HEBE, O MUSICAL

O programa “Encontro com Fátima Bernardes” recebeu na manhã de hoje a visita de uma parte do elenco de “Hebe, o Musical” e o diretor Miguel Falabella, para uma conversa.

Foi apresentado o número “Beija Me”, em homenagem aos selinhos que a rainha da televisão dava nos seus amigos e entrevistados.

Não deixe de ver a matéria que fizemos com várias curiosidades sobre Hebe e que estão no musical. Clique aqui.

Hebe, o Musical
Com Adriano Tunes, Brenda Nadler, Carlos Leça, Carol Costa, Clarty Galvão, Daniel Caldini, Debora Reis, Dino Fernandez, Fefa Moreira, Fernando Marianno, Frederico Reuter, Giovana Zotti, Guilherme Magon, Keka Quarterone, Mari Saraiva, Maysa Mundim, Renata Bras, Renata Ricci, Renato Bellini, Renato Caetano e Rodrigo Garcia
Teatro Procópio Ferreira (Rua Augusta, 2.823 – Jardins, São Paulo)
Duração 140 minutos
12/10 até 17/12
Quinta e Sexta – 21h, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 18h
$50/$190
Classificação 12 anos

LAILA GARIN E A RODA

Filha de mãe baiana e pai francês, Laila ensaia sua chegada à cena como cantora e intérprete há algum tempo. Começou a estudar teatro aos 11, canto lírico aos 13 e com 15 anos já integrava um grupo de teatro amador da Casa Via Magia, atuando em várias montagens. Laila estagiou durante seis meses no Théâtre du Soleil, em Paris. “Eu sempre cantei no teatro, mas sempre tive vontade de fazer um trabalho de música, independente do teatro. Cheguei a fazer alguns poucos shows em Salvador, mas precisava encontrar os parceiros certos”, conta. “De São Paulo eu fui para o Rio, em 2009, fazer um musical do João Falcão dedicado à música brasileira, chamado “Eu te Amo Mesmo Assim”. Foi lá que eu conheci Ricco Viana e Rick de la Torre: como os dois já trabalhavam com teatro, entendiam como a música poderia estar à serviço da dramaturgia”, completa Laila.

Escolhida para interpretar Elis Regina em “Elis, a musical”, que a projetou para o grande público, Laila Garin teve na biografia da cantora a inspiração para seguir em frente com seu projeto de intérprete: “Com Elis tive essa rebeldia, essa coragem que aprendi com ela, e decidi que tinha chegado a hora de fazer a minha banda”. Foi com essa determinação que Laila partiu para uma série de shows no lendário Beco das Garrafas, espaço que viu a bossa nova nascer e acabara de ser reativado, no Rio de Janeiro. “Eu tinha conhecido o Beco das Garrafas, um lugar importantíssimo para a música brasileira, então resolvemos fazer o show Rabisco por lá“.  Como o título sugere, a ideia era mostrar algo que estava sendo construído, um rabisco. “Convidamos o Marcelo Müller, baixista, e a cada semana a gente exercitava um repertório diferente, via a resposta do público, mexia nos arranjos, até chegar no que hoje virou o nosso CD”, pontua.

Abaixo o clipe oficial da canção “Não Me Arrependo”.

Laila Garin e A ROda Cantam Elis
Com Laila Garin e A Roda
Paris 6 Burlesque Music Hall & Night Bistro (Rua Augusta, 2809 – Jardins, São Paulo)
Duração: não informada
20 e 27/11
Segunda – 21h
$70/$100
Classificação 14 anos

 

FALANDO SOBRE “HEBE, O MUSICAL”

Hebe O Musical estreou nesta última quinta feira, 12 de outubro, no Teatro Procópio Ferreira.

No primeiro programa, falamos sobre o espetáculo, curiosidades do musical e a nossa avaliação.

