PARADA DAS LUZES

Idealizado pelos produtores Taís Somaio (Valentina Produções) e Fernando Vieira (Vagalume Light Performance), a capital paulista recebe a 1ª Parada das Luzes nos dias 14 e 21 de dezembro, com saída em frente ao Shopping Light para um desfile pelo centro da cidade a partir das 18 horas. A Parada das Luzes faz parte do projeto Festival de Natal de São Paulo e acontece no Triângulo SP, que traz um recorte especial do centro paulistano onde se situam os principais prédios históricos da cidade, entre eles o Largo São Bento, Pateo do Collegio e Largo São Francisco.

Levando a magia do Natal através de um espetáculo surpreendente, único e emocionante, artistas e bailarinos desfilam interpretando 60 personagens do mundo imaginário caracterizados como Fadas, Cristhmas Girls, Duendes, Soldados, Bailarinas, Flocos de Neve, Príncipes, Reis e Rainhas, Papai e Mamãe Noel entre outras criaturas mágicas iluminadas por centenas de lâmpadas. Os figurinos, confeccionados na Alemanha, chegam a pesar 15 quilos cada um e são feitos à mão, com aplicação de pedraria e luzes de led, cerca de 200 a 400 em cada roupa, que somam aproximadamente 20 mil lâmpadas.

Paulista de Guarulhos, Fernando Vieira, que vive na Alemanha, em Colônia, há 20 anos, é apaixonado por circo e teatro e idealizou o projeto nas ruas da Alemanha. Na época teve a ideia de reciclar os figurinos e iluminá-los com o maior número possível de lâmpadas de led. Graduado pela Escola Internacional de Circo em São Paulo onde ganhou experiência no palco, no cinema e na televisão, realiza com uma equipe internacional e multidisciplinar performances e shows em diversos festivais e parques temáticos em toda a Europa, como: Bélgica, Alemanha, Estônia, Islândia, Itália, Portugal, Escócia, entre outros.

Recolhi vários figurinos em teatros alemães. Eram figurinos usados em óperas. Dei a eles novas cores, novos formatos e acrescentei as luzes. Em cada figurino aplicamos cerca de 200 a 400 lâmpadas. Em 2004 começamos a viajar a Europa. Esse tipo de evento é muito tradicional por aqui e une música e performances teatrais e circenses.” Conta Fernando. No Brasil, Fernando, em parceria com a também produtora Taís Somaio, somaram forças para realizar a primeira edição da parada na capital.

Valentina Produções trouxe o projeto para o Brasil em 2017. Percorremos diversas cidades brasileiras e agora é o momento de mostrar esse trabalho incrível para a cidade de São Paulo.” Afirma Taís que pretende nos próximos anos percorrer vários estados brasileiros.

Trazemos o espetáculo para as ruas para que todos possam contemplar, de forma gratuita, a beleza desse evento, é o nosso presente para a cidade de São Paulo. É um acontecimento que reforça o espírito natalino, que emociona, une as pessoas, traz paz, reflexão e sobretudo, o espírito da solidariedade.

É um colorido incrível, fantástico. As pessoas ficam encantadas nessa época natalina. Para a confecção desses figurinos, peças únicas, leva-se até 2 meses para o resultado final. A parte elétrica aplicada possui um sistema de baterias que garante segurança e sustentabilidade a eles. As luzes dão um efeito maravilhoso nos nossos figurinos.” Conclui Taís.

O evento começa em frente ao Shopping Light, centro da cidade, e percorre as ruas do entorno até o Pateo do Colégio. Durante esse percursos, os artistas desenvolvem performances e ao final, de volta ao Shopping Light, acontece um show no local.

