste

Com Willy Drag

Bambolina Bar (Praça Franklin Roosevelt, 124 – Consolação, São Paulo)

Duração 120 minutos

21/08 até 27/11 (sessões quinzenais)

Terça – 20h

$5

Classificação 18 anos

ROMEU E JULIETA

Sucesso de público e crítica durante temporada de estreia, com público de mais de 50 mil espectadores no Rio de Janeiro, Romeu e Julieta, em formato inédito no país para o clássico de William Shakespeare, chega ao Teatro Frei Caneca no dia 10 de agosto. Com direção de Guilherme Leme Garcia (Um Pai – Puzzle), o roteiro musical do espetáculo é composto por 25 canções do repertório de Marisa Monte, tanto de sua carreira solo quanto do projeto Tribalistas, como “Amor I Love You”, “Beija eu” e “Não Vá Embora”. Apresentado pelo Ministério da Cultura e Circuito Cultural Bradesco Seguros, o espetáculo é assinado pela Leme Produções Artísticas, em parceria com a Aventura Entretenimento. O musical conta com o patrocínio da Altas Schindler e Riachuelo e o apoio do BMA Advogados e do CNA. Os ingressos estão à venda no site do Ingresso Rápido.
 
Contamos com uma equipe de criadores incríveis para encantar o público, contando a história trágica do amor de dois jovens, obra imortal da literatura. Tivemos uma linda temporada no Teatro Riachuelo Rio e esperamos ser igualmente bem recebidos em São Paulo”, comenta Aniela Jordan, sócia-diretora da Aventura, ao lado de Fernando Campos, Luiz Calainho e Patrícia Telles.
 
A tragédia escrita entre 1591 e 1595, nos primórdios da carreira literária do inglês, conta a história de dois adolescentes apaixonados cuja morte acaba unindo suas famílias, outrora em pé de guerra. A obra é uma das mais levadas aos palcos do mundo inteiro e hoje o relacionamento dos protagonistas é considerado como o arquétipo do amor juvenil.
 
Histórias de amor sempre têm um lado melancólico, triste, mas, como todos sabem, Romeu e Julieta é a mais bela história de amor que já existiu”, comenta o diretor. “Eu assisti uma montagem do Antunes Filho há 30 anos, em São Paulo, e desde então fiquei totalmente emocionado. Sempre quis falar de Shakespeare para os jovens e trazer essa galera nova para o teatro. O espetáculo é atemporal, mistura o texto de 1500 com a música dos anos 2000, além de um figurino e um cenário que circulam entre esses tempos”.
 
A equipe criativa do espetáculo conta ainda com craques como a cenógrafa Daniela Thomas, uma das responsáveis pela Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, e o estilista João Pimenta, que desfila suas criações na São Paulo Fashion Week. A atriz Vera Holtz assina como “colaboradora artística”, tendo participado da preparação do elenco, e a adaptação da obra e o roteiro musical são da dupla Gustavo Gasparani, vencedor do Prêmio Shell, e do dramaturgo Eduardo Rieche. O visagismo é de Fernando Torquatto, um dos maquiadores e fotógrafos mais requisitados do país, referência no assunto beleza.
 
A direção musical é do produtor Apollo Nove e a direção vocal de Jules Vandystadt. Renato Rocha, diretor de Ayrton Senna, O Musical, é o responsável em preparar os atores para as lutas de espadas que acontecem durante o espetáculo. Ele trabalhou durante um longo tempo com a “Royal Shakespeare Company”, uma das companhias de teatro mais importantes do Reino Unido.
 
O jovem e apaixonado casal é interpretado por Bárbara Sut (Rio Mais Brasil – O Nosso Musical) e Thiago Machado (Cazuza, Rent, Rocky Horror show, Cantando na Chuva). O elenco traz ainda nomes como Ícaro Silva (Rock in Rio – O Musical, Simonal, Elis, a Musical), no papel de Mercuccio, Pedro Caetano (Rei Leão, Les Misérables), como Teobaldo, Bruno Narchi (Rock in Rio – O Musical, Cazuza, Cinderella, Rent), interpretando Benvoglio, Stella Maria Rodrigues (Cristal Bacharat, Cazuza, Emilinha), como a carismática Ama, Claudio Galvan (Família Addams, Garota de Ipanema – O Amor É Bossa), o Frei, Kacau Gomes (Rock in Rio – O Musical, Beatles num céu de diamantes, O médico e o monstro, Les Misérables) e Marcello Escorel (A Grande Viagem do Doutor Tchecov, Cheiro de Chuva, Vaidades e Tolices).
 