Minutagem do Programa

0:28 – O Musical
Curiosidades
05:29 – Programa de Perguntas e Respostas
11:20 – Hebe, Família e Início da Carreira
15:40 – Os Amores
20:40 – As Amizades
25:55 – Figurinos e Jóias
27:10 = Selinho
30:30 – Hebe na TV
33:07 – O Adeus
Avaliação
33:33 – Opinião sobre o Musical

Hebe, o Musical
Com Adriano Tunes, Brenda Nadler, Carlos Leça, Carol Costa, Clarty Galvão, Daniel Caldini, Debora Reis, Dino Fernandez, Fefa Moreira, Fernando Marianno, Frederico Reuter, Giovana Zotti, Guilherme Magon, Keka Quarterone, Mari Saraiva, Maysa Mundim, Renata Bras, Renata Ricci, Renato Bellini, Renato Caetano e Rodrigo Garcia
Teatro Procópio Ferreira (Rua Augusta, 2.823 – Jardins, São Paulo)
Duração 140 minutos
12/10 até 17/12
Quinta e Sexta – 21h, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 18h
$50/$190
Classificação 12 anos

 

MELHOR ASSIM

O cantor Reinaldo Kherlakian, acompanhado de sua banda, apresenta temporada do show “Melhor Assim“, no Burlesque Paris 6, com apresentações mensais até dezembro. A estreia será dia 24 de outubro (terça-feira), às 21h.

O artista traz no repertório renomadas canções nacionais e internacionais, como: Se todos fossem iguais a vocêCarinhosoSous le ciel de PariMy Way, Hello Detroit e até o clássico, Evidências que ganha releitura com a dramaticidade imprimida pelo intérprete.

Um homem arrojado”. Com certeza essa é uma das frases que definem a personalidade de Reinaldo Kherlakian, que deixou o mundo dos negócios em busca da realização de um grande sonho: “ser feliz cantando”, como ele mesmo define. “Não há idade certa para ser feliz”, outra frase constante em seu vocabulário. Há quase uma década, delegou seus negócios a profissionais competentes e partiu para o conhecimento e aperfeiçoamento da arte musical em sua vida. A história de Reinaldo Kherlakian com a música teve início fora do Brasil e totalmente sem querer. Morando em Miami e New York, começou a cantar em momentos de intimidade, durante jantares na casa de amigos. Os eventos invariavelmente terminavam com uma pequena apresentação musical.

Reinaldo Kherlakian_divulgação (29).jpg

Melhor Assim
Com Reinaldo Kherlakian
Burlesque Paris 6 (Rua Augusta 2.809 – Jardins – São Paulo)
Duração 60 minutos
24/10
Terça – 21h
$100
Classificação Livre

TOUR DU MONDE

A noite paulistana será presenteada com a estreia do novo show do Burlesque Paris 6: Tour Du Monde. Multissensorial e surpreendente, o espetáculo é uma superprodução que mistura teatro físico, dança, circo, ilusionismo, acrobacia, humor e música.

Apresentado por artistas com habilidades incríveis e com experiências internacionais, Tour Du Monde é uma grande homenagem ao mundo, suas particularidades e culturas. É um show repleto de beleza, tecnologia, festividade, com muita alegria, emoção, sensualidade em diferentes aspectos.

Com formato de dinner show, inovador no país, o público pode interagir com o espetáculo enquanto degusta um glamoroso jantar – uma oportunidade única de aliar uma experiência artística e gastronômica ao mesmo tempo.

O projeto é idealizado por Sandro Chaim e dirigido por ele em parceria com Monica Alla, fundadora e diretora do Grupo Ayres, um dos maiores em apresentações e performances acrobáticas do país. Alla também foi uma das coreógrafas de acrobacia aérea da abertura da Copa do Mundo de 2014.

A coreografia é de Weide Barbosa Leite, coreógrafo da abertura e do encerramento da Copa do Mundo 2014 e coreógrafo assistente de Deborah Colcker na abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016.

O show tem sua estreia no próximo dia 22 de setembro para toda a família e fica em cartaz até maio de 2018, sempre às sextas, sábados e domingos.

Elenco renomado

O elenco conta com a experiente e premiada cantora e atriz Leilah Moreno. Dotada de uma voz forte e inconfundível, Moreno já participou de inúmeros musicais e festivais de cinema no Brasil e Europa e já recebeu duas indicações ao Grammy Latino (Revelação) e uma indicação ao Emmy (Melhor Seriado de TV).

O famoso ilusionista Dimy também é uma das atrações. Campeão Latino Americano de Mágicas pela Federação Latino Americana de Sociedades Mágicas (FLASOMA), ganhou o prêmio máximo representando o Brasil no Congresso de Mágicos feito em Buenos Aires, na Argentina.