FACE (1)

Parada Das Luzes

14 e 21/12

Sábado – a partir das 18h

Saída em frente ao Shopping Light (R. Cel Xavier de Toledo, 23 – Centro Histórico, São Paulo)

Grátis

Classificação Livre

É DIA DE CIRCO

No próximo dia 14, a Subprefeitura da Lapa leva ao bairro de Jaguaré o projeto É Dia de Circo. Durante oito horas, serão apresentados dentro de uma lona com 150 lugares diversos espetáculos, com destaque para a participação do Circo Amarillo (Argentina), Caravana Tapioca (Recife) e Mauro Cosenza (Uruguai). Além de curtir as apresentações na lona, o público poderá se divertir com intervenções circenses que serão apresentadas na praça, se deliciar com a distribuição de pipocas e pular muito nos brinquedos infláveis.

Durante este dia, se apresentarão:

Junior Taz

Palhaço, ator, produtor, malabarista e roteirista, Junior Taz atua como palhaço desde 2010, é um dos cofundadores Cia Moscas Volantes, possui três espetáculos autorais e tem uma vasta experiência em ser Mestre de Cerimônia. Nesse grande dia, ele traz todo seu bom humor para a porta do circo, representando o grande MC, coordenando as intervenções artísticas e entretendo o público presente na praça

Caravana Tapioca – Recife – 10h30

Anderson Machado é ator, clown e músico com 12 anos de carreira. Estudou teatro, música e comicidade com grandes nomes como Ricardo Pucceti, Aziz Gual, Moshe Coen, Jenniick Dupont, Chacovati, Bete Dorgan entre outros. Já recebeu prêmios de melhor ator nos anos de 2014 e 2016 , pela APACE, um deles pelo o seu espetáculo solo Cavaco e Sua Pulga Adestrada, que irá compor o repertório do projeto.

Transportando o público para o universo clássico e imaginário do circo de pulgas, o espetáculo apresenta Maria, a pulga adestrada que chega de paraquedas, canta, faz música com panelas, cospe fogo, doma uma fera, entre outras habilidades nunca antes vistas.

Paine Santamaria – Argentina – 13h

Malabarista, Palhaça e Musicista, Paine desenvolve trabalhos e pesquisas sobre a arte circense há 16 anos, com especialização em malabarismo contemporâneo e espetáculos de rua. Já realizou apresentações em 9 países, participando de diversos Festivais, Convenções Circenses e Projetos Sociais, se nutrindo do trabalho grupal e também se desafiando ao espetáculo solo.

Nesse evento promete divertir crianças e adultos com seu espetáculo A Louca das Frutas. Sua Palhaça Figaza convida o público para uma viagem por um paraíso tropical! Números de malabares com maçãs, equilíbrio de melancias e manipulações de abacaxis compõem o repertório deste criativo espetáculo.

Mauro Cosenza – Uruguai – 14h30

Mauro Cosenza teve sua formação de base na escola de circo em Trivenchi, na Argentina, onde teve aulas de dança, estudou palhaçaria, teatro e malabarismo. Durante sua trajetória escolheu seus mestres com um olho muito afinado, os quais ajudaram a mesclar vários estilos e habilidades diferentes. Ele apresentará seu H2oBoom, um espetáculo criativo que mescla água e explosões, mostrando o delírio na pesquisa de manipulação de balões e objetos, utilizando o teatro físico e técnicas de malabarismo para a construção poética-visual do espectáculo.Com direção do argentino Victor Avalos (Palhaço Tomate), o interprete traz para a cena El Gran Enano, um palhaço excêntrico, elétrico e realista, possuído por um bufão que habita em um ponto tênue entre o empírico e o delírio.

Circo Amarillo – Argentina – 17h

O Circo Amarillo é um grupo que desde 1997 desenvolve uma pesquisa diferenciada baseada na figura do palhaço excêntrico musical. Durante esses anos de existência, tem sua atuação bastante diversificada, envolvendo espetáculos em lona, teatro e rua. Nesse evento a grupo apresenta seu espetáculo Sem Concerto, que apresenta dois palhaços que se encontram para a apresentação do seu último e único disco. Em meio a formalidades do evento, o inesperado acontece: o disco se quebra! A partir daí começa a divertida aventura para resolver este problema e com isso há espaço até para a participação de um artista convidado. Além da música tocada ao vivo, o espetáculo agrega técnicas de circo e clown marcadas pela comicidade que agrada o público de todas as idades.

