ELO

ELO, trabalho inédito do T.F.Style Cia de Dança, fará sessões dias 9 e 10 de novembro, sábado e domingo, às 17h, na área de convivência do Sesc Santo Amaro. Descrito pelo grupo como uma “proposição poética para espaços alternativos”, a peça foi criada coletivamente pelo elenco, uma proposta que dá continuidade aos processos de pesquisa das duas últimas obras do núcleo: Sob a Pele (2016) e Carne Urbana (2017). A concepção e direção são de Igor Gasparini, que também está em cena.

Empenhado em propor um pensamento contemporâneo do hip hop, o T.F.Style aprofunda com ELO questões que tem sido trabalhadas pela companhia nos últimos anos. “Na instalação coreográfica Carne Urbana decidimos romper com a lógica do palco italiano e trazer o público para a cena, deslocando-se pelo espaço, aproximando e afastando das proposições cênicas. Isso fez com que pensássemos uma dança em 360º, para ser vista de qualquer ângulo e espaço. Com ELO, aprofundamos essas possibilidades de encontro com o público em um espaços múltiplos”, conta Igor.

Segundo o diretor, a escolha de apresentar o trabalho em espaços alternativos e traçar um diálogo imediato com o público e com o local reforçam as relações que precisam ser construídas por meio do afeto e do encontro. “O trabalho apresenta uma porosidade possível para cada lugar que ocupar. Nosso entendimento de ELO não tem relação com corrente, que aprisiona, mas com algo que espirala – um laço, uma fita, algo que pode ser feito, desfeito e enroscado”, diz.

A companhia, que também está circulando por outros espaços com a instalação coreográfica Carne Urbana, parte da linguagem das danças urbanas para propor atualizações e investigações sobre a linguagem. Ainda assim, a proposta atual é a de prezar pela diversidade e pelo entendimento sobre o que cada corpo tem, a partir de suas individualidades e subjetividades, para contribuir com a elaboração do trabalho.

Release

Eu, que somado ao outro, crio o entendimento de nós: desatados, desacorrentados, mas unidos pelo brincar, pelo mover, pelo afeto. ELO configura-se como uma proposição poética para espaços alternativos que dialoga corpo, arquitetura e público em busca de outro olhar para a cidade, habitando o invisível. Qual a urgência deste corpo hoje? Contra a pulsão de morte, só o atrito que gera empatia e alteridade. Um exercício para tornar visível uma perspectiva da cidade pelo encontro com o outro.

Corpos em desvios poéticos que buscam a anarquia dos afetos. Um pulsar pela empatia. É o sorriso como convite e o corpo como morada do outro. O que sensibiliza? Como você exercita a empatia? Tocar foi, ainda é, e para sempre será, a verdadeira revolução. Nem ele, nem ela. ELO.

FACE (1)

ELO

Com Arthur Alves, Igor Gasparini, Lucas Pardin, Luiz Paulo Raguza, Marcia Marcos, Maria Emília Gomes, Maju Kaiser, Pasha Gorbachev, Natália Moura e Ruan Trindade

SESC Santo Amaro – Espaço de Convivência (R. Amador Bueno, 505 – Santo Amaro, São Paulo)

Duração 45 minutos

09 e 10/11

Sábado e Domingo – 17h

Grátis

Classificação Livre