O elenco conta também 9 artistas performáticos, que realizarão números de dança e acrobacia solo e aérea, como tecido acrobático, lira e pole dance, além de interpretação e poesia. Para a trilha sonora do show, 4 músicos ficam responsáveis pelos instrumentos de percussão, teclado, violão, guitarra, bandolim, baixo e sopro.

Sinopse

O espetáculo conta a história da bailarina Sophie, que deseja viajar pelo mundo. Para ela, a dança é o início de tudo. É a chance de realizar seus sonhos e ir muito além de onde jamais imaginou estar. Em uma noite especial, tudo pode acontecer. Seu sonho pode se realizar de um minuto para o outro. No palco, onde a dança liberta, a magia acontece.

Com sua imaginação fértil, Sophie vai conhecer o mundo numa noite em que todos estão convidados a sonhar. Argentina, França, Portugal, Japão, Rússia, Espanha, Itália, Estados Unidos e Brasil são alguns dos lugares pelos quais viajaremos nessa mágica aventura. Cada país será representado no palco com suas particularidades. Na terra de Evita Perón, o tango não pode ficar de fora, enquanto o fado ganha a vez nos caminhos lusitanos. Sophie é a anfitriã de um espetáculo que fará o espectador viajar sem sair do lugar. Leilah Moreno interpretará as canções características de cada país visitado, enquanto Dimy conduz a história como um mestre de cerimônias.

Tecnologia e Acrobacia

Uma megaestrutura foi montada para criar esse universo lúdico. Aparelhos para acrobacias aéreas foram criados exclusivamente para apresentação. Será utilizado um telão de LED de alta qualidade para conceituar cada país visitado por Sophie. Através da tecnologia de video mapping, técnica inovadora e de alta qualidade, que reproduz vídeos de forma realista, o público irá até cenários característicos das maiores capitais do planeta. As ruas do Caminito, na Argentina, os cabarés luxuosos de Paris, azulejos portugueses, um piquenique nas cerejeiras japonesas e outras paisagens irão ilustrar a essa incrível viagem.

Espetáculo para toda a família

O show contará com uma versão adaptada para toda a família, em horário de matinê. Aos sábados, às 17h, será realizada uma apresentação com classificação etária livre. Na compra do evento, em qualquer data e horário, o espectador terá direito ao jantar especial*, feito especialmente para o Tour du Monde. Se preferir, o público também poderá optar pelos pratos disponíveis no menu do Paris 6 e por pagar o couvert artístico separadamente.

21270837_1681610275185090_5182467913722923381_n.png

Tour du Monde
Com Leilah Moreno, Dimy, Thaina Feroldi, Lana Borges, Maria Celeste Mendozi, Renas, Julio Nascimento, Ciro Italo, Barbara Francesquine, Tarik Henrique, Alan Melo
Burlesque – Paris 6 (R. Augusta, 2809 – Jardins, São Paulo)
Duração 90 minutos
22/09 até 05/2018
Sexta – 21h, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 18h
$80/$240
Classificação 14 anos (aos sábados, às 17h, será classificação Livre)
 
Informações Complementares: O espaço abre 1 hora antes do horário do show para entrada do público, serviço inicial de bebidas e entrada do jantar. Não será permitida a entrada após início do espetáculo.
*Bebidas serão cobradas à parte.

 

HEBE, O MUSICAL

Da infância humilde em Taubaté, no interior de São Paulo, ao posto de rainha da televisão brasileira, Hebe Camargo ganha um musical, baseado na biografa escrita por Arthur Xexéo e com direção de Miguel Falabella, que conta sua escalada profissional e os amores que passaram por sua vida. Embalado pelas canções que marcaram sua carreira de cantora, o espetáculo atravessa oito décadas nas quais, muitas vezes, os caminhos de Hebe e da TV no Brasil se confundem.

Com 21 atores em cena, orquestra composta por 09 músicos e mais de 30 técnicos envolvidos, a própria Hebe recebe o público que vai ao Teatro Procópio Ferreira e o convida a conhecer a sua história. A proposta é que o público acompanhe a grade de uma programação de TV típica dos anos 60. Nela, a garota-propaganda (Giovana Zotti) se atrapalha com os comerciais ao vivo e Leonor (Brenda Nadler), uma fã de Hebe Camargo, responde sobre a vida de seu ídolo ao peculiar apresentador de um programa de perguntas e respostas, Belo Garrido (Daniel Caldini). É através do conhecimento desta fã que a plateia acompanha o caminho da artista, que será interpretada por Carol Costa, na juventude, e Débora Reis, na vida adulta.