FACE (3)

É Dia de Circo

Praça Porto Carreiro s/n – Jaguaré, São Paulo

14/12

Sábado – 10h às 18h

Grátis

QUEM PROSPERA SEMPRE ALCANÇA

A determinação dos brasileiros em encontrar novas opções de trabalho por conta própria, pequenas noções de educação financeira, como a importância do planejamento e da organização para a realização dos nossos sonhos, são temas do espetáculo musical de rua Quem Prospera Sempre Alcança, que retorna a São Paulo na próxima semana.

A peça com texto e direção de Leonardo Cortez se apresenta nos dias 12 e 13 de dezembro, a partir das 12h30, e no 14 às 16h na loja da Livraria Cultura Paulista – Espaço Cine Astor, encerrando o primeiro ano do projeto. Jonatan Harold assina a direção musical e as composições originais, já os figurinos e cenário são de Márcio Araújo.

Patrocinada pela Visa, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura, do Governo Federal, esse ano a peça passou por mais de dez cidades em diferentes estados, sempre de forma gratuita.

O projeto previa a realização de 40 apresentações, sendo dez na cidade de São Paulo e três em cada uma das demais cidades. Onze dessas apresentações, incluiriam um tradutor de libras. O público total estimado era de 4.680 pessoas, porém as expectativas se superaram, até o momento foram realizadas 55 apresentações, totalizando o público de 9.291 pessoas. Com o público destas novas apresentações na Livraria Cultura o projeto alcançará mais do que o dobro de público do que o previsto. Além disso, foram realizadas 37 apresentações com tradução em libras, em vez de onze.

 “Em 2018, o Brasil bateu recorde em número de novos microempreendedores, o que reforça a importância de apoiarmos um espetáculo como esse. As mensagens transmitidas, como a importância do planejamento e do gerenciamento das receitas e despesas, são extremamente relevantes para o crescimento dos negócios deste público”, explica Sabrina Sciama, Diretora de Comunicação da Visa do Brasil.

O espetáculo começa com a entrada de dois técnicos de uma companhia teatral encarregados de montar o palco para a apresentação que será feita no local. Eles fazem às vezes de operários e mestres de cerimônia e evocam situações sobre empreendedorismo a partir de três outras histórias.

Na primeira delas, duas fãs de uma dupla sertaneja decidem, na fila para entrar no show, como vão gastar o dinheiro que juntaram com muito sacrifício. Na segunda, dois vendedores ambulantes resolvem fazer uma atrapalhada sociedade e na terceira, um falido dono de boteco recebe a visita de uma inusitada fada-madrinha.

Falar sobre empreendedorismo no Brasil atual é falar sobre o caminho pelo qual cada vez mais brasileiros estão optando por seguir em função da crise econômica. Ao mesmo tempo, ter acesso aos mecanismos de desenvolvimento de novos negócios é a possibilidade real de concretização dos sonhos profissionais. Quem Prospera Sempre Alcança é um espetáculo que inclui dicas de educação financeira, principalmente ligadas ao empreendedorismo, sem a pretensão de ser didático, que apresenta, com muito humor, situações e ciladas que qualquer um pode se meter por conta da inexperiência nos negócios e na vida pessoal”, conta o autor e diretor Leonardo Cortez.

A encenação busca as raízes do teatro popular, do circo-teatro e da comédia de costumes. “Artisticamente, pesquisei sobre a linguagem teatral do espetáculo de rua, me debruçando sobre a obra de Dario Fo e os trabalhos da Cia. La Mínima”, acrescenta.

O humor é elemento de aproximação direta com o público, conquistado através de um texto ágil, contemporâneo e de comunicação franca. Novos personagens são evocados pelos dois principais a partir do uso de máscaras e acessórios. A participação dos espectadores é solicitada em brincadeiras interativas que se desdobram enquanto o público é testemunha da construção de uma peça enquanto assiste a outra.