É uma personagem que já não imaginava fazer. Teve uma peça na escola que me colocaram para fazer a Ama. Todas as meninas fizeram a Julieta, mas eu era muito alta. Teoricamente eu também não tenho o perfil do que se espera de Julieta, né? Itália medieval, uma Julieta negra? Por isso também me sinto muito honrada de ter essa oportunidade, é um papel que eu pensava ser meio inacessível para mim”, confessa Bárbara.
 
Já conhecido de musicais como Cantando na chuva, Thiago comenta sua primeira vez ao interpretar um texto de Shakespeare: “Eu acho que todo ator não só almeja, mas tem que viver pelo menos uma vez o teatro Shakespeariano. E contar a história do Romeu com a Julieta, que é a maior história de amor que tem, ainda mais na linguagem do teatro musical, está sendo uma aventura muito grande!”.
 
Para Guilherme Leme Garcia a escolha do repertório veio com naturalidade. “Quando comecei a pensar no espetáculo ele não era nem musical, na verdade. Mas, toda vez que eu ouvia Marisa, eu pensava ‘Nossa, essa canção ficaria tão linda nessa cena’. Quando o Gustavo Gasparani, que entrou para fazer o processo de criação, propôs que o espetáculo fosse inteiro com músicas da Marisa, topei na hora!
 
Sou muito próximo da Marisa e o meu universo se aproxima muito do dela”, comenta Gasparani. A ideia teve o aval de Aniela Jordan: “As canções casam como se tivessem sido escritas para a peça”, completa.
 
Romeu e Julieta é a vigésima quinta produção da Aventura Entretenimento e marca os 10 anos de estrada da empresa.
 
CARMEN (2).png
Romeu e Julieta
Com Bárbara Sut, Thiago Machado, Ícaro Silva, Stella Maria Rodrigues, Claudio Galvan, Marcello Escorel, Kacau Gomes, Bruno Narchi, Pedro Caetano, Diego Luri, Kadu Veiga, Max Grácio, Neusa Romano, Gabriel Vicente, Laura Carolinah, Luci Salutes, Saulo Segreto, Thiago Lemmos, Gabi Porto, Santiago Villalba, Daniel Haidar, Jorge Neto, Lara Suleiman, Marcelo Ferrari e Juliana Gama
Teatro Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo)
Duração 150 minutos
10/08 até 21/10
Sexta – 20h30, Sábado – 16h e 20h, Domingo – 19h
$75/$200
Classificação Livre

DESTRUINDO AVELÃS

Cenas cortantes compõem o espetáculo noir Destruindo Avelãs.

Destruindo Avelãs é uma coletânea de sete cenas independentes que possuem em comum a investigação da contradição humana inserida numa estética inspirada no cinema noir. Personagens são enganados pelo mundo e por eles próprios, sempre em situações transformadoras. Guerrilha, incesto, hipocrisia, abuso, carência afetiva, maternidade e censura são alguns dos temas abordados no espetáculo.

Com a caixa cênica vazia, os espaços vão sendo desenhados pela iluminação e pelas projeções das ilustrações da artista plástica Alessa Menezes. A dramaturgia foi criada e desenvolvida pela direção e o elenco durante o período em que ficaram imersos no CPT – Centro de Pesquisa Teatral, coordenado pelo diretor Antunes Filho.

CARMEN

Destruindo Avelãs

Com Caio Menck, Camila Flores, Larissa Matheus e Vinícius Martins

Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação, São Paulo)

Duração 50 minutos

27/07 até 31/08

Sexta – 23h59

$40

Classificação 14 anos