A relação de Hebe com os pais Fêgo Camargo (Carlos Leça) e Ester Camargo (Clarty Galvão), sua participação em programas de calouros e sua experiência de cantar no rádio formando conjuntos vocais com as primas Maria (Keka Quarterone) e Helena (Mari Saraiva), assim como com a irmã Stela (Fefa Moreira) também farão parte do enredo. As muitas amigas de Hebe são representadas por duas figuras bastante conhecidas do público: a também cantora Lolita Rodrigues (Renata Ricci), que Hebe conheceu ainda adolescente e de quem foi próxima a vida inteira, e Nair Bello (Renata Brás), com quem desfrutava noites de carteado e francas conversas regadas a gargalhadas. Ao lado de Lolita, vemos Hebe como cantora de boate num hotel do centro de São Paulo e sua participação na inauguração da primeira estação brasileira de TV.

A peça mostra o namoro de Hebe com o boxeador americano Joe Louis (Renato Caetano) e sua relação complicada, escondida do grande público, com o empresário Luís Ramos (Frederico Reuter). Paralelamente, acompanhamos o sucesso que ela alcança como apresentadora da TV Paulista, emissora onde chega a comandar seis programas semanais simultaneamente.

Seguem-se seu primeiro casamento, com o comerciante Décio Capuano (Guilherme Magon), o nascimento de seu único filho, Marcello (Adriano Tunes), e sua contratação pela TV Record, onde apresenta por oito anos o mais popular programa de entrevistas dos anos 60: uma atração que leva seu nome e que, por um bom tempo, foi campeã de audiência nas noites de domingo.

O musical registra também a separação de Décio, a rápida passagem pela TV Tupi, o trauma que a fez parar de cantar, os encontros hilários com Amâncio Mazzaroppi (Adriano Tunes) e Ronald Golias (Fernando Marianno), a carinhosa amizade com o cantor Agnaldo Rayol (Rodrigo Garcia/Frederico Reuter) e a união com o importador Lélio Ravagnani (Dino Fernandez), com quem viveu por 27 anos. Vemos Hebe tornar-se porta-voz da luta contra a corrupção em Brasília no programa que apresentou no SBT durante 24 anos e onde transformou em tradição o “selinho” que dava em seus convidados preferidos.

Com coreografias de Fernanda Chamma, direção musical de Daniel Rocha e e preparação vocal Guilherme Terra, que também será o maestro, Hebe – O musical traça a trajetória pessoal e profissional da mais carismática das apresentadoras de TV no Brasil e, por isso mesmo, a mais popular.

A Produção é assinada por Luiz Oscar NiemeyerJulio Cesar Figueiredo Junior, Claudio Pessuti e Luis Henrique Ramalho.

Vendas começam a partir de 15 de Setembro.

age20120929035.jpg

Hebe, o Musical
Com Adriano Tunes, Brenda Nadler, Carlos Leça, Carol Costa, Clarty Galvão, Daniel Caldini, Debora Reis, Dino Fernandez, Fefa Moreira, Fernando Marianno, Frederico Reuter, Giovana Zotti, Guilherme Magon, Keka Quarterone, Mari Saraiva, Maysa Mundim, Renata Bras, Renata Ricci, Renato Bellini, Renato Caetano e Rodrigo Garcia
Teatro Procópio Ferreira (Rua Augusta, 2.823 – Jardins, São Paulo)
Duração 140 minutos
12/10 até 17/12
Quinta e Sexta – 21h, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 18h
$50/$190
Classificação 12 anos
 

SENHOR DAS MOSCAS

Com direção de Zé Henrique de Paula, direção musical de Fernanda Maia e elenco de 13 atores, o texto de William Golding adaptado para o palco por Nigel Williams ganha tradução de Herbert Bianchi e Zé Henrique de Paula.