Essa metalinguagem é uma forma de reflexão tanto para o espectador comum sobre o fazer teatral como para o próprio artista, que precisa empreender em seu ofício. “O artista via de regra é empreendedor de sua própria obra e precisa entender dos mecanismos de produção cultural para levar sua pesquisa ao público. O estabelecimento de parcerias, tão comum no mundo dos negócios, se faz absolutamente necessário em tempos de crise econômica e cultural”, explica o diretor.

Os figurinos, cenários e adereços são inspirados nas companhias teatrais itinerantes. “Elas fazem até hoje o popular teatro mambembe de imediata identificação popular e que tem nas restrições orçamentárias o seu mote de beleza e originalidade. Temos assim, a sobreposição de tecidos e o reaproveitamento de materiais, numa estética que remete ao circense. A música, originalmente composta para o espetáculo, dialoga com gêneros populares como o sertanejo e o samba de raiz, em números interativos. A ideia é que o público saia do espetáculo cantando e pensando nos próximos passos para a realização dos seus sonhos”, revela.

O projeto também conta com audiodescrição que pode ser acessada pelo link – http://bit.ly/QPSA_AD .

FACE (1)

Quem Prospera Sempre Alcança

Com André Santos e Djair Guilherme

Livraria Cultura Paulista – Espaço Cine Astor (Av. Paulista, 2073 – Bela Vista, São Paulo)

Duração 45 minutos

12 a 14/12

Quinta e Sexta – 12h30, Sábado – 16h

Grátis

Classificação Livre

BRIAN OU BRENDA?

Cada vez mais pulsante na sociedade, a discussão sobre identidade de gênero ganha uma abordagem surpreendente em Brian ou Brenda?, com dramaturgia de Franz Keppler e direção de Yara de Novaes e Carlos Gradim, que recria com liberdade ficcional o polêmico caso de David Reimer. O espetáculo tem sua temporada gratuita de estreia no Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho, entre 27 de setembro e 20 de outubro, e, em sequência, segue para uma temporada popular no Viga Espaço Cênico, de 25 de outubro a 17 de novembro, com ingressos a R$20.

Em 1965, nascem os gêmeos Brian e Bruce, que são submetidos a uma cirurgia de fimose aos 8 meses. Durante esse procedimento, o pênis de Brian é acidentalmente cauterizado. Atônitos, os pais procuram o psiquiatra John Money, que defende a tese de que os bebês nasceriam neutros e teriam seu gênero definido pela criação. Ele aconselha a família a fazer em Brian uma operação de redesignação sexual e a educá-lo conforme uma menina.

A criança passa a ser chamada de Brenda. O resultado é uma menina que cresce infeliz em um corpo que não é seu e, ainda adolescente, tenta se matar. Os pais decidem contar a verdade e, então, Brenda resolve ir em busca da real identidade que nunca havia deixado de ter.

Conhecida como um dos casos mais polêmicos da psiquiatria, a violência sofrida por David Reimer é usada por pesquisadores e instituições de todo mundo para fomentar a discussão sobre identidade de gênero. Os grupos conservadores argumentam que este é um exemplo de que uma pessoa biologicamente nascida com o sexo masculino sempre se identificará como um homem. Já os teóricos de gênero defendem que o sofrimento causado pela tentativa de impor uma identidade a David é o mesmo pelo qual as pessoas transgêneras passam na sociedade conservadora que tenta impor seus padrões.

A encenação mescla fatos reais e ficcionais para propor uma reflexão sobre gênero e o direito às escolhas e desejos de cada um, bem como os limites dos tratamentos médicos e psiquiátricos. O grupo faz questão de frisar o respeito pelas diferentes identidades, colocando a pauta, inclusive, na boca de David. Ao final da trama, por exemplo, ao ser questionado em uma entrevista, ele afirma que não é contra a cirurgia de redesignação sexual, se isso for um desejo de uma pessoa que se sente no corpo errado, contrapondo essa possibilidade ao que aconteceu.

Para celebrar a diversidade e contribuir ainda mais com essa discussão, o elenco escolhido traz Augusto Madeira, Daniel Tavares, Giovanni Venturini, Jimmy Wong, Kay Sara, Lavínia Pannunzio, Marcella Maia e Paulo Campos, pessoas com diferentes origens, condições físicas, etnias e identidades de gênero.