Senhor das Moscas reestreia no Teatro do SESI para temporada gratuita de 19 de agosto a 3 de dezembro. O elenco é composto por Arthur Berges, Bruno Fagundes, Davi Tápias, Felipe Hintze, Felipe Ramos, Gabriel Neumann, Ghilherme Lobo, Lucas Romano, Paulo Ocanha Jr., Pier Marchi, Rodrigo Caetano, Rodrigo Vellozo e Thalles Cabral.

Sinopse

Crianças inglesas de um colégio interno ficam presas em uma ilha deserta, sem a supervisão de adultos, após a queda do avião que as transportava para longe da guerra. Os meninos se vêm sob duas lideranças naturais: Jack está sempre preocupado em caçar, matar os porcos selvagens que existem na ilha, organizando sua equipe de caçadores; enquanto Ralph ocupa-se em deixar uma fogueira sempre acesa, para que possam ser, um dia, salvos. Ralph deseja voltar para o mundo moderno, para a civilização, enquanto Jack cada vez mais rompe seus laços com ela.

A situação se torna mais complexa quando aparece um “bicho” para aterrorizá-los. Então as crianças escolhem um símbolo sobrenatural: uma cabeça de porco espetada numa estaca, que eles batizaram como Senhor das Moscas e para quem pedem proteção contra os perigos da ilha.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre a encenação – por Zé Henrique de Paula

“Senhor das Moscas” é um clássico da literatura inglesa – escrito em 1954, em plena Guerra Fria, o romance se tornou um dos mais importantes do século XX e deu a William Golding um Prêmio Nobel de Literatura.  Mas o que existe nele que ainda possa nos interessar e, mais ainda, provocar interesse no jovem de hoje em dia?

Felizmente, a obra sobreviveu ao tempo e está mais atual do que nunca. Em tempos de grande agitação política, de ídolos instantâneos e de fluidez de identidade (especialmente entre os adolescentes), as aventuras de Jack, Ralph, Simon e Porquinho e seus dilemas éticos, morais e afetivos parecem ter sido escritos para o Brasil do século XXI. Como numa saga shakespereana em que há drama, comédia, luta, morte, natureza, aventura e religião – tudo junto numa só história – queremos dar combustível à peça através de uma de suas principais características: a velocidade e a ferocidade dos acontecimentos.

Há muito esse binômio ritmo acelerado/violência tem frequentado o cinema, as graphic novels, o videoclipe. No teatro, o fenômeno é sazonal: visitou os palcos na era elisabetana, reapareceu pontualmente em alguns momentos do século XX. Pois é esse binômio que queremos explorar, acreditando ser a matéria prima que trará à tona os grandes eixos temáticos da obra de Golding – a essência verdadeiramente bestial do ser humano; a luta pela civilização; a formação dos partidos (em sentido mais amplo, não o meramente político); o sentido de amizade, lealdade e a criação dos vínculos afetivos; a natureza do misticismo, a necessidade dos deuses e da epifania espiritual na vida dos homens.

O Núcleo Experimental tem como base de seu trabalho o ator. Aliado à síntese de elementos cênicos e à busca de bons textos, o trabalho dos atores é o foco de nossa pesquisa cênica. Pesquisamos a expressividade da ação física, o sentido de coesão e união cênica e, paralelamente, experimentamos os possíveis usos para a música e o canto no acontecimento teatral. Todos esses elementos permeiam a encenação de “Senhor das Moscas”, já que buscamos uma encenação limpa, de poucos elementos, com iluminação e música com alta significação cenográfica e direcionada aos quatorze intérpretes das crianças criadas por William Golding. Ele que é o nosso protagonista, uma vez que acreditamos que não há bom teatro se não iluminarmos, antes de mais nada, as ideias do autor.

Senhor das Moscas
Com Arthur Berges, Bruno Fagundes, Davi Tápias, Felipe Hintze, Felipe Ramos, Gabriel Neumann, Ghilherme Lobo, Lucas Romano, Paulo Ocanha Jr., Pier Marchi, Rodrigo Caetano, Rodrigo Vellozo e Thalles Cabral
Teatro do SESI (Av. Paulista, 1313 – Jardins, São Paulo)
Duração 90 minutos
17/08 até 03/12
Quinta, Sexta e Sábado – 15h; Domingo – 14h30
Entrada Gratuita
Classificação 14 anos