O texto começou a ser escrito em 2015, quando Franz Keppler foi contemplado em um edital de dramaturgia do ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Em 2018, o grupo foi contemplado na 1ª edição do Prêmio Cleyde Yáconis, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

FACE (2)

Brian ou Brenda?

Com Augusto Madeira, Daniel Tavares, Giovanni Venturini, Jimmy Wong, Kay Sara, Lavínia Pannunzio, Fabia Mirassos e Paulo Campos

Duração 100 minutos

Classificação 14 anos

Centro Cultural São Paulo (CCSP) – Sala Jardel Filho (Rua Vergueiro, 1000, Paraíso – São Paulo)

27/09 até 17/11

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h

Entrada Gratuita (distribuídos uma hora antes de cada sessão)

 

Viga Espaço Cênico (Rua Capote Valente, 1323, Pinheiros – São Paulo)

25/10 até 17/11

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h

$20

DOM QUIXOTE

Livremente inspirada na obra-prima do escritor espanhol Miguel de Cervantes (1547-1616), Dom Quixote, com direção de Rodrigo Audi, estreia no Teatro Cacilda Becker, de 5 a 27 de outubro, e em seguida, cumpre uma nova temporada no Centro Cultural da Vila Formosa, entre 2 e 23 de novembro. Pensada para agradar a todos os públicos, sobretudo crianças e idosos, a peça tem elenco formado por Angela Ribeiro, Carú Lima, Hercules Morais, João Attuy e Rita Pisano.

A trama narra as aventuras de um homem, interno de um hospício, apaixonado por livros, que decide tornar-se um cavaleiro andante, sob a alcunha de Dom Quixote, com o propósito de ajudar as pessoas a vencerem as opressões do mundo. Ele terá por companhia o fiel enfermeiro Sancho Pança, que se torna, nas mais diversas aventuras por uma Espanha atemporal, seu fiel escudeiro.

Juntos, eles se deparam com um mundo imaginário esquecido em meio a solidão e distância dos parentes que vivem na metafórica e plástica sociedade pragmática contemporânea. Assim como no clássico de Cervantes, a terceira peça da companhia lembra o espectador de que as pessoas podem criar narrativas próprias em detrimento a tanta informação superficial que já recebem pronta e esvaziada de sentido. Criar narrativas é uma maneira de entrar em contato consigo e possibilitar o alargamento de si.

A encenação aproxima a luta das crianças – contra a perda do imaginário – e de idosos – contra o esquecimento – em um diálogo afetivo, reflexivo e intergeracional, mostrando que os nossos limites e a possibilidade de superação de nossos desafios reais e imaginários são inventados por nós mesmos, pelas nossas sombras e por nossos dogmas.

Amparada na experiência da companhia na passagem de seus integrantes pelo CPT (Centro de Pesquisa Teatral do Sesc, coordenado por Antunes Filho), que tem como diferencial o debruce no teatro de classificação livre – um  infantil para adultos, um adulto para crianças –, a montagem, minimalista, privilegia a interpretação dos atores e o uso de recursos essenciais à cena, característica do trabalho do grupo, já vista nos espetáculo Oliver Twist e Agora Eu Era o Herói.

FACE (2)

Dom Quixote

Com Angela Ribeiro, Carú Lima, Hercules Morais, João Attuy e Rita Pisano

Duração 60 minutos

Grátis (ingressos distribuídos uma hora antes)

Classificação 6 anos

 

Teatro Municipal Cacilda Becker (Rua Tito, 295 – Lapa, São Paulo)

05 a 27/10 (sessão extra 10 e 24/10 – Quinta – 10h e 14h30)

Sábado e Domingo – 16h

Centro Cultural Municipal da Vila Formosa (Av. Renata, 163 – Vila Formosa, São Paulo)

02 a 23/11

Sábado e Domigo – 16h (sessão extra 21/11 – Quinta – 14h)

RI[T]OS

Com estreia no dia 22 de agosto (quinta-feira) e apresentações dias nos 23 e 24; e de 29 a 31 de agosto, a Taanteatro Companhia traz ao público a performance coletiva RI[T]OS, na Oficina Cultural Oswald De Andrade. Nas quintas e sextas, as apresentações serão às 20h; aos sábados, serão às 18h. Os ingressos são gratuitos.

O disparador dessa obra teatro-coreográfica são os “rios invisíveis” de São Paulo; a transformação de uma riquíssima e abundante bacia hidrográfica ameríndia num sistema de canais de esgoto. Partindo dessa metáfora real do urbanismo predatório, RI[T]OS explora potenciais de transfiguração do corpo organizado por valores, lógicas e práticas de colonização. 

Composto por solos e coreografias coletivas, RI[T]OS é o trabalho de conclusão do NUTAAN 2019 – Núcleo Taanteatro: Formação, Pesquisa e Criação. No decorrer de cinco meses, nove performers investigaram processos de criação em coreografia a partir de três eixos da dinâmica Taanteatro: levantamento da mitologia (trans)pessoal, (des)construcão de performance e  rito do xamã. 

NUTAAN 2019 e RI[T]OS fazem parte do projeto [des]colonizações da Taanteatro Companhia, que investiga a aplicação de estudos pós-coloniais na criação teatro-coreográfica. 

[des]colonizações foi contemplado pela 25ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

FACE

Ri[t]os

Com Janina Arnaud, Gustavo Braunstein, Florido, Vanessa Moraes, Alice Vasconcelos, Adriele Gehring, Pietro Morgado, Adélia Wellington, Sol Whitaker

Oficina Cultural Oswald de Andrade (Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo)

Duração 50 minutos

22 a 31/08

Quinta e Sexta – 20h, Sábado – 18h

Grátis (distribuição dos ingressos é feita com uma hora de antecedência)

Classificação 12 anos

A FLOR DA LUA

Após uma circulação que passou por diferentes cantos da cidade de São Paulo nos últimos três meses, o artista Marcus Moreno chega à última apresentação da temporada do solo “A Flor da Lua”, trabalho que fala da passagem do tempo, usando como metáfora a rara flor de um cacto, que ao desabrochar dura apenas uma noite. O trabalho será apresentado no dia 8 de junho, na Capital 35, no Sumaré, às 19h, integrando a programação do “fotoBazar Delas”*.

Espécie pouco conhecida, geralmente encontrada em florestas tropicais, a flor da lua é geralmente descrita, por aqueles que tiveram oportunidade de experienciar sua rebentação, pelo perfume intenso e o movimento constante de suas pétalas se abrindo. Um desses relatos, o da artista e ilustradora botânica Margaret Mee, serviu de inspiração para a “Flor da Lua”, de Marcus Moreno: “Enquanto eu me postava ali, com a orla escura da floresta ao meu redor, sentia-me enfeitiçada. Então, a primeira pétala começou a se mexer, depois outra e mais outra, e a flor explodiu para a vida”, registrou Mee em sua última expedição à Amazônia, quando finalmente, aos 79 anos, após deixar a prancha preparada, ilustrando o cacto e as folhagens, acolheu a Flor da Lua em sua efêmera existência.

A apresentação faz parte do projeto “Novas Efemeridades”, contemplado pelo 25º edital do Programa Municipal de Fomento à Dança.

*Evento concebido pelas fotógrafas Bete Marques, Fabi Mendonça, Ju Vinagre, Paula Marina e Silvia Machado, o “fotoBazar Delas” cria uma atmosfera que respira arte, para que o público possa conhecer os trabalhos autorais de cada fotógrafa e também vivenciar uma experiência de troca com outras linguagens artísticas. O fotoBazar acontece sábado (8/6), das 17h às 23h, e domingo (9/6), das 11h às 20h. As fotografias estarão à venda.

FACE

A Flor da Lua

Com Marcus Moreno

Capital 35 (Rua Capital Federal, 35 – Sumaré, São Paulo)

Duração 30 minutos

08/06

Sábado – 19h

Grátis

Classificação